Facebook Twitter Youtube Google+ Image Map
25 maio 2018

Greve dos caminhoneiros já afeta serviços de nefrologia

Arquivado em Cidade, Comportamento, saúde

renais

Com a greve dos caminhoneiros indefinida no Brasil, as clínicas de diálise, que fazem o tratamento de terapia renal substitutiva – TRS e mantêm a vida de mais de 130 mil pacientes renais começam a serem afetadas, de acordo com informações do presidente da Sociedade Mineira de Nefrologia (SMN), Daniel Calazans. “A falta da chegada de insumos e materiais necessários para a realização dos tratamentos já coloca diversas clínicas de nefrologia mineiras em situação de alerta”, afirma.

Uma clínica de Contagem, enviou comunicado à SMN informando que os insumos para a realização de sessões de hemodiálise têm previsão de término na segunda-feira, 28 de maio, no terceiro turno. Como solução, clínica vai reduzir o fluxo de solução e o tempo de diálise até que exista uma possibilidade de resolução do problema.

Em Belo Horizonte, outro serviço, que atende atualmente 180 pacientes com doenças renais informou que seu estoque de materiais terá duração até terça-feira, 29 de maio, no primeiro turno. Após esse período provavelmente não haverá mais como tratar os pacientes. “Já em Governador Valadares, as clínicas estão em alerta, pois os insumos estão chegando ao fim, e um caminhão carregado com capilares está parado em um dos bloqueios”, frisa Calazans. No Vale do Aço o serviço que atende a mais de 420 pacientes têm estoque até a próxima dia 29 de maio.

O presidente da SMN revela que no caso das clínicas de diálise o problema não é apenas econômico: “Para a realização de uma sessão de hemodiálise são necessários vários materiais e a falta de um deles, por menor que seja, impede a realização do procedimento. Os pacientes renais crônicos dependem do tratamento para sobreviverem. O setor está no limite, devido à peculiaridade do serviço de diálise, à necessidade de continuidade do tratamento e à fragilidade dos pacientes”, sintetiza.

“Compreendemos a seriedade do movimento, mas no momento estamos receosos com o impacto que ele pode gerar nos serviços de hemodiálise, porque o transporte é fundamental para a chegada de insumos e materiais para o tratamento dos pacientes”, explica Daniel Calazans. Segundo ele, a SMN já notificou as secretarias de saúde (municipais e estadual) e o Ministério Público.

24 maio 2018

Conceito de Hospital Digital é aposta na 25ª edição da Hospitalar 2018

Arquivado em Uncategorized

PalmSecure5
Cada vez mais presente no nosso dia-a-dia, a automatização de processos por meio de tecnologias já é tendência no setor de saúde. Pensando nisso, grandes empresas marcam presença na 25ª edição da Hospitalar, dias 22 a 25 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo. O congresso é reconhecido como palco de lançamento das mais importantes novidades do setor de saúde e reúne empresários, administradores hospitalares, médicos e demais profissionais da área.

Reconhecida como o evento líder da saúde nas Américas, a Hospitalar é a mais importante vitrine do mercado nacional e internacional do setor, além de ser o espaço ideal para a realização de lançamentos e apresentação de produtos inovadores, soluções e serviços para hospitais, laboratórios, farmácias, clínicas e consultórios, proporcionando aos seus participantes geração de negócios, novos contatos, relacionamento, reconhecimento de marca e conteúdo.

Orientada pelo conceito de transformação digital,  a tecnologia pode ser utilizada contra fraudes de documentação em hospitais, controle no acesso a medicamentos, redução de tempo no cadastro e identificação de pacientes. De acordo com Leonardo Soares, Gerente de Contas PalmSecure da Fujitsu no Brasil, na área de saúde, identificar o paciente com exatidão e prevenir fraudes documentais é fundamental. Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), 19% dos gastos assistenciais da saúde suplementar no país foram consumidos por desperdícios e fraudes, ou seja, cerca de R$ 25,5 bilhões no ano de 2016.

