Categoria "Espiritualidade"
25 fev 2016

Belo Horizonte: um lugar para falar sobre ufologia e pluralidade do universo

revista ufo

Imagem: Revista UFO

Minas Gerais é um estado rico em relatos sobre objetos não identificados e sobre visitas de seres de outros planetas. Somos também um povo de fé. São várias histórias de experiências religiosas, místicas, parapsicológicas e ufológias.

João Batista da Mota, 67, contabilista, nascido em Francisco Sá, no Norte do estado e  coordenador do departamento de Comunicação do Fórum Permanente para Estudos de Fenômenos Transcendentes de Minas Gerais, diz ter vivido experiências transcendentais. “Aos 6 anos de idade vivenciei um fenômeno, levitei durante um breve período entre 50 cm e 60 cm acima do nível do solo. Essa lembrança nunca saiu da minha memória, mas até hoje não sei o que causou esse fenômeno”, diz.

Há mais de 25 anos ele tenta entender a própria experiência e acredita que devemos desenvolver nossas capacidades internas de valorização dos dons que vão propiciar experiências extraterrestres, uma vez que os governos continuam tolhendo a humanidade da informação de que estamos sendo visitados. “Os seres de outros planetas ou dimensões estão fazendo de tudo para nos ajudar a melhorar o planeta e para desenvolver uma convivência saudável conosco”

Para João Batista, o fenômeno pode ser visto dentro da perspectiva espiritualista. “Deveríamos adotar condutas psicossociais capazes de transformar o homem em um verdadeiro ser integrante dos grandes universos paralelos onde existem vidas ou algo parecido manifestando continuamente”, conclui.

Conversei com João Batista e Marco Antônio Maldonado do FOTRANS-  Fórum Permanente para Estudos de Fenômenos Transcendentes de Minas Gerais sobre onda ufológica, espiritualidade, telepatia e transição planetária.

O FOTRANS tem como objetivo fomentar estudos sobre fenômenos transcendentes,   englobando pesquisas, vivências e experiências ligadas a ideia da pluralidade dos Mundos habitados

 

Adriana Santos:  Qual a relação entre a onda ufológica de 1986 e as profecias da espiritualidade?

FOTRANS MG: Raro registro ufológico aconteceu em 1986 “A Noite Oficial dos Óvnis“ nos céus do Brasil destacando São José dos Campos (Vale da Paraíba), Rio de Janeiro e São Paulo, sendo oficialmente admitido a existências de Objetos Voadores não Identificados pelo Ministro da Aeronáutica Brigadeiro Moreira Lima com a aparição de 21 objetos. Entretanto, o fato específico não tem relação com as profecias da espiritualidade onde ela não foi enfática com a onda ufológica, ela fala por parábolas (charadas). Entenda quem puder ou estiver na frequência da revelação. Isso é sintomático, mas, é que quando acontece algo de extraordinário atingindo o clamor público para uma grande massa, inicia-se uma nova consciência que ora denominamos de Salto Quântico.

Adriana Santos: A mudança vibracional que alguns médiuns sugerem que estamos atravessando neste milênio tem alguma ligação com as aparições de objetos voadores não identificados?

FOTRANS MG: Não. Essa alteração refere-se a nossa galáxia do ponto de vista que conhecemos, entrar em uma área do Universo onde a ciência cartesiana tem conhecimento e não conta. Citaremos por exemplo o Anel de Alcione, um planeta que contém um volume de 100.000 vezes maior que a nossa Via Láctea. Segundo alguns cientistas estamos localizados bem na periferia desse grandioso sistema e consequentemente estaremos expostos a mudanças tanto física, quanto moral e espiritual. Quanto aos OVNIS eles transitam por todo Universo independente de ligar uma coisa a outra. Dizem eles estão chegando vindo de regiões as mais inóspita possível, realizando suas expedições em várias moradas do céus, esbanjando tecnologia e inteligência deixando se ver por milhares de pessoas. Ainda parece cedo afirmar ter uma ligação com a mudança vibracional sugerida por médiuns. O assunto ainda requer mais estudos e experiência.

Adriana Santos: Como ocorre a interação Mental ou Telepática entre humanos e alienígenas?

