Categoria "Cidade"
01 jul 2019

Procon Assembleia divulga a lista dos dez assuntos mais reclamados

Arquivado em Cidade, Comportamento

Imagem Google

O número de reclamações registradas no Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) chegou a 2.789 no primeiro semestre de 2019. A liderança no ranking é do setor de telefonia (celular e fixa), com 416 queixas, seguida por outro segmento das telecomunicações, o chamado “combo”, que reúne os três tipos de serviços – TV por assinatura, internet e telefonia (378 reclamações).

Na comparação com o mesmo período de 2018, percebe-se nesse ranking um aumento percentual da telefonia, que subiu de 12,03% para 14,92%. Da mesma forma, o “combo” passou de 11,38% para 13,56%. Em contrapartida, os serviços ligados ao setor financeiro registraram menor participação percentual no primeiro semestre, comparando-se com 2018. O item “Cartão de crédito (incluindo acordos)” baixou de 9,31% para 7,86%, enquanto que o tema “empréstimo consignado e pessoal” passou de 10,45% para 6,32% no primeiro semestre.

A tabela a seguir contém os dez assuntos mais reclamados no 1º semestre de 2019.

Ranking de reclamações por assunto – Primeiro semestre 2019

Período: 1/1 a 30/6

Posição

Assunto

Número de reclamações

(%)

1 Telefonia celular e fixa 416 14,92
2 Combo (telefonia, TV por assinatura, internet) 378 13,56
3 Cartão de crédito (incluindo acordos) 219 7,86
4 Empréstimo consignado e pessoal 176 6,32
5 Eletrodomésticos e eletroeletrônicos 161 5,78
6 Aparelhos telefônicos 126 4,52
7 Companhias aéreas/passagens aéreas 66 2,37
8 Estabelecimentos de ensino 65 2,33
9 Móveis, armários, cozinhas planejadas 58 2,08
10 Editoras (revistas, jornais, assinaturas) 54 1,94
17 jun 2019

BH recebe o maior complexo de saúde de Minas Gerais

Arquivado em Cidade, Comportamento

internet-3695

Inspirado nos mais modernos e completos medical centers do mundo, o Medplex é  um espaço de referência desenvolvido com o intuito de oferecer uma estrutura inteligente aos profissionais de saúde. Com projeto inovador e diferenciado na capital mineira, localizado no bairro Santo Agostinho, a iniciativa permite que médicos, dentistas e outros profissionais da área exerçam suas atividades sem necessidade de reformas ou ajustes estruturais, já que todo o projeto foi pensado para atender a área médica de forma específica. Além do espaço para consultas particulares de cada profissional, o complexo também conta com salas de reunião e auditório. O projeto arquitetônico é assinado pelo renomado escritório Farkasvölgyi Arquitetura.

Construído em um terreno de 4.536m², que ocupa um quarteirão inteiro, o Complexo de Saúde conta com 136 consultórios e clínicas de 27 a 1.002m², 11 lojas com tamanhos que variam de 71m² a 241m², com estacionamento nas portas e 382 vagas no sistema rotativo com manobristas. “É um empreendimento exclusivo, com projeto único, que oferece aos profissionais da área o que há de melhor e mais avançado no segmento”, comenta Lucas Couto, diretor comercial e de marketing da Patrimar.

Mais do que um complexo equipado e preparado para receber profissionais e pacientes, o Medplex oferece um conceito moderno e eficiente que irá melhorar ainda mais o serviço de saúde e cuidados básicos na capital mineira, localizado em uma área privilegiada, próximo aos principais prestadores de serviços na área da saúde, dentre eles cinco dos mais importantes hospitais da cidade.

No espaço, médicos e pacientes terão garantida a tranquilidade e segurança para a realização de consultas e exames. O acesso aos consultórios e áreas de serviço é controlado por catracas, com a identificação dos visitantes na portaria, garantindo a segurança de todos que circulam pelo complexo. Além disso, o acesso pelas garagens é feito através de elevadores de baldeação.

O complexo disponibiliza ainda uma equipe de profissionais para prestar serviços exclusivos para facilitar o dia a dia. Concierge e serviço de manobrista estão inclusos no condomínio. Os serviços pay-per-use (cobrados conforme utilização) incluem limpeza geral das unidades, atendimento de recepcionistas e auxiliar de enfermagem, suporte de informática (para pequenos reparos de software e hardware), motoboy e serviços de eletricista, hidráulico e chaveiro.

13 jun 2019

Você já foi vítima de maus-tratos no consultório odontológico? Eu fui…

Arquivado em Cidade, Comportamento

Medo-e-fobia-a-dentistas-são-coisas-do-passado-BH-Mulher-1200x545_c

Quando entrei no consultório dele pela primeira vez, há 15 dias, achei estranho o tal Dr. G. usar a máscara cirúrgica ao me receber.  Não pude ver com detalhes o rosto daquele jovem dentista que iria fazer uma pequena cirurgia de retirada de gengiva ao redor do meu dente – para que uma restauração pudesse ser feita. Achei o comportamento dele inadequado, apesar da aparente tranquilidade e da voz de uma nota só… Confesso, que Dr. G me deixou muito tensa com a forma impaciente de manipular a minha boca e dizer, a todo momento, para que eu não dobrasse as minhas pernas e afastasse a minha língua dos dentes o máximo possível.  A cirurgia foi concluída. Uffa!!! No entanto precisava retornar ao consultório para a colocação da peça de resina, após duas semanas, se a gengiva estivesse recuperada.

