Posts de Adriana Santos
13 jun 2019

Você já foi vítima de maus-tratos no consultório odontológico? Eu fui…

Arquivado em Cidade, Comportamento

Medo-e-fobia-a-dentistas-são-coisas-do-passado-BH-Mulher-1200x545_c

Quando entrei no consultório dele pela primeira vez, há 15 dias, achei estranho o tal Dr. G. usar a máscara cirúrgica ao me receber.  Não pude ver com detalhes o rosto daquele jovem dentista que iria fazer uma pequena cirurgia de retirada de gengiva ao redor do meu dente – para que uma restauração pudesse ser feita. Achei o comportamento dele inadequado, apesar da aparente tranquilidade e da voz de uma nota só… Confesso, que Dr. G me deixou muito tensa com a forma impaciente de manipular a minha boca e dizer, a todo momento, para que eu não dobrasse as minhas pernas e afastasse a minha língua dos dentes o máximo possível.  A cirurgia foi concluída. Uffa!!! No entanto precisava retornar ao consultório para a colocação da peça de resina, após duas semanas, se a gengiva estivesse recuperada.

Como agendado, voltei ao consultório odontológico do Dr. G, na região central de Belo Horizonte, em um velho prédio da Rua Paraná, para a finalização do procedimento. Minha gengiva estava aparentemente cicatrizada. Ele me disse que precisava usar o “tal motorzinho irritante”. Disse a ele para anestesiar o local, com o objetivo de evitar qualquer tipo de dor.  Dr. G disse que não tinha necessidade, porque meu dente não “tinha nervinhos” (tinha sido feito canal). Confiei. Fiquei um pouco incomodada, mas, realmente, não senti dor na região. No entanto, percebi que ele empurrava a minha língua de forma violenta e dizia irritado: “vou acabar cortando a sua língua”… “você não tem boa abertura de boca”… “sua boca é pequena”…  Dr. G disse isso várias vezes… o que me deixou muito tensa. Não sabia o que fazer… Nunca ninguém tinha me dito que minha boca é pequena, sem abertura. Então, ele me disse que iria anestesiar o local para que a língua ficasse quieta… Achei muito estranho…  Disse ao dentista que não sentia dor no dente ou na gengiva, mas que não estava gostando da forma como ele manipulava de forma violenta a minha boca: “se o senhor fizer o serviço com mais cuidado, não será necessário, com certeza”, disse respeitosamente. Foi aí que senti o “motorzinho” atingir a minha língua, provocando um corte que jorrou muito sangue. Fiquei totalmente apavorada, porque senti que foi proposital… Ele deu um sorriso irônico… Tive vontade de correr do consultório… Pedi que um outro profissional terminasse o procedimento… Com o comportamento totalmente “tranquilo e sereno” ele chamou a esposa – que é sócia/dentista no consultório do casal. Lá também se faz procedimentos estéticos… Ela terminou de forma rápida e sem dor a restauração. E também não pediu insistentemente que eu afastasse a língua ou não dobrasse as pernas…

Fiquei arrasada…  com muito medo… com muita dor na língua. Ainda tenho dor na região da língua.

Resolvi compartilhar a minha história, porque os maus-tratos praticados em consultórios odontológicos ou médicos são realidades em nosso país. Provar que foi vítima de maus-tratos ou negligência médica também não é uma tarefa fácil, mas é possível.  É muito importante que os pacientes/clientes verifiquem se os profissionais estão registrados no CROMG. Para isso, podemos consultar o Conselho de Minas Gerais pelo telefone (31) 2104-3000 ou pelo site, no link Conselho Regional de Odontologia.

Algumas das suas dúvidas também podem ser encontradas no link Dúvidas Frequentes

Principais ações do CROMG contra ilegais, em  2019

11 de janeiro de 2019

Prisão em flagrante de ilegal da odontologia atuando na cidade de Betim.

18 de janeiro de 2019

A equipe da Fiscalização flagrou uma ASB fazendo manutenção ortodôntica em uma menor de idade em uma clínica no bairro Alípio de Melo.

