Categoria "adolescente"
04 jan 2018

Adolescente com doença grave no intestino faz apelo nas redes sociais

pedro

O rosto dele me hipnotizou nos primeiros segundos de um vídeo que circula no Facebook, desde 9 de dezembro de 2017. Já são mais de 300 mil visualizações. Não tinha como ser indiferente. O corpo frágil, o olhar sincero e a voz decidida me deixaram interessada na história do guerreiro Pedro Guilherme, 14 anos e morador de Fortaleza. Ele tem uma doença grave no intestino, mas enfrenta cada dificuldade com otimismo, fé e sonhos. Pedro quer ser escritor e ajudar outras pessoas que passam pelo mesmo problema. “Minha história poderia ser igual a de muitas outras, e na verdade é, senão fosse pelo simples fato de que me deram apenas dois dias de vida, em maio de 2009, quando tinha apenas 5 anos de idade. Depois de três dias de intenso sofrimento, descobri que tinha uma má formação genética, com uma única artéria mesentérica, sem veias intestinais, sofri volvo e posterior necrose de mais de 90% do intestino delgado, ficando com 5cm de jejuno e 5cm de íleo”, explica.

Após 2 meses, Pedro fez mais 2 cirurgias. A última delas foi de ligação das partes que sobraram chamada reanastomose e a de por uma sonda para alimentação enteral ou gastrostomia, da qual ele faz até hoje. Pedro ficou nove meses sem se alimentar pela boca, além das várias internações, infecções e sofrimento. “Comecei a me alimentar pela boca em 2010, um grande passo pra mim, e desde então continuo pela sonda e pela boca”.

Pedro ainda batalha para ganhar mais peso. Ele esteve internado até um pouco antes do Natal e está com apenas 29 quilos, distribuídos em 1.54m. Com a doença, Pedro também enfrenta problemas como: osteoporose e depressão. “Foi descartado hipótese de transplante e STEP(espécie de alongamento do intestino) pela cautela de não piorar o que vem dando certo. O tratamento dele basicamente é medicamentoso e alimentício. Ambos sem previsão de alta e de forma contínua. Atualmente ele faz uso de 13 medicamentos e leite especial”, informa  Karla Lima, mãe do guerreiro Pedro.

A síndrome do intestino curto (SIC), ou simplesmente chamada de intestino curto, refere-se a uma doença de má absorção resultante da ressecção cirúrgica do intestino delgado (como, por exemplo, em casos de doença de Crohn ou tumores) derivações do trânsito intestinal (como no caso de fístulas e cirurgia bariátrica) ou, em raros casos, decorrente de uma disfunção completa de grande parte do intestino delgado (devido a infecções, isquemia, quimioterapia e/ou radioterapia). Saiba mais no site do Pedro Guilherme AQUI

Conversei com o Pedro sobre sonhos. Sonhar é o caminho mais curto para conquistar saúde e bem estar. Ele gosta de escrever contos e poemas.

Adriana Santos: Como surgiu a ideia de escrever?

Pedro: Eu costumo criar fantásticas histórias com brincadeiras de bonecos e de espadas. Quando, numa conversa, contei uma delas a minha mãe, ela me deu a ideia e eu acolhi. Desde então é minha paixão.

A: Quais os livros estão na gaveta, esperando publicação?

P: Atualmente, “Contos da Minha Nuvem”, um livro de que busca espalhar valores e o “Cotidiano de Minhas Poesias”, dedicado a poemas, que já está sendo finalizado.

A: Qual o autor que você mais gosta?

P: Nossa, é bastante difícil! Gosto de muitos autores, mas meu preferido certamente é J.R.R Tolkien, o pai do RPG e escritor de O Silmarillion, O Hobbit, O Senhor dos Anéis e tantos outros.

A: Qual o livro que você mais se identifica?

P: Depende muito do modo como quero ser identificado: seja em estilo de escrita? Personalidade ou caráter? Certamente um livro que me identifiquei bastante foi o Pequeno Príncipe. Uma linda história, que foi capaz de tocar até meu âmago e ser a primeira obra literária a me arrancar lágrimas.

A: Quais são os seus sonhos?

P: No fundo, tudo o que mais quero não é fama ou dinheiro, mas espalhar minhas histórias, para que as pessoas a conheçam e que venham a gostar delas. Sonho em viajar por lugares como Dinamarca, a doce Europa e outras regiões. E poder ajudar instituições e ONGs de crianças e portadores da SIC.

Veja o vídeo. É comovente!

Como ajudar?

A família abriu uma conta poupança para doações. Você pode doar qualquer valor. O importante é doar e contribuir para a realização do sonho do guerreiro. O dinheiro será utilizado para a publicação do livro, além das despesas com o tratamento.

