Facebook Twitter Youtube Google+ Image Map
07 dez 2015

Alunos do King’s College de Londres querem revogar o título de “doutor” do CEO da BHP

mariana2

Alunos do King’s College de Londres querem revogar o título de “doutor” que a universidade concedeu ao presidente da BHP Billinton, empresa que juntamente com a Vale forma a Samarco. Eles reivindicam, ainda, um pedido público de desculpas pelo crime ambiental do dia 5 de novembro de 2015 por parte do Dr Andrew Mackenzie. Para isso, criaram um abaixo-assinado na plataforma Change.org

A comunidade se diz simpatizante da causa socioambiental brasileira e acusa a tríade (Samarco, BHP Billiton e Vale) de  não arcar com os prejuízos e as responsabilidades pela catástrofe de Mariana. Os estudantes acreditam que as práticas comerciais das empresas não são sustentáveis e desrespeitam o meio ambiente.

Mais de 50 milhões de toneladas de minério de ferro de resíduos, que contêm altos níveis de metais pesados ​​e produtos químicos tóxicos (equivalente a 20.000 piscinas olímpicas de resíduos de lama tóxica), contaminaram a Bacia do Rio Doce, no Estado de Minas Gerais, matando pelo menos 15 pessoas. A lama tóxica atingiu o oceano Atlântico através da costa do Estado do Espírito Santo.

Dr Andrew Mackenzie é o CEO da anglo-australiana BHP Billiton.

londres2

  • Fabio

    Em 07.12.2015

    Primeiro que não é o CEO da Vale que esta com o titulo ameaçado conforme afirma o Título da matéria. Segundo que a BHP não é proprietária da Vale conforme informa o último paragrafo. Resumindo, essa matéria é uma amostra do que é a imprensa brasileira, 100% sensacionalista e sem nenhum compromisso com a informação. Prestem mais atenção no que vocês escrevem, nós leitores não somos tão burros quanto vocês pensam…

  • Adriana Santos

    Em 07.12.2015

    Prezado Fábio, aprovei sua mensagem por um única razão: sua agressividade desnecessária no meu blog é um bom exemplo para uma postagem futura sobre comportamento na Web e sentimentos reprimidos de pessoas rancorosas. Como que “para bom entendedor, pingo é letra”, espero que você entenda, já que é muito inteligente…

  • Anna

    Em 07.12.2015

    Prezada Adriana, primeiro parabéns pela qualidade do blog. Infelizmente muitos não sabem se comportar na internet e são mal intencionado. Percebo também que toda postagem que leio sobre o crime de Mariana é invadido por comentários de pessoas a favor da empresa. Acredito que os comentários são promovidos pela própria empresa. Abraços

  • Adriana Santos

    Em 07.12.2015

    Ei Anna, obrigada pelo comentário. Na verdade a publicação (uma nota) informa sobre o abaixo-assinado dos universitários londrinos contra o CEO da BHP. No entanto admito um erro na manchete (Já já foi devidamente alterada). Com relação a invasão de comentários em favor da empresa, acontece… Que prevaleça a boa educação. Abraços e volte sempre.

  • Mracus Brunetta

    Em 07.12.2015

    Essas instituições acadêmicas de uns tempos para cá desandaram a outorgar títulos “honoris causa” para determinados indivíduos que não tem contribuição acadêmica nenhuma – nosso apedeuta ex-presidente coleciona uns 7 ou 8 sei lá talvez mais.
    A única “causa” do “honoris” é o poder político e/ou econômico que esses indivíduos possuem, de modo que
    atualmente ser agraciado com um título desses na verdade representa demérito do agraciado e deprecia a instituição e a comunidade acadêmica como um todo, que muito justificadamente não dá o menor valor a essa “honraria”.

  • Alexandre

    Em 07.12.2015

    Já comentei antes no Blog e volto a reafirmar que a lama da barragem não é tóxica e nem contém metais pesados. As amostras que apontaram está contaminação foram retiradas em Valadares e Colatina, sujeitas a contaminações provavelmente oriundas do Vale do Aço e sedimentadas no leito do rio ao longo dos anos. Nenhuma análise na região da barragem indica essa contaminação. Por mais que esse acidente tenha sido muito grave, a falta de cuidado com as informações presta um desserviço à sua causa, pois gera pressão popular por ações equivocadas e ineficazes.

