Categoria "SUS"
14 jun 2017

Dia Mundial do Doador de Sangue: O amor corre nas veias

doador de sangue

[DIA MUNDIAL DO DOADOR DE SANGUE] A data é uma forma de conscientizar a sociedade sobre a importância da doação de sangue, um gesto de solidariedade que pode salvar vidas. Todos ganham com uma ação que não traz nenhum prejuízo para o doador: hospitais, pacientes, sociedade. A qualquer momento, uma pessoa pode precisar recorrer aos hemocentros ou às unidades de doação.

A triagem clínica é rigorosa e o candidato só doa sangue se estiver em boas condições de saúde. O material utilizado é descartável, garantindo mais segurança ao doador.

O candidato que apresentar qualquer sintoma, mesmo que leve, deverá aguardar a melhora para então procurar uma unidade de coleta. Nem todo interessado pode doar e há regras que devem ser rigorosamente seguidas para que tudo ocorra bem.
Os doadores adolescentes de 16 e 17 anos devem estar munidos de documento de identidade original e oficial com foto e acompanhados pelo responsável legal.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 69 anos.

Saiba mais sobre doação de sangue no site da Fundação Hemominas.

18 abr 2017

Hospital de Lagoa Santa alerta sobre aumento de casos de suicídios

depressão1

Imagem Google

A Santa Casa de Lagoa Santa registrou, no último mês, cinco tentativas de suicídio entre jovens na faixa dos 25 anos. A maioria dos casos provocado por praguicidas de uso doméstico, produtos de limpeza e consumo de medicamentos controlados.

Segundo Fabiana Saqueto, assistente social do Hospital, houve um aumento significativo de casos. As vítimas são atendidas no ambulatório do hospital. “Uma das dificuldades de tratar o paciente é a ocultação de informações do próprio paciente ou dos familiares. As situações de extremo sofrimento, angústia e outros conflitos podem provocar, com o tempo, algum tipo de distúrbio psiquiátrico”, esclarece Fabiana.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que o suicídio é um problema de saúde pública responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo, sendo a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Setenta e cinco por cento dos suicídios ocorrem em países de baixa e média renda. O Brasil é o oitavo país com mais registros de suicídios.

Alguns casos estão relacionados com transtornos mentais, em particular, depressão e abuso de álcool. Os casos mais frequentes acontecem em momento de crise ou na dificuldade de lidar com os estresses da vida – tais como problemas financeiros, términos de relacionamento ou dores crônicas e doenças. Além disso, enfrentamento de conflitos, desastres, violência, abusos ou perdas e solidão estão fortemente associados com o comportamento suicida.

Segundo dados da OMS, até o momento, apenas alguns países incluíram a prevenção ao suicídio entre suas prioridades de saúde e só 28 países relatam possuir uma estratégia nacional para isso. O suicídio é uma questão complexa e, por isso, os esforços de prevenção necessitam de coordenação e colaboração entre vários setores da sociedade, além da conscientização da população por meio de informações claras, sem preconceitos e com o objetivo de alertar as famílias sobre os principais sinais de uma pessoa com perfil suicida.

18 nov 2016

Encontro de Saúde promovido pela Assembleia de Minas reúne especialistas internacionais

Arquivado em Comportamento, saúde, SUS

jorge

A abertura do o “Encontro Internacional Direito a Saúde, Cobertura Universal e Integralidade Possível” lotou um dos salões do Minascentro, em Belo Horizonte, e contou com a presença de especialistas de países como Chile, Argentina, México, Costa Rica e Portugal.

A iniciativa tem como objetivo abordar questões importantes como; modelos constitucionais de direito a saúde, financiamento da área em diferentes países e a cobertura oferecida à população pelos sistemas públicos de saúde.

O evento foi organizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em parceria com o Grupo Banco Mundial, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

Pelo Brasil, o ex-ministro da saúde José Gomes Temporão realizou a palestra de abertura oficial, enfatizando que o Sistema Único de Saúde (SUS) é um sucesso como macro estratégia para impactar os indicadores sanitários e que o sistema brasileiro não é apenas para pobres, mas para toda população brasileira.

Temporão alertou que a saúde não é um gasto, mas um investimento. “Saúde produz riquezas”, afirmou o ex-ministro da Saúde. Lamentou que o Brasil é o país mais violento do mundo, matando homens, jovens e negros. Violência urbana é um problema de saúde, um dos mais sérios em nosso país.

A mesa de abertura contou com a presença da procuradora do Ministério Público de Contas de São Paulo que alertou sobre a tragetória errática do dever de custeio adequado do direito á Saúde, enfatizando as disparidades regionais e o papel da União.

A experiência exitosa da saúde do Chile nos últimos 20 anos foi abordada pelo superintendente de Saúde é advogado da Universidade do Chile, Sebastián Pavlovic Jeldres. Ele mostrou que o país catalogou 80 problemas de saúde, como câncer, diabetes, hipertensão e problemas odontológicos, que são monitorados e recebem recursos do Chile. A expectativa de vida do Chile subiu para 80 anos graças ao acesso á água potável e ao tratamento de esgoto. “Trabalhamos com um novo contrato social com foco no indivíduo”, disse Pavlovic.

Durante a programação até sábado (19/11), serão debatidas experiência internacionais na oferta de saúde pública, tanto do ponto de vista legal quanto prático. Algumas mesas vão tratar também de restrições orçamentárias e padrões de integralidade de acesso adotados em diferentes países.
temporao

 

Página 4 de 131 ...12345678... 13Próximo