29 de janeiro de 2019

Após concessão de medida liminar em Ação Civil Pública proposta pelo CROMG, a Prefeitura de São Thomé das Letras suspendeu o Concurso Público n° 001/2018.

A decisão foi embasada em pedido feito pelo CROMG de que o Edital fosse adequado ao piso salarial estabelecido pela Lei 3.999/61. O pedido foi aceito pela Justiça Federal de Varginha que determinou a suspensão do Concurso.

4 de fevereiro de 2019

Interdição de consultório odontológico em BH por estar em conformidade com as normas de biossegurança.

7 de fevereiro de 2019

Interdição por falta de esterilização adequada, medicamentos vencidos, materiais reaproveitados equipamentos em más condições e risco eminente do gesso abalado desabar sobre o profissional e pacientes.

12 de fevereiro de 2019

A fiscalização do CROMG esteve presente no Centro de Especialidades Odontológicas, na cidade de Juiz do Fora, para realização de uma vistoria técnica. O local foi encontrado com irregularidades tais como falta de teste biológico e químico na esterilização. A estrutura apresentava mofo e falta de ventilação adequada. Foi dado um prazo para que o Centro regularize a situação do local onde são atendidos os pacientes da cidade

8 de maio de 2019

A equipe do CROMG, em ação conjunta com a Polícia Civil, executou um pedido de busca e apreensão no consultório e residência de um falso dentista, o sr. Sebastião Lourenço. Ele foi flagrado atuando em um consultório em outubro do ano passado, mas fugiu durante a operação. Posteriormente, chegaram denúncias ao CROMG que mesmo tinha voltado às atividades ilegais e, inclusive, havia causado lesão corporal grave em pacientes.

13 jun 2019

Saiba mais sobre os benefícios da biblioterapia no enfrentamento da depressão

livros-de-romance

Por:  Marília Paiva, presidenta do Conselho Regional de Biblioteconomia – 6ª Região

Os livros têm o poder de provocar emoções, ampliar os horizontes e disseminar ideais e conhecimentos. A leitura também pode ser usada como função terapêutica, a chamada biblioterapia. Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem mais de 350 milhões de pessoas sofrendo com depressão no mundo e as terapias alternativas são uma grande aliada na reversão dessa situação.

A biblioterapia é a junção de duas palavras de origem gregas: biblion (βιβλίο), referente a toda espécie de artefato bibliográfico ou a qualquer material que possibilita o ato da leitura e therapeia (θεραπεία) que significa terapia, ou seja, a prescrição da literatura como terapia alternativa.

O processo estimula a leitura como auxiliar para Processo de autoconhecimento das pessoas de indivíduos, propondo a interpretação das mensagens transmitidas pelo enredo e adequação no cotidiano, estimulando o autoconhecimento.

O livro apresenta outras formas de se ver o mundo, destacando culturas e realidades diferentes. O entretenimento ajuda na redução do estresse e estimula o cérebro, propiciando que o leitor se identifique com personagens da história, principalmente, quando ocorre o processo de empatia, auxiliando na comparação das soluções do enredo à aplicação na vida.

A terapia literária começa com a adequação dos livros ao público alvo. O processo requer uma escolha cuidadosa do material que será utilizado, assim como a supervisão para garantir que a obra apresentada se encaixe na capacidade de leitura, limitações físicas, estilo de leitor e o nível do desafio psicológico a ser ultrapassado. Após a leitura realiza-se o momento do diálogo entre o biblioterapeuta e o grupo de leitores. Este é um momento valioso de interação e troca de sensações e sentimentos que emergiram durante a leitura.

Alguns estudos indicam que a biblioterapia já era praticada desde a Idade Antiga, entre as civilizações egípcia, grega e romana. Durante a Idade Média, a cura em hospitais era auxiliada pela leitura da Bíblia e, no Cairo, ocorriam como método terapêutico suplementar às leituras do Corão. Outros relatos revelam que na primeira guerra mundial foram criadas bibliotecas em hospitais de campanha, situação que se repetiu durante a segunda guerra mundial, quando os médicos que acompanhavam as tropas americanas, perceberam que os soldados tratados com a biblioterapia se recuperavam mais rápidos dos traumas.

