21 jan 2017

O amor é como tartaruga demora, mas sempre chega

Arquivado em Cidade, Comportamento, opinião

lebre-e-tartaruga

Confesso que minha maior preocupação quando adolescente era encontrar meu verdadeiro amor no meio de tanta gente vazia que amava beber Coca Cola com Vodka nas festinhas da cidade. Na época, não pensava em casamento e príncipe encantado. Queria apenas um amor para dividir sonhos e contar as estrelas do céu.

No meio do caminho, encontrei vários jovens interessantes que me apaixonei enlouquecidamente. Foram momentos agradáveis, mas também fases bipolares do amor – movidas por ciúmes doentios e brigas intermináveis. Tenho saudades de cada um que passou pela minha vida. Digo sempre que estive com pessoas especiais que deixaram rastros importantes que fazem parte da minha história.

Já adulta, beirando os 30 anos, me casei. Foi uma paixão irresistível. Com ele, a vida me presenteou com um filho maravilhoso. A separação foi dolorida, traumática. Foi um período muito complicado na minha vida recheado de muitas perdas familiares e profissionais. Só fui me relacionar novamente com um homem 6 anos depois, mas o namoro também teve um ponto final. Foram 4 anos bons. Não tenho o que reclamar, mas agradecer pela pessoa decente que esteve comigo.

Hoje, já sou uma mulher na idade da loba com um filho adolescente, mas com os mesmos desejos ardentes para encontrar um amor que me acompanhe de mãos dadas os momentos mais difíceis da vida e desfrutar com alegria os momentos bons. Não quero corpos perfeitos, mentes brilhantes, profissionais renomados, gente rica e famosa… Só quero um amor que me faça rir dos próprios defeitos. Não quero gente chata dizendo: “Gata, sorria… você encontrou a metade da sua laranja”. Já não tenho estômago para amores românticos, polidos, líquidos  e politicamente corretos. Prefiro gente verdadeira, solidária, companheira, honesta e capaz de doar e receber amor. Gente que não tem vergonha de ser feliz.

Amar não é difícil. Difícil é aceitar o amor com gentileza e leveza – sem uma máquina de calcular no bolso. É aceitar que a vida tem altos e baixos para todos. Amar é ser solidário. Amar é ser companheiro. Amar é doar sem visar o retorno. Amar é entender o tempo do outro. Amar é respeitar o próprio tempo. Amar é olhar o outro com ternura, com suavidade, com beleza, com paciência. Não há amor sem paciência. A paixão é como um coelho  que entra em uma corrida com a certeza da vitória, mas às vezes nem sabe se vale a pena o esforço. A tartaruga entra na corrida bem devagar, mas sabe muito bem qual destino pretende chegar. Acredito no amor – fruto de um encontro de almas. E você? Acredita no amor?

10 set 2016

Quando entrar setembro: vlog Adriana Santos

Arquivado em Comportamento, opinião, Vlog

premio2

O Muro da Gentileza Dona Pequetita, em Vespasiano, Região Metropolitana de Belo Horizonte recebeu o Prêmio Gentileza Urbana do IAB-MG – Instituto dos Arquitetos do Brasil de Minas Gerais. O evento foi no Museu de Artes do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco. A iniciativa tem a participação voluntária de comunicadores, engenheiros, artistas, fotógrafos, empresários… enfim, pessoas que amam a  cidade.

Para comemorar o prêmio e também a data 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil, a equipe de ação do  projeto voluntário realizou uma pequena confraternização na praça. Na verdade, uma oportunidade para o agradecimento em público do apoio de toda comunidade – que de forma direta ou indireta contribuiu para o sucesso da iniciativa. A praça foi tomada por jovens e pessoas que amam Vespasiano.

independencia-2
independencia3

independencia5

OPINIÃO: Confira o vlog: Quando chegar setembro. E saiba mais sobre o projeto voluntário Muro da Gentileza Dona Pequetita.

17 ago 2016

A união faz a força: Muro da Gentileza recebe apoio das empresas

Arquivado em Cidade, Meio Ambiente
muro da gentileza 17

“Três coisas agradam a todo o mundo: gentileza, frugalidade e humildade. Pois os gentis podem ser corajosos, os frugais podem ser liberais e os humildes podem ser condutores de homens” (Texto Taoísta)

Muro da Gentileza Dona Pequetita, em Vespasiano, Região Metropolitana de Belo Horizonte, recebe o apoio das empresas amigas da cidade. A rede de solidariedade contagia mais pessoas e empresários, fortalecendo a vontade popular de participar da construção de uma cidade com mais qualidade de vida.

O Laboratório São Lucas abraçou a causa, cedendo um espaço  para as reuniões do grupo de ação do projeto voluntário e para guardar as doações recebidas em favor do projeto, além de molhar o jardim da praça todos os dias. Os funcionários organizam as doações de forma voluntária. Eles foram convidados para participar e aceitaram colaborar com a causa.

A preocupação com a iluminação da praça será em breve lembrança do passado. A empresa Lara Engenharia se comprometeu a resolver o problema da iluminação, repondo as lâmpadas dos cinco postes da praça que estão quebradas. O local vai receber uma limpeza reforçada para a próxima atividade cultural no dia 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil, além do reforço da pintura que faltava.

lara
 

Os moradores abraçaram a iniciativa. Até mesmo pessoas que visitam a cidade ficam entusiasmadas com o Muro da Gentileza. Sobram elogios e palavras de gentileza. Veja o depoimento de um missionário religioso de São Paulo.

O Muro da da Gentileza Dona Pequetita é uma iniciativa popular com o objetivo de promover a cultura de paz e não violência da cidade. Lá, os interessados podem deixar roupas, livros, objetos para serem doados. O espaço também é ocupado por atividades culturais.

rose

Página 1 de 3123