Categoria "Cidade"
02 fev 2016

Veterinário é impedido pelo CRMV de cuidar gratuitamente de animais em São Paulo

Arquivado em Cidade, Direito Animal
veterinario2

Reprodução/Facebook

O veterinário Ricardo Fehr, 39 anos, começou no último (23/01) a realizar o sonho de ajudar animais cujos donos não podem pagar por consultas. A ação voluntária, que reúne a família dele em sua clínica veterinária, iniciou o atendimento de cães e gatos gratuitamente na cidade de São Carlos, em São Paulo.

Para divulgar a ação para o maior número de pessoas possível, ele decidiu fazer um vídeo e publicar em seu perfil do Facebook. A postagem foi compartilhada e chegou a mais de 2 milhões de visualizações.

Só que a repercussão foi tanta que o veterinário recebeu a visita de um fiscal do Conselho de Medicina Veterinária de São Paulo. A instituição considerou que a iniciativa não é de “utilidade pública” e que fere o código de ética da categoria.

Este é o Artigo citado pelo CRMV:

Art. 21. Ao médico veterinário não é permitida a prestação de serviços gratuitos ou por preços abaixo dos usualmente praticados, exceto em caso de pesquisa, ensino ou de utilidade pública.

Parágrafo único. Casos excepcionais ao caput deste artigo deverão ser comunicados ao CRMV da jurisdição competente.

O veterinário filmou o momento que ele foi notificado pela fiscal do CRMV. Ele fez um desabafo nas redes sociais. Confira:

DESCUPEM ESSE DESABAFO !!INFELIZMENTE , NAO PODEREI MAIS REALIZAR OS ATENDIMENTOS GRATUITOS AOS SÁBADOS , POR ENTENDEREM QUE ESSE TIPO DE SERVIÇO NÃO É DE UTILIDADE PÚBLICA, PEÇO QUE ASSISTAM O VÍDEO DO MOMENTO EM QUE A FISCAL TENTA EXPLICAR PARA MEU ADVOGADO, O PORQUE DE EU NÃO PODER AJUDAR AS PESSOAS, COM O MEU DINHEIRO, E COM MEU TEMPO !! SE VOCÊ ACHA QUE ESSE TIPO DE SERVIÇO É DE UTILIDADE PÚBLICA, PEÇO QUE ASSISTA , CURTA E COMPARTILHE , VAMOS FAZER ESSE VÍDEO VIRAR UM ABAIXO ASSINADO DE TODOS QUE ACHAM QUE ESSE É UM SERVIÇO DE UTILIDADE PÚBLICA , VAMOS CONTINUAR LUTANDO POR UM MUNDO MELHOR PARA OS ANIMAIS CARENTES !!!NO PAIS DA CORRUPÇÃO AJUDAR O PRÓXIMO É PROIBIDO!!!!

Publicado por Ricardo Fehr Camargo em Segunda, 1 de fevereiro de 2016

01 fev 2016

Alfenas usa peixes no controle do Aedes aegypti

Arquivado em Cidade, Dengue, Meio Ambiente
PEIXE

Prefeitura de Alfenas

Em Alfenas, Minas Gerais, um peixinho de mais ou menos três centímetros tem sido um grande aliado no controle do Aedes aegypti. O peixe da raça Lebiste selvagem é colocado em grandes reservatórios de água e se alimenta das larvas e pupas do mosquito.

Volmir Maida, biólogo da prefeitura de Alfenas, conta que a solução é usada há muitos anos. “Em 1995, observamos que a prefeitura usava muito veneno para manter algumas piscinas abandonadas limpas. Começamos a pesquisar uma alternativa biológica para controlar estes ambientes. Como ele é pequeno, pode ser pode ser utilizado até em espelhos d´água”, explica.