LeonardoSoaresConfira a entrevista exclusiva com o Gerente de Contas PalmSecure da Fujitsu no Brasil, Leonardo Soares:

Adriana Santos: Como as tecnologias da comunicação e informação podem ajudar na redução de desperdícios de insumos e evitar possíveis fraudes no sistema de saúde suplementar?

Leonardo Soares: As tecnologias auxiliam na autenticação de pacientes e segurança de informações. Infelizmente, nessa área, ainda são registrados altos números de fraudes como, por exemplo, casos de pessoas que se passam por outros pacientes para receber medicações ou tratamentos.

A tecnologia ajuda a reduzir esse número. A biometria garante a autenticação do paciente, evitando qualquer lacuna na troca de informação. Uma vez que a informação para se autenticar é a mão do paciente, não é possível que ela seja modificada, perdida, ou utilizada por outra pessoa.

A biometria ainda é a melhor forma de segurança na área hospitalar?

Acredito que sim. É a melhor maneira de garantir que o paciente é ele mesmo e está recebendo o tratamento correto. Um cartão ou uma etiqueta, por exemplo, podem ser facilmente extraviados. Com a biometria, a taxa de falha é zero.

O que não pode faltar no hospital digital para agilizar os processos de atendimento?

A parte de cadastro rápido é fundamental. Ter um sistema que garanta que a identificação do usuário e seu histórico sejam acessados de maneira rápida e seguras – evitando que a informação seja extraviada no caminho e isso traga prejuízos irreparáveis ao paciente.

Você pode destacar três produtos ou serviços digitais com mais investimentos de recursos tecnológicos?

A segurança com as informações dos pacientes deve ser um dos focos de atenção, quando falamos de tecnologia hospitalar. A fraude existe e pode ser evitada se as medidas forem tomadas com antecedência. Materiais médicos e outros recursos vêm na próxima fase.

Na sua opinião, qual o hospital mais digital do Brasil?

Não temos essa informação, pois tudo depende da tecnologia que as empresas adotam nos seus processos internos. Já nos Estados Unidos, nós temos casos de uso da biometria para evitar fraudes. Atendemos inúmeras instituições da saúde, entre eles, o Hospital da Carolina do Norte – 3º maior dos USA.

Qual a sua dica para os gestores de saúde que procuram uma administração mais transparente?

Investir em tecnologias que tragam benefícios e seguranças para todos, desde o primeiro atendimento. Além disso, a administração pode se apoiar em tecnologias biométricas para garantir o acesso de médico a áreas restritas, histórico de pacientes, medicações, entre outros benefícios que essa tecnologia pode trazer para o usuário

24 maio 2018

Conheça os efeitos do estresse na saúde bucal

Arquivado em saúde, Saúde Bucal

saúde bucal

Cerca de 90% da população mundial sente no corpo os efeitos do estresse, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em pesquisa realizada em 2013.  O Brasil é considerado o segundo país mais estressado do mundo, atrás apenas do Japão, de acordo com pesquisa realizada pela Associação Internacional do Controle do Estresse.

As consequências  podem ser sentidas na boca, como: aftas, hálito desagradável, sangramento na gengiva, boca seca, rachadura nos lábios, herpes e, até mesmo, a perda do dentes.  O estresse libera os hormônios: hidrocortisona e cortisol, provocando um efeito pró-inflamatório, que ameaça a saúde dos dentes.

Em exposição à situação de estresse, a pessoa pode desenvolver o bruxismo, um transtorno  caracterizado pelo ranger dos dentes e apertar involuntariamente dos dentes. Além de desgastar e torna-los extremamente sensíveis, o bruxismo pode levar a dores de cabeça.

SAIBA MAIS: com Dr. Paulo Coelho Andrade, mestre em Implantodontia pelo Centro de Pesquisas Odontológicas de Campinas e especialista em Implantodontia pela Associação Brasileira de Odontologia.

TRATAMENTO

Página 6 de 154«1 ...2345678910... 154Próximo