FOTRANS MG:

  • Da mesma forma que humanos para humanos! É preciso esclarecer que da mesma maneira que um médium entra em sintonia com outras entidades de diferentes matérias sintonizadas por uma frequência vibratória conseguem se comunicar. Não tem segredo. Há, entretanto, ocorrências desses fenômenos no Mundo inteiro com provas reais. Se ainda, não conseguimos alcançar esta etapa é devido a nossa preguiça mental em desenvolver habilidade inerente a todos humanos. A questão que os alienígenas já desenvolveram junto a sua origem avanço tecnológico para manter sua integridade física e qualidade na comunicação.
  • Não há o que comparar com os terráqueos devido a distância que mantemos das civilizações mais adiantada tendo em vista a o conhecimento e razões que envolvem essas qualidades.
  •  Como disse estamos interagindo com eles mesmo assim, temos provas dessa interatividade. Nós os humanos terrestres ainda não somos Telepatas por não dispormos a isso, porque essa capacidade é inerente desse Orbe. Quem sabe não pratica, quem não sabe, não sabe. É a preguiça mental. No Contato Telepático não há idioma, você pergunta e responde. O alienígena sabe quem és pela sua frequência. Contato assim não é por acaso. São por pura frequência mental normal ou do seu momento.

Adriana Santos: Quais as consequências de uma inteiração entre humanos e alienígenas que podem prejudicar a sua saúde física e mental dos terráqueos?’

  • O conhecimento biológico deles é avançadíssimo. Sabem como resguardar a integridade de ambos, salvo caso recente em Minas Gerais o de Varginha, seres acidentados e foram capturados na raça a ponto de sacrificar com morte um cabo da Polícia Militar. Não tiveram tempo para investigar, interagir e dialogar.
  • A maioria dos que dizem Contatados mantém contato telepático, físico ou fora da matéria, tem inteira confiança em revelar fatos acontecidos e mensagens dos alienígenas, isto já há muito tempo com literatura vasta e participações em Encontros e Congressos.

Adriana Santos: No “Livro dos Médiuns”, Kardec descreve algumas manifestações espirituais. “Os espíritos podem produzir luzes e chamas para marcar sua presença. Podem variar sua aparência, mas em geral apresentam o tipo humano”. E mais adiante, na mesma obra, o autor diz que “…o espírito pode tomar todas as aparências, ou as que melhor se faz reconhecer. E quase nunca se vê andando, porém deslizando como as sombras”. Os espíritos de Kardec podem ser os alienígenas dos ufólogos?

FOTRANS MG:

  • Não. Apesar dos alienígenas também terem espíritos, fora os robôs orgânicos (uma ciência biológica). É preciso explicar que espírito tem sua realidade existencial e uma propriedade de seu espírito dentro da gravidade e no seu estado vibracional não precisa desse meio de locomoção, podendo, entretanto, usar a volitação, pairar em qualquer nível onde desejar, podendo mudar sua estrutura aparente em quaisquer lugares e dentro da forma que melhor lhe aprouver.
  • Os seres como dizem de “Luz”, Guias, Mentores, em evolução a certo grau, podem representar ou manifestar em vários lugares ao mesmo tempo. Exemplificamos o espírito do Sr. Fritz (alemão) cujo trabalho trabalha com médiuns em locais diferentes. Porém os seres alienígenas em se tratando de sua particularidade manifestam no mundo inteiro de acordo com as leis gravidade por onde eles interpenetram como acontece aqui também. Os seres desdobram seus corpos, ficam em suspensão dentro de Naves ou em civilizações intraterrenas. Manifestam em médium de cura, inclusive em toda linha umbandista, os próprios assumindo nomes de nosso sincretismo religioso, isso em respeito a nossa mente cultural.

Adriana Santos: As crianças Índigos e Cristais poderiam ser seres modificados geneticamente pelos alienígenas?

