Facebook Twitter Youtube Google+ Image Map
10 fev 2017

Cerveja também é álcool e vicia como qualquer outra droga

Arquivado em Cidade, Uncategorized

cervejaJá estamos no tão desejado ano de 2017 e bem pertinho do Carnaval. Como o tempo passa rápido para quem tem sede de viver. Na verdade não sou muito ligada ao passado. Prefiro fincar os pés no presente e traçar algumas metas flexíveis para o futuro. No entanto não tem como escapar da memória antiga para alertar sobre alguns perigos que rondam, em especial nossos jovens em épocas festivas de muita folia, muito samba e muita falta de conscientização no consumo de bebidas alcoólicas por todo canto do país.

Na minha adolescência curtia o Carnaval como os meu amigos na então pacata cidade de Vespasiano, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Lá rolava até escolas de samba da melhor qualidade e apresentação do tradicional Boi da Manta (tinha um medo danado dos caras fantasiados e correndo atrás do povo).

A grana era curta, então a regra era dividir os custos da bebida alcoólica: coca cola ou fanta misturado com vodka fazia o sucesso da garotada. Na época cerveja era muito cara e poucos jovens tinham acesso a bebida em garrafa ou latinha. Enfim, nossos pais sofriam com as consequências da bebedeira no final de cada folia. Algumas famílias amagavam perdas irreparáveis por conta dos abusos do álcool. Perdi alguns amigos em acidentes de carros porque estavam alcoolizados.

No meu caso, já levei muita bronca e lição de moral.  Sou filha de professora da rede publica de ensino e de militar da Aeronáutica, ou seja, as regras disciplinares na minha casa eram parecidas com um quartel. Imagina só o que eu passei.

É bom lembrar que menores de 18 anos compravam livremente bebidas em supermercados, postos de gasolina, vendedores ambulantes, ou seja, em qualquer lugar, sem nenhum critério. Hoje é um pouco diferente ou mais discreto. Vendedores ambulantes, por exemplo, vendem bebida alcoólicas sem nenhuma fiscalização, pelo contrário tem até apoio da Ambev – Companhia de Bebidas das Américas. Todas as marcas de cerveja e bebidas fabricadas pela Ambev – Skol, Budweiser, Brahma e Antárctica – poderão ser vendidas no Carnaval de Belo Horizonte. Cabe à empresa oferecer um preço diferenciado para motivar os ambulantes a comprar produtos daquela marca.

Os tempos mudaram, mas nem tanto. Os jovens continuam consumindo indiscriminadamente bebidas alcoólicas. Eles acreditam que cerveja não é álcool ou droga que prejudica a saúde, que drinques de frutas com vodka ou cachaça e bastante açúcar são inofensivos. Na realidade, pura ilusão vendida por uma indústria poderosa que cativa cada vez mais por meio de propagandas enganosas e perversas.

No Brasil, a Lei nº 9.294 de 15/7/96 regulamenta a veiculação de propagandas de bebidas alcoólicas em emissoras de rádio e de televisão. Essa lei restringe o horário de veiculação das propagandas de bebidas das 22 às 6 horas da manhã. É diz que é proibida a associação de bebidas alcoólicas com: temas ligados ao sexo;  temas que induzam a uma ideia de bem-estar e saúde; temas ligadas ao esporte.

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais tem um trabalho sério de conscientização e mobilização social sobre o problema e alerta: “Cerveja também é álcool. Diga não ” propaganda de bebidas alcoólicas no rádio e na TV. Todos sabem os perigos do uso indiscriminado da bebida alcoólica, um problema de saúde pública.

Crianças e adolescentes são alvos das propagandas de cerveja. O maior crescimento do consumo indiscriminado acontece dos 12 aos 17 anos, indivíduos ainda em formação ideológica. Conheça mais a campanha: Cerveja também é álcool AQUI e oriente seus filhos, sobrinhos, netos, amigos, vizinhos. Faça parte de uma sociedade mais consciente. Aproveite o Carnaval e faça parte da mudança. Lembre-se: um mais um é sempre mais do que dois. Não vamos permitir que o álcool destrua a felicidade e a saúde da nossa família.

  • vinicius

    Em 10.02.2017

    bom dia Adriana, gostei do seu comentário sobre cerveja também é droga e vicia, também fui criado em Vespasiano e na minha época de FUNIL e CLUBE SOCIAL (atualmente a Câmara de vereadores), grandes carnavais, desfiles maravilhosos e na época, sem violência, sem a preocupação de assaltos. grandes lembranças… gostaria de saber quem são seus familiares la. um abraço e sucesso

  • Adriana Santos

    Em 10.02.2017

    Olá Vinícius, bom dia! Meus pais foram adotados por Vespasiano. Na realidade ambos, já falecidos, são nordestinos. Minha mãe era professora de Química da Escola Estadual Machado de Assis, a maior da cidade. Já meu pai servia na Base Aérea de Lagoa Santa. Bons tempos, quando Vespasiano tinha um Carnaval gostoso, sem violência e com a apresentação das escolas de samba. Um grande abraço e volte sempre.

  • Antonio

    Em 10.02.2017

    “…É bom lembrar que menores de 18 anos compravam livremente bebidas em supermercados, postos de gasolina, vendedores ambulantes, ou seja, em qualquer lugar, sem nenhum critério. Hoje é um pouco diferente ou mais discreto. Vendedores ambulantes, por exemplo, vendem bebida alcoólicas sem nenhuma fiscalização, pelo contrário tem até apoio da Ambev …”

    Ou seja, NADA mudou…

    A diferença é que no meu tempo tbm, uns 30, 35 anos atrás, tenho 47, assim como na sua adolescência, a minha tbm era muito difícil, igualzinho com vc e sua turma, também tínhamos que fazer vaquinha, e comprar bebidas e misturar em refrigerantes, sucos naturais etc 😋… Mas era muito bom…. cidade pequena do interior de sp, os bailes eram em clubes, sem violência, assaltos… muitas saudades… tirando a ressaca no dia seguinte e as vezes ter que ir trabalhar… 😋

    E sobre cervejas e demais bebidas alcoólicas, realmente são drogas lícitas, e com propagandas diariamente na tv… e se a pessoa, principalmente adolescentes tem tendência ao vício, e com essas drogas disponíveis como cerveja e demais bebidas alcoólicas pode ser um passo para se tornar dependente do álcool e inclusive um degrau para drogas ilícitas… Lamentável…

    Parabéns pelo post e pelo excelente blog… Abraços

  • Adriana Santos

    Em 10.02.2017

    Ei Antônio, gratidão pelo comentário gentil. Na nossa época tinha menos violência, mas muitos acidentes provocados por abusos de bebidas. As pessoas, realmente, esquecem que cerveja também é uma droga que pode matar no trânsito ou prejudicar seriamente a saúde, já que vicia. Um grande abraço e volte sempre.

  • Antonio

    Em 10.02.2017

    Verdade Adriana, eu disse que era muto bom, mas em parte, até porque quando tem bebidas alcoólicas envolvidas nada é muito bom… Sim, tinha muitos acidentes realmente, por aqui como não tem praia, a gente acampava nas chamadas prainhas, e eu perdi vários amigos nesse trajeto entre a cidade e essas prainhas… muito triste.

    Bem lembrado, além das consequências em relação a saúde provocadas pelo consumo do álcool..

    Obrigado, um grande abraço para você também..

Você deve estar logado para comentar.