A biblioterapia deve ser realizada por um biblioterapeuta, ou seja, os profissionais, como bibliotecários, psicólogos, psiquiatras, profissionais da área de educação e assistentes sociais com formação e habilidades terapêuticas e um vasto conhecimento sobre literatura para buscar e recuperar livros verdadeiramente transformadores.

A leitura é libertadora e auxilia a psique a encontrar o equilíbrio necessário para dosar as situações cotidianas com o real peso que realmente representam. Se espelhar em personagens que sofrem das mesmas dificuldades e conseguem romper os obstáculos é uma forma eficaz de estimular as pessoas a encontrarem soluções para os seus problemas, melhorando a qualidade de vida e a gestão da emoção.

12 jun 2019

Como escolher os seus cosméticos amigos do ambiente

sabonete

As preocupações com o meio ambiente são cada vez maiores e a consciência ambiental também. Por isso, cada vez mais, muitas marcas fazem um esforço para conquistar a confiança dos consumidores no que diz respeito à sua qualidade e impacto ambiental.

O mundo dos cosméticos sempre foi um setor envolto em suspeição dos químicos usados, e no quão mal fariam ao meio ambiente. Alem das substâncias usadas, as embalagens, aplicadores e auxiliares (como microesferas de plástico) acabam por contribuir para um aumento dos resíduos gerados.

Para enfrentar este problema, surgiram os cosméticos amigos do ambiente, que são produzidos utilizando substâncias naturais, e todos os aspetos que envolvem a sua produção e comercialização respeitam o meio ambiente.

Mas possuírem na sua constituição substâncias naturais não é tudo. Se estas são obtidas através de processos que danificam o meio ambiente, o prepósito perde-se. É necessário que estas substâncias sejam obtidas por processos naturais, sem uso (intensivo) de pesticidas, herbicidas ou outros meios que danifiquem o meio ambiente. Assim sendo, o produto só poderá ser considerado se for constituído no mínimo por 95% de ingredientes de origem natural, provenientes de agricultura biológica e sem a adição de sintéticos, parabenos, silicones, corantes ou perfumes.

Cuidado é também necessário na embalagem do produto e no empacotamento. O produtor até pode ser embalado em um embalagem biodegradável, mas se, por exemplo, no processo de transporte for empacotado em plástico não biodegradável, continuará a ter um efeito sobre o meio ambiente, ao gerar resíduos. Alem disso, alguns processos poderão não ser claros na dimensão da mitigação do impacto ambiental. Por exemplo, podem ser usados materiais reciclados, mas o processo de reciclagem em si pode ser danoso para o meio ambiente.

Por fim, não podemos ainda esquecer a questão dos testes animais dos cosméticos. Se foram testados em animais, não poderão ser considerados como amigo do ambiente. Os cosméticos amigos do ambiente costumam denunciar na embalagem que não foram testados em animais.

Olhando para a embalagem, nomeadamente para a lista de ingredientes, deverá procurar por alguns ingredientes que denunciam o produto como sendo ou não de origem orgânica. Estes são os parabenos, o formaldeído, os ftalatos, a vaselina, o talco, os polietilenoglicois, o fenoxietanol, triclosan, as dioxanes, o lauriléter sulfato de sódio, a trietanolamina (TEA), dietanolamina (DEA) e etanolamina (MEA).

Para alem da salvaguarda do meio ambiente, tem vantagens para o utilizador. A utilização destes cosméticos tem como vantagem a redução dos riscos de alergia, nomeadamente em pessoas cuja pele é mais sensível. Alem do mais, devido às altas concentrações dos princípios ativos, tenderão a ser mais eficazes na sua ação.

Por outro lado, nem tudo é bom nos cosméticos amigos do ambiente. O seu preço costuma ser mais alto em resultado dos processos naturais envolvidos, e o prazo de validade mais curto, pois não são usados produtos químicos para aumentar a sua longevidade.

Contudo, as vantagens superam as desvantagens, pois será benéfico para si a longo prazo, não só pela eficácia do produto, mas também pela contribuição em preservar o meio ambiente. Faça também parte da mudança pelo um mundo onde existe simbiose entre a beleza e a natureza!

Página 2 de 199123456... 199Próximo