FOTRANS MG: Não. As modificações genéticas acontecem todos os dias, às vezes há ondas por lotes que vem povoar a Terra criaturas dotadas de muita sensibilidade. A cada período ou ciclo haverá alterações sempre que a vida em sua totalidade necessite. Todos os humanos desde os primórdios dos tempos sofreram estas mudanças sem que seja creditada a seres alienígenas. Experiências com a clonagem não evidenciaram resultados satisfatórios, alguns cruzamentos deram origens a aberrações de natureza genética. Reconhecemos que nas profundezas dos mares tem criaturas de formas desconhecidas pelos humanos na superfície e vez por outra aparecem algo diferente deixando os cientistas de ponta de cabelo em pé. (rs) E assim vamos passar também por este processo dentro das condições que estamos no planeta. Morfologicamente citando estes fatos é totalmente de natureza do ser vivo em seu habitat e assim nós também seremos modificados e exilados nas áreas compatíveis.

Adriana Santos: Para os espíritas, a terra estaria na passagem de um mundo de expiação e provas para um de regeneração. O que isso tem a ver com a Ufologia?

FOTRANS MG: A Terra não é um planeta de expiação e sim um dos milhares de laboratórios geneticamente cósmico. Houve muitas falhas na condução das raças aqui existentes. A evolução dos seres terrenos independe da intervenção alienígena. Se o planeta está sob a égide de um sistema biológico manipulado, possivelmente acontecerá o mesmo que a história das raças preconiza em tempo pretérito. Ela será sempre um alvo da evolução humana, com tempo e tempo de ascensão. As humanidades sempre foram visitadas por outros seres e pode acontecer de haver em breve tempo uma interação com outras humanidades e assim mudar suas estruturas, para viver por sua livre conta, sem a migração e ocupação de seres de outros planos.

Adriana Santos: Por que os alienígenas não aparecem para todos? Quem são os escolhidos?

FOTRANS MG: Existem seres em vários estados vibracionais, multidimensionais e em diferentes planos. Esta interatividade somente acontece quando alteramos nosso estado e sintonizados na mesma frequência obedecendo ao sistema gravitacional do plano em que se encontram. A única maneira dos alienígenas interagir conosco só pode acontecer no Portal Orgânico, nascendo em ambiente de igualdade no nosso meio. Por outro lado, as civilizações cósmicas mais avançadas interagem conosco por diversos sistemas tecnológicos, transitando em nosso plano com a densidade de sua matéria e em espaço limitado de tempo, aí volto a dizer, dentro da estrutura gravitacional que suporta sua estrutura. Não existem escolhidos, todos nós podemos ser contatados de conformidade com a necessidade de ação em causa coletiva.

Adriana Santos: Quem são os Anjos Decaídos da Cabala?

FOTRANS MG: Este assunto já compreende mais um profundo estudo e recorrência a uma antiga prática milenar, cujos princípios regem os historiadores na pratica secular da conduta humana. Mas deixamos algumas confirmações implícitas nos cotidianos que deixam marcas indeléveis na condução de povos e suas implicações na sociedade em que escolheram para suas experiências corpórea e espiritual. Nenhuma mudança haveria de ser notada, se todos os seres estivessem com as consciências voltadas a lei universal que é para todos Humanos e seres de outros planos. Temos notados desde o inicio da colonização de nosso planeta, na migração de Seres da Constelação de Cordeiro, como foi revelado por médiuns “Os Exilados de Capela”, a Civilização Ariana e outros povos, inclusive os Autóctones, cuja sobrevivência nesta natureza terrena tornou um apanágio de além-túmulo (plagiando) onde rebelde e destruidores e revoltados foram enviados a nosso planeta para reconstruir outras vidas, sendo apagados de suas memórias, traços que poderiam impedir sua evolução. E assim, nós estamos chegando a um apogeu de acontecimentos, onde possivelmente serão deserdadas almas para outros orbes para que façam parte de uma nova civilização. Os desajustados terão que fazer sua escolha e migrar para outro lugar. Podendo começar como foram nossos ancestrais homens das cavernas.

Adriana Santos: Para que servem os implantes colocados nos humanos pelos alienígenas?

