Categoria "Alimentação e Nutrição"
02 dez 2019

Unicef: mortalidade infantil tem redução histórica no Brasil

Imagem Google

Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil São Paulo – com edição. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef)  produziu um relatório que confere ao Brasil reconhecimento por ter melhorado, ao longo dos anos, índices como o da mortalidade, do trabalho infantil, além da exclusão escolar.

Conforme o Unicef, de 1990 a 2017 registrou-se “redução histórica” no total de mortes de crianças menores de um ano de idade. No período, a taxa nacional caiu de 47,1 para 13,4 a cada 1 mil nascidos vivos. Além disso, entre 1996 e 2017, 827 mil vidas foram salvas.

A queda nos índices de cobertura vacinal, adverte o Unicef, tem sido porta de entrada para doenças que eram, até recentemente, consideradas erradicadas, como o sarampo. “Em 2016, a mortalidade infantil subiu pela primeira vez em mais de 20 anos e ainda não voltou aos patamares de 2015, acendendo um sinal de alerta. No total, 42 mil crianças menores de 5 anos ainda morrem por ano no Brasil”, informa o fundo da ONU no relatório.

A representante do Unicef no Brasil, Florence Bauer, afirma que o país deve consolidar os avanços já conquistados até agora, voltando a atenção para a primeira infância e a adolescência. “Os indicadores, em sua maioria, são piores no Nordeste e no Norte do país. E piores entre as populações indígena, parda e negra”, diz.

Florence exemplifica seu argumento comentando que não basta manter escolas, mas também garantir que todos possam chegar a elas, em especial as crianças em situação de vulnerabilidade social. “Por isso é que é preciso que as políticas, mais do que nunca, tenham um enfoque de equidade, não sendo suficiente dar as mesmas oportunidades para todos. O que a gente precisa é de políticas que permitam que qualquer criança e adolescente tenha acesso a essas mesmas oportunidades. Por exemplo, não é suficiente que uma escola exista, porque tem uma parte da população que tem que ir atrás, não vai ter oportunidade de chegar.”

A mandatária comenta que a contribuição da convenção consiste em fortalecer a noção de que os direitos das crianças e dos adolescentes são “inegociáveis e indissociáveis”. Única instituição citada nominalmente no tratado, o Unicef, relata Florence, tem conclamado os presidentes dos países signatários a “reafirmar o compromisso” com os princípios ali colocados.

Índice de violência

A alta incidência de homicídios de adolescentes é outro ponto abordado no documento. O Unicef destaca que, entre 1990 e 2007, o total de ocorrências dessa natureza mais do que dobrou.

“De 1996 a 2017, 191 mil crianças e adolescentes de 10 a 19 anos foram vítimas de homicídio”, informam os autores do relatório, acrescentando que, a cada dia, em média, 32 meninas e meninos nessa faixa de idade são assassinados.

Nos municípios paulistas, somente na década encerrada em 2017, destaca o documento do Unicef, 8.200 crianças e jovens nessa faixa etária foram assassinados. A taxa chegou a ser de 9,7 homicídios por 100 mil habitantes, há dois anos.

Imigrantes e saúde mental

Para o Unicef, outro ponto que deve integrar a agenda das autoridades preocupadas com a garantia dos direitos de crianças e adolescentes refere-se à acolhida de refugiados. Dos cerca de 200 mil venezuelanos que ingressaram no país até julho, 30% eram menores de idade.

O tema suicídio também figura no relatório do Unicef como uma das questões contemporâneas que requerem atenção. “Nos últimos 10 anos, os suicídios de crianças e adolescentes vêm aumentando no Brasil. Eles passaram de 714, em 2007, para 1.047, em 2017.

30 out 2019

Molho de tomate caseiro ajuda na prevenção de alguns tipos de câncer

Você sabia que o molho de tomate caseiro é uma receita antioxidante e anticancerígena que reforça a vitalidade do nosso organismo? Hummmmm! Além dos benefícios para a saúde, o preparo é perfeito para incrementar  macarrão e pizza.  Difícil alguém não gostar. Na minha casa, não pode faltar uns pacotes de molhos de tomates de uma marca preferida, mas agora resolvi apostar também nos métodos mais naturais e saudáveis.

Como adoro inventar, coloquei alguns ingredientes de peso da receita: alho, manjericão, azeite virgem, urucum, páprica picante e tempero com ervas finas. Graças aos temperos e aos diferentes ingredientes que adicionamos, podemos potencializar os benefícios do molho de tomate caseiro.