O resultado satisfatório em piscinas levou a equipe da prefeitura a usar o peixe em outros locais em que existem focos do mosquito. “Os peixes tem nos ajudado, por exemplo, em algumas minas de água que surgem perto de nascentes, muito comuns no entorno da cidade. Principalmente agora, durante o verão, temos reforçado a distribuição”, conta Volmir.Alfenas peixe

O peixe pode ser uma excelente alternativa de prevenção para quem tem grandes reservatórios de água em casa, mas é necessário conferir se existem condições de vida para o animal. Calhas de água, por exemplo, não são locais adequados. “Tivemos alguns casos de pessoas que tinham um reservatório de água da chuva para regar, plantar ou para animais beberem. Os peixes podem ser utilizados nestas ocasiões”, exemplifica o biólogo. Mas atenção: eles não devem ser utilizados em reservatórios de água potável para evitar contaminação.

Mobilização – Além do uso dos peixes, a Secretaria Municipal de Saúde de Alfenas deu início a uma série de iniciativas que visam intensificar o plano de combate ao mosquito Aedes aegypti. A Vigilância Ambiental distribuiu aproximadamente 100 kits com materiais necessários para o trabalho dos agentes comunitários de saúde. Até o final e janeiro, 100% dos domicílios, instalações públicas, privadas e urbanas do município serão visitadas para a busca de focos do mosquito.

ATENÇÃO

Antes de colocar os peixes em reservatórios é necessário conferir se existem condições de vida para o animal. Calhas de água, por exemplo, não são locais adequados. Lembrando que eles não devem ser utilizados em reservatórios de água potável.

Fonte: Blog da Saúde

20 jan 2016

Caso Varginha comemora 20 anos hoje, mas Exército ainda nega as evidências

Arquivado em Cidade, Comportamento

Reprodução/Youtube

Por: Revista UFO

Caso Varginha, principal caso da Ufologia Brasileira e sem dúvida um dos mais importantes da Ufologia Mundial, completa 20 anos neste 20 de janeiro de 2016. São nada menos que duas décadas de pesquisa, revelações espantosas, descobertas impressionantes, muita polêmica e inúmeras versões oficiais desencontradas, além das sempre presentes negativas oficiais. Em 1996, quando se tornou evidente que algo de proporções monumentais acontecia no sul do estado de Minas Gerais, alguns dos principais ufólogos do país para lá se dirigiram, em um esforço para descobrir toda a verdade a respeito.

O descobridor do caso foi o advogado e então ainda pesquisador Ubirajara Rodrigues, morador de Varginha e que decidiu investigar os rumores de que uma estranha criatura havia sido avistada. Ele então entrou em contato com as primeiras testemunhas do caso, as jovens Kátia Andrade Xavier, Liliane Fátima da Silva e Valquíria Aparecida da Silva, que na tarde daquele dia 20 tiveram um estarrecedor encontro com um ser diferente de tudo que já haviam visto. De forma chocante, em 2009 Rodrigues renegou suas descobertas em uma bombástica entrevista, publicada nas edições 153 e 154 da Revista UFO. Contudo, de forma alguma o afastamento de seu primeiro pesquisador representou o fim do Caso Varginha.

Outro pesquisador, que havia se unido à numerosa equipe que realizou uma profunda investigação naqueles meses inesquecíveis, foi Marco Antonio Petit. Coeditor da Revista UFO, ele denunciou já em 2005, em artigo para a edição especial 34, Reabrindo o Caso Varginha, da Revista UFO, a existência de um Inquérito Policial Militar destinado a identificar e silenciar as testemunhas militares do incidente, e que viria inclusive a convocar os então principais pesquisadores do caso, Rodrigues e Vitório Pacaccini, para que apresentassem aos militares sua versão dos acontecimentos. Petit somente fez essas estarrecedoras revelações quando ficou patente que a investigação não avançava, e o descobridor do Caso Varginha parecia ter perdido o interesse no mesmo.

UFO3

Marco Petit

COBRANDO EXPLICAÇÕES DO EXÉRCITO

Ao longo de tanto tempo de investigação, Marco Petit sempre afirmou que parte das estarrecedoras descobertas que fez ainda não poderia ser revelada, por uma série de razões. Contudo, há pouco tempo esses motivos deixaram de se aplicar, e então o coeditor da Revista UFO anunciou que faria essas revelações. E o fez, em um dos maiores sucessos da Coleção Biblioteca UFO, seu mais novo livro, Varginha: Toda a Verdade Revelada. Conforme o próprio Petit explica: “No início de 1996, algo muito especial aconteceu no sul de Minas Gerais. Inúmeros testemunhos revelam a queda de uma nave alienígena e o recolhimento de sua tripulação ainda viva por forças militares. Depois do início de uma manobra de acobertamento dos fatos por essas mesmas forças, sob o comando do Exército, que parecia ter controlado as coisas e mantido tudo sob sigilo, a atuação dos principais investigadores do caso e falhas no processo de acobertamento permitiram que uma parte dos incríveis fatos fosse divulgada à imprensa naquela época”.

