Facebook Twitter Youtube Google+ Image Map
27 abr 2019

Iluminador holográfico: inclua o item na make e conquiste um resultado radiante

Arquivado em Beleza, Comportamento

mini-iluminador-holografico-aquarela-espelhos-header-desktop

Maquiagem iluminada e acabamento holográfico – também conhecido como furta-cor –, são duas paixões de quem não abre mão de um efeito glow na hora de finalizar a make. Para atender a essa necessidade, o minipó iluminador holográfico, de aquarela espelho, é aliado certeiro.

Capaz de destacar pontos estratégicos do rosto e deixar a maquiagem mais moderna , o iluminador virou item indispensável ao nécessaire. E se tiver tamanho compacto, perfeito para ser levado na bolsa, melhor ainda.

Na hora do preparo da make, o ideal é que ele seja aplicado após a base, para valorizar a intensidade. Sua funcionalidade 2 em 1 ainda permite usá-lo como sombra.

Onde aplicar o iluminador

1. Têmporas

Sabe aquela região mais alta da maçã do rosto, logo abaixo dos olhos? Ela é uma das mais favorecidas pelo efeito do iluminador, que faz toda a diferença no estourar do flash na hora da foto. Se quiser um resultado ainda mais brilhante, avance com o produto pelas laterais dos olhos, reproduzindo uma espécie de c.

2. Olhos

Para aproveitar a multifuncionalidade do minipó iluminador holográfico e deixar o olhar mais marcante, use o produto no canto interno dos olhos e na região logo abaixo das sobrancelhas. São os famosos pontos de luz.

3. Nariz

Outra área à qual muitos recorrem para tirar melhor proveito do iluminador é o ossinho do nariz. Esse uso cria uma ilusão de ótica, fazendo-o parecer mais fino. Restrinja-se à parte mais alta, evitando a pontinha, para melhor resultado.

Aquarela espelho

Quer mais? A coleção espelho, de aquarela, conta ainda com outros itens que vão enriquecer sua make: duas cores de batom multi color 2 em 1 – pink holográfico 365 e rosa 202 roxo 632 –, lápis olhos 2+ color roxo holográfico e duas novas cores intensas do batom hidra fps 8 – rosa 224 e pink 358. Para reconectar as cores e a luz da sua beleza

24 abr 2019

Por que temos pesadelos e quando procurar ajuda profissional?

Arquivado em Comportamento, saúde

pesadelos-shutter

Quem sofre com os pesadelos constantes, geralmente, acordam em um estado de extrema angústia, além de sintomas físicos nada agradáveis, como: batimento cardíaco acelerado, transpiração profusa, náuseas e pavor.  As causas dos pesadelos são variadas. As crianças são propensas a pesadelos, alguns tão graves que acordam gritando e chorando. Comer certos alimentos muito perto da hora de dormir pode desencadear pesadelos, assim como ver filmes de terror ou noticiários sangrentos pela televisão. Ir para a cama preocupado ou depois de uma briga pode causar pesadelos. Algumas doenças também podem provocar pesadelos terríveis, como: depressão; apneia do sono (a queda de oxigênio no cérebro durante os engasgos está ligada a pesadelos); ansiedade; estresse pós-traumático;  hipoglicemia noturna e Parkinson, entre outras.

Entrevistei a professora de Psiquiatria da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Christiane Carvalho Ribeiro, sobre causas, consequências e tratamentos. Confira:

Adriana Santos: Qual a definição de um pesadelo?
Os pesadelos são sonhos vívidos que geralmente envolvem emoções negativas, em que há sensação de perigo e ameaças, com o próprio indivíduo ou pessoas próximas. Tais sonhos apresentam sequências longas e elaboradas, nos moldes de uma história, em que o indivíduo se recorda de detalhes e de outras sensações vivenciadas. Pode ocorrer concomitantemente a presença de sintomas somáticos, como palpitações, sudorese e leve aumento das frequências cardíaca e respiratória. É muito comum a relação com transtornos de ansiedade, trauma e stress.

Quando os pesadelos constantes podem ser considerados um distúrbio do sono?
Quando há aumento do tempo de duração dos pesadelos, que pode perdurar por vários meses, e além disso ocorre mais de um episódio por semana. Em alguns casos mais graves, podem ocorrer todas as noites. Além disso, essa perturbação deve ser suficiente para causar sofrimento significativo e prejuízos sociais, ocupacionais e de saúde na vida do indivíduo.

Os pesadelos são sempre provocados por traumas psicológicos?
Há grande relação com traumas, porém existem outras situações em que os pesadelos podem estar presentes como por exemplo o uso de medicações, como alguns antidepressivos e antihipertensivos, o luto, a privação do sono, ausência de rotina nos horários para dormir, fatores genéticos; uso de drogas; fatores genéticos.

Quando é a hora de procurar um profissional?
Nas situações em que os pesadelos podem causar sofrimento subjetivo significativo, e também grandes prejuízos sociais e profissionais. Além disso, quando estão associados a sintomas como aumento da sonolência diurna, irritabilidade, humor deprimido. Indivíduos com pesadelos freqüentes apresentam mais risco de ideações suicidas e de tentativas de auto-extermínio, o que também é um sinal de alerta.

Como é feito o tratamento?
É necessário investigar as causas dos pesadelos constantes, e se têm associação com traumas, ansiedade, humor deprimido, alterações na rotina familiar e escolar, no caso da criança e adolescente. Estudos demonstram maior associação de pesadelos em crianças que sofrem bullying ou que presenciam conflitos familiares constantes. O tratamento deve ser realizado visando controlar as causas que têm levado aos pesadelos contantes, e melhora do controle do humor e do sono. Em alguns casos, será indicado o tratamento farmacológico. A psicoterapia é essencial para que o indivíduo consiga lidar com os seus medos e ansiedades.

Por que as crianças têm tantos pesadelos?
A partir da primeira infância a criança já possui grande parte da maturação do desenvolvimento do Sistema Nervoso Central, o que faz com que consiga interpretar o conteúdo dos sonhos. Além disso, a introdução de novas experiências na fase escolar/pré-escolar e familiar torna a criança mais susceptível a ocorrência de pesadelos. Quando estes pesadelos passam a ocorrer de forma constante e incapacitante, impactando as atividades escolares e prejudicando o sono, é importante realizar um atendimento especializado e se atentar para outras alterações na rotina.

Dicas
Criar uma rotina de higiene do sono, evitar uso excessivo de smartphones, televisão e tablets até tarde, estimular atividades físicas. No caso de ocorrência eventual de pesadelos nas crianças, é importante tranquiliza-la e acolhê-la, e não valorizar o conteúdo do pesadