Categoria "Alimentação e Nutrição"
24 jun 2015

Especialista alerta sobre os riscos da bolsa térmica na amamentação

amamnteção4

Embora seja muito recomendado, o uso de bolsas térmicas no seio da lactante não é aconselhado por especialistas. Isto porque o uso da bolsa térmica quente ou fria podem provocar queimaduras.

“Aqui no Banco de Leite Humano (BLH) não indicamos o uso da compressa, somente em alguns casos, se a paciente chega com nódulos no seio, recomendamos que ela faça massagem, e a retirada do leite. Compressa somente a fria e para as mães portadoras de HIV ou as que por alguma razão não vão amamentar, nestes casos indicamos a compressa fria para inibir a lactação. Já a compressa morna, não indicamos em nenhuma situação”, explicou Nina Savoldi, enfermeira do Banco de Leite Humano do Instituto Nacional da Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz).

A seguir a especialista responde às principais dúvidas das mamães sobre o uso de bolsas térmicas.

Qual a diferença entre a bolsa térmica morna e a fria?

Nina Savoldi: A fria inibe a produção do leite através da vasoconstrução. A morna causa uma vaso dilatação, podendo aumentar a produção. No entanto, essas compressas podem causar efeito contrário, por isso preferimos a massagem, pois ela ajuda a dissolver os nódulos, sem precisar fazer compressa quente.

Quais são os riscos para a lactante?

O grande problema da compressa quente é que algumas mães, que estão com mastite e usam a este tipo de bolsa térmica começam a ter queimaduras. “Nosso conselho para as mães que estão amamentando e estão com o leite empedrado, é só fazer massagem e tirar o leite, colocar o bebê mais vezes para amamentar em livre demanda, notar se ele está pegando na auréola da forma coreta”, explicou Nina Savoldi. A compressa quente aumenta a produção de leite, por este motivo as mães que estão com leite empedrando por conta da grande produção de leite não devem usar este tipo de compressa.

Qual seria a melhor alternativa ao uso de bolsas térmicas?

A especialista aconselha somente o uso de massagens para auxiliar as mamães que estão tendo problemas com a grande quantidade de produção de leite, assim como, a ordenha e a amamentação em livre demanda do bebê. “Aconselhamos às mamães prestarem atenção nos sinais de fome do bebê, por exemplo, o gemido, ou o lamber da mãozinha, e antes dele começar a chorar, já colocá-lo no peito”, esclareceu ela. Já a bolsa térmica fria é aconselhada apenas para inibição do leite, para mães que não podem amamentar seus bebês.

18 jun 2015

Alimentação saudável muda o ritmo de vida

tânia

Todo mundo sabe da importância dos hábitos saudáveis, das atividades físicas e de uma alimentação equilibrada: traz benefícios para a saúde, ajuda a nos manter ativos para realizar as tarefas do dia a dia e melhora até o humor. Uma alimentação saudável é aquela que reúne todas as substâncias importantes para o melhor funcionamento do nosso organismo. Requer variedades de cores, ingredientes, vitaminas e minerais. Na escola, um espaço ocupado por crianças e adolescentes, isso se torna ainda mais relevante. Mas como colocar a turminha no ritmo da alimentação que prioriza verduras, frutas, legumes e água limpa? O lúdico poder ser um bom aliado dos professores, das mães, dos pais e dos demais responsáveis pela saúde dos filhos.

Tânia Bicalho é nutricionista, cantora, compositora, arranjadora, multi-instrumentalista e especialista em Nutrição Clínica e Docência da Educação Ambiental para a Cidadania e Sustentabilidade.  Seu quarto CD, intitulado MPN – Música Popular Nutritiva tem o objetivo de prestar atenção primária à saúde através da educação nutricional e da música. Ela participa ativamente de palestras de conscientização em escolas públicas e particulares do Brasil. Conversei com a mineira de Juiz de Fora, Zona da Mata. Não deixe de conferir, também, a paródia do omelete, um sucesso que diverte e educa a criançada. Tânia tem também um canal no Youtube. Vale a pena uma visitinha.

tania2

arquivo pessoal

 

Adriana Santos: Por que crianças e adolescentes têm dificuldades de comer alimentos frescos, como frutas e legumes?

Tânia Bicalho:  Porque, muitas vezes, não vêem os pais e ou familiares comendo alimentos frescos e saudáveis. Com o processo de industrialização dos alimentos e a jornada de trabalho, muitas vezes tornou-se mais fácil ofertar e consumir alimentos processados. Há também o modismo e a influência da mídia. Por estas e outras a  (Re)Educação Nutricional é fundamental para os pais e para os filhos, enfim, para toda a família.

Adriana Santos: Recentemente, a apresentadora Bela Gil – do programa Bela Cozinha do canal pago GNT, sofreu duras críticas porque colocava na merendeira da filha alimentos como, batata doce e banana da terra. Qual a importância de alimentos naturais e regionais nas merendeiras dos filhos?

Tânia Bicalho:  Esta resposta complementa a primeira. É importante justamente para que as crianças tenham contato com uma alimentação saudável e menos processada! A saúde agradece. Isto aumenta a qualidade de vida, pois o desempenho emocional e psiquico também é influenciado pela alimentação. É importante valorizar também a sazonalidade: frutas e verduras de época são mais baratas.

Adriana Santos: Como a música e o lúdico podem ajudar a conscientizar pais, mães e filhos sobre a importância da alimentação saudável?

Tânia Bicalho: A música é um excelente veículo para divulgar a alimentação saudável. Faço isto de forma divertida. As pessoas assistem minhas palestras-show e saem cantando comigo, “inspiradas”  a mudarem seus hábitos alimentares. Isto me deixa extremamente feliz e realizada.

Adriana Santos: Como surgiu a iniciativa de unir música e alimentação?

Tânia Bicalho:  Eu sempre trabalhei com música e, como nutricionista, uni minhas duas paixões: música e saúde. Faço um trabalho diferenciado, fazendo as palestras-show. A partir deste “pontapé inicial”  dou treinamento a empresários,  professores e nutricionistas para darem continuidade a este trabalho de atenção primária à saúde em suas respectivas escolas ou empresas.

Adriana Santos: Você concorda em lancheiras em festas de aniversários com o objetivo de evitar que o filhos comam doces, refrigerantes e outras guloseimas cheias de açúcar e sal?

Tânia Bicalho:  Acho que pode soar um pouco antipático e as crianças precisam e gostam de socializar. Sou a favor de que as pessoas passem a fazer festas com maior variedade de alimentos, com oferta de opções mais saudáveis. Tenho muita experiência nesta área e garanto que todos apreciam tanto os  novos sabores quanto  o ineditismo. As festas com alimentos mais naturais ficam incríveis, recheadas de criatividade e valorização da saúde!

Adriana Santos: Como a escola pode ajudar os pais e as mães na árdua tarefa de escolher melhor os alimentos do dia a dia?
Tânia Bicalho:  Com muita (Re)Educação Nutricional. Esta é minha especialidade e sei o quanto é importante explicações e demonstrações sobre alimentos que fazem bem, assim como os que fazem mal. As pessoas ficam surpresas quando têm acesso às informações de que, muitas vezes, alimentos considerados “deliciosos” são extremamente prejudicias  a saúde. É importante divulgar e esclarecer, e isto se faz, com excelente êxito,  através da (Re)Educação Nutricional.

 Paródia do omelete com crianças de escolas públicas

Página 6 de 6123456