Como agendado, voltei ao consultório odontológico do Dr. G, na região central de Belo Horizonte, em um velho prédio da Rua Paraná, para a finalização do procedimento. Minha gengiva estava aparentemente cicatrizada. Ele me disse que precisava usar o “tal motorzinho irritante”. Disse a ele para anestesiar o local, com o objetivo de evitar qualquer tipo de dor.  Dr. G disse que não tinha necessidade, porque meu dente não “tinha nervinhos” (tinha sido feito canal). Confiei. Fiquei um pouco incomodada, mas, realmente, não senti dor na região. No entanto, percebi que ele empurrava a minha língua de forma violenta e dizia irritado: “vou acabar cortando a sua língua”… “você não tem boa abertura de boca”… “sua boca é pequena”…  Dr. G disse isso várias vezes… o que me deixou muito tensa. Não sabia o que fazer… Nunca ninguém tinha me dito que minha boca é pequena, sem abertura. Então, ele me disse que iria anestesiar o local para que a língua ficasse quieta… Achei muito estranho…  Disse ao dentista que não sentia dor no dente ou na gengiva, mas que não estava gostando da forma como ele manipulava de forma violenta a minha boca: “se o senhor fizer o serviço com mais cuidado, não será necessário, com certeza”, disse respeitosamente. Foi aí que senti o “motorzinho” atingir a minha língua, provocando um corte que jorrou muito sangue. Fiquei totalmente apavorada, porque senti que foi proposital… Ele deu um sorriso irônico… Tive vontade de correr do consultório… Pedi que um outro profissional terminasse o procedimento… Com o comportamento totalmente “tranquilo e sereno” ele chamou a esposa – que é sócia/dentista no consultório do casal. Lá também se faz procedimentos estéticos… Ela terminou de forma rápida e sem dor a restauração. E também não pediu insistentemente que eu afastasse a língua ou não dobrasse as pernas…

Fiquei arrasada…  com muito medo… com muita dor na língua. Ainda tenho dor na região da língua.

Resolvi compartilhar a minha história, porque os maus-tratos praticados em consultórios odontológicos ou médicos são realidades em nosso país. Provar que foi vítima de maus-tratos ou negligência médica também não é uma tarefa fácil, mas é possível.  É muito importante que os pacientes/clientes verifiquem se os profissionais estão registrados no CROMG. Para isso, podemos consultar o Conselho de Minas Gerais pelo telefone (31) 2104-3000 ou pelo site, no link Conselho Regional de Odontologia.

Algumas das suas dúvidas também podem ser encontradas no link Dúvidas Frequentes

Principais ações do CROMG contra ilegais, em  2019

11 de janeiro de 2019

Prisão em flagrante de ilegal da odontologia atuando na cidade de Betim.

18 de janeiro de 2019

A equipe da Fiscalização flagrou uma ASB fazendo manutenção ortodôntica em uma menor de idade em uma clínica no bairro Alípio de Melo.

29 de janeiro de 2019

Após concessão de medida liminar em Ação Civil Pública proposta pelo CROMG, a Prefeitura de São Thomé das Letras suspendeu o Concurso Público n° 001/2018.

A decisão foi embasada em pedido feito pelo CROMG de que o Edital fosse adequado ao piso salarial estabelecido pela Lei 3.999/61. O pedido foi aceito pela Justiça Federal de Varginha que determinou a suspensão do Concurso.

4 de fevereiro de 2019

Interdição de consultório odontológico em BH por estar em conformidade com as normas de biossegurança.

7 de fevereiro de 2019

Interdição por falta de esterilização adequada, medicamentos vencidos, materiais reaproveitados equipamentos em más condições e risco eminente do gesso abalado desabar sobre o profissional e pacientes.

12 de fevereiro de 2019

A fiscalização do CROMG esteve presente no Centro de Especialidades Odontológicas, na cidade de Juiz do Fora, para realização de uma vistoria técnica. O local foi encontrado com irregularidades tais como falta de teste biológico e químico na esterilização. A estrutura apresentava mofo e falta de ventilação adequada. Foi dado um prazo para que o Centro regularize a situação do local onde são atendidos os pacientes da cidade

8 de maio de 2019

A equipe do CROMG, em ação conjunta com a Polícia Civil, executou um pedido de busca e apreensão no consultório e residência de um falso dentista, o sr. Sebastião Lourenço. Ele foi flagrado atuando em um consultório em outubro do ano passado, mas fugiu durante a operação. Posteriormente, chegaram denúncias ao CROMG que mesmo tinha voltado às atividades ilegais e, inclusive, havia causado lesão corporal grave em pacientes.

Página 4 de 671 ...12345678... 67Próximo