Facebook Twitter Youtube Google+ Image Map
31 jul 2015

ANVISA aceitou métodos alternativos ao uso de animais em testes de laboratório

Arquivado em SUS

ratinho

Foi publicado no Diário Oficial de ontem (25/09) a Resolução Normativa Nº18/2014, que reconhece 17 métodos alternativos ao uso de animais em atividades de pesquisa no Brasil sugeridos pelo Concea (Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal).

A Resolução prevê que em cinco anos as técnicas devem ser obrigatoriamente substituídas pelos métodos alternativos. Podia ser algo imediato, mas é um começo.

No dia 21 de Agosto, a Dicol (Diretoria Colegiada da Anvisa), motivada pelo próprio Concea que solicitou formalmente a manifestação da Agência, já tinha deliberado sobre a aceitação dos 17 métodos alternativos validados ao uso de animais nas petições para registros e controle de serviços e produtos sujeitos a vigilância sanitária.

Segundo Ivo Bucaresky, Diretor de Gestão Institucional da Anvisa (Diges), que assumiu com a anuência a Dicol a condução do tema, entende que a importância do atual estado da arte de ensaios não clínicos (in vitro e in sílico, entre outros métodos alternativos) contribuem para o desenvolvimento científico e tecnológico do país. Esse tema também remete ao princípio ético dos 3Rs, preconizados internacionalmente, contribuindo assim, na redução, substituição e refinamento do uso de animais, tema relevante para a sociedade brasileira.

Fonte: Farmacêuticas

Você deve estar logado para comentar.