Para fazer um pote (imagem), gastei 4 tomates grandes sem sementes; uma colher de chá de urucum; uma colher de café de páprica picante; uma colher de sobremesa de alho triturado; folhas frescas de manjericão e azeite virgem de boa qualidade. Diferente de algumas receitas que encontrei na internet, prefiro tomates com pele e sem sementes (coloco na água e levo ao fogo por alguns minutos até praticamente derreterem). Coloco os ingredientes, logo após os tomates amassados, em uma panela com alho azeite e deixo ferver por alguns minutinhos. Pessoal, não sou cozinheira profissional. É apenas uma dica que agrada o meu paladar e ajuda a manter a saúde da minha família.

Confira os benefícios de cada ingrediente:  

Tomate. Protege o organismo de infecções bacterianas, assim como problemas digestivos e pulmonares, além de reduzir vários tipos de câncer.

Urucum. Reduz o colesterol ruim LDL sem alterar o colesterol bom HDL. Além de todos os benefícios a semente de Urucum mantém o metabolismo acelerado e facilita a perda de peso.

Páprica.  Auxilia na redução de marcas de expressão, manchas da idade, rugas, flacidez e melhora a aparência da pele.

Azeite.  Ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares, protege contra alguns tipos de câncer.  É rico em ácidos graxos monoinsaturados, principalmente o oleico (ômega-9), que possuem propriedades de reduzir concentrações sanguíneas de LDL (ou “mau” colesterol) e aumentar o HDL (“bom” colesterol).

Alho. É conhecido alimento medicinal, além de ser um tempero muito utilizado na culinária para potencializar o sabor. São vários os benefícios:  melhora a circulação e a saúde cardiovascular; depura o organismo de toxinas; protege diante dos radicais livres; aumenta as defesas; proporciona vitalidade; previne as doenças neurodegenerativas e o câncer.

Manjericão. É uma planta medicinal aromática deliciosa que ajuda no sono e no alívio da ansiedade. As propriedades são muitas: antiespasmódica, digestiva, vermífuga, antibacteriana, fungicida, inseticida, adstringente, cicatrizante, febrífugo, estimulante, anti-emético, anti-tussígeno e anti-inflamatória.

23 out 2019

Você já ofereceu comida caseira para o seu filho de 4 patas?

Meu filhote de 4 patas. O nome dele é Sol

Como muitos leitores do Blog Saúde do Meio já sabem, eu sou vegetariana há 7 anos e tento manter uma postura equilibrada sobre o assunto. Foi uma decisão consciente com bases na minha jornada espiritual de longos anos. Por isso, não tento impor as minhas preferências alimentares, nem mesmo para o meu filho adolescente. Ele consome carne e outras proteínas de origem animal. É claro que o meu doguinho chamado Sol também não está na lista dos vegetarianos da família.

No entanto, lá em casa, procuro oferecer uma comidinha caseira balanceada feita com muito amor para todos. Até o meu filho de quatro patas é beneficiado, principalmente porque ele desde pequenino apresenta problemas intestinais.  É um sufoco. Já tentei trocar de ração várias vezes, mas o problema persiste. Até que eu ofereci angu sem sal (nem temperos) com um pouco de sardinha. Sol amou a novidade. Foi um milagre.  No outro dia, as fezes estavam mais endurecidas. Desde então, procuro incluir no cardápio uma comidinha caseira.

Conversei com a médica veterinária nefrologista, Juliana Baldassarri Bizzarri, sobre os cuidados na hora de optar pela comida caseira. Veja:

Adriana Santos:  É possível uma alimentação caseira para cães, sem perda de nutrientes?

Juliana B. Bizzarri: A alimentação caseira é viável sim, principalmente para animais com restrições na dieta, mas sempre deve ser feita de acordo com a orientação do médico veterinário

Alimentação caseira ou ração?

Eu particularmente prefiro a ração, por sua praticidade e especificações para algumas raças e doenças específicas

Quais os benefícios da ração?

A ração é um alimento balanceado e específico para cada espécie e manutenção da saúde dos animais

Quais os benefícios da alimentação caseira?

A alimentação caseira é excelente para alguns animais que tem restrições alimentares como doenças e alergias, mas ela deve ser muito bem elaborada levando em conta a individualidade de cada indivíduo

Quais os alimentos proibidos para cães?

Cebola, alho, frutas cítricas, uva, carambola e abacate, principalmente

Quais os cuidados na hora de preparar a comida caseira para os cães?

Principalmente seguir as orientações do veterinário e suplementar adequadamente para cada indivíduo

Um cão pode ser “vegetariano”?

Os cães são animais onívoros, isso significa que eles necessitam da proteína de origem animal para garantir alguns nutrientes essenciais para boa saúde do organismo

Quem alimenta os cães com comida caseira, precisa oferecer suplementos de vitaminas aos animais?

A alimentação caseira deve ser sempre suplementadas com suplementos específicos para cada um de acordo com as necessidades de cada indivíduo

Considerações finais

Alimentação natural está em alta e na moda, mas pode ser perigoso para a saúde do cão se não for muito bem orientada pelo médico veterinário.

Página 1 de 1112345... 11Próximo