Categoria "Cidade"
02 dez 2015

Voluntários ‘adotam’ idosa cuidadora de 70 cães e 25 gatos

Arquivado em Animais, Cidade, Comportamento
CARMEM

Reprodução/Facebook

Um grupo de moradores de Sorocaba, no interior de São Paulo, decidiu adotar uma idosa de 72 anos e seus 70 cães e 25 gatos. Dona Carmem Rosa, que reside em Salto de Pirapora, município vizinho, estava com dificuldade para manter com dignidade os animais abandonados que recolhia nas ruas da cidade.

Os voluntários Vanessa Nunes e Ricciéri de Oliveira se mobilizaram por meio das redes sociais e realizaram um mutirão para limpar a casa. Integrantes do grupo os veterinários Allan Menin, Débora Fernanda Guilherme e Carolina Gutieres examinaram os animais e separaram quatro cães que estão em pior situação de saúde. Uma cachorra foi submetida a retirada de um tumor de mama.

Todos estão com alguma doença decorrente das precárias condições de higiene. “Estamos fazendo o tratamento e depois vamos selecionar aqueles que devem ser submetidos à castração”, afirmou a veterinária. Parte dos cães será oferecida em adoção, mas alguns animais vão continuar na casa de dona Carmem. “Ela é uma pessoa boa e gosta dos animais, então vamos ajudá-la com ração e assistência”, disse Carolina Gutieres.

O grupo trabalhou vários dias para retirar lixo e entulho acumulados na casa. A prefeitura providenciou duas caçambas para que o material fosse descartado. Segundo ela, ainda há muito material a ser retirado. “Precisamos de mais braços para esse trabalho”, disse.

Os voluntários conseguiram ração para os bichos e cinco cestas básicas para a mulher, que sobrevive com a aposentadoria de um salário mínimo. “Ela é tão generosa que dividiu parte das doações com outras famílias necessitadas”, contou a veterinária. A psicóloga, Carolina de Paula Almeida que também integra o grupo tenta convencer dona Carmem a aceitar que parte dos animais seja adota por outras famílias.

“Dona Carmem é muito apegada aos animais, e não sabe negar quando algum deles precisa de abrigo, porém toda essa situação é complicada para a mesma. Ela vive em condições precárias e acabou acostumando-se com a ausência de conforto em prol dos animais que acolheu. Estamos realizando um trabalho que cuide não só dos animais, mas também com a saúde física e emocional de Dona Carmem. É um trabalho de resgate de sua identidade, e de escuta e acolhimento de suas aflições, relata a Psicóloga.

O grupo lançou na rede social Facebook a página “Abrigo da Dona Carmem” para ampliar a mobilização. A página será também um canal para a adoção dos animais. De alguns, dona Carmem já avisou que não abre mão, por isso a turma vai construir um canil em sua casa, que tem terreno grande. “Ela quer fazer o melhor para eles, e a gente vai ajudar”, disse Carolina Gutieres.

“É um trabalho desafiador, estamos com muitas pessoas motivadas em ajudar, porém precisamos muito de apoio financeiro já que existem várias tarefas a serem realizadas que geram um alto custo.” afirma Carolina de Paula Almeida.”

FOFURAS

cão1

cão2

cão3
CÃO4
20 nov 2015

Plataforma online mostra quais fontes geram eletricidade no Brasil

hidrelétrica de Ilha Solteira

A Usina Hidrelétrica Ilha Solteira, localizada no rio Paraná. A fonte hídrica é a principal do Brasil

Você sabe de onde vem a eletricidade que faz o seu computador, tablet ou celular funcionar para que possa ler esse texto? Nesse momento ela está vindo de diferentes fontes, como a hidráulica ou eólica, por exemplo. Mas isso varia dependendo da demanda por energia e da disponibilidade de cada usina no país.

Para mostrar o panorama da geração de eletricidade no Brasil e as missões de gases de efeito estufa associadas a ela, foi lançado o SEEG Monitor Elétrico. A plataforma online é uma iniciativa coordenada pelo Observatório do Clima e desenvolvida pelo Greenpeace e pelo Instituto de Energia e Meio ambiente (Iema).

O site mostra quais fontes estão gerando nossa eletricidade e também as emissões de gases de efeito estufa para a atmosfera associadas às usinas térmicas, que consomem combustíveis poluentes como carvão e óleo diesel.