O coeditor da Revista UFO prossegue: “Mas, com o passar do tempo e a instauração de um Inquérito Policial Militar (IMP), que foi assumido por membros da inteligência do Exército que passaram a comandar a operação de acobertamento da recuperação do UFO acidentado e dos tripulantes ainda vivos, coisas misteriosas e sem explicação começaram a acontecer, deixando algumas importantes perguntas no ar: por que foi solicitado ao primeiro investigador do caso, após seu depoimento no IPM, que não revelasse sua existência? O que temia o Exército?”. O mesmo Exército que até hoje nega possuir informações quanto aos acontecimentos do sul de Minas Gerais naquele ano inesquecivel, alegando que a documentação se resume ao Inquérito Policial Militar (IPM), realizado pelo Exército nas dependências da Escola de Sargento das Armas (EsSA). Contudo, as conclusões do mencionado IPM foram completamente desmentidas graças à investigação dos ufos.

ufo1

Kátia Andrade Xavier, Liliane Fátima da Silva e Valquíria Aparecida da Silva

A cronologia do Caso Varginha foi objeto de um detalhado trabalho, realizado pelo saudoso coeditor da Revista UFO Claudeir Covo, para o site do Instituto Nacional de Investigação de Fenômenos Aeroespaciais (INFA), e publicado no final dos anos 90 na edição Coleção Planeta ETs, número 1. O artigo aponta o avistamento de um UFO cilíndrico pelo casal Eurico e Oralina tendo ocorrido à 01h30 do dia 20 de janeiro de 1996. A seguir, às 10h30, os bombeiros capturaram a primeira criatura, no bairro Jardim Andere, e às 14h00 uma testemunha viu militares entrando em uma mata, ouviu disparos, e depois os militares saíram com dois casos pretos, sendo que um se mexia. Às 15h30 as moças tiveram seu histórico avistamento do ser em um terreno baldio, criatura que provavelmente foi capturada por oficiais da Inteligência da Polícia Militar às 20h00.

FATOS ESTARRECEDORES NEGADOS AO PÚBLICO

Seguiu-se a intensa movimentação nos hospitais, a transferência dos seres e todo o material recolhido para a Escola de Sargentos das Armas de Três Corações (EsSA), e o translado para Campinas no dia 23 de janeiro. Em 08 de maio aconteceria a desastrada intervenção do general de brigada Sérgio Pedro Coelho Lima, então comandante da EsSa, que leu uma declaração para jornalistas presentes e respondeu com irritação à indagação de um dos profissionais da imprensa, em vídeo pode ser assistido clicando aqui. Extremamente significativa foi a reunião, ocorrida em 29 de maio em Campinas, do então Ministro do Exército Zenildo Zoroastro de Lucena com 29 generais, compondo todo o Alto Comando e ainda contando com o chefe do Estado Maior, general Délio de Assis Monteiro. Cercada de sigilo e pouco divulgada, a inédita reunião, a primeira fora de Brasília em todos os tempos, teve uma pauta oficial que não condizia com os altos cargos de seus participantes.

Mesmo diante de todas as espetaculares revelações, contidas em diversas edições da Revista UFO e em dois de seus livros, O Caso Varginha, de Ubirajara Rodrigues, e o recém lançado Varginha: Toda a Verdade Revelada, de Marco Petit, o Exército Brasileiro continua negando conhecimento dos fatos do Caso Varginha. Conforme Marco Petit escreveu: “O Exército continuou em silêncio, e na verdade ainda pode manter o sigilo sobre o caso legalmente dentro da atual legislação, que permite que documentos classificados como ultrassecretos, fiquem mantidos longe da população por 25 anos, ou seja, até o ano de 2021.