Titular: Pedro Guilherme Lima Ramos
Banco: Caixa Econômica
Agencia: 2183
Conta poupança: 34.989-9
Operação: 013
CPF: 054.216.223-71

Mais informações pelo site do Pedro. AQUI

09 nov 2017

Gabriel: um chef de cozinha especial que deixou o preconceito de lado e criou uma marca de brigadeiro

gabriel2
Gabriel Bernardes Lima, 21 anos, conquistou o coração dos brasileiros, em especial depois da apresentação do jovem no Programa da Eliana do SBT.  Ele tem síndrome de Down, criou a marca de brigadeiros “Downlicia” por incentivo da própria mãe, Martha Bernardes, e já vende muitos docinhos. As receitas de Gabriel são disponibilizadas em vídeo em seu canal do YouTube, que já conta com cerca de 9 mil inscritos: www.youtube.com/downlicia

O rapaz começou a fazer brigadeiros gourmet para contribui com as contas de casa. A família mora na zona sul de São Paulo e já passou muitas dificuldades. “O Gabriel começou a se interessar por cozinhar com uns nove anos. Ele fazia sanduíches e sucos. Já maior, eu o ensinei a mexer no fogão, e ele aprendeu a fazer café, fritar ovo… Quando falava para alguém o que ele sabia fazer, percebia que a pessoa me olhava desacreditando. Foi assim que tive a ideia de gravar os vídeos”,  esclarece a mãe dele.

No Brasil, cerca de 300 mil pessoas nascem com Down a cada ano. Trata-se de uma falha genética que ocorre quando o feto está sendo formado. Uma célula humana considerada normal possui 46 cromossomos, divididos em 23 pares. Por alguma razão desconhecida, pode ocorrer um erro no começo do desenvolvimento embrionário e é criado um cromossomo extra, que fica ligado ao par 21. O resultado é  célula com 47 cromossomos.

A síndrome não é considerada uma doença, mas existem algumas complicações que um Down pode apresentar com mais frequência que outra criança, como má formação cardíaca e do intestino, baixa imunidade, problemas de visão, de audição, respiratórios e odontológicos. Algumas características físicas são bem específicas, como os típicos olhos amendoados com uma caída de pálpebra mais acentuada, uma prega única na palma das mãos, língua que tende a ficar fora da boca (língua protusa) e hipotonia (flacidez muscular). A criança pode apresentar certo comprometimento intelectual, que não a impedirá de desenvolver-se como qualquer outra pessoa se receber muita estimulação e amor.

Gabriel é realmente um jovem especial. Ele nasceu de uma mãe destemida e amorosa, além de receber doses cavalares de afeto de sua irmã mais velha.

Adriana Santos: Como foi a sua primeira experiência no preparo dos brigadeiros?

Gabriel: Foi muito legal. Gostei muito de misturar e achar o ponto certo, gostei mais de enrolar e comer 😂

A princípio, você encontrou alguma dificuldade?

Sim. É difícil saber a hora certa de desligar o fogo 😩

Como começou a gravação dos vídeos nas redes sociais?

Minha mãe achou que seria legal gravar e mostrar tudo que eu sei fazer

Qual os brigadeiros que você mais gosta de preparar?

Paçoca e tradicional

Quais brigadeiros você recomenda como os mais saborosos?

Todos

Como você se sente em ser famoso, principalmente depois da sua apresentação no Programa da Eliana do SBT?

Eu fico muito feliz das pessoas gostarem do meu trabalho e é  muito legal ser reconhecido nos lugares, tirar foto com as pessoas. Estou vendendo mais brigadeiros e ganhando mais dinheiro pra comprar meu carro.

Qual o seu conselho para quem está começando?

Não pode ter preguiça e não pode desistir.

Veja só o vídeo que o doce Gabriel fez para o nosso blog. Parabéns, Gabriel. Nós estamos torcendo para que você consiga comprar o carro mais bonito da praça.

18 abr 2017

Hospital de Lagoa Santa alerta sobre aumento de casos de suicídios

depressão1

Imagem Google

A Santa Casa de Lagoa Santa registrou, no último mês, cinco tentativas de suicídio entre jovens na faixa dos 25 anos. A maioria dos casos provocado por praguicidas de uso doméstico, produtos de limpeza e consumo de medicamentos controlados.

Segundo Fabiana Saqueto, assistente social do Hospital, houve um aumento significativo de casos. As vítimas são atendidas no ambulatório do hospital. “Uma das dificuldades de tratar o paciente é a ocultação de informações do próprio paciente ou dos familiares. As situações de extremo sofrimento, angústia e outros conflitos podem provocar, com o tempo, algum tipo de distúrbio psiquiátrico”, esclarece Fabiana.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que o suicídio é um problema de saúde pública responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo, sendo a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Setenta e cinco por cento dos suicídios ocorrem em países de baixa e média renda. O Brasil é o oitavo país com mais registros de suicídios.

Alguns casos estão relacionados com transtornos mentais, em particular, depressão e abuso de álcool. Os casos mais frequentes acontecem em momento de crise ou na dificuldade de lidar com os estresses da vida – tais como problemas financeiros, términos de relacionamento ou dores crônicas e doenças. Além disso, enfrentamento de conflitos, desastres, violência, abusos ou perdas e solidão estão fortemente associados com o comportamento suicida.

Segundo dados da OMS, até o momento, apenas alguns países incluíram a prevenção ao suicídio entre suas prioridades de saúde e só 28 países relatam possuir uma estratégia nacional para isso. O suicídio é uma questão complexa e, por isso, os esforços de prevenção necessitam de coordenação e colaboração entre vários setores da sociedade, além da conscientização da população por meio de informações claras, sem preconceitos e com o objetivo de alertar as famílias sobre os principais sinais de uma pessoa com perfil suicida.

Página 1 de 212