16 nov 2016

Conheça a palhaçoterapia e saiba como ela contribui para melhorar a humanização no SUS

Arquivado em Cidade, Comportamento, saúde, SUS

palhaco

Por: Aline Czezacki, para o Blog da Saúde

Os hospitais podem parecer ao primeiro olhar, um ambiente triste e melancólico, mas com o trabalho de alguns profissionais e estudantes da área da saúde, ele pode se tornar um lugar alegre e repleto de risadas.

Em todo o país, existem diversas redes que utilizam a palhaçoterapia e o teatro como metodologia para humanizar cada vez mais o atendimento e tratamento de pacientes que passam a maior parte do tempo internados.

A figura do palhaço dentro do hospital surgiu em 1980, quando o oncologista infantil Patch Adams buscou melhorar o ambiente hospitalar e a relação médico paciente, através do amor, humor e gentileza.

Hoje, o exemplo do médico é seguido por milhares de voluntários em todo o mundo. O objetivo dessas pessoas é melhorar a vida de quem está dentro de um hospital, seja paciente, familiar, enfermeiro, médico, ou outros profissionais que trabalham na unidade, como secretários, zeladores, etc.

Na Universidade da Região de Joinville (Univille), em Santa Catarina (SC), esse tipo de humanização é ensinado para os alunos desde a sala de aula. Angela Finardi, professora de propedêutica no curso de medicina, também ensina teatro através do grupo de extensão Palhaçoterapia.

A professora conta que por se tratar de um trabalho extensionista da universidade, um dos objetivos é a formação acadêmica, mas que durante o trabalho, os alunos acabam aprendendo muito mais do que ensinando.

“Nós escutamos muitos relatos sobre como eles voltam transformados dessas visitas ao hospital. A partir do momento que quem está na área da saúde descobre o poder das ações de generosidade, de olhar para o outro com mais atenção, eles também se transformam”.

Atualmente, as equipes atuam no Hospital Municipal São José e no Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria. A professora também reforça que falar de gentileza é essencial, pois é disso que parte todo o restante do trabalho. “Sempre parte do ato de ver o outro como o mais bonito, o mais importante, e que eu, como palhaço, preciso interagir”.

Barbara Uliana estuda medicina na Univille, e participou do projeto durante o primeiro ano do curso. Ela conta que a identificação com a proposta foi quase instantânea.

“Vi a oportunidade de fazer a diferença na vida dos pacientes logo no início da faculdade. Era uma oportunidade de crescimento que nenhuma sala de aula iria me proporcionar. A partir dele desenvolvemos empatia, compartilhamos histórias e a gratidão torna-se mútua”.

Para se tornar um palhaço que atua dentro dos hospitais, é necessário um intenso trabalho de preparação, já que a responsabilidade e cuidados devem ser maiores. Cuidados com o paciente, onde pode e onde não pode entrar, o tipo de brincadeiras que podem ser feitas, o respeito ao paciente que não quer receber a visita dos palhaços, entre outras questões, que devem ser levadas a sério.

Grupo Sagrado Riso

Ser palhaço tem uma responsabilidade tão grande, que em estados, como no Distrito Federal, são ofertados cursos preparatórios, com seleções rígidas para começar a desenvolver o trabalho.

O Grupo Sagrado Riso lançou em outubro um edital de seleção para pessoas que querem trabalhar com palhaçaria em Hospitais. Alessandra Vieira, coordenadora do projeto, trabalha há 18 anos como palhaça e pretende capacitar 40 pessoas para dar continuidade a humanização.
“O sonho veio de uma vontade de encarar o Hospital não só como um lugar de muitas necessidades, mas também de muito crescimento”.

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui. E sobre a Palhaçoterapia, basta acessar a página do facebook do projeto.

27 jul 2016

Gentileza e generosidade são atitudes que fluem do amor

Arquivado em Cidade
flavia2

Foto: André Luppi (Estúdio Setenta e Sete)

Gentileza é uma atitude amorosa que alimenta a paz interna e contribui para o bem estar do outro. É uma virtude aliada ao desapego, por isso faz tão bem para o espírito. E o melhor de tudo é o efeito contagiante, inspirando outras pessoas na mesma corrente. E assim construímos a cultura de paz e não violência.

