Categoria "Alimentação e Nutrição"
13 mar 2021

Como fazer uma deliciosa geleia de manga com mamão e gelatina de abacaxi

Arquivo pessoal

Amo geleias caseiras de frutas, desde criança. São tantas receitas irresistíveis preparadas com:  goiaba, morango, amora,  laranja, limão…  A dica é sempre aproveitar as ofertas de cada mês. Em março, a estação favorece a produção das seguintes frutas: abacate, caqui, coco, kiwi, laranja, limão, maça e mamão. Delícia! A natureza sempre nos presenteia com o que há de melhor.

As geleias têm várias utilidades na culinária. As delícias podem ser usadas em pães, torradas e recheios de bolo ou tortas geladas. No preparo, prefiro sempre usar os produtos orgânicos. São mais saudáveis e aromáticos.

Resolvi testar uma receitinha de geleia. Gente, o negócio ficou bom demais da conta. Anote aí:

Ingredientes:

1 mamão pouco maduro

1 manga pouco madura

Duas xícaras de açúcar orgânico

1 caixinha de gelatina de abacaxi

Como preparar:

Lave bem as frutas

Corte as frutas em pedacinhos

Coloque para cozinhar na água filtrada (cerca de meio litro) com 1 copo de açúcar orgânico e uma pitada de canela

Amasse as frutas até virar uma pasta cremosa (na panela mesmo)

Retire o excesso de água, se necessário (utilize uma peneira)

Coloque a quantidade de uma caixinha de gelatina de abacaxi em um copo de água quente e filtrada. Dissolva a gelatina e coloque para ferver junto com as frutas

Em outra panela coloque 1 copo de açúcar orgânico até virar um caramelo e coloque o preparado de frutas

Cozinhe por mais um tempo

Rendimento:

Dois potes de geleia (tipo industrial)

Confira as propriedades medicinais da manga e do mamão:

Manga

A manga é uma aliada do intestino. A fruta possui fibras, antioxidantes, vitaminas, cálcio, zinco, potássio, ferro e magnésio. Entre os benefícios, destacam-se: melhorar a imunidade, contribuir com a saúde cardíaca e aliviar a constipação

Mamão

O mamão melhora o trânsito intestinal; facilitar a digestão; mantem a saúde da visão; ajuda a prevenir a cegueira noturna e atrasar a deterioração da visão relacionada com a idade; fortalecer o sistema imunológico; ajuda no funcionamento do sistema nervoso; ajuda na perda de peso, pois possui poucas calorias e é rica em fibras; evita o envelhecimento prematuro; pode ajudar a eliminar toxinas do fígado devido à sua ação antioxidante.

12 mar 2021

Saiba mais sobre as maravilhas do açafrão para fortalecer o sistema imunológico

Sou simplesmente apaixonada pelo sabor marcante do açafrão-da-terra ou cúrcuma. É um dos alimentos funcionais que não pode faltar na minha cozinha. Logo pela manhã, em jejum, tomo 200 ml de água geladinha, 1 colher de chá de açafrão e um limão espremido. Que maravilha!! A bebida provoca uma sensação tão boa e os benefícios da receitinha são muitos: anti-inflamatório, antioxidante, antisséptico, cicatrizante e, ainda, ajuda no controle da depressão e fortalece o sistema imunológico do nosso organismo.

Na verdade, uso o açafrão com frequência, como, por exemplo, na água que eu preparo o macarrão; nos molhos com creme de leite, no arroz e nos chás. A cor já chama atenção e o cheirinho é sensacional.  Fica tudo muito irresistível com uma pitada de açafrão.

Conversei com a nutricionista vegetariana Mônica Vitorino (Julho/2018) sobre os benefícios do açafrão. Confira:

“O açafrão é uma planta medicinal que tem como princípio ativo a curcumina que é a substância que fortalece o sistema imunológico e ajuda estabilizar a microbiota do corpo. A microbiota é hoje o nome dado a flora intestinal e que tem uma série de funções muito importantes para imunidade. O açafrão tem também ação na resposta ao estresse que tem relação com a imunidade. Quanto mais estresse, menos imunidade.

A cúrcuma exerce também um papel importante na proteção e desintoxicação do fígado, retirando as substâncias químicas tóxicas, aumentando a imunidade e protegendo o organismo dos efeitos de muitos poluentes.

