Categoria "Uncategorized"
27 mar 2019

Ucuuba: semente amazônica promove reparação profunda na pele

Arquivado em Uncategorized
Divulgação

Divulgação

A Ucuuba é uma árvore da Amazônia ameaçada de extinção, muito procurada por sua madeira leve e clara. Quem a derruba, no entanto, não vê que o seu verdadeiro valor está nas sementes. Elas são fonte de uma manteiga natural, que promove uma reparação profunda na pele.

O potencial da Ucuuba foi identificado pela Natura em 2004, durante o mapeamento de várias espécies para o desenvolvimento de óleos e manteigas a partir de matérias-primas encontradas na Amazônia. Mas foi só em abril de 2015 que a empresa lançou a linha Ekos Ucuuba, depois de um longo processo de pesquisa.

O grande diferencial dos produtos é o toque seco que a manteiga proporciona, acompanhado de uma hidratação de até 48 horas, consequência da alta concentração de compostos que promovem esse efeito prolongado. A manteiga de Ucuuba ainda estimula a produção de colágeno e elastina.

Estímulo à preservação ambiental

Ao transformar a semente em um produto inovador, a Natura gerou renda para comunidades na Amazônia e estimulou a preservação ambiental. Só em 2016, uma área equivalente a 150 campos de futebol foi conservada na região com o aproveitamento da Ucuuba na indústria cosmética.

Entre os produtos da linha Ucuuba estão sabonetes que proporcionam até oito horas de hidratação, o que, segundo pesquisadores envolvidos no seu desenvolvimento, representa muito mais do que outros produtos disponíveis no mercado.

Cintia Ferrari, gerente científica da área de tecnologia de ingrediente e especialista em óleos e gorduras, explica que um projeto como esse traz consigo uma série de desafios, sendo um deles relativo à variabilidade de características da matéria-prima de origem natural. “Você pode ser o maior especialista no assunto, mas, quando vai para a natureza, quem dita as regras é ela. Se o tempo está seco, mudam as características, se chove mais, mudam as características. O trabalho é longo porque temos de tentar pegar o máximo de safra e variáveis dessas safras para termos uma especificação mais robusta”.

Pequenos Produtores

Por esse motivo, é essencial garantir a qualidade da semente e para tanto é necessário conscientizar os pequenos produtores, de cooperativas parceiras de fornecimento, da importância deles na cadeia produtiva. “Precisamos mostrar como a qualidade da semente impacta no produto. Não existe óleo ruim, existe semente ruim. Temos de engajar e capacitar essas comunidades para mostrar a importância de padronizar a qualidade da matéria-prima para manter a qualidade do produto final”, diz Cintia.

26 fev 2019

Incorporação da Escola de Saúde pela SES é pauta na Assembleia de Minas

Arquivado em Uncategorized
SIND-SAÚDE/MG

SIND-SAÚDE/MG

Debater os impactos do Projeto de Lei (PL) 368/19, que incorpora a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) à estrutura da Secretaria de Estado de Saúde (SES). Esse é o objetivo de audiência pública da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) que será realizada nesta quarta-feira (27/2/19), às 10 horas, no Plenarinho II. A reunião foi solicitada pelo deputado Doutor Jean Freire (PT).

O PL 368/19, de autoria do governador Romeu Zema, integra a proposta de reforma administrativa do Estado. Segundo a proposição, as competências da ESP-MG serão exercidas pela SES e a escola integrará a estrutura organizacional da secretaria e terá status de subsecretaria.

“É de suma importância que a sociedade tenha acesso às várias informações e a dados que permeiam esse assunto. Também é relevante que sejam ouvidos os profissionais que trabalham, as pessoas que estudam e as que são atendidas pela Escola de Saúde Pública, e que eles deem sua contribuição nesse processo. Além disso, apesar da atual situação financeira do nosso Estado, não é o momento de diminuir a autonomia e a atuação da escola e sim de empoderá-la, de fortalecê-la”, ressalta Doutor Jean Freire.