Generosidade deriva do latim generosĭtas e refere-se à inclinação (tendência) para dar e partilhar acima de qualquer interesse ou utilidade. Portanto, é algo que flui do amor.

Veja alguns exemplos. Mas podemos aumentar a nossa lista infinitamente. Os pequenos gestos fazem toda a diferença. Podemos ser gentis e generosos de várias formas, maneiras, estilos e gostos. É uma questão de atitude, ação e coração.

  • Alimentar animais abandonados
  • Reunir amigos para coletar o lixo de uma praça abandonada
  • Evitar sacolas plásticas nos supermercados
  • Doar livros que já foram lidos
  • Doar sangue nos hemocentros
  • Reconhecer o sucesso de um amigo
  • Ser pontual nos compromissos. Se atrasar, avise
  • Prestigiar os talentos dos amigos e dos artistas
  • Ser educado no trânsito, evitando conflitos desnecessários
  • Escutar com atenção as reivindicações dos filhos, dos amigos e dos familiares
  • Deixar o celular no silencioso ou desligado em ambientes com pessoas doentes ou recém nascidos
  • Evitar julgar ou criticar as pessoas em situações de crise, evitando possíveis desentendimentos
  • Valorizar as pessoas que trabalham na limpeza da cidade, na portaria do prédio, no policiamento das ruas.
  • Seja uma empresa que valorize as sugestões e as críticas do consumidor com agilidade e criatividade
  • Contribua para a limpeza de parques e praças
  • Elogie as atitudes positivas do seu companheiro (a) de vida
  • Respeite as limitações físicas e emocionais das pessoas.
  • Inspire fundo. Prenda a respiração 4 segundos. Expire com calma. Dica importante quando estamos dominados pela raiva. Fique calmo e seja feliz, a melhor forma de cultivar generosidade e gentileza no nosso planetinha.

“É com muito amor e carinho que compartilho o vídeo que gravei em homenagem à uma grande amiga que está em tratamento contra o câncer de mama e à todas as mulheres que estão na luta contra o câncer. Meu muito obrigada à todos os amigos que de forma voluntária doaram seu tempo, dedicação e sensibilidade para a realização do vídeo, aos meus familiares e esposo. Que a empatia e a solidariedade estejam presentes em nossas vidas. O vídeo é uma surpresa para minha amiga, que ficará sabendo da transformação em homenagem a ela a partir desta postagem” Flávia Freitas, jornalista

livro Stefano Ferrara

“Minha contribuição para a campanha “Esqueça um livro, espalhe conhecimento” que está acontecendo hoje 25/07! Esqueça” um livro também!” Stefano Ferrara, empresário e apaixonado por animais (Facebook)

daniela

“A minha ideia era só levar alguns brinquedinhos e olha só no que deu!!!!! Muitas e muitas doações pra brinquedoteca do Hospital Infantil João Paulo II. Sem palavras pra agradecer todo mundo que contribuiu! Um gesto tão simples mas que arranca sorrisos e traz alegria pra essas crianças que passam meses e meses internadas aqui. Isso sim não tem preço!!!! Muito feliz!!!! Obrigada a todos!!!” Daniela Kayser, estudante de Medicina, com a ajuda da escola Vespanito

liga da justiça

Projeto Social Liga da Justiça/BH começou com uma brincadeira entre amigos na  Volta Internacional da Pampulha, vestidos de super-heróis. Não demorou muito para que os heróis assumissem a verdadeira missão: levar alegria, solidariedade e amor para quem precisa, principalmente pessoas internadas por algum problema de saúde. A primeira visita hospitalar foi em 2013, no Hospital Militar e, desde então, o projeto só cresce.

IMG_5633[1]

Muro da Gentileza Dona Pequetita, em Vespasiano, Região Metropolitana de Belo Horizonte, no início, serviu como espaço para doações de roupas, sapatos e acessórios. A iniciativa realizada por voluntários cresceu e conquistou a confiança dos moradores. Novas ideias surgiram. O muro, a praça e os bancos, jardins e a iluminação passam por processo de revitalização. O objetivo é deixar a cidade mais humanizada e solidária.

