Categoria "Espiritualidade"
21 jun 2018

Vaticano investiga a possibilidade de vida inteligente em outros planetas

IMG_1763

Desde criança, as histórias de alienígenas me fascinam. Uma das minhas boas lembranças de infância, com certeza, é o filme: E.T. – O Extraterrestre, considerado um dos maiores sucessos de bilheteria de toda a história do cinema, sendo o segundo filme a ultrapassar a marca 700 milhões de dólares depois de Star Wars. Ainda quando criança, ficava até amanhecer na varanda da minha casa com os olhos vidrados no céu, na esperança de encontrar algum disco voador. Sonhava em encontrar um alienígenas amigo, companheiro de viagens rumo aos outros planetas fora do Sistema Solar.

Já na juventude, quando ainda estudante de jornalismo, conheci o saudoso professor Húlvio Brant Aleixo, oficial da reserva da Força Aérea Brasileira, psicólogo e um dos primeiros ufólogos brasileiros. Aprendi tanto com ele, principalmente durante algumas pesquisas de campo realizadas no interior de Minas Gerais. Foi uma boa referência na minha vida. Ele me apresentou os princípios básicos dos estudos ufológicos.

Outro assunto que gosto de pesquisar é sobre os possíveis contatos entre alienígenas e membros do Vaticano. Para entender mais sobre essa possibilidade, entrevistei  Edison Boaventura Júnior,  pesquisador há 37 anos, fundador e atual presidente do GUG – Grupo Ufológico de Guarujá.

Como pesquisador, ele investigou o “Caso Varginha”, em Minas Gerais. Boaventura também é apresentador do Canal do Youtube: “Enigmas e Mistérios” e escreve artigos para o Portal BURN (www.portalburn.com.br).  É consultor da revista OVNI Pesquisa. Viajou para vários países para investigar o fenômeno, como por exemplo, Egito, Grécia, Turquia, Israel, Japão, Camboja, Tailândia, Emirados Árabes, Inglaterra, França, México, Peru, Chile, Argentina e Uruguai.

Atualmente, ele vem desenvolvendo levantamentos sobre a atuação de militares brasileiros em pesquisas relacionadas com o Fenômeno OVNI. É o pesquisador brasileiro que possui a maior quantidade de documentos oficiais sobre o assunto. Também, está compilando um dossiê sobre o caso da explosão de um OVNI em Ubatuba, no Litoral Paulista em 1957, sendo que os fragmentos obtidos foram analisados na USP, em São Paulo.

Image.6DA14CC8-1801-4E2C-9E77-C15ECCF4BE98

Adriana Santos (AOS): Muitas pessoas acreditam que o Vaticano guarda segredos sobre possíveis contatos com seres de outros planetas. Alguns dizem que muitos relatos estão nos livros da Biblioteca, mas os pesquisadores da ufologia não têm acesso. Isso é possível? Qual os motivos para tanto segredo?

Edison Boaventura Júnior (EBJ): Não é de hoje que se fala em segredos ocultos sobre vários aspectos na Santa Sé e, o tema OVNI – Objeto Voador Não Identificado não é diferente! Não só em livros antigos da grande biblioteca do Vaticano, mas em documentos e cartas, constam relatos de objetos voadores desconhecidos e, até de seus tripulantes. Para exemplificar, o caso da aparição de Fátima em 1917, segundo o pesquisador português Joaquim Fernandes e a pesquisadora Fina D’Armada seria, na verdade, um contato de 3º grau. Eles tiveram acesso aos documentos do Vaticano sobre este episódio e atestaram que a igreja omitiu os fatos e distorceu certos aspectos da aparição, supostamente, mariana. Toda a verdade está relatada em livro que estes dois pesquisadores escreveram, intitulado “Intervenção Extraterrestre em Fátima”. O motivo de tanto segredo é que uma revelação destas verdades colocaria em xeque-mate a fé das pessoas, podendo gerar uma convulsão no meio dos fiéis e da própria Instituição, podendo ser perigoso e causar a dissolução de parte dos seus seguidores. Outro aspecto é que o simples fato da Igreja mencionar, vez ou outra, o termo OVNI, causa uma certa repugnância para algumas frentes carismáticas. Assim, o mais correto que eles definiram é manter o sigilo!

