Facebook Twitter Youtube Google+ Image Map
10 set 2015

CVV alerta sobre o aumento de casos de suicídio no Brasil

Arquivado em saúde

Logo CVV Vermelhoface_vermelho (1)

O suicídio é considerado um problema de saúde pública e mata 1 brasileiro a cada 45 minutos e 1 pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo. Pelo menos o triplo disso tentou tirar a própria vida e outras chegaram a pensar em suicídio.

Apesar de números tão alarmantes, o assunto ainda é tratado como tabu. Evita-se o assunto, o que só colabora para seu aumento. Segundo Carlos Correia, voluntário do CVV, entidade que atua gratuitamente na prevenção do suicídio há 53 anos, “as pessoas que tentam suicídio pedem ajuda, mas, normalmente, não são compreendidas. Deixar de falar sobre o assunto só colabora para esse distanciamento social”, comenta. “O assunto suicídio deveria fazer parte, de forma muito natural, da roda de amigos, nas escolas, casas religiosas e dentro das casas”, complementa.

O movimento Setembro Amarelo é uma iniciativa da IASP – Associação Internacional pela Prevenção do Suicídio e consiste em iluminar ou sinalizar locais públicos com faixas ou símbolos amarelos.

No Brasil, uma das instituições que está trabalhando pela causa neste ano é o CVV. Os 70 endereços do CVV em todo o país vão colocar uma faixa amarela na sua fachada, e seus voluntários buscam o apoio de municípios, estados e da federação para iluminar ou identificar monumentos e prédios públicos durante todo o mês de setembro.

10 de setembro é Dia Internacional de Prevenção do Suicídio – definido pela Organização Mundial de Saúde (OMS)

suicídio3

A cartilha “Suicídio: informando para prevenir” é uma iniciativa do Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) com o objetivo de prevenir o suicídio no Brasil.

Conheça e compartilhe a cartilha “Suicídio: informando para prevenir”

  • Otavio Dada Júnior

    Em 10.09.2015

    Realmente a quantidade é alarmante.
    É necessário uma atenção especial a estes casos.
    A sociedade deve cobrar de seus governantes ações para diminuir estes casos.
    Parabéns pela matéria!

Você deve estar logado para comentar.