Os dados do Monitor são atualizados todos os dias. Assim, a ferramenta mostra a realidade do sistema elétrico a todo o momento. E, já que a plataforma foi abastecida com dados da produção de eletricidade no país nos últimos anos, podemos analisar períodos específicos e visualizar a evolução tanto da geração de eletricidade como de suas emissões no Brasil.

Pelo Monitor, ficamos sabendo, por exemplo, que no dia 16 de novembro deste ano, 73,32% da eletricidade gerada no Sistema Interligado Nacional (SIN)* veio de usinas hidrelétricas. Outros 3,99% vieram de usinas eólicas, enquanto 17,92%, de térmelétricas movidas à combustíveis fósseis, que são poluentes. Por conta dessa geração térmica, vemos pelo Monitor que as emissões de gases de efeito estufa pela geração de eletricidade no SIN eram de 15,8 milhões de toneladas equivalentes de CO2 em 2011 e foram para 70,8 milhões em 2014 – ou seja, mais que quadruplicaram.

gráfico emissões. monitor

“O Monitor nos permite ver até mesmo um raio-X da crise do setor elétrico”, diz Larissa Rodrigues, da Campanha de Clima e Energia do Greenpeace Brasil. “A avaliação dos últimos anos nos mostra como a geração está cada vez mais suja, e também muito cara, já que a conta dos combustíveis é alta. Assim, o cidadão perde duas vezes: vive em um ambiente poluído e tem uma conta de luz cara”. Desde 2011, como podemos ver no gráfico abaixo, as emissões de gases de efeito estufa associadas a geração de eletricidade subiram sem parar.

O Monitor também traz o número dos sistemas de micro e minigeração distribuída registrados no país. Esses sistemas, como painéis fotovoltaicos nos telhados, são instalados pelos próprios consumidores e conectados na rede de distribuição. Entre suas vantagens está a compensação econômica: a eletricidade produzida e que não é logo consumida é colocada à disposição da rede, gerando descontos na conta de luz do consumidor. Aqui no Greenpeace trabalhamos para disseminar a geração distribuída para todos os brasileiros.

*O Sistema Interligado Nacional (SIN) é o grande sistema de produção e transmissão de energia elétrica do país. Nele estão conectadas as usinas de geração e as linhas de transmissão e distribuição. O SIN atende mais de 90% da eletricidade do país. Atualmente, não são atendidos pelo SIN os sistemas isolados (Ex.: alguns municípios) e não são por ele contabilizados parcela da autoprodução (Ex.: indústrias com usinas de geração próprias) e a geração distribuída, que inclui os sistemas de micro e minigeração (Ex.: painéis fotovoltaicos instalados pelos próprios consumidores).

Crédito:  Greenpeace

16 nov 2015

Cientistas independentes apuram causas e consequências do rompimento das barragens em Mariana

Arquivado em Cidade, Meio Ambiente

riodoce

Cientistas brasileiros estão se mobilizando, pela internet, para fazer uma avaliação independente do impacto ambiental causado pelo rompimento das barragens de Mariana, em Minas Gerais. Muitos deles se deslocaram para os locais atingidos e estão coletando dados e amostras para análises. Uma iniciativa de crowdfunding  (financiamento coletivo pela Web) foi lançada para financiar os estudos e a elaboração de relatórios.

Por iniciativa do Dr. Dante Pavan, sob a coordenação da Dra. Viviane Schuch e apoio de Dr. Denis Abessa, Dr. Fabio Comin, Dr. Renato Gaban Lima, Msc. Leandro João Carneiro de Lima Moraes, Dra. Rominy Stefani, Denise Soares e Dino Xavier Zammataro, o grupo de pesquisadores divulgou, nas redes sociais, que os relatórios e a prestação de contas serão de domínio público

“Considerando que este é um dos maiores desastres ambientais sofrido pelo Brasil, envolvendo rios e as populações a sua volta, abrangendo vários municípios, que as posturas das instituições públicas são vagas e o poder econômico dos envolvidos, é de extrema importância que exista um relatório independente e isento, que possa ser utilizado nas ações decorrentes relacionadas aos efeitos do rompimento das barragens”, diz a proposta dos cientistas independentes.

O grupo já arrecadou cerca de 26 mil reais. A meta é de 50 mil reais. Restam 27 dias.  SOSRIODOCE

bentor

Foto: Jornal Estado de Minas

 

Página 69 de 75«1 ...656667686970717273... 75Próximo