AOS: Há quanto tempo o Vaticano pesquisa sobre vidas fora da Terra?

EBJ: Desde sempre o Vaticano coleciona casos e experiências desta natureza. Todavia, desde a criação do setor que cuida de Exorcismo e Parapsicologia, o estudo dos OVNIs foi incorporado neste mesmo setor e, daí para frente, não mais parou a investigação deste inquietante fenômeno. Atualmente, o responsável por estes estudos é o jovem jesuíta cientista, José Gabriel Funes. Funes é o diretor do Observatório do Vaticano e em 2008, disse em entrevista ao jornal Lobservatorie Romano: “Deus pode ter criado vida inteligente em outras partes do Universo e inclusive poderiam ser nossos irmãos”.

AOS: O Vaticano assume que investiga sobre a possibilidade da presença de alienígenas no espaço?

EBJ:  Sim, há religiosos que já deram suas opiniões pessoais ou ainda, em nome da Instituição sobre esta temática. Para o pesquisador italiano Roberto Pinotti que estudou esta abertura que está sendo feita de forma gradual, disse: “O Vaticano já admitiu a existência de seres extraterrestres e até o papa João XXIII teve um contato com um tripulante em 1961”. O falecido Monsenhor Conrado Balducci, considerado exorcista oficial do Vaticano afirmou em um Simpósio de Ufologia, realizado em San Marino, na Itália, em 1999: “A vida fora da Terra é evidente e sua existência não pode ser ignorada”. Em outro evento, em 2005, na Calábria, Balducci disse: “A Igreja reconhece que não estamos sozinhos no Universo”.

AOS: Qual seria o impacto institucional da Igreja Católica com a possível confirmação da presença dos extraterrestres? Como ficaria a fé católica diante de uma revelação de vida para além da Terra?

EBJ: Seria um impacto ainda indefinido, mas segundo os clérigos mais conservadores, teriam, certamente, proporções catastróficas para a Instituição religiosa. A fé seria abalada, pois novos conceitos teriam que ser implantados e, muitos padrões antigos e dogmas seriam revistos e substituídos. Muitos fiéis se sentiriam traídos em suas crenças!

AOS: O Papa Francisco já demonstrou interesse pelos estudos ufológicos?

EBJ: De uns anos para cá o Papa Francisco tem deixado escapar seus pensamentos sobre a vida extraterrestre. Ele afirmou que a vida extraterrestre inteligente evoluiu de forma consistente com “o plano do Criador”, possibilitando assim que estes seres atuem de forma mais adequada a este plano. Aos poucos, estas declarações podem indicar uma abertura gradual para afirmar no futuro próximo, a realidade da existência de estudos no Vaticano e, consequentemente, a realidade do Fenômeno OVNI.

AOS: O Papa já fez algum pronunciamento que pudesse escapar algo sobre a presença de alienígenas?

EBJ:  Sobre a presença de alienígenas, claramente ele não disse nada! Porém, teoriza e expõe suas idéias, vez ou outra, sobre a vida extraterrestre criada por Deus, como já respondi na pergunta anterior. Creio que a forma do Papa Francisco trazer o assunto em conta-gotas seja uma forma indireta de dizer que o fenômeno é real! Talvez, para preparar o povo católico para uma revelação futura.

AOS: Por ser um jesuíta, seria mais fácil para o Papa Francisco admitir a vida em outros planetas?

