14 jul 2015

Cães farejadores são os melhores detectores de explosivos e drogas

Arquivado em Animais, Comportamento
rocca3

Foto: Zenio Souza

Os policias da Rocca, Ronda Ostensivas com Cães Adestrados, iniciaram o Curso de Busca e Captura, um dos treinamentos mais importantes de adestramento de cães em matas com o objetivo de localizar e mobilizar criminosos em fuga. O cão será capaz de encontrar, pelo faro, pessoas escondidas em matas fechadas, penduradas em árvores e até mesmo debaixo de rios, lagos, cachoeiras ou riachos. Com a ajuda de um cão farejador, a policia pode mobilizar sem a necessidade de disparos por armas mortais.

O curso está dividido em disciplinas práticas e teóricas, como técnicas de obediência, Direitos Humanos, Polícia Comunitária e Cinotecnia. A carga horária é de 760 horas com previsão de término para outubro e envolve policiais de 27 canis do estado de Minas Gerais.

IMG_2546[1]

Sargento Karine já tem dez anos de polícia militar. Há um ano e seis meses trabalha na Rocca. Já realizou dois cursos de treinamento. “Sempre sonhei em trabalhar com os cães da Rocca. Ambiente que tem animal é sempre melhor”. Ela é companheira inseparável de Athos, um labrador corajoso, mas também dócil e amigo das crianças da Escola Estadual Francisco Sales. Reveja o caso aqui.

IMG_2526[1]

O treinamento dos cães começa ainda na fase de filhote, por volta dos 10 meses, quando ganham do treinador brinquedos de estimação e são adestrados nas brincadeiras de esconde-esconde. Segundo o tenente Albuquerque, o equilíbrio do cão é fundamental para a relação de confiança entre policial e animal.

A Rocca Belo Horizonte conta, atualmente, com 75 cães, sendo que 19 são idosos (aposentados). Os animais foram responsáveis, de janeiro de 2015 até agora, por: 30 prisões, 9,3 quilos de cocaína, 3,5 pastas de cocaína, 3.064 pinos de cocaína, 64,2 de crack, 3.280 pedras de crack, 12 armas, além de buchas e pés de maconha, munições, celulares, rádios de transmissão, coletes de uso da polícia, balanças, celulares e veículos.

Major Cinério acredita que os cães são verdadeiros heróis anônimos que trabalham de forma invisível, mas eficiente, no combate ao tráfico de drogas, além de detectar explosivos em ambientes púbicos.

Os cães da Rocca têm temperamentos diferentes, por isso recebem missões conforme a capacidade desenvolvida em treinamentos. Alguns são feras em encontrar drogas nos locais mais improváveis. Já outros são “explosivos”. Mesmo com detectores de bombas já disponíveis no mercado, o melhor amigo do policial ainda é mais confiável do que os experimentos.

Trabuco, por exemplo, é um Belga Malinóis de oito anos, responsável pela vistoria de explosivos no Mineirão na época da Copa do Mundo. Trabuco também zelou pela segurança da presidente da República Dilma Rousseff na última visita oficial em Belo Horizonte.

Impossível não amar Trabuco. Quando ele não está trabalhando, o cão policial é doce e aceita com gentileza afagos de uma repórter que ficou apaixonada por ele na primeira troca de olhares.

IMG_2551[1]

Repórter Adriana Santos encantada com Trabuco

O tenente Jadir esclarece que alguns cães não se adaptam à vida militar. Ele lamenta também a morte da cadela Uara, no ano passado, em uma missão policial. Uara caiu em um buraco de um matagal e não resistiu aos ferimentos. O policial cita com orgulho a capacidade de trabalho dos principais cães farejadores  de drogas da Rocca.

cão uberaba

Foto: Jornal Uberaba

02 jun 2015

Polícia mineira comemora 240 anos nas redes

Arquivado em Cidade, Segurança

pm

No dia 09 de junho de 2015 a Polícia Militar de Minas Gerais, completa 240 anos de serviços prestados em favor de uma cidade mais segura, menos violenta.  São quase dois séculos e meio de muitas histórias. Algumas delas são contadas na página do Facebook (Comunidade não autorizada) pelos próprios policiais e admiradores da polícia mineira, por meio de fotos, pequenos depoimentos, vídeos.

A postagem sobre uma banda composta por policias militares é um sucesso. Eles se apresentaram em Pirapora e cantaram músicas de louvor e agradecimento a Deus. Já são mais de 150 mil visualizações.

Parabéns!

cãopm2pm3

pm4pm5pm6

pm7pm8pm9

pm10pm17pm13

28 maio 2015

A Bela e a Fera da Rocca – Ronda Ostensivas com cães de BH

Arquivado em Animais, Cidade

Foto: Helton Mendes Cardoso

A Bela é policial militar, Darlane Denise. A Fera é a cadela patrulha Mila.  As amigas inseparáveis prestam serviço na Rocca Central – Ronda Ostensivas com cães, em Belo Horizonte. Darlane é a primeira mulher da Rocca.

Os cães têm uma capacidade muito grande em resgate de pessoas em locais de difícil acesso, no faro a drogas e explosivos. É insubstituível na questão do policiamento, tendo em vista que o homem não consegue fazer o mesmo que eles(as). As atividades da Rocca abrangem, além da busca e salvamento de pessoas desaparecidas, a repressão qualificada aos crimes violentos.

Por serem parceiros dos policiais, o cuidado com a saúde e o bem-estar dos animais é especial, começando pelo tratamento diário, que consiste em uma alimentação balanceada, além de ambulatório próprio para os animais. Atualmente, a ROCCA conta com 76 cães treinados.
darlane2
Página 1 de 212