Posts de Adriana Santos
10 jun 2019

Natura é a marca mais lembrada em estudo sobre empoderamento feminino

Arquivado em Beleza, Comportamento

pesquisa-natura-marca-empoderamento-header-desktop

O que uma marca de beleza pode fazer por uma mulher? Pode mostrar para o mundo toda a força e a beleza que toda mulher tem. Comprometidos com essa causa de impacto social, que reflete os tempos atuais, a Natura foi a marca mais citada entre as empresas que levantam a bandeira do empoderamento feminino, em um levantamento recém-realizado pela empresa de tecnologia especializada em soluções digitais de pesquisa MindMiners.

O estudo intitulado “A importância de falar sobre empoderamento feminino” tinha como principal objetivo identificar se o termo e seus desdobramentos referentes a questões vividas atualmente pelas mulheres se tornaram efetivamente conhecidas pela sociedade. Liderado por Katlyn Mallet, analista de comunicação, ele contou com a participação de 640 mulheres e 360 homens do país.

Representatividade e empoderamento

Entre os dados divulgados, a representatividade foi um dos tópicos mais significativos, já que para 64,8% das participantes é inspirador ver figuras femininas em cenários sociais (como em cargos de liderança ou na política). Por outro lado, elas chamaram atenção para o fato de mulheres gordas, negras e idosas serem as menos representadas pela mídia.

Quando o assunto foi empoderamento feminino, 41% das entrevistadas afirmaram conhecer marcas que levantam essa bandeira. Entre as cinco destacadas, fomos a mais citada.

Padrões de beleza também apareceu entre os temas abordados pela pesquisa. Enquanto 87% das mulheres já ouviram comentários sobre aparência que incomodaram ou magoaram, 35% dos homens ainda acreditam que as mulheres precisam ser “femininas e delicadas”.

Profissão para homem e para mulher

À medida que a pesquisa foi direcionada para o ambiente de trabalho, o que se observou foi um cenário ainda pautado por estereótipos de gênero. Cerca de 65% das mulheres e 66% dos homens acreditam existir profissões definidas para homens e para mulheres. Segundo Katlyn, em entrevista ao site Propmark, isso se deve a definições de gênero definidas desde a infância, na escolha dos brinquedos para meninos e meninas. “Isso constrói uma ideia de profissões que elas acreditam que devam seguir”, explicou.

30 maio 2019

Cresça com o Google tem público recorde em BH

Arquivado em Cidade, Comportamento

IMG_9450

Pessoal, participei durante dois dias (28 e 29/05), no Expominas, de um dos eventos mais concorridos de Belo Horizonte: “Cresça com o Google” – um projeto ousado de treinamento digital para plateias gigantescas. O público recorde até o momento foi na capital mineira com aproximadamente 12 mil pessoas.

Escolhi dois treinamentos do meu interesse: Marketing Digital e Treinamento Ferramentas Google para jornalistas

No Treinamento de Marketing Digital, os participantes aprenderam sobre conceitos básicos de marketing digital incluindo temas como estratégia, websites, links patrocinados, mídias sociais, ferramentas e soluções digitais do Google. Achei um pouco monótono e superficial, apesar da exibição de vários vídeos curtos durante a apresentação. Foram quatro horas de exposição sem intervalos.

Os jornalistas e estudantes de Comunicação também tiveram a oportunidade de conhecer as várias ferramentas gratuitas do Google: busca avançada para apurar pautas, Google Maps para visualização de dados geográficos, busca reversa para verificação de imagens e muito mais. Além disso, os produtores de conteúdo digital aprenderam a conhecer a própria audiência, analisando dados do Google Analytics, e também como desenvolver fontes de receita. Foram apresentados alguns truques para enriquecer sites e e acelerar o fluxo de trabalho com ferramentas gratuitas. Achei sensacional a apresentação do coordenador Google News Lab do Brasil, Marco Túlio Pires. Saiba mais: TREINAMENTO GOOGLE PARA JORNALISTAS

O evento teve como “mestre de cerimônia” a jovem paulistana, Maira Medeiros, idealizadora do canal no youtube “Nunca Te Pedi Nada”, com a marca exitosa de 1.552.645 inscritos até o momento.

Separei alguns dados importantes, Confira:

O Google é o primeiro site de busca do planeta – seguido do Youtube com cerca de 98 milhões de acessos;

Tempo ideal para carregar um site: de 2 a 3 segundos;

90% do conhecimento do mundo foi produzido nos últimos 2 anos;

Segundo Marco Túlio Pires, coordenador Google News Lab do Brasil, são mais de três bilhões de buscas, por dia, no Google Trends;

96% das pessoas pesquisa na internet, antes escolher uma empresa ou fazer qualquer tipo de contato;

93% das pessoas visitaria ou entraria em contato com uma empresa que tem destaque na mídia;

66% das pessoas considera o site de uma empresa essencial na hora optar pela compra ou serviço;

80% dos usuários acessa sites das regiões que estão próximas.

27 maio 2019

A enxaqueca é a sexta doença mais incapacitante no mundo, segundo OMS

Arquivado em Comportamento, saúde

ENXAQUECAA dor é tão forte que muitas pessoas não conseguem sequer levantar da cama. Esse é um dos comentários mais frequentes de quem sofre com a enxaqueca. Sentir dor de cabeça já é muito ruim, imagina conviver com a doença acompanhada de sensibilidade à luz, ao som, aos movimentos corporais e ainda sentir náuseas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a enxaqueca é a 6ª enfermidade mais incapacitante no mundo. A doença ataca cerca de 30 milhões de pessoas e, como consequência, existe ainda o impacto social e emocional, afetando o dia a dia das pessoas, como por exemplo, a diminuição de desempenho e a ausência ao trabalho.

Segundo a Dra. Anna Paula Batista de Ávila Pires, otorrinolaringologista do Hospital Felício Rocho, quem sofre com enxaqueca tem consciência que não se trata apenas de uma simples dor de cabeça. É um desequilíbrio químico do cérebro e pode causar uma série de sintomas. “O mais comum é a dor latejante ou pulsátil em um dos lados da cabeça, acompanhada de enjoo e vômito. Também há intolerância à luz, cheiro e barulhos, além de tontura e até mesmo vertigem, podendo ser confundida com uma doença do labirinto”, explica.

A doença é classificada como crônica, quando ocorre por mais de 15 dias ao longo do mês. Ela está associada a diminuição significativa da qualidade de vida e as crises costumam levar ao afastamento do trabalho, além de queda de produtividade.

Ainda de acordo com a Dra. Anna Paula, por ser uma doença bioquímica do cérebro com um forte componente genético, a enxaqueca ainda não tem cura. “Ela pode ser controlada com alimentação adequada, atividades físicas regulares e medicamentos corretos”, diz.

A enxaqueca pode aparecer em qualquer faixa etária, mas o índice é maior em mulheres jovens, em vítimas de trauma na cabeça ou região cervical, em pessoas que abusam de analgésicos, cafeína, açúcar e passam longos períodos em jejum.

Página 3 de 1991234567... 199Próximo