12 jan 2018

Erosão dentária ameaça saúde bucal

erosao-dentaria

Uma das causas da dor de dente, a erosão dentária é caracterizada pela perda do esmalte (camada externa do dente, branca), deixando a dentina (parte interna, amarelada), exposta. O problema, que tem se tornado cada vez mais comum, ocorre devido ao consumo excessivo de alimentos muito ácidos, que desgastam o esmalte do dente.

De acordo com o mestre e especialista em implatodontia e odontologia estética, Dr. Paulo Coelho Andrade, o cálcio presente na saliva ajuda a neutralizar o ácido presente nos alimentos e/ou bebidas. Se o consumo de alimentos demasiadamente ácidos for frequente, o cálcio pode não ser suficiente para proteção dos dentes.

“Refrigerantes, isotônicos, sucos naturais, energéticos, entre outros são algumas das bebidas altamente ácidas. O consumo em grandes quantidades aumenta consideravelmente a propensão à erosão dentária. O pior é que se observa um aumento de casos precoces do problema. Muitos adolescentes já apresentam erosões similares a adultos e idosos”, explica Dr. Paulo.

Apesar de ser um assunto relativamente novo – pois é potencializado pela ingestão da gama de alimentos industrializados presentes no cotidiano – a erosão vem apresentando um crescimento gradual. Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Santa Maria (RS), com 1.500 crianças, constatou que 22% delas apresentavam o problema, algumas com certa gravidade no quadro.

Ainda segundo Dr. Paulo, há dois tipos de erosão, a intrínseca e a extrínseca. A primeira é causada por fatores orgânicos como ácido gástrico ou regurgitação por problemas médicos. Já a segunda é causada por agentes externos nocivos, ou seja, o consumo de alimentos ácidos.

Os principais sintomas da erosão são: dor de dente, pois com o desgaste do esmalte o dente fica mais sensível ao quente ou frio; o amarelamento, causado pela exposição da dentina; a transparência nas pontas dos dentes e fissuras ou rachaduras em sua superfície.

O problema pode ser amenizado com uma mudança nos hábitos alimentares, minimizando o consumo de alimentos ácidos e, de preferência, utilizando canudos para diminuir o contato de bebidas com o dente. “Há, também, a possibilidade da implantação das famosas facetas de porcelana, que resolvem definitivamente e de forma eficaz, o problema. Elas funcionam como uma espécie de ‘capa’ para os dentes, deixando-os com um aspecto impecável”, finaliza Dr. Paulo.

24 fev 2016

Bruxismo: stress presente nos dentes

Arquivado em saúde, Saúde Bucal
Bruxismo-placa

Imagem/Google

Por: Paulo Coelho Andrade, especialista em implantodontia e odontologia estética

Tensões emocionais, trânsito, excesso de responsabilidades, e agitações decorrentes de pressões diárias resultam em stress. A doença está diretamente ligada ao hábito de ranger ou apertar os dentes involuntariamente, configurando uma disfunção oral chamada bruxismo. Podendo ser diurno ou noturno (mais comum), o problema causa dores na cabeça, na mandíbula, desgaste dental e pode atingir pessoas de todas as idades, em ambos os sexos.

Até mesmo crianças com excesso de atividades ou que passam por problemas psicológicos (traumas, brigas de família ou cobranças demasiadas) têm muita probabilidade de desenvolver o bruxismo. A disfunção acaba funcionando como um termômetro psicológico bucal, pois a maioria das pessoas que possuem os sintomas tem aumento, direto ou indireto, da tensão emocional. O bruxismo sobrecarrega de forma excessiva todos os tecidos do suporte, podendo causar deterioração dental como fraturas de dentes e restaurações, diminuindo a real dimensão da arcada dentária. Os sinais mais aparentes da disfunção são fadiga muscular, dores encefálicas e mandibulares, desgaste dentário e retração gengival acompanhada de lesão óssea, que pode levar até à perda dos dentes.

Quando a mandíbula e a maxila estão pressionadas, ocorre uma isquemia crescente com queda da oxigenação e acúmulo de produtos metabólicos, o que ocasiona o estímulo das terminações nervosas, que geram a dor. Classificado de acordo com o tipo de prevalência da contração muscular, cêntrico (apertamento) e excêntrico (ranger), o bruxismo pode ser apresentado pela maioria dos indivíduos em algum momento de suas vidas, com intensidade e duração variáveis. Apesar de serem fortemente associados a alterações emocionais e situações de estresse, alguns casos podem ter etiologia multifatorial, como oclusão ou fechamento inadequado da boca, por exemplo.

