30 maio 2016

Alguém aí pode me ajudar a encontrar o amor?

Arquivado em opinião
brasil

Reprodução

OPINIÃO

Acredito que uma boa parte dos leitores já teve a sensação de sair correndo pelas ruas e, em um determinado momento, uma voz interna finalmente questiona: afinal você pretende chegar onde? Ainda correndo, você responde: não sei, mas quero desesperadamente encontrar respostas. Alguém aí pode me ajudar a encontrar o amor?

Vivemos tempos conturbados na política, na economia, na saúde, na educação, na justiça, na mídia e nas relações sociais. Todos são suspeitos até que provem com justiça o contrário. Somos reféns da malandragem, da corrupção, do jeitinho brasileiro, da troca de favores, dos boatos, das opiniões sem noção, dos falsos profetas, dos apocalípticos, dos  missionários da mentira…

Já faz um tempo que não vejo os telejornais, em especial antes de dormir e evito as redes sociais. Confesso que melhorou muito o número de pesadelos que tenho com frequência. Mas as notícias perversas chegam pelo celular, pelos vizinhos, pelos amigos e até por desconhecidos.

O que vejo fere todos os meus princípios de democracia com doses generosas de humanidade. E mais, sinto uma vibração de ódio que contamina até os lares brasileiros. Ninguém se entende. Famílias são destruídas pelo desemprego, por opiniões contrárias sobre política…

Até uma pediatra se recusa a prestar atendimento médico por conta de preferências partidárias. Os considerados “Coxinhas” e  “Petralhas” se atacam publicamente de forma leviana e ridícula. Os ataques atingem não apenas os políticos envolvidos nos escândalos de corrupção. Como nos tempos bem antigos, toda família é condenada a forca. Achei uma estupidez tão grande de uma senhora que gritava palavras de  ódio ao filmar com um celular um momento de lazer do senador Aécio Neves com um dos filhos gêmeos no colo, em uma praia do Rio de Janeiro. Tudo é tão grotesco e poderia ter provocado uma tragédia.

Até aqueles políticos que se dizem cristãos mostram publicamente o que é intolerância. Pregam o ódio, esquecem o amor ensinado por Jesus. Muitos pontos que poderiam ser debatidos com prudência e respeito, levando em consideração os pensamentos de Cristo,  como: o aborto, a eutanásia, a família… são desperdiçados.

Toda noite, antes de dormir, elevo meu pensamento e vibro positivamente para que possamos limpar o Brasil. Eliminar o que não nos serve para nossa evolução, propor pensamentos criativos, beneficiar aqueles que realmente  trabalham, respeitar as escolhas individuais e não duvidar do Brasil… Que assim seja com muito amor.

Página 3 de 3123