Categoria "Saúde mental"
18 dez 2015

Como se livrar dos sentimentos tóxicos. Veja o vlog

Arquivado em saúde, Saúde mental, Vlog
pensamento

Reprodução/Google

Sempre que o ano novo se aproxima, aproveitamos a data para traçar planos, jogar fora o que não presta e apostar em um futuro melhor. Para ajudar no planejamento de uma virada com mais prosperidade, faço uma listinha de desejos. Em 2016, desejo mais pensamentos positivos e menos pessimismo. Quero também observar tudo aquilo que interfere no meu humor durante o dia. Pretendo investir mais tempo no meu processo de reforma íntima, evitando, sempre que possível, sentimentos como; ciúmes, inveja, julgamentos neuróticos, estresse, frustração, raiva, apego, culpa e rejeição. Mas o que significa isso? Simplesmente separar o joio do trigo, ou seja, descartar o supérfluo e semear a generosidade. Acredito que a humanidade precisa melhorar a vibração energética dos pensamentos, muitas vezes  tóxicos, prejudicando a saúde mental do planeta.

Talvez o mais importante em qualquer mudança no padrão comportamental, seja identificar os pensamentos negativos que rondam nossa cabeça. Nem sempre é fácil admitir os nossos desejos mais íntimos, mas é necessário. Tentar identificar que a culpa nem sempre está no outro é um bom começo. Nossas emoções existem para serem sentidas, não para nos dominar, ou elas se tornarão tóxicas. Uma emoção tóxica pode devastar relacionamentos e aniquilar a autoestima. Para curar-se desse mal é preciso deixar que cada emoção encontre seu propósito, libertando-se de sentimentos negativos e ressentimentos.

Que tal começar fazendo uma faxina mental? Deixei um dica com o objetivo de ajudar na identificação dos tais sentimentos tóxicos. Confira no vlog:

03 set 2015

Setembro amarelo alerta contra o suicídio

cvv

Imagem: Divulgação CVV

Assim como já existe o ‘Outubro Rosa’, mês de prevenção do câncer de mama; e o ‘Novembro Azul’, com ações para conscientizar sobre as doenças masculinas, o ‘Setembro Amarelo’ é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV) para prevenir uma das formas mais dramáticas de mortes evitáveis, o suicídio.

A iniciativa tem o apoio da Associação Internacional pela Prevenção do Suicídio (IASP) e consiste em iluminar ou sinalizar locais públicos com faixas ou símbolos amarelos.

No Brasil, a campanha já conseguiu que no dia 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, seja totalmente iluminado até o fim do mês.

Como ajudar?

Para colaborar, qualquer pessoa pode iluminar ou identificar a fachada de uma casa ou prédio, gravar um vídeo e disponibilizar no Youtube, promover caminhadas com camisetas amarelas ou outras ações que impactem a população.

Suicídio

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o suicídio representa uma das vinte maiores causas de morte no mundo e um importante problema de saúde pública. A cada ano, cerca de um milhão de pessoas morrem por suicídio em todo o mundo (uma morte a cada 45 segundos), representando a triste estatística de estar entre as dez principais causas de morte na maioria dos países.

Existe uma forte relação entre a presença de transtornos mentais e risco de suicídio. Estudos mostram que praticamente 100% dos suicidas têm uma doença psiquiátrica que não foi diagnosticada nem tratada, muitas vezes. Os diagnósticos mais frequentes são depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia e transtornos relacionados ao uso de substancias (álcool, crack, etc)

No Brasil, estima-se em dez mil mortes anuais, com um aumento significativo de morte por suicídio entre jovens nas ultimas décadas. Os principais grupos de risco são jovens entre 15 e 29 anos e idosos. Segundo o vice- presidente da Associação Latinoamericana de Suicidologia, representante do Brasil na IASP (International Association of Suicide Prevention) e vice-presidente da Associação Mineira de Psiquiatria, Humberto Corrêa, os homens se suicidam três a quatro vezes mais do que as mulheres. Leia a entrevista do dia 21 de maio com Dr. Humberto. AQUI

Página 4 de 41234