  • Jataney

    Em 07.12.2015

    A lama é tão inofensiva que a água não está podendo ser consumida, e depois deste desastre os peixes, tudo está morrendo no Rio Doce!

  • José Francisco de Assis

    Em 07.12.2015

    Há anos presencio e observo o quanto as Mineradoras dirigidas por homens que não preocupam com as pessoas, contagiam seus Diretores, Superintendentes, Gerentes, Coordenadores e Supervisores e então cegamente. O Exemplo vem de cima mesmo. Assim, chegam nas cidades pequenas a despeito de gerarem empregos usam e abusam das pessoas, do meio ambiente e da nossa inteligência. E pasmem, todos esses funcionários do “alto clero” não gastam nada nas pequenas cidades mineradoras. O que ganham lá, gastam na capital em grandes Shopping’s, nada para as cidades de onde detonam o meio ambiente e as pessoas.

  • gabriel

    Em 07.12.2015

    Alexandre é um especialista, parece que quando a lama desceu o rio doce ele tava com uma prancha de surf acompanhando e medindo o ph.
    Para de falar bobagem cara, nao é so vc que sabe que a agua é o principal utilizado para a extracao do minerio de ferro. MAS NAO O UNICO. alem do tanto de estrago que essa lama fez ai carregando tudo que viu pela frente. ENtao nao venha inventar que o vale do aco fez isso ou aquilo, pq a unica coisa que eles fizeram foi socorrer aos que vcs deixaram sem agua.

  • Um brasileiro qualquer

    Em 07.12.2015

    Oi Adriana, boa tarde.
    Ótimo artigo este pois mostra que existem pessoas que não apenas se importam, mesmo estando muito longe, mas o mais importante, agem!!
    Acho que nós brasileiros precisamos agir, precisamos ao menos começar. Mas agir pontualmente, com inteligência, sem agressão.
    O mais difícil é começar mas não tem outra forma de buscarmos a mudança que queremos e precisamos. É necessário a ação!
    Como começar? Talvez pelo mais simples (ou mais díficil), que é por nós mesmos. Na impotência em despender esforços preciosos para tentar mudar governos, políticos, empresas ou pessoas, comecemos por nós mesmos, esforçando-nos por melhorar nossas más tendências e buscarmos o aprendizado e o conhecimento daquilo em que somos ignorantes. Assim agindo, certamente seremos capazes de desenvolver nossa inteligência e nossa moral, e dessa forma, consequentemente, estaremos mudando o mundo, melhorando o planeta. Se cada um agir dessa forma, as coisas, no mínimo, mudarão para melhor. Alguns dirão: “É utopia!”; “Como é inocente!!”. Mas o que interessa não é o que as pessoas pensam de você mas sim o resultado das suas ações para a sua consciência.
    É interessante notar que a ignorância e falta de sensibilidade (defeitos adquiridos voluntariamente) em alguns comentários, confirmam a inutilidade da ação de escrever sem gerar conhecimento ou sentimento aproveitável; ao contrário, atestam a necessidade de exposição gratuita da própria mediocridade, pensando assim que sua opinião tem importância e deve ser apreciada, quando na verdade estão enganando e envergonhando a si próprios. Por isso penso que a mudança deve iniciar em cada um.
    Se a pessoa se melhorar, nenhuma empresa, nenhum governo ou político, poderá enganá-la facilmente. Poderão ser evitadas muitas tristezas revoltantes como esta, por exemplo: http://www.otempo.com.br/cidades/anglo-american-despeja-idosa-para-n%C3%A3o-atrapalhar-expans%C3%A3o-de-mina-1.1187463

  • Adriana Santos

    Em 07.12.2015

    Olá “Um brasileiro qualquer”(como vc se identificou rs), gratidão pelo comentário. Volte sempre! Sinta-se á vontade no blog Saúde do Meio. Abraço fraterno.

Você deve estar logado para comentar.