Podemos usar o açafrão ou cúrcuma ao cozinhar legumes, ao fazer arroz, além de preparar vitaminas.  Podemos também usar a raiz no preparo do feijão, molhos e até colocar em maionese para dar cor. Age na culinária como se fosse um colorau amarelo. Quando cozinhamos junto com os alimentos, podemos perceber uma melhora na digestão de gorduras e proteínas. As pessoas com cálculos biliares, mulheres grávidas e mulheres que amamentam devem consultar um nutricionista antes de usar”.

17 nov 2020

A obesidade é um fator de risco para câncer da próstata

Imagem Google

Por: Daniel Xavier Lima, médico Urologista e coordenador da urologia do corpo clínico do Biocor Instituto

O câncer da próstata é o segundo mais frequente entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. A a importância do diagnóstico precoce já está bem estabelecida na sociedade, tanto pela frequência com a qual a doença ocorre, quanto pelas campanhas de conscientização. O Novembro Azul, que tem lugar de destaque dentre essas campanhas em todo o mundo, objetiva renovar essa consciência e eliminar o preconceito contra a realização dos exames de rastreamento, especialmente o exame de toque retal.

Estima-se que de todos os homens vivos hoje, em torno de 1 em cada 7 (15%) apresentarão a doença em algum momento e aproximadamente 1 em cada 38 (2,6%) irão falecer em decorrência dela. Em todo o mundo, a partir da década de 1990, momento em que o exame de sangue com a dosagem do PSA (antígeno prostático específico) passou a ser feito de forma rotineira, ocorreu uma queda significativa na mortalidade. Embora existam algumas controvérsias a respeito da necessidade de se rastrear todos os homens, devido à possibilidade de serem diagnosticados tumores indolentes, que não causariam a morte do paciente, a seleção dos pacientes que precisam ser tratados a partir dos dados do diagnóstico inegavelmente traz benefícios para o controle da doença e reduz a mortalidade.

Sabe-se que o rastreamento do câncer da próstata encontrou uma resistência a partir de resultados conflitantes da literatura na década passada, havendo uma redução da sua realização em vários locais do mundo, especialmente nos EUA. Lamentavelmente, observou-se um aumento do número dos casos de câncer da próstata metastático (quando já há disseminação para outras partes do corpo e não há possibilidades de cura) nesses últimos anos, especialmente nos pacientes de cor negra, que apresentam maior incidência da doença.

Embora o rastreamento do câncer da próstata permita um diagnóstico precoce e um tratamento mais eficaz, ele não impede que a doença venha a se estabelecer. Essa é uma questão crucial quando é discutido o termo “prevenção” contra o tumor prostático. Sabemos que os fatores de risco envolvem questões genéticas, para as quais ainda não podemos agir, além de fatores relacionados aos hábitos, que podem ser modulados.

Dentre esses fatores de risco, a obesidade é uma situação que tem trazido discussões. Sendo uma ocorrência comum em homens de meia-idade, quando o câncer da próstata também é bastante frequente, a gordura corporal em excesso é comprovadamente relacionada ao maior risco de câncer colorretal e de mama, dentre outros. Acredita-se que dos tipos de câncer associados à obesidade, cerca de ¼ deles poderiam ter sido evitados se a prevalência de pessoas obesas no mundo não tivesse dobrado desde 1980.

Grandes estudos prospectivos correlacionaram a obesidade com maior risco de câncer de próstata mais agressivo. Também foi encontrada maior mortalidade nos pacientes obesos tratados com radioterapia e cirurgia. Fatores hormonais podem estar implicados, além de dificuldades técnicas para o tratamento. Em estudos experimentais com modelos de câncer da próstata em camundongos, também se observa crescimento acelerado do tumor nas situações em que a obesidade está presente.

Curisosamente, a obesidade reduz os valores séricos do PSA, provavelmente por efeito dilucional, reduzindo então a possibilidade do exame se mostrar alterado nas fases iniciais do câncer da próstata. Pelas mudanças das dimensões corporais, o exame do toque retal também pode se mostrar prejudicado. Esses podem ser outros fatores que resultam nos piores resultados do tratamento desse tumor nos pacientes obesos.

Somando-se a essas evidências, há também correlação entre a ingestão elevada de gordura animal e o risco do câncer de próstata. Esses fatos corroboram a recomendação universal de que a adoção de hábitos de vida saudáveis, a prática de atividade físicas e a alimentação saudável são armas fundamentais para a verdadeira prevenção dos tumores malignos. No caso do câncer da próstata, recomenda-se também a visita periódica ao urologista, que da mesma forma é uma medida de manutenção da saúde.

Página 1 de 1212345... 12Próximo