04 jan 2018

Adolescente com doença grave no intestino faz apelo nas redes sociais

pedro

O rosto dele me hipnotizou nos primeiros segundos de um vídeo que circula no Facebook, desde 9 de dezembro de 2017. Já são mais de 300 mil visualizações. Não tinha como ser indiferente. O corpo frágil, o olhar sincero e a voz decidida me deixaram interessada na história do guerreiro Pedro Guilherme, 14 anos e morador de Fortaleza. Ele tem uma doença grave no intestino, mas enfrenta cada dificuldade com otimismo, fé e sonhos. Pedro quer ser escritor e ajudar outras pessoas que passam pelo mesmo problema. “Minha história poderia ser igual a de muitas outras, e na verdade é, senão fosse pelo simples fato de que me deram apenas dois dias de vida, em maio de 2009, quando tinha apenas 5 anos de idade. Depois de três dias de intenso sofrimento, descobri que tinha uma má formação genética, com uma única artéria mesentérica, sem veias intestinais, sofri volvo e posterior necrose de mais de 90% do intestino delgado, ficando com 5cm de jejuno e 5cm de íleo”, explica.

Após 2 meses, Pedro fez mais 2 cirurgias. A última delas foi de ligação das partes que sobraram chamada reanastomose e a de por uma sonda para alimentação enteral ou gastrostomia, da qual ele faz até hoje. Pedro ficou nove meses sem se alimentar pela boca, além das várias internações, infecções e sofrimento. “Comecei a me alimentar pela boca em 2010, um grande passo pra mim, e desde então continuo pela sonda e pela boca”.

Pedro ainda batalha para ganhar mais peso. Ele esteve internado até um pouco antes do Natal e está com apenas 29 quilos, distribuídos em 1.54m. Com a doença, Pedro também enfrenta problemas como: osteoporose e depressão. “Foi descartado hipótese de transplante e STEP(espécie de alongamento do intestino) pela cautela de não piorar o que vem dando certo. O tratamento dele basicamente é medicamentoso e alimentício. Ambos sem previsão de alta e de forma contínua. Atualmente ele faz uso de 13 medicamentos e leite especial”, informa  Karla Lima, mãe do guerreiro Pedro.

A síndrome do intestino curto (SIC), ou simplesmente chamada de intestino curto, refere-se a uma doença de má absorção resultante da ressecção cirúrgica do intestino delgado (como, por exemplo, em casos de doença de Crohn ou tumores) derivações do trânsito intestinal (como no caso de fístulas e cirurgia bariátrica) ou, em raros casos, decorrente de uma disfunção completa de grande parte do intestino delgado (devido a infecções, isquemia, quimioterapia e/ou radioterapia). Saiba mais no site do Pedro Guilherme AQUI

Conversei com o Pedro sobre sonhos. Sonhar é o caminho mais curto para conquistar saúde e bem estar. Ele gosta de escrever contos e poemas.

Adriana Santos: Como surgiu a ideia de escrever?

Pedro: Eu costumo criar fantásticas histórias com brincadeiras de bonecos e de espadas. Quando, numa conversa, contei uma delas a minha mãe, ela me deu a ideia e eu acolhi. Desde então é minha paixão.

A: Quais os livros estão na gaveta, esperando publicação?

P: Atualmente, “Contos da Minha Nuvem”, um livro de que busca espalhar valores e o “Cotidiano de Minhas Poesias”, dedicado a poemas, que já está sendo finalizado.

A: Qual o autor que você mais gosta?

P: Nossa, é bastante difícil! Gosto de muitos autores, mas meu preferido certamente é J.R.R Tolkien, o pai do RPG e escritor de O Silmarillion, O Hobbit, O Senhor dos Anéis e tantos outros.

A: Qual o livro que você mais se identifica?

P: Depende muito do modo como quero ser identificado: seja em estilo de escrita? Personalidade ou caráter? Certamente um livro que me identifiquei bastante foi o Pequeno Príncipe. Uma linda história, que foi capaz de tocar até meu âmago e ser a primeira obra literária a me arrancar lágrimas.

A: Quais são os seus sonhos?

P: No fundo, tudo o que mais quero não é fama ou dinheiro, mas espalhar minhas histórias, para que as pessoas a conheçam e que venham a gostar delas. Sonho em viajar por lugares como Dinamarca, a doce Europa e outras regiões. E poder ajudar instituições e ONGs de crianças e portadores da SIC.

Veja o vídeo. É comovente!

Como ajudar?

A família abriu uma conta poupança para doações. Você pode doar qualquer valor. O importante é doar e contribuir para a realização do sonho do guerreiro. O dinheiro será utilizado para a publicação do livro, além das despesas com o tratamento.