OVO

“Nós que somos da área de marketing e comunicação têm brilho nos olhos quando vivenciamos ações de atenção e cuidado com o consumidor… falhas nos processos podem acontecer, entretanto a conduta da empresa na tratativa de uma queixa por mais simples e menor que seja, faz toda diferença, e precisa ser compartilhado!! Estou encantada com o atendimento recebido!” Kylia Isabela Lopes Cota (Facebook)

noiva

Arquivo pessoal/Reportagem Portal UAI

Buffet dá o cano em casamento e noivos fazem festa com bolo de padaria e copo descartável. Quando o fornecedor não apareceu, os convidados se mobilizaram para comprar salgados, doces e bebidas e garantiram o resto da comemoração.
O grande dia da administradora Raquel Ramos Santana Melo, 31 anos, e do advogado Daniel Carreiro Miranda, 28, foi marcado pela desonestidade de um buffet contratado para o casamento. A data só não foi totalmente estragada por causa da solidariedade de parentes e amigos, que improvisaram o resto da festa. (Portal Uai)
divulgação

Divulgação

Nos Estados Unidos, uma garota estava prestes a completar 11 anos de idade quando se comoveu com a história de um cachorro bem doente. Então, ela decidiu abrir mão de seus presentes de aniversário e pediu que seus amigos e familiares fizessem doações financeiras para ajudar o animal. A adolescente arrecadou 250 dólares. (Fonte: ANDA)

IAB-MG recebe indicações para o Prêmio Gentileza Urbana 2016

O Prêmio IAB-MG de Gentileza Urbana foi concebido, desenvolvido e lançado pelo Departamento de Minas Gerais do Instituto de Arquitetos do Brasil há 22 anos. O objetivo desde então, tem sido estimular iniciativas diversas, tanto de pessoas físicas quanto jurídicas, que contribuem para a melhoria da qualidade de vida urbana.

Podem concorrer as iniciativas reconhecidas e indicadas pelas comunidades, instituições e entidades civis de natureza privada, e também as iniciativas que, mesmo desconhecidas do grande público, configurem-se como “Gentileza Urbana”.

Prazo para indicação: até o dia 15 de agosto de 2016.  Como: preenchimento de formulário eletrônico disponível AQUI. Cerimônia da premiação: 03 de setembro de 2016, às 14 horas, no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte, participação gratuita.

São seis (6) categorias, entre elas: GENEROSIDADE: Praticas cotidianas individuais de pessoas que doam o seu tempo em prol da vida de outrem. Altruísmo, voluntariado, bondade, compreensão da dimensão humana existente na vida social e CIDADANIA: Gestos coletivos ou individuais, voluntários que contribuem para a melhoria da qualidade de vida e a vida a comunitária ressaltando a importância da participação individual ou coletiva na vida das comunidades; Clique aqui para acessar o edital

01 jul 2016

Muro da gentileza comove moradores de Vespasiano

Arquivado em Cidade

IMG_5633[1]

Antes uma praça sem atrativos, sem cor, com bancos vazios e um grande muro cinza ao fundo, na região Central de Vespasiano, Região Metropolitana de Belo Horizonte. E para completar o cenário desolador, enfrentamos uma das estações mais geladas dos últimos 4 anos. Mas no meio do caminho ou bem em frente, há sempre pessoas atentas que não conseguem enxergar um mundo descuidado e sem compaixão.

Vanessa Arruda, diretora de um grande laboratório da cidade, percebeu que alguma coisa precisava ser feita e envolveu os colegas de trabalho. Foi quando pensaram em um “Muro da Gentileza “. A ideia é simples: quem tem doa; quem precisa recebe. Só que gentileza gera gentileza, já dizia o Profeta Gentileza nos viadutos do Rio de Janeiro.

A população ficou totalmente envolvida com a iniciativa. A professora de Artes Aloma Batista e outros profissionais que amam a beleza pintaram com as cores da solidariedade o muro e os bancos de cimento de uma antiga praça abandonada.

As roupas quentinhas e em bom estado chegaram de toda parte. Até mesmo sapatos e outros acessórios.

Endereço: Rua Alberto Lázaro, em frente ao número 28 – Laboratório São Lucas, Centro – Vespasiano

IMG_5631[1]