Categoria "Cidade"
28 maio 2015

Poluição mata, alerta ONU

Arquivado em Cidade

soeicon

ONU alerta sobre poluição do planeta, moradores de Vespasiano questionam ar que respiram na cidade. É a globalização!

A Organizacão Mundial de Saúde (OMS) aprovou na última terça-feira (26/05), na 68ª Assembleia da instituição, em Bruxelas, uma resolução que chama a atenção para as graves consequências da poluição atmosférica para a saúde pública e a economia, especialmente nos países mais pobres. Os números são alarmantes: cerca de 3,7 milhões de mortes são atribuídas à contaminação lançada ao ar livre, enquanto 4,3 milhões de mortes são resultantes de contaminação de ambientes mal ventilados.

A Resolução sobre Poluição do Ar faz uma chamada à própria OMS para fortalecer sua capacidade e para os países redobrarem seus esforços de redução dos impactos da poluição do ar. O documento também reconhece a relação complexa entre a melhoria da qualidade do ar e a redução das emissões de gases que causam as mudanças climáticas.

A resolução da OMS chega em um momento crucial para a humanidade que clama por mudanças de paradigmas na área ambiental. A iniciativa pode contribuir para salvar milhões de vidas que se perdem prematuramente por doenças que poderiam ser evitadas facilmente e, ao mesmo tempo, evitar o enorme impacto econômico que afeta todos os países, mas particularmente os mais pobres. Segundo indica um estudo da Universidade de São Paulo, o Brasil vai produzir 250 mil mortes nos próximos 15 anos, 25% delas somente na cidade de São Paulo. Para evitar tantas mortes, todos devem estar envolvidos no enfrentamento da poluição atmosférica, um inimigo invisível, ameaçador e que mata.

Moro em Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte, a caminho do Aeroporto de Confins. Lá os moradores questionam a qualidade do ar por conta da fábrica – SOEICOM/Liz Cimentos, instalada na cidade há 4o anos. Nasci praticamente junto com a fábrica e com a esperança dos meus pais no suposto progresso de Vespasiano e do Brasil vindo do cimento.

Os primeiros relatos sobre a história do cimento, ou Caementu no latim, se dão há cerca de 4500 A.C., no Egito Antigo. Nessa época, utilizava-se uma liga composta por uma mistura de gesso calcinado para unir as pedras que davam sustentação à construção dos monumentos. De lá para cá, uma longa história de exploração e depredação em nome do desenvolvimento da economia. Só que esqueceram da nossa saúde e da preservação do Planeta Terra.

Por meio do grupo de Facebook TRANSPARÊNCIA VESPASIANO, os amigos e amigas da cidade não querem pagar essa dívida sozinhos e pedem uma investigação mais profunda sobre o ar que respiramos e sobre um suposto lixo de resíduos tóxicos queimados próximo à fábrica, além da fumaça preta vista com frequência pela comunidade. Veja o vídeo. É impressionante!

“Os órgãos públicos deveriam fiscalizar rigorosamente e se omitem. Sabemos que a cimenteira tem todas as licenças dos órgãos ambientais. Como? As doenças, a poluição, os odores, a fumaça preta, os altos índices de câncer na cidade são tão visíveis aos nossos olhos, mas não são considerados pelas autoridades competentes. Cadê o CODEMA – Conselho de Meio Ambiente de Vespasiano? Queremos transparência com relação ás fiscalizações realizadas na Soeicom”, denuncia Luciene Fonseca, mediadora do grupo Transparência.
28 maio 2015

A Bela e a Fera da Rocca – Ronda Ostensivas com cães de BH

Arquivado em Animais, Cidade

Foto: Helton Mendes Cardoso

A Bela é policial militar, Darlane Denise. A Fera é a cadela patrulha Mila.  As amigas inseparáveis prestam serviço na Rocca Central – Ronda Ostensivas com cães, em Belo Horizonte. Darlane é a primeira mulher da Rocca.

Os cães têm uma capacidade muito grande em resgate de pessoas em locais de difícil acesso, no faro a drogas e explosivos. É insubstituível na questão do policiamento, tendo em vista que o homem não consegue fazer o mesmo que eles(as). As atividades da Rocca abrangem, além da busca e salvamento de pessoas desaparecidas, a repressão qualificada aos crimes violentos.

Por serem parceiros dos policiais, o cuidado com a saúde e o bem-estar dos animais é especial, começando pelo tratamento diário, que consiste em uma alimentação balanceada, além de ambulatório próprio para os animais. Atualmente, a ROCCA conta com 76 cães treinados.
darlane2
Página 61 de 62«1 ...575859606162Próximo