11 jul 2018

Cacau: “presente oferecido pelos deuses aos homens”

cacau-em-po

O mundo civilizado só tomou conhecimento da existência do cacau depois que Cristóvão Colombo descobriu a América. Quando os primeiros colonizadores  chegaram no continente, o cacau já era cultivado pelos índios, principalmente os Astecas, no México; e os Maias, na América Central.

As antigas civilizações da América consideravam o cacau sagrado. Eles acreditavam que a  fruta foi um presente oferecido pelos deuses aos homens. E, de tão importante, virou até moeda de troca. Nessa época na América Latina não se fazia do cacau o que conhecemos hoje como chocolate. Era feita uma bebida de sabor amargo com as sementes torradas e moídas, misturadas com água e pimenta.

As propriedades do cacau são muitas: relaxante do sistema nervoso, antidepressivo, inibidor do apetite e regulador do sono, ativador da função cerebral e afrodisíaco.  Um estudo da Universidade de Cornell, concluiu que o cacau em pó tem duas vezes mais antioxidantes que o vinho tinto e três vezes mais que o chá verde.

O cacau é importante na produção de muitos produtos, além do mais conhecido que é o chocolate. O dia do cacau é celebrado no dia 26 de Março, sendo esta uma comemoração de uma fruta de extremo valor histórico e de grande valor nutricional.

DICA: Prefira cacau 100% orgânico, sem açúcar (vendido em lojas de produtos naturais).

Receitinha

Brigadeiro de cacau

Ingredientes:

1 lata de leite condensado (395 gramas)
1 colher (de sopa) de manteiga sem sal (20 gramas)
2 colheres (de sopa) de cacau 100% (sem açúcar)
1 pitada de sal
Confeitos para decorar (a gosto)

Modo de preparo:

Em uma panela de fundo grosso junte o leite condensado, a manteiga, o cacau e o sal. Coloque no fogo baixo e mexa sem parar, raspando principalmente as bordas da panela com uma espátula, até que desgrude da panela e chegue no ponto de enrolar. O ponto do brigadeiro é quando a massa desgruda totalmente do fundo, sem grudar na borda quando se vira a panela de lado. Deixe esfriar completamente. Passe quase nada de manteiga na palma da mão e com a ajuda de uma colher pegue um pouco da massa e faça bolinhas. Em seguida passe no confeito.

08 set 2016

Especialistas discutem prevenção ao suicídio em BH

tunel

Imagem Google

 Por: Assessoria de Comunicação da Associação Médica de Minas Gerais

De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), todos os anos são registrados cerca de dez mil suicídios no Brasil e mais de um milhão em todo o mundo. Os especialistas consideram o problema uma silenciosa epidemia e realizam um grande debate na Reunião Multidisciplinar do dia 10 de setembro (sábado), a partir das 8h30, na Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), e lançam a campanha ‘Setembro Amarelo’, que fala sobre prevenção ao suicídio durante todo o mês. Além de psiquiatras, participam representantes da clínica médica, geriatria, ginecologia, medicina do trabalho e pediatria;

Quando se fala em suicídio, a principal abordagem é a prevenção. Conforme a cartilha ‘Suicídio: Informando para prevenir’, desenvolvida pela ABP, juntamente com o Conselho Federal de Medicina (CFM), em 2014, “é possível prevenir o suicídio, desde que os profissionais de saúde, de todos os níveis de atenção, estejam aptos a reconhecer os seus fatores de risco”. O psiquiatra Frederico Garcia explica que, de maneira geral, o paciente com pensamento suicida quase sempre procura um médico alguns dias antes de fazer uma tentativa. O médico pode, muitas vezes, perceber o risco e interceder favoravelmente pelo paciente. “Ao contrário do senso comum, falar sobre suicídio não causa suicídio, o previne! É preciso abordar claramente o tema com a pessoa, quando a ideia de tirar a própria esteja presente”, ressalta.

Os médicos alertam que o suicídio ou comportamento suicida está quase sempre relacionado a fatores externos, por exemplo, às doenças mentais e a uso de drogas. Os diversos públicos e faixas etárias nas quais as pessoas tiram a própria vida também serão tema de discussão e foram divididos em: suicídio em médicos; militares; idosos; gestantes; jovens e adolescentes. O Centro de Valorização da Vida (CVV), organização não governamental que oferece apoio emocional e prevenção do suicídio, é parceiro do evento. Um dos membros estará presente para contar as experiências que ultrapassam o ponto de vista clínico. O CVV atende voluntária e gratuitamente as pessoas que se sentem fragilizadas, que querem e precisam conversar, de maneira sigilosa, por telefone, email, chat e Skype, durante 24 horas.

Participam do encontro, Associação dos Ginecologistas de Obstetras de Minas Gerais (Sogimig), Associação Mineira de Medicina do Trabalho (Amimt), Associação Mineira de Psiquiatria (AMP), Sociedade Brasileira de Clínica Médica – Regional Minas Gerais (SBCM-MG), Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia – Regional Minas Gerais (SBGG-MG), Sociedade Mineira de Pediatria (SMP), e Sociedade dos Acadêmicos de Medicina de Minas Gerais (Sammg). A Reunião Multidisciplinar é promovida pela AMMG na sede da entidade. Informações e inscrições pelo site: seaci@ammgmail.org.br ou (31) 3247 1619.