FOTRANS MG: Não serve para nada a não ser como um relógio biológico de pulso. Como são sabidas e propaladas aos quadrantes, muitas pessoas foram implantadas e somente reconheceram como tal após TVP Terapias de Vidas Passadas ou por exames clínicos onde apontavam elemento estranho em várias partes do corpo humano. Sua função apesar de tanta polêmica, não tem um significado real por não ter o Implantado resposta as suas indagações. Já vimos implantes de metais e orgânicos, que com o tempo vão sendo consumido pela própria matéria. Com a tecnologia em alta já existem em várias localidades mundiais sistemas que fazem esses implantes para registros confidenciais de dados e outros motivos que não devo citar por ora. Na opinião de muitos, se esses implantes estivessem voltados a inserção do ser humano em uma conquista para melhorar o planeta e levá-lo a condição regeneradora de costumes e outros benefícios seria muito útil a humanidade, apesar de ser um corpo estranho infiltrado de maneira tecnologicamente avançada em pacientes cujo sinal marca no espaço sua existência ou ligação com avançado conhecimento preparando pessoas para ajudar na transição do planeta, talvez seja um método que podemos atribuir valor, caso contrário não corresponde. No meio científico são utilizados como sensores de circuito interno para registros os mais diferentes possíveis. Por exemplo: a nossa biologia chipa animais, pássaros, peixes para acompanhar suas ondas migratórias. Hoje consideramos por um lado da ciência obsoleto, pois os alienígenas como já citamos, pode fazer muito mais a distancia com ondas frequenciais.

04 fev 2016

OPINIÃO: Zika vírus e a reascensão da eugenia

padre

Arno Alcântara Jr./Divulgação

NOTA EDITORA BLOG SAÚDE DO MEIO:  “Posso não concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”.  A frase atribuída ao filósofo francês Voltaire jamais foi escrita ou proferida pelo autor. No entanto, isso não tem tanta importância prática, afinal já está na boca do povo e vale para alertar sobre o livre pensamento. Por isso, acredito que a função social do blog Saúde do Meio é “dialogar” sempre.

O aborto é um tema polêmico e envolve nossa história do ponto de vista cultural, social, emocional e espiritual. A evolução da consciência é justamente encarar o contraditório sem um julgamento prévio.

Confesso que prefiro acreditar nas mil possibilidades da vida. Nesse sentido sou contrária ao aborto como medida preventiva de saúde pública. Sou solar. Vejo luz quando tudo aponta para o buraco negro das desilusões. Mas posso mudar de opinião… Só não posso deixar de acreditar na vida.

friedrich_nietzsche_eu_jamais_iria_para_a_fogueira_por_x4qdyg

OPINIÃO: Por Padre Paulo Ricardo

* Nasceu em Recife – PE, no dia 7 de novembro de 1967.  É licenciado em Filosofia pelas Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso – FUCMAT, Campo Grande, MS (1987); bacharel em teologia (1991) e mestre em direito canônico (1993) pela Pontifícia Universidade Gregoriana (Roma).

Muito antes de juristas brasileiros virem em defesa do aborto de microcefálicos, Adolf Hitler já os tinha incluído em seus programas de extermínio.

Não é novidade o pedido que alguns juristas e acadêmicos de Direito farão à Suprema Corte brasileira, requerendo um suposto “direito ao aborto” de crianças com microcefalia. Na década de 1930, na Alemanha, o programa nazista de extermínio de crianças deficientes (a Kinder-Euthanasie) incluía, entre as doenças genéticas passíveis de execução, a síndrome de Down, a paralisia, a hidrocefalia e, também, a microcefalia [1]. A princípio, o objetivo era matar as crianças com até 3 anos de idade. Mais tarde, o plano de Adolf Hitler se estenderia também aos adultos.

Certamente, Ana Carolina Cáceres – a brasileira de 24 anos, portadora de microcefalia, que se graduou recentemente em jornalismo – não teria sobrevivido ao regime nazista. Como ela, tampouco teriam passado as irmãs Ana Victória (16) e Maria Luiza (14), também portadoras da síndrome. Fossem concebidas hoje, porém, a vida dessas mulheres estaria em risco muito mais cedo: elas poderiam ser descartadas antes mesmo de nascerem.

Fora ou dentro do útero, no entanto, meses ou anos depois da concepção, são realidades meramente circunstanciais. Nada disso muda a essência do que os promotores do aborto, aproveitando-se do pânico gerado em torno do zika vírus, pretendem advogar junto ao Supremo Tribunal Federal: a ideia de que alguns seres humanos são mais dignos de viver do que outros.