Titular: Pedro Guilherme Lima Ramos
Banco: Caixa Econômica
Agencia: 2183
Conta poupança: 34.989-9
Operação: 013
CPF: 054.216.223-71

Mais informações pelo site do Pedro. AQUI

24 nov 2017

Novos equipamentos garantem segurança e qualidade no atendimento aos usuários da Santa Casa de Lagoa Santa

Arquivado em Cidade, Comportamento, saúde, SUS

SANTABLOG

O estacionamento da Santa Casa de Lagoa Santa/Hospital Dr. Lindouro Avelar foi palco de comemorações, homenagens e doações. Na tarde chuvosa desta quinta-feira (23/11), o prefeito, Rogério Avelar presidiu a solenidade de doação de equipamentos de última geração para a instituição, ao lado do secretário de Saúde, Gilson Urbano. Prestigiaram a solenidade, vereadores; o novo gestor do hospital, Paulo Boschi; as voluntárias da ASSANTA; a renomada artista plástica, Lêda Gontijo, pacientes e funcionários.

santa 1Para garantir segurança e a qualidade no atendimento foram doados ventiladores pulmonares (adulto, pediátrico e neonatal), cardioversor, carrinho de emergência e foco cirúrgico e rouparia. Durante o evento também foi lançado oficialmente o novo portal da Santa Casa www.santacasalagoasanta.org.br. Paulo Boschi agradeceu a entrega dos equipamentos e ressaltou a importância da participação da população no site da Santa Casa. “Essas doações vêm ao encontro com o que estamos planejando para a Santa Casa em 2018, que é o aumento e melhoria do atendimento para deixar o munícipe tranquilo em relação à saúde. Com o lançamento do site, os pacientes e usuários do hospital poderão enviar sugestões que irão nos ajudar a melhorar nossos serviços”, disse.

O prefeito de Lagoa Santa destacou que tudo está sendo feito para garantir o pleno funcionamento da Santa Casa. No entanto, há necessidade de sensibilizar a União e o Estado no sentido de que participem efetivamente do financiamento da atenção hospitalar municipal. “Esse hospital só está funcionando porque a Prefeitura de Lagoa Santa tem feito a parte dela, a parte do Estado e a parte da União. Sem isso, o hospital não estaria aberto sob hipótese alguma. Os recursos que mantém a Santa Casa em funcionamento são 98% do município, frisou o prefeito Rogério Avelar.

santa saudeASSANTA  – O trabalho voluntário foi reconhecido pelas autoridades locais como estratégico para fortalecer as ações de saúde no município e em outras iniciativas sociais. A presidente da Associação das Voluntárias da Santa Casa (ASSANTA), Briguitta Barbian, em nome das 22 voluntárias, recebeu uma placa comemorativa e flores pelas mãos do novo diretor da Santa Casa. “A gente trabalha pelo prazer de trabalhar, não esperando nenhum tipo de reconhecimento e recompensa”, disse emocionada.

A consagrada artista plástica, Lêda Gontijo, 102 anos, foi a fundadora da Associação das Voluntárias, em 2001 e também foi homenageada. Ela recebeu das mãos do prefeito da cidade uma placa comemorativa, flores e um vídeo especial sobre sua trajetória artística. Entre as muitas obras que criou, duas se destacam: as imagens de São Tomás de Aquino e São Agostinho, que estão no Mausoléu dos Imortais, no Cemitério São João Batista (Rio de Janeiro).

14 jun 2017

Dia Mundial do Doador de Sangue: O amor corre nas veias

doador de sangue

[DIA MUNDIAL DO DOADOR DE SANGUE] A data é uma forma de conscientizar a sociedade sobre a importância da doação de sangue, um gesto de solidariedade que pode salvar vidas. Todos ganham com uma ação que não traz nenhum prejuízo para o doador: hospitais, pacientes, sociedade. A qualquer momento, uma pessoa pode precisar recorrer aos hemocentros ou às unidades de doação.

A triagem clínica é rigorosa e o candidato só doa sangue se estiver em boas condições de saúde. O material utilizado é descartável, garantindo mais segurança ao doador.

O candidato que apresentar qualquer sintoma, mesmo que leve, deverá aguardar a melhora para então procurar uma unidade de coleta. Nem todo interessado pode doar e há regras que devem ser rigorosamente seguidas para que tudo ocorra bem.
Os doadores adolescentes de 16 e 17 anos devem estar munidos de documento de identidade original e oficial com foto e acompanhados pelo responsável legal.

A idade máxima para a primeira doação de sangue é 60 anos. Os candidatos, que já tiverem doado pelo menos uma vez antes dos 60 anos, poderão doar até a idade de 69 anos.

Saiba mais sobre doação de sangue no site da Fundação Hemominas.

Página 1 de 3123