EBJ: Sim. Creio que o fato dele ser jesuíta e também ser o Papa abre-se um leque ainda maior e, certamente, ele sabe de muita coisa sobre a vida extraterrestre e também sobre os casos que existem lá no Vaticano, pois ele tem acesso livre a tudo que já foi coletado e estudado durante muitas décadas. Infelizmente, estes resultados mais aprofundados são ocultados dos fiéis e público em geral.

AOS: Há indícios que os alienígenas já entraram em contato com membros do Vaticano?

EBJ: Sim. Um dos casos mais divulgados na atualidade seria o contato imediato de um ser, tripulante de um OVNI que contatou com o Papa João XXIII. O evento ocorreu em 1961, em Castell Gandolfo, na Itália e o assistente do Papa contou: “Era de forma oval e tinha luzes intermitentes azuis e âmbar. A nave pareceu sobrevoar nossas cabeças, depois aterrou sobre a grama no lado sul do jardim. Um estranho ser saiu da nave; parecia um humano a exceção de que estava rodeado de uma luz dourada e tinha orelhas alongadas. Sua Santidade e eu nos ajoelhamos. Não sabíamos o que estávamos vendo. Mas soubemos que não era deste mundo, portanto devia ser um acontecimento celestial. O Santo Padre se levantou e caminhou para o ser. Os dois ficaram juntos de 15 a 20 minutos, pareciam falar intensamente. Eles não me chamaram, de modo que permaneci onde estava e não pude ouvir nada do que falavam. O ser deu a volta e caminhou para sua nave, em seguida marchou. O Sumo pontífice se dirigiu para mim e me disse: Os filhos de Deus estão em todas as partes; algumas vezes temos dificuldade em reconhecer a nossos próprios irmãos.”.

AOS: Jesus seria um alienígena, assim como os anjos e Deus?

EBJ: Jesus era homem enquanto esteve entre nós, mas também era 100% Deus. Os anjos são literalmente extraterrestres, pois foram criados por Deus fora da Terra. Todavia, não são os tripulantes dos OVNIs, pois anjos têm missões específicas e cumprem um plano determinado pelo Criador. O que há é uma interpretação errônea entre anjos e tripulantes dos OVNIs, pois às vezes, têm aspectos semelhantes no seu exterior. A Bíblia ensina e clarifica o que são os anjos! Os tripulantes dos OVNIs certamente tem outros objetivos, que não são das criaturas angelicais! Deus é o próprio “EU SOU” e não podemos teorizar nada a respeito do Criador. Ele simplesmente é!

AOS: Você acha que a confirmação da presença de extraterrestre afastaria as pessoas de Deus?

EBJ: Minha opinião pessoal é que uma revelação assim não afastaria as pessoas de Deus, pois a realidade da presença extraterrestre demonstraria ainda mais, a grandiosidade do Criador! Pensar na não existência de outros seres no Universo seria como limitar Deus. E omo criaturas que somos, não podemos limitar o poder criativo de Deus nos confins do Universo!

27 jan 2018

Vamos conversar sobre atitude mental positiva?

livros
Atitude Mental Positiva” é um clássico de Napoleon Hill que tem mudado milhões de vidas! Sua mente é um talismã secreto. De um lado dominado pelas letras AMP (Atitude Mental Positiva) e, do outro, pelas letras AMN (Atitude Mental Negativa). Uma atitude positiva irá, naturalmente, atrair sucesso e prosperidade. A atitude negativa vai roubá-lo de tudo que torna a vida digna de ser vivida. Seu sucesso, saúde, felicidade e riqueza, dependem de qual lado você irá usar. A decisão é sempre sua! – Prefácio de Og Mandino.

Vamos conversar sobre atitude mental positiva? Confira:

05 jun 2017

Ufologia: Os alienígenas já vivem entre nós?

alienigenas

O tão esperado  XX Congresso Brasileiro de Ufologia será realizado, em Belo Horizonte, de 21 a 23 de julho. O evento ocorrerá simultaneamente ao I Encontro de Ufologia Avançada de Minas Gerais no Hotel Othon Palace, no centro da capital mineira. A iniciativa conta com a presença de  14 conferencistas de todo país e ainda um especialista em abduções alienígenas dos Estados Unidos (EUA), o doutor John Carpenter – da Mutual UFO Network (MUFON).

