Posts de Adriana Santos
16 jul 2015

Mercado vegano aposta na compaixão

Arquivado em Comportamento

vegano

“O princípio da compaixão é o cerne de todas as tradições religiosas, éticas e espirituais, nos conclamando sempre a tratar todos os outros da mesma maneira como gostaríamos de ser tratados. A compaixão nos impele a trabalhar incessantemente com o intuito de aliviarmos o sofrimento do nosso próximo, o que inclui todas as criaturas, de nos destronarmos do centro do nosso mundo e, no lugar, colocar os outros, e de honrarmos a santidade inviolável de todo ser humano, tratando todas as pessoas, sem exceção, com absoluta justiça, equidade e respeito”. Carta Pela Compaixão Por uma nova civilização.

Comecei a postagem com um pequeno trecho da Carta Pela Compaixão porque acredito que a mudança de paradigma para a construção de uma civilização cada vez mais justa e amorosa precisa envolver todos os habitantes da Terra. Por mais que a mudança tenha origem no íntimo de cada ser, o outro sempre vai fazer a diferença. Vivemos em rede. A sua ação desencadeia muitas outras mesmo contra a nossa vontade.

As mudanças são geralmente difíceis e arraigadas de preconceitos e de excessos de ideologias. Abandonar o cigarro para mim, por exemplo, foi terrível. Foram várias tentativas frustradas e muitos apelos dos meus amigos mais queridos e do meu filhote. Já faz um tempão que deixei o cigarro. Fico feliz por deixar meu pulmão sudável e o ar que respiro mais limpo.

Agora estou em outra empreitada. Há quase um ano não como carnes (carnes de boi, frango, porco, peixe ou outro animal). Diminui bastante o consumo de leite e derivados. O queijo canastra ainda é meu fraco.

É difícil a mudança no padrão alimentar, principalmente para as pessoas que comem fora de casa. Meu filho adolescente ainda resiste, mas consegui diminuir bastante o consumo de carnes na minha casa. Não forço a barra ou provoco brigas desnecessárias. Simplesmente ofereço deliciosas opções de alimentos. Aos poucos, ele vai entender que a alimentação viva é mais saudável. Hoje, prefiro mil vezes um churrasquinho de vegetais servido em um barzinho da Savassi, em Belo Horizonte. Um espetáculo!

Enfim, aproveito a oportunidade para listar algumas empresas que também escolheram o caminho da compaixão, deixando a matéria-prima de origem animal de lado.

sapa

Os sapatos da Insecta são coloridos, exclusivos e confeccionados a partir de roupas usadas. A palavra-chave da empresa é reaproveitamento: aumentar a vida útil do que já existe pelo mundo, sempre de modo criativo e descontraído.

Os mais diversos tecidos e estampas daqueles modelitos abandonados viram botas e oxfords veganos, sem nenhum uso de matéria-prima de origem animal.

vega

Para a alegria dos viciados em games e contra qualquer abuso físico, emocional ou ideológico contra animais, uma boa notícia! Foi lançado o tão esperado “Butcher goes Vegan”.

App Store: https://itunes.apple.com/us/app/butcher-goes-vegan-animals/id994940131?ls=1&mt=8

Google Play: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.arvingames.butchergoesvegan
queijo vegano
A Superbom inova o mercado de produtos saudáveis com a linha de queijos 100% vegetais. Queijos tipo muçarela, prato e provolone sem nenhum ingrediente de origem animal, fatiáveis e que, segundo a divulgação da empresa, derretem. Os produtos são os grandes lançamentos e a aposta da empresa para este ano.
creme dentel vegano
A marca Contente reconhece a importância do mercado Vegano. O Creme Dental Contente Plus não contém nenhum ingrediente de origem animal e não foi testado em animais.

milão

Os Produtos Milão não têm componentes de origem animal e são de origem extrativista, ou seja, são a principal fonte de renda de muitas comunidades do Maranhão, Pará, Tocantins e Piauí, entre outros estados.