O nome disso é eugenia.

Dar um novo nome às coisas não altera a sua substância, pelo que “saúde reprodutiva”, “direito de escolha” e “controle de natalidade” não passam de eufemismos construídos para disfarçar a realidade.

Nem pode mudá-la o fato de algumas pessoas aparentemente esclarecidas estarem do lado de lá. Na verdade, quando o eugenismo surgiu na Europa, ainda no final do século XIX, muitos nomes de peso também deram sua aprovação à ideia, chegando a defendê-la pública e notoriamente: Winston Churchill, H. G. Wells e Bernard Shaw são apenas alguns exemplos. Francis Galton, um homem inteligente, responsável por cunhar a expressão “eugenia”, chegou a falar dela como uma espécie de “nova religião”. O entusiasmo pela coisa só pareceu cessar após a Segunda Guerra Mundial, quando as pessoas viram a que tudo isso realmente levava: pilhas de cadáveres em campos de concentração.

A essência dessa forma de pensamento, todavia, não está por trás só do pedido do aborto de microcefálicos, mas de todo o movimento pela legalização do aborto.

Como se sabe, o problema de quem defende essa prática não é com esta ou aquela má formação específica. Seja sob um viés feminista – como o defendido pela antropóloga Débora Diniz –, seja sob uma ótica aparentemente social – como a colocada pelo dr. Drauzio Varella –, o que se pretende é o aborto total, sem exceções. Por isso, perderíamos muito de nosso tempo tentando defender apenas os fetos microcefálicos quando, na verdade, quem está ameaçado em seu direito à vida são todos os nascituros, portadores ou não de microcefalia, sem ou com deficiência.

São eles as verdadeiras vítimas da eugenia moderna. Tratados como “cidadãos de segunda categoria” simplesmente porque não podem ser vistos – ainda que a ciência confirme a sua humanidade, desde a concepção. Considerados “indignos de viver” porque submetidos a uma liberdade total e irrestrita por parte da mulher – que deixa de arbitrar sobre o seu corpo para ter poder de vida e de morte sobre o próprio filho. Ameaçados, enfim, pelos próprios juristas e acadêmicos de Direito, que, passando por cima da lei natural e das leis de nosso país [2], deixam sem proteção a vida dos membros mais indefesos da nossa sociedade.

Tudo isso, aliado ao silêncio cúmplice de todos, forma um cenário que a humanidade já conheceu antes: tragicamente, os nossos tempos não são diferentes dos que precederam a barbárie nazista.

Mas, assim como algumas vozes se levantaram corajosamente contra a eugenia, antes mesmo que ela fosse aplicada na prática, também nós precisamos dar o nosso “grito” de alerta, antes que seja muito tarde. Como escreve o escritor britânico G. K. Chesterton, em seu livro profético Eugenics and other evils (“Eugenia e outros males”),

“A coisa mais sábia do mundo é gritar antes de ser ferido. Não é bom gritar depois, especialmente depois que você foi ferido de morte. As pessoas falam sobre a impaciência das multidões, mas os bons historiadores sabem que maior parte das tiranias só foi possível porque os homens reagiram muito tarde. Geralmente, é essencial resistir a uma tirania antes que ela exista. E não é resposta alguma dizer, com um vago otimismo, que a conspiração apenas está no ar. Um golpe vindo de um machado só pode ser evitado enquanto ainda está no ar.” [3]

Por enquanto, parece que a conspiração está apenas no ar. Mas, de notícia em notícia, já é possível antever o golpe de machado que se aproxima de nossas cabeças. O alvo, leitor, são homens e são mulheres, são pobres e são ricos, são brancos e são negros – em suma, são os nossos filhos. Se não lutarmos por eles, ninguém o fará por nós.