Devido a essa realidade e na verdade depois de ser convencido pelo editor da revista UFO no final do ano passado, já que eu era o único a ter estudado a fundo o IPM, e ter conhecimentos sobre todos os detalhes, que envolveram os bastidores da própria pesquisa, resolvi escrever e publiquei meu oitavo livro, o primeiro inteiramente dedicado a Varginha. Afinal, eu havia sido membro do pequeno grupo que liderou as investigações a partir de maio de 1996, e ao contrário dos outros, continuava disposto a seguir falando, ou a escrever sobre a verdade, abordando os aspectos potencialmente perigosos”.

A COMISSÃO BRASILEIRA DE UFÓLOGOS SE MOVIMENTA

Diante da falta de respostas do Exército, a Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) decidiu protocolar o livro de Marco Petit, Varginha: Toda a Verdade Revelada, no Ministério da Defesa, o que foi feito em 07 de abril de 2015. A intenção foi apresentar toda a gravidade dos fatos que envolviam o Exército Brasileiro nesse episódio. Outras cópias da obra foram igualmente encaminhadas, a fim de que chegassem aos comandos da Força Aérea e da Marinha. A CBU, pouco tempo depois, tomou conhecimento que o livro foi analisado dentro do Ministério da Defesa, porém o Exército continuou a negar possuir qualquer documento relativo ao Caso Varginha além do já mencionado IPM. Conforme o próprio Marco Petit, autor de Varginha: Toda a Verdade Revelada, explica: “Nenhum comentário foi feito em relação ao conteúdo do meu livro, mesmo em termos de uma possível crítica, além de sua citação por explícito logo no primeiro parágrafo do ofício que recebemos”.

Paradoxalmente, na mesma ocasião a CBU teve acesso a mais documentos, liberados pela Força Aérea Brasileira, descrevendo a presença de UFOs no espaço aéreo de nosso país. O Exército, lamentavelmente, prossegue em sua postura de negar a realidade, e Marco Petit comenta: “Não vamos aceitar este tipo de postura, e continuaremos a expor publicamente de maneira séria, e responsável, e principalmente contrariando a ampla existência de evidências a favor do caso, o silêncio inaceitável de nossas autoridades, agora inclusive com a denúncia pública mediante meu livro sobre as irregularidades descobertas por mim dentro do Inquérito Policial Militar realizado pelo Exército nas dependências da Escola de Sargento das Armas (EsSA), na cidade mineira de Três Corações. Logo após iniciar meus estudos sobre o IPM, anos atrás, quando a CBU teve acesso ao seu conteúdo mediante nossa campanha, eu já havia iniciado a divulgação dessas irregularidades de forma menos detalhada, em artigo publicado na revista UFO. Essas denúncias não poderiam ser ignoradas agora, até porque o livro foi oficialmente protocolado e lido dentro do próprio MD”.

UFO2

Os seres foram transladados para Campinas, autopsiados e analisados detidamente

DE IMPORTÂNCIA AINDA MAIOR QUE A DE ROSWELL

O Caso Varginha é o maior acontecimento ufológico registrado em território brasileiro. É ainda maior e mais importante do que Roswell, pois os pesquisadores já estavam em plena investigação na mesma semana em que se deram os primeiros fatos. Boa parte da numerosa equipe de ufólogos ainda trabalha para desvendar toda a verdade a respeito, graças aos quais seguramente esse importante episódio da Ufologia Mundial nunca será esquecido. O evento ainda inspirou, ao lado de outros casos da Ufologia Brasileira, trabalhos de ficção científica do consultor especial da Revista UFO, Renato A. Azevedo, que podem ser conhecidos clicando aqui e aqui, e também em seu blog. Varginha também é parte fundamental da campanha UFOs: Liberdade de Informação Já da Revista UFO, que já conseguiu obter a liberação de milhares de páginas dos arquivos oficiais sobre UFOs do governo e Forças Armadas do Brasil, e a campanha terá prosseguimento, com os pesquisadores exigindo do governo e dos militares o acesso pleno que a sociedade brasileira merece ter, a respeito de um dos episódios mais fundamentais da história da humanidade.

Página 52 de 61«1 ...484950515253545556... 61Próximo