O sabão de coco é um produto recomendado por médicos para uso com roupas e contato com as mãos de pessoas sensíveis aos detergentes, que são os princípios ativos, petroquímicos, da maior parte dos produtos no mercado hoje. Os Lava Louças e Lava Roupas Milão não contém detergente, seu princípio ativo é o sabão de coco puro.

*************************************************************************************************

“Os humanos imploram a misericórdia divina, mas não têm misericórdia dos animais, para os quais são divinos” Buda

“Cultivar estados mentais positivos como a generosidade e a compaixão decididamente conduz a melhor saúde mental e a felicidade” Dalai Lama

 

15 jul 2015

Código Civil Brasileiro ainda considera animais como objetos

Arquivado em Direito Animal

RESGATE4

O abandono de animais é uma realidade cada vez mais cruel. Cães, gatos e outros animais estão por toda parte, prédios abandonados, estações de ônibus, calçadas, lixões… Quando a crise financeira aparece, são os primeiros a serem descartados como objetos. Pelo Código Civil Brasileiro, até hoje, animal não é sequer considerado ser vivo.

Os abusos e crueldades praticados pelos humanos contra os animais, que são seres sencientes e indefesos, mostram o quanto estes são vítimas da ganância humana. Por isso declaro minha confiança com relação ao projeto de lei (PSL 351/2015) do senador mineiro Antonio Anastásia (PSDB-MG).

O projeto está pronto para ser votado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. Se aprovado, os animais não poderão mais ser considerados como coisas/objetos, modificando assim o Código Civil. O relator, senador Álvaro Dias (PSDB-PR) deu parecer favorável ao projeto, com duas emendas à redação.

OS ANJOS DOS PELUDOS EM AÇÃO 

O grupo de resgate de cães Hope for Paws é chamado para ajudar uma cadela da raça Golden Retriever abandonada, Clarabelle, que estava vivendo em um parque industrial. Carinho, cuidado, delicadeza foram essenciais para o resgate.

15 jul 2015

Raphael Rocha: a face do artista que aposta na liberdade criativa

Arquivado em Saúde & Literatura

luarrafa

Sempre fui uma “faz tudo” nas redações de jornalismo, onde tive a felicidade de trabalhar, e uma curiosa de plantão. Por isso, hoje, me considero uma multimídia, com experiência em rádio, audiovisual e internet. Acho que é uma tendência cada vez mais forte que motiva, em especial, profissionais da comunicação, da arte e da literatura.

Mas o objetivo da minha postagem é apresentar um artista que tem este perfil. Ele cuida de cada detalhe de sua produção, com muito carinho, dedicação e curiosidade. Raphael Rocha é autodidata e nasceu no Rio de Janeiro no final do verão de 1980. Recentemente publicou os livros: “No passar dos ventos – Poemas de outros tempos (2014) e Lua dos infantes (2015).

De 2002 a 2006 colaborou como ilustrador e designer gráfico freelancer em jornais e revistas do Brasil e do exterior. Publicou ilustrações no antigo Jornal dos Sports (Rj), Il Romanista (Itália), revista Forza Roma (Itália), revista Tatame (Brasil), Revista “A+” do diário esportivo o Lance!

O livro “Lua dos infantes” acabou de sair do forno. São poemas amorosos, reflexões metafísicas, transfigurações do real e jogos de linguagem, carregados de lirismo, delicadeza e força, amor e nostalgia. A publicação traça um pouco dos possíveis caminhos que a alma de coração aberto é capaz de percorrer e de relembrar.

“Lua dos infantes é uma edição autoral e toda a produção, do design de capa à concepção gráfica do livro num todo, é também de minha autoria, exceto a diagramação. Por se tratar de uma tiragem pequena será vendido apenas na livraria Folha Seca (Rio de janeiro) ou comigo através das redes sociais (Facebook e blogger). A poesia de um estreante, muitas vezes, está para o mercado editoral como os legumes, frutas e verduras para muitas crianças quando entram em um supermercado. É sempre a última das últimas opções”. diz Raphael Rocha.

Página 129 de 155«1 ...125126127128129130131132133... 155Próximo