Referências

  1. LIFTON, Robert Jay. The Nazi Doctors: Medical Killing and the Psychology of Genocide. Basic Books, 2000, p. 52.
  2. Cf., v.g., Constituição Federal, art. 5.º, caput; Código Civil (Lei 10.406/02), art. 2.º etc.
  3. CHESTERTON, Gilbert K. Eugenics and Other Evils. London: Cassell and Company, 1922, p. 3.
30 nov 2015

Crianças de hoje não são mais como antigamente; conheça a criança cristal

Arquivado em Espiritualidade
Akiane - 11 anos

akiane.com

As crianças de hoje não são mais como antigamente. Meu irmão mais novo nasceu com os olhos fechados e inchados. Demorou uns sete dias para que eu pudesse descobrir a cor dos olhos do caçulinha da minha casa. Já meu filho de 14 anos nasceu como os olhos abertos e curiosos. Parecia que ele já conhecia o caminho dos meus seios para a primeira mamada. Aprendeu a ler ainda muito pequeno e tem uma curiosidade surpreendente pela história das religiões. Ele não aceita facilmente ordens sem uma boa razão, adora pular, andar em círculo, apreciar sabores exóticos e não se importa muito com o que os outros pensam dele.

Psicoterapeutas, psicólogos, pedagogos e espiritualistas vêm notando desde 2000 o surgimento de crianças com comportamentos diferentes e inusitados. Eles passaram a observar uma alta incidência de insubordinação nesta geração muitas vezes denominada Y.

Estes seres hiperativos são diagnosticados, na maioria das vezes, com algum tipo de transtorno psiquiátrico, portanto, carentes de cuidados medicinais. Este quadro mudou somente com a constatação de que não se tratava apenas de algumas crianças, mas de toda uma geração peculiar, mais voltada para as questões ambientais, espirituais e mais aptas a enfrentar a inevitável transição planetária, de um recanto de provações e expiações a um universo regenerador.

A criança cristal é recém-chegada ao planeta. São meninos e meninas pacificadores e cheios de compaixão, pois trazem atributos de paz e equilíbrio para continuar o trabalho começado pelas crianças índigo (crianças com múltiplas habilidades nascidas a partir da década de 70). Ambas as crianças representam um desafio para a sociedade, especialmente para os pais. A forma de tratá-las vai ter de mudar, os pais e os educadores têm de adotar novas formas de ser, para lidar corretamente com as crianças de um novo tempo.

Conversei sobre as características da criança cristal com a Mônica de Medeiros, médica e sensitiva, cirurgiã formada pela Unicamp, mestrado na University of Illinois at Chicago. Fundadora e presidente da Casa do Consolador, centro universalista de fundamento cristão e base kardecista. Confira:

Adriana Santos: O que é uma criança cristal?

Mônica Medeiros: É o salto quântico da raça humana. São os representantes da 6a raça que renovará este planeta. São de várias origens, incluindo a própria Terra

Adriana Santos: Qual a diferença entre criança cristal e criança índigo?

Mônica Medeiros:  Os índigos são os precursores dos cristais. Seu arquétipo é João Batista: liderança, inflexibilidade, teimosia, inteligências racional e espiritual acima da média mas emocional igual a dos habitantes planetários. Por isso, apresentam grande habilidade emocional. Devido ao carisma imenso, são seguidos com facilidade e, se não se conectam a ideais superiores, podem ser muito destrutivos, como Hitler. Por terem consciência mais profunda de suas falhas, ainda que não aceitem seu lado sombra, temem ser rejeitados e traídos. Assim, fazem amigos com grande facilidade mas os perdem da mesma forma. Preferem a segurança da solidão. Os índigos sempre se destacam em seus meios e são donos de grande capacidade de transformar e mudar paradigmas. Pela inteligência lógica, resolvem problemas complicados com facilidade mas complicam-se em coisas simples. São hiperativos que se irritam porque não ouvem e não obedecem. Apresentam dislexia e distúrbio da atenção.

Já os cristais têm em Jesus seu arquétipo, possuindo inteligências racional, espiritual e emocional acima da média da atual humanidade. São carismáticos, teimosos, geniais. Líderes natos são seguidos sem impor suas ideias mas por aceitação de seu caráter superior. Conhecem e aceitam melhor seu lado sombra, não tendo medo da rejeição por causa dela. Por isso, abrem seu coração a todos, principalmente para os animais. Fazem e mantém amigos fieis. São capazes de simplificar muito mais que os índigos e não guardam mágoas porque expõe seus sentimentos com facilidade. Destacam-se muito cedo, mormente, através das artes e dos esportes. São os hiperativos que ouvem e obedecem se convencidos do que lhes é dito. Apresentam dislexia e distúrbio da atenção. Acalmam-se com música de qualidade.