Alguns especialistas qualificam a disfunção como uma alteração muito destrutiva, sendo sua origem tão remota quanto a do próprio homem. Apesar de ser observado em todas as faixas etárias, o distúrbio tende a diminuir com a idade, principalmente após os 50 anos. O tratamento desta disfunção consiste no uso de uma placa que protege os dentes, alivia o sistema mastigatório durante as crises e reduz a atividade elétrica muscular causada pela tensão dos músculos faciais. Em casos mais graves é necessária uma reabilitação bucal total, onde se restauram todos os dentes com porcelana, resinas, cerômetros ou até implantes (nos casos de perda dental).

O ideal é perceber que o problema não vem do nada e tentar achar suas causas no dia a dia. Um acompanhamento psicológico junto ao dentário pode auxiliar na cura do bruxismo, dado que a terapia identifica e trata as dificuldades emocionais associadas ao distúrbio. Qualquer situação estressante para alguém pode agravar o problema. O ideal é tentar aliviar a tensão de todas as formas. A prática de esportes e exercícios de relaxamento também são importantes fatores para ajudar a diminuir a stress.

28 jan 2016

Cigarro, envelhecimento e medicamentos podem deixar os dentes amarelos; saiba mais:

Arquivado em saúde, Saúde Bucal
cigarro-o-vilao-da-saude-bucal

Divulgação

Muita gente não sabe, mas sorrir ajuda a liberar endorfina, neurotransmissor responsável pelas sensações de prazer, e ainda influencia nos sistemas cardiovascular, respiratório e imunológico. Ao sorrir, a pressão arterial e a frequência cardíaca aumentam, possibilitando o fluxo de sangue no organismo; os pulmões hiperventilam, otimizando a distribuição de oxigênio nos tecidos e; por último, há um aumento da quantidade de saliva e, consequentemente, da imunoglobulina, substância de defesa do organismo. Além de todos estes benefícios, de acordo com pesquisa realizada pela  Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com 1.612 jovens, a saúde dos dentes interfere diretamente a autoestima.

“A importância do sorriso é muito maior do que as pessoas imaginam”, alerta o Dr. Paulo Coelho Andrade, especialista em implantodontia e odontologia estética. Por isso, a preocupação com um sorriso saudável vai além dos problemas físicos; como força mastigatória, dor na mandíbula, fonética e alterações no sono, por exemplo. Atualmente a odontologia estética está relacionada ao bem estar integral. “São diversas opções para reabilitação oral, como: clareamento, próteses e implantes. Os pacientes buscam uma imagem mais positiva, por meio de um sorriso bonito e harmonioso, explica Dr. Paulo.

Adriana Santos: Quais os motivos para dentes amarelados?

Paulo Coelho: Pode ser causado por vários motivos. Nem sempre o amarelamento dos dentes significa má higiene. Fatores genéticos, envelhecimento, além do consumo de tabaco e de medicamentos, estão relacionados ao amarelamento.  Traumatismos e tratamentos de canal insatisfatórios também podem levar ao escurecimento dos dentes.

Adriana Santos: O que pode ser feito para clarear os dentes?

Paulo Coelho: Há muitas possibilidades. Clareamento a laser é a melhor opção para dentes saudáveis. Para dentes em tratamento endodôntico (tratamento de canal), realiza-se o clareamento endógeno, que é um tratamento a laser exclusivo para clientes com canal tratado. Quando o paciente necessita de um clareamento somado ao alinhamento e/ou à falta de estética dos dentes, a melhor opção é a técnica de faceteamento, restaurando a cor, estética e funcionalidade ideais.

Adriana Santos: Quais os alimentos que alteram a cor dos dentes?

Paulo Coelho: Os alimentos com maior potencial de pigmentação dentária são: chocolates, molho de tomate, beterraba, açaí, cenoura e vinho tinto. Eles causam o que chamamos de pigmentação extrínseca. Como é impossível a exclusão total destes alimentos do nosso dia-a-dia, é indispensável uma boa higiene e frequentes visitas ao dentista para profilaxia ou retoque do clareamento.

Adriana Santos:  Por que alguns dentes quebram com facilidade?

Paulo Coelho: Algumas pesquisas relacionam a fraqueza dental a fatores genéticos. Já os fatores sistêmicos como deficiência de cálcio na formação dos dentes e uso de certos medicamentos no mesmo período podem sim facilitar a quebra, uma vez que essas carências causam alterações na estrutura dental.

Página 2 de 3123