11 nov 2016

Lugar de lixo é na lixeira

lixao

Em uma postagem do dia 31 de outubro, relatei sobre um lixão localizado na divisa das cidades mineiras: Vespasiano e Santa Luzia. O local foi limpo pelas autoridades competentes. Uma boa notícia para quem se preocupa com a limpeza urbana. Gratidão!!!

Pesquisei no Gloogle e encontrei um site bem bacana sobre descarte de lixo: lixo.com.br

Fiz um vlog sobre o assunto. Confira:

11 nov 2016

Maior parte das mortes súbitas costumam ocorrer fora do hospital

Arquivado em Comportamento, cursos, saúde
parada

Imagem: Google

Por: Rose Leoni

Aproximadamente uma entre cada dez pessoas sobrevive a uma parada cardíaca (em ambiente extra-hospitalar). De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 40% das mortes no mundo estão ligadas ao problema. Mais de 350.000 casos anuais nos EUA (em ambiente extra-hospitalar).

Segundo o médico Hélcio Levindo Coelho Neto, diretor da CUREM – Cursos de Urgência e Emergência, dados atualizados mostram que cerca de 70% das paradas cardíacas ocorrem nas próprias casas das vítimas. Entretanto, a reação das pessoas que presenciam os ataques é de perplexidade seguida de desespero em busca de ajuda. O que as pessoas não sabem é que saber atuar diante de tal emergência pode salvar a vida do paciente, uma vez que a chance de sobrevivência perante o problema é uma verdadeira corrida contra o tempo.

“Tomar as medidas corretas nos primeiros minutos da incidência pode reduzir expressivamente as chances de morte da vítima e, consequentemente, os altos índices de mortalidade por parada cardiorrespiratória”. O médico afirma que com um atendimento correto nos primeiros 10 minutos, as chances de sobrevivência do paciente chegam a triplicar. “Diante deste cenário, o ideal é que todas as pessoas aprendam a lidar com este tipo de emergência, como acontece nos EUA. Cursos de primeiros socorros em casos de paradas cardíacas deveriam ser obrigatórios em escolas e instituições”. Infelizmente, somente cerca de 45% das pessoas que presenciam uma PCR tomam as medidas corretas antes do serviço médico de emergência chegar.

Pensando nisto e já tendo passado por tal situação duas vezes com parentes próximos, o médico idealizou o Projeto Amigo do Peito. Pioneiro no Brasil, o projeto visa capacitar pessoas leigas (através de escolas e empresas) para lidar com emergências médicas – principalmente paradas cardiorrespiratórias. O processo, já implementado no colégio Santa Dorotéia, em Belo Horizonte, ensina os alunos a reconhecerem e tratarem uma parada cardiorrespiratória, além do momento exato para acionar o serviço de emergência, o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). De acordo com Zuleica Reis Ávila, diretora Administrativa do Colégio Santa Dorotéia, sabe-se que o salvamento de uma vida nem sempre depende apenas de um médico. Em muitas situações, se existir alguém que conheça as noções básicas dos primeiros socorros no local, as chances de salvar uma vida são muito maiores. “Por isso, o Colégio Santa Dorotéia resolveu ampliar essa capacitação, abraçando como pioneiro, o projeto da CUREM: “Amigo do peito”. Esta capacitação para os nossos jovens alunos, envolvendo áreas do conhecimento e a CUREM fará com que eles possam atuar em situação de emergência contribuindo para salvar vidas”, diz.

O Projeto está sendo desenvolvido esse ano com os alunos do Ensino Médio, e continuará nos anos seguintes. “O arrojado Projeto apresentado pela CUREM é apoiado pela Direção, Equipe técnica e Professores, abordando conteúdos diferentes e de extrema importância para todos. Acreditamos que ampliando a capacitação para os nossos alunos, contribuiremos de alguma forma, para o atendimento momentâneo, e assim faremos a diferença. Com essa capacitação será possível manter os sinais vitais de uma vítima até que o socorro especializado chegue” ressalta.

Segundo Ana Loureiro, coordenadora do Departamento de Educação Física e Artes, do Colégio, “estamos proporcionando aos nossos alunos, além de importante conteúdo, a possibilidade de serem bons cidadãos, capacitados para atuar em situação de emergência, fazendo o bem ao outro”, explica. Ainda de acordo com ela, os alunos têm se envolvido de forma surpreendente. Estão percebendo a importância destes conhecimentos, não apenas no ambiente escolar, mas para a vida, como bem tem sido colocada pela equipe da CUREM. “Em algum momento, todos nós poderemos passar por uma situação destas de emergência, e estarmos capacitados, preparados para ajudar, pode salvar uma vida, e mudar a vida de outras pessoas. Estamos muito satisfeitos com essa primeira fase de implantação do projeto, com a repercussão que teve entre os alunos, e o envolvimento total por parte deles. Agradecemos à Direção do colégio, que abraçou esse projeto, percebendo sua importância para a formação de cidadãos conscientes, comprometidos com a transformação social”, finaliza.

O curso tem o objetivo de ensinar os alunos a atuarem sozinhos e/ou em equipe diante da maior emergência médica do mundo, a parada cardiorrespiratória, até que chegue o atendimento especializado. “O nosso objetivo é tornar o pronto-atendimento a estes casos de emergência corriqueiros e comuns às pessoas a fim de reduzir a incidência dessas mortes. A capacitação engloba técnicas de ressuscitação cardiopulmonar, massagem cardíaca e desfibrilação”. Para que as simulações sejam reais, a CUREM conta com equipamento de última geração, com manequins que permitem autênticas simulações.

SERVIÇO

CUREM – Cursos de Urgência e Emergência
Rua Montes Claros, 1410 – Anchieta, Belo Horizonte – MG
Telefone: (31) 2573-2599

04 nov 2016

Eu sou Mariana

Arquivado em Animais, Cidade, Meio Ambiente, Vlog
Mariana (MG) - Distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), atingido pelo rompimento de duas barragens de rejeitos da mineradora Samarco (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Mariana (MG) – Distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), atingido pelo rompimento de duas barragens de rejeitos da mineradora Samarco (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Fonte: Agência ONU

Um grupo de especialistas independentes do sistema de direitos humanos das Nações Unidas pediu ação imediata do governo brasileiro e das empresas envolvidas para solucionar os impactos do colapso de uma barragem da empresa Samarco, ocorrido em 5 de novembro de 2015 em Mariana (MG).

Na declaração, que marca o primeiro aniversário do desastre provocado pela ruptura da barragem de rejeitos de Fundão, os especialistas destacaram vários danos não solucionados, dentre eles o acesso seguro à água para consumo humano, a poluição dos rios, a incerteza sobre o destino das comunidades forçadas a deixar suas casas, e a resposta insuficiente do governo e das empresas envolvidas.

Leia a carta na íntegra: AQUI

Deixei um recadinho para os moradores de Bento Rodrigues. Veja

Página 5 de 211 ...123456789... 21Próximo