Adriana Santos: A criança cristal tem alguma missão especial?

Mônica Medeiros: A missão deles é trazer a boa nova como forma de vida, ou seja, ensinar que podemos viver pela lei da fraternidade. Não são seres de Luz, mas estão mais perto dela do que a maioria de nós. São os primórdios da nova raça humana que habitará a Nova Terra.

Adriana Santos: Quais as características de uma criança cristal?

Mônica Medeiros: O desenvolvimento neuropsíquico motor é acelerado , mesmo em relação aos índigos, que já são um upgrade cerebral. Assim, apresentam desenvolvimento motor, sensorial e mental rápidos, sendo capazes de sustentar a cabeça com dias de vida, ao invés de 1 mês, enxergam com exatidão antes e ouvem, localizando a fonte emissora, com poucas horas de vida. Sorriem socialmente antes, olham nos olhos e acolhem sempre.

Adriana Santos: Qual a maior virtude da criança cristal?

Mônica Medeiros: O medo menor de serem e rejeitados e a maior aceitação de seu lado sombra.

Adriana Santos: Qual a relação da criança cristal com o meio ambiente?

Mônica Medeiros: Assim como os índigos, os cristais amam a natureza e são protetores natos dos animais. O ideal é que convivam com eles desde bem cedo e que lhes seja apresentada a terra para plantarem.

Adriana Santos: Quando começaram a chegar as crianças cristal?

Mônica Medeiros: Sempre nasceram na Terra, são os avatares de todos os tempos. Mas o primeiro fluxo maciço ocorreu a partir do ano 2000 e ainda não parou.

Adriana Santos: Jesus era uma criança cristal?

Mônica Medeiros: Sim. O cristal perfeito.

Adriana Santos: Quem virá após a criança cristal?

Mônica Medeiros: Olha, neste momento, a criança cristal é a esperança da renovação planetária. É a Nova Terra que será planeta de regeneração e que estagiará neste nível quântico por milhares e milhares de anos. A sequência dos cristais, num futuro, muito distante, ainda estão por ser conhecido, mas, certamente, serão composto por seres de Luz e harmonia interior.

AKIANE, A MENINA PRODIGIO

Akiane Kramarik, 21 anos, é uma jovem artista de múltiplos talentos, autodidata, nascida nos EUA, filha de mãe ateísta e apontada, em todo mundo, como sendo uma “criança cristal. Segundo ela, as inspirações artísticas e poéticas são “visões” do céu. São pinturas espirituais, emocionais, cheios de encantamento. Aos quatro anos de idade, Akiane já surpreendia a todos pelas pinturas angelicais. Ela afirma que um anjo a levou para um mundo muito belo, tomado por cores e por luzes deslumbrantes. A partir daí, a criança cristal começou a pintar rostos e paisagens de uma beleza desconcertante. Ela diz que tem uma missão especial na Terra.

AkianePríncipe da paz

Um dos quadros mais fascinante da doce Akiane é o “Príncipe da Paz”, pintado quando ela tinha apenas oito anos. Ela revela que precisou procurar, durante um ano, um modelo ideal de Jesus Cristo. Certa noite, a garota se trancou no quarto e pediu a Deus para que mostrasse como era o rosto de Jesus. Na manhã seguinte, um  carpinteiro apareceu em sua casa e disse que seria o modelo para o seu quadro. São várias pinturas de entidades e de cidades espirituais e, até mesmo, de áreas umbralinas.

“A coisa mais importante neste mundo é a fé, sem fé você não pode se comunicar com Deus” diz Akiane Kramarik

CRIANÇA CRISTAL, COMPAIXÃO PELOS ANIMAIS

“Não quero que eles sejam cortados”, diz a garota, logo após chamar porcos, galinhas e vacas de “animais legais”. Toda a descoberta vegetariana foi filmada pelo pai, e o vídeo viralizou ao ser publicado no Facebook, sendo visto mais de 15 milhões de vezes

CRIANÇA CRISTAL & CRIANÇA ÍNDIGO

indigo e cristal tabela difença

Página 8 de 9123456789