Facebook Twitter Youtube Google+ Image Map
05 maio 2021

O que é síndrome de burnout? Entenda sintomas e tratamentos

Divulgação

O que é síndrome de burnout? Você provavelmente já ouviu falar da expressão, pois é um tema frequente nos debates da internet ligados à saúde psicológica no trabalho.

Se você já passou por uma situação de estresse e cansaço extremo provocado por pressões do emprego, provavelmente sabe o que é síndrome de burnout e nem se dava conta disso.

Muito recorrente em profissões que demandam muita pressão e responsabilidade, como a de médico, professor e jornalista, essa síndrome pode gerar consequências graves e comprometedoras. Por isso, deve ser tratada e discutida com transparência com o público.

Neste artigo, falaremos um pouco sobre o que é síndrome de burnout, quais são suas principais causas, sintomas e as melhores formas de prevenção e tratamento. Leia até o fim para entender melhor!

O que é síndrome de burnout?

A síndrome de burnout, também conhecida como síndrome do esgotamento profissional, é um distúrbio psicológico causado por um estresse relativo ao trabalho.

Pode ser proveniente de altas demandas de tarefas, jornadas laborais longas, situações de pressão por resultados positivos, relações interpessoais difíceis com companheiros de trabalho ou com clientes e disfuncionalidades em virtude de problemas pessoais ou emocionais diversos na vida pessoal.

Os desgastes emocionais e psicológicos provocados pela síndrome podem transcender o ambiente de trabalho e prejudicar a vida pessoal e cotidiana.

Entender as causas da síndrome de burnout é de fundamental importância, pois o distúrbio pode gerar uma série de consequências mais graves, como depressão profunda e crises de ansiedade.

Segundo pesquisa, as principais profissões vulneráveis ao burnout são as seguintes: profissionais da saúde em geral;

jornalistas;
advogados;
professores;
psicólogos;
policiais;
bombeiros;
carcereiros;
oficiais de Justiça;
assistentes sociais;
atendentes de telemarketing;
bancários;
e executivos.

Tendências para o perfeccionismo também pode ser uma causa relevante para o burnout. É comum o profissional desenvolver auto-cobranças exageradas para provar competência a si mesmo e aos seus superiores.

Dessa forma, o que poderia ser algo positivo, como tratar as funções laborais com esmero e competência, pode se tornar algo negativo e com sérias consequências à saúde mental do trabalhador.

Como prevenir a síndrome de burnout?

Em muitos casos, os profissionais acabam não aproveitando o momento de lazer e descanso de maneira adequada. Dessa forma, acabam sendo consumidos e extenuados de forma exagerada pelo trabalho.

Portanto, é fundamental que o trabalhador saiba dosar sua jornada de trabalho e procure valorizar os tempos de lazer entre família e amigos, como forma de descarregar as tensões do emprego.

Seguem algumas dicas de como prevenir a síndrome de burnout:

Encontrar tempo para praticar atividades físicas; ter tempo de lazer com as pessoas que gosta e te trazem paz;
praticar hobbies prazerosos; evitar ambientes que causam estresse ou mal-estar; desenvolver uma relação humanizada com os companheiros de trabalho; evite o consumo excessivo de álcool e drogas que agravam o problema; cuidar da saúde sexual; e tenha um sono reparador de pelo menos 8 horas por dia.

Portanto, encontrar práticas e pessoas que trazem uma energia leve e positiva para os dias em off é o grande segredo para preservar as emoções e a saúde psicológica no trabalho.

No tópico seguinte, falaremos dos sintomas da síndrome.

Quais os sintomas da síndrome de burnout?

Os sintomas da síndrome de burnout podem ser vários e quando juntos corroboram para gravidade do distúrbio nos profissionais. Não só estresse e cansaço são os sintomas: o problema também pode gerar falta de apetite, problemas na saúde sexual, entre outros.

Entre os principais sintomas, estão:

Desânimo e apatia; dores de cabeça e no corpo; negatividade constante; sentimentos de derrota, de fracasso e de insegurança; isolamento social; pressão alta; tristeza excessiva; cansaço mental e físico excessivos; insônia;
dificuldade de concentração; perda de apetite; irritabilidade e agressividade; lapsos de memória; depressão;
problemas de ereção; perda de libido; ejaculação precoce; e baixa autoestima.

Apesar de gerar inúmeros sintomas e de algumas vezes se transformar em um distúrbio grave, a síndrome de burnout tem tratamento e pode ser superada com práticas adequadas.

Quais os tratamentos para a síndrome de burnout?

Primeiramente, cumpre destacar que diagnosticar o que é síndrome de burnout e sua manifestação em pacientes deve ser a ação de um profissional competente de saúde mental, seja um psicólogo ou um psiquiatra.
Dessa forma, a melhor forma de tratamento, além de seguir as dicas de prevenção listadas mais acima, é se dedicar a um procedimento psicológico constante e efetivo.

Caso seja necessário, um psiquiatra pode diagnosticar medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos de forma a aliviar os sintomas e tornar o profissional mais funcional e menos vulnerável ao estresse e ao cansaço extremo.
Para alguns sintomas específicos da síndrome de burnout, como as disfunções sexuais (problemas de ereção, ejaculação precoce e perda de libido), é sugerido também buscar a ajuda de um urologista.

Inclusive, se você deseja atendimento com um urologista para acompanhamento da sua saúde sexual, existem plataformas de telemedicina disponíveis que oferecem consultas discretas, efetivas e seguras com profissionais capacitados registrados no CRM (Conselho Regional de Medicina).

Gostou do conteúdo? Esperamos que tenham entendido a importância de saber o que é síndrome de burnout e como o problema, além de recorrente, pode ser grave e trazer consequências extremamente negativas para a saúde psicológica da pessoa.

*Esse artigo foi escrito pela Omens, plataforma direta, online e segura de acompanhamento da saúde sexual. Nossa equipe é formada por médicos urologistas certificados pelo CRM e especificamente qualificados para teleconsulta

Você deve estar logado para comentar.