Justificativa – Em mensagem que encaminhou o projeto, recebida pelo Plenário no último dia 6 de fevereiro, o governador justificou que a proposição integra o processo de readequação da estrutura orgânica da administração pública do Poder Executivo, o qual visa à otimização dos gastos.

Ainda segundo a justificativa, a iniciativa pretende garantir maior alcance e efetividade no desenvolvimento de políticas públicas referentes ao ensino, à educação, à pesquisa e ao desenvolvimento institucional e de recursos humanos no Sistema Único de Saúde (SUS).

No texto, também foi destacado que os direitos dos servidores efetivos da atual estrutura da ESP-MG serão mantidos. Já os cargos das carreiras de técnico e de analista em Educação e Pesquisa em Saúde serão transferidos para a SES.

Reforma administrativa – Também integra a reforma administrativa o PL 367/19, que estabelece a estrutura orgânica do Poder Executivo e propõe a redução de secretarias de Estado e a extinção de cargos em comissão, gratificações e funções gratificadas, entre outros aspectos.

Na justificativa desse projeto, o governador enfatiza que a finalidade é estabelecer um novo modelo organizacional, tendo em conta o atual estado crítico das finanças públicas no Estado.

Escola – Segundo o site da instituição, a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais foi criada em 1946 e é uma escola de governo de ensino e pesquisa, formadora e qualificadora de recursos humanos para o Sistema Único de Saúde (SUS). Apenas profissionais que atuam no SUS podem se inscrever nos cursos desde que haja demanda prévia do órgão em que trabalha.

*Assessoria de Imprensa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais

22 jan 2019

Santa Casa de BH realiza seu primeiro transplante de coração

Arquivado em Uncategorized
Sr. José Valter ao lado da equipe médica

Sr. José Valter ao lado da equipe médica

No ano em que completa 120 anos de existência, a Santa Casa BH realizou seu primeiro transplante de coração. A cirurgia ocorreu neste mês de janeiro. José Valter Ferreira Nascimento, de 64 anos, lutava contra a doença de chagas desde 2015.

Morador de Belo Horizonte desde 1973, nos últimos anos – por conta do tratamento, José dividiu seu tempo entre a capital e Felixlândia (onde possui um sítio). Natural do município de Catuji, norte de Minas, ele explica que, desde 2015 – quando foi diagnosticado, praticamente não tinha mais qualidade de vida. “A família acaba adoecendo junto, porque a gente não tem condições de fazer mais nada sozinho. Não estava conseguindo nem conversar, como estou fazendo agora”, explica.

Em dezembro de 2018, os medicamentos que José Valter tomava para controlar a doença deixaram de responder adequadamente, e no dia 25 ele foi internado na Santa Casa BH. O paciente apresentou piora do quadro clínico e foi transferido para o CTI em 30/12. O tão aguardado coração veio em janeiro e o transplante foi realizado pelas equipes dos cirurgiões cardiovasculares Dra. Carla de Oliveira e Dr. Marcelo Frederique de Castro, e do cardiologista Dr. Sílvio Amadeu Andrade.

Com a saúde restabelecida, José Valter comemora a nova fase de sua vida. “Sou muito grato a Deus, à equipe médica e à Santa Casa. Também agradeço à família que autorizou a doação dos órgãos. Estava sem esperanças e esse gesto me devolveu a vida”, enfatiza.

No dia 21 de maio, a Santa Casa BH – maior hospital filantrópico de Minas Gerais e primeiro de Belo Horizonte completa 120 anos, o que torna a realização do primeiro transplante cardíaco da história da instituição ainda mais especial. “Isso é muito importante para os pacientes e para as equipes que trabalharam com tanto afinco, para que tudo estivesse pronto no momento exato. Esse foi o primeiro de muitos transplantes de coração bem sucedidos que faremos”, comemora o Dr. Guilherme Riccio, diretor de Assistência à Saúde do Grupo Santa Casa BH.

Por Assessoria Santa Casa

Página 2 de 12123456... 12Próximo