O Congresso é uma oportunidade de entender um pouco sobre objetos voadores não identificados, presença de alienígenas no planeta Terra, abduções, tipos de contatos, tecnologia e outros pontos de vista. Entrevistei com exclusividade um dos ufólogos mais reconhecidos no Brasil e no mundo pelos trabalhos na área da ufologia.

Ademar José Gevaerd é ufólogo e editor da Revista UFO. Participou de várias produções de TV e de documentários sobre ufologia no Discovery Channel, National Geographic Channel e no History Channel. É conhecido internacionalmente pelas investigações de campo dos casos de Ovnis no Brasil.

REVISTA UFO

Foto: Revista UFO

Adriana Santos: Na sua opinião, o estudo Ufológico cresceu no Brasil e é cada vez mais aceito pela sociedade e pela mídia ou ainda é um assunto tabu?

Gevaerd: Uma pequena parcela da mídia de massa  e uma pequena parcela da sociedade ainda permanecem alheios à questão ufológica. Não acreditam. Não dão importância. Não se interessam. Agora, muita coisa mudou em 20 anos. Vamos dizer que naquela época a rejeição ficaria em torno de dois terços da população. Hoje a rejeição não chega a um terço. A imprensa mais esclarecida tem apoiado a ufologia com publicações sérias. No Brasil, por exemplo, a Veja não publica coisas sérias sobre ufologia. Parece que a revista tem uma doença, uma patologia, porque eles não conseguem escrever três linhas com seriedade e respeito sobre o assunto.  A Folha de São Paulo, o Estadão, a Revista Isto tratam a coisa com bastante seriedade. Há sim um crescente esclarecimento na sociedade.

Adriana Santos: Desde quando os seres de outros planetas ou “alienígenas” visitam a Terra?

Gevaerd: Desde sempre.  O universo tem quase 5 bilhões de anos. Há planetas  que existem há 4 bilhões de anos e civilizações que existiram ao logo de todo esse período. A Terra tem uma civilização que, segundo estudiosos,  tem por volta de 160 mil anos. Isso não é nada comparado com a escala de existência da vida no universo.  Há civilizações que surgiram  e desenvolveram como a nossa surgiu e desenvolve, mas há milhões de anos. Essas civilizações se desenvolveram e passaram a explorar outros mundos, assim como estamos fazendo agora. Começaram a explorar seus sistemas estrelares,  ir até os planetas vizinhos e depois a lugares mais distantes  do sistema solar. Então, desde sempre, a Terra vem sendo visitada por muitas civilizações. Há aquelas civilizações mais antigas que visitam a Terra e aquelas que estão chegando agora. Estima-se que daqui a trinta anos, nós terráqueos teremos tecnologia para  visitar outros planetas.

Adriana Santos: Por que os contatos não são públicos, já que, segundo alguns estudos, muitos deles têm consciências superiores e tecnologias avançadas?

Gevaerd: A maioria deles tem  consciência superior à nossa. Todos, absolutamente todos,  têm tecnologia mais avançada,  porque eles conseguem chegar até a Terra. Eles têm máquinas que conseguem  ir a outros planetas.  Veja a nossa dificuldade.  Para que possamos enviar uma sonda para marte, precisamos de alguns bilhões de dólares e 26 meses de espera. Agora, parece que tem uma técnica que pode levar  uma sonda lá  em 18 meses, mas estamos muito longe de levar uma tripulação.  E quando chegarmos ao ponto de levar uma tripulação, ela não voltará. Vai morrer lá.  Com certeza as civilizações que nos visitam têm tecnologias mais avançadas. É muito provável  que suas consciências, que suas espiritualidades, que seus conceitos de moral e ética  também sejam bastante avançados. Essas coisas devem andar juntas, mas nós não sabemos. Agora, qual o motivo dos contatos não serem públicos?  Talvez porque eles não queiram. Será que eles têm regras para não interferir. Isso é muito importante. Uma civilização mais avançada  do que a nossa poderia provocar um impacto tão grande, tão profundo que não nos reconheceríamos mais.  Logicamente, historicamente, religiosamente, cientificamente, moralmente, eles estão mais avançados. Seria inconcebível  um relacionamento com eles. A não interferência deve equilibrar as regras do jogo. Eles vão se apresentar quando estivermos em condições de entender e o impacto não for tão duro.

Adriana Santos: Qual a relação entre Ufologia e Espiritualidade? Quando as duas áreas começaram a ter alguma relação?

Gevaerd: Estamos falando de espiritualidade e não de espiritismo. Estamos falando de uma coisa mais ampla. Espiritismo é espiritualidade, mas espiritualidade não é espiritismo. Eu entendo da seguinte maneira:  nós e os seres que nos visitam somos praticamente idênticos. Eles quando descem de suas naves, há milhares de anos, sempre foram vistos com dois braços, duas pernas,um tronco, uma cabeça.   É uma indicação clara que a humanidade  está espalhada por uma vasta área  do universo,  em inúmeros planetas, inclusive em planetas mais atrasados do que o nosso. Se levarmos em consideração  que somos  entidades que  temos um corpo  dotado de um espírito,  é possível que eles sejam também.  Se eles são mais avançados do que nós, eles  vão ter um controle do seu espírito, assim como nós pretendemos ter um dia. Primeiro é por aí, uma explicação bem óbvia.  Segundo  a ufologia, são  muitos campos  de exploração  do conhecimento humano, não só material,  mas também espiritual.  A ufologia  necessita de todas as ferramentas  para que possamos entender o fenômeno ufo. Nós temos a ferramenta da ciência, da psicologias, da sociologia, mas também precisamos das ferramentas espirituais.  Na falta de  uma expressão melhor,  vamos chamar de ferramentas espirituais, canalizações, corporações. Coisas que acontecem  muitas vezes em centros espíritas, são manifestações de seres extraterrestre, que se encontram nessa situação para se aproximar da gente por um outro ângulo.

Adriana Santos: Os “alienígenas” têm valores morais e éticos como os humanos?

Gevaerd: Sim. Eles demonstram uma semelhança, um provável grau de parentesco. São seres que agem com ética. É provável  que devem ter conceito de moral.  Pelo menos é assim  que se acredita. Não há muita lógica um civilização progredir, sem ter condições de um refino gradual da ética e moral.  Nós próprios temos, ao longo do tempo,  refinado nossos princípios de ética, moral e comportamentos sociais. Nos últimos 20 anos, nós temos mais respeito pelo meio ambiente. Não fumamos mais em restaurantes. Aceitamos relacionamentos homoafetivos, quando antes era tabu. Hoje temos um senso moral mais refinado.

Adriana Santos: Há planetas habitados por seres mais primitivos que os humanos?

Gevaerd: Certamente que sim. Se você fizer uma escala,  digamos de 0 a 100,  em termos de degraus  de evolução,  vamos dizer que a Terra esteja aí  em um degrau 30, 40 por ai. É um planeta razoavelmente civilizado, mas não avançado. Imagine  que temos 7,5  bilhões de seres humanos, sendo que 2,5 bilhões passam fome. Então a Terra  é um planeta atrasado. Em compensação temos uma tecnologia e uma perspectiva  de futuro.  Mas claro que há aqueles planetas que estão  nos degraus inferiores. Há civilizações que estão germinando hoje, ainda em estado embrionário. Assim  como há civilizações que estão na idade da pedra. Os caras devem estar comendo picanha crua porque não descobriram o fogo. Há civilizações tão lá na frente que não temos ideia como seriam de tão avançadas.

Adriana Santos: Há “alienígenas” ente os humanos?

Gevaerd: Sim justamente porque eles são tão semelhantes a nós, perfeitamente idênticos,  têm condições de passar despercebidos  entre nós.  Ai eu recorro mais uma vez o exemplo  humano. Suponha que daqui a  30, 50, 100 anos tenhamos uma tecnologia que nos leve com segurança e rapidez a outros planetas mais atrasadinhos (uma Terra dos anos 40 e 50  ou até mesmo agora).  Como seres semelhantes a eles, provavelmente faríamos uma experiência antropológica, sociológica em outras civilizações planetárias. Nós infiltraríamos para ver como eles vivem,  como eles formam suas famílias, como eles formam seus conceitos  de sociedade, como eles edificam suas residências, como se locomovem, como eles apreciam a natureza. Nós certamente vamos ter esse interesse. Isso é a ralidade de uma grande quantidade de raças que nos visitam. Alguns são mais altos, outros mais baixos, uns têm  a pele mais escura ou  mais clara  têm aqueles com cabelo mais alvo. Não importa. Importa que o formato humano  é idêntico. Você na rua não vai encontrar duas pessoas iguais, mas parecidas. Mesmo que esses seres sejam parecidos  conosco, eles não serão iguais, mas eles poderão passar desapercebidos.  Você passa pela rua de Belo Horizonte e vai ver gente feia, gente bonita, gente magra. Não dá para dizer quem é ou não é daqui.  Pelas mesmas razões não temos condições de detectá-los.  Talvez algumas pessoas possam identificar.

Adriana Santos: O que é e como acontecem as abduções?

Gevaerd: As abduções até um tempo atrás, as clássicas, aquelas de sempre, ocorrem quando você, por exemplo, está dirigindo o seu automóvel por uma estrada erma e de repente, por alguma razão, sente vontade de parar o carro. Depois você retorna para seguir até o seu destino, porém você esperava chegar em uma hora X e você chega cinco horas depois. O que aconteceu com você? A mesma coisa acontece quando uma pessoa desce de um ônibus, à noite, depois da escola, da faculdade, do trabalho e precisa andar seis quadras até chegar em casa, mas a pessoa só vai chegar na manhã seguinte. Como? São situações que as pessoas são levadas contra sua vontade. Elas não se lembram  do que aconteceu  durante horas. Podem ser duas, três, cinco, seis horas… Ás vezes as pessoas são levadas por dia. Quando são devolvidas, 99,9 por cento ficam sem memória. Apenas algumas pessoas têm sintomas, fragmentos de memória que se manifestam, possibilitando uma investigação através de um método chamado hipnose regressiva. Descobrimos que durante aquele tempo que elas não lembram do que aconteceu, elas  foram abduzidas, levadas a bordo de naves. Lá em geral são submetidas a exames médicos. Inclusive são extraídos das mulheres óvulos e extraídos dos homens sêmen. A gente sabe o que se faz com isso ai. O material genético serve para fazer bebê – 9 de cada 10 abduções são para retirar material genético. Agora de um tempo para cá nós descobrimos, não quer dizer que isso já não vinha acontecido ha muito tempo,  mas descobrimos  que os seres extraterrestre não necessariamente precisam levar as pessoas a bordo das naves. Eles podem entrar em nossa casa. Podem entrar no nosso quarto, quando dormimos. Eles fazem praticamente a mesma coisa, quando nos levam a bordo das naves. E mesmo que você esteja dormindo com seu namorado, seu marido, e os interesses deles é por você,  não adianta gritar, tentar acordar seu companheiro. Eles vão fazer o que precisam fazer com você. São formas de abdução, entre muitas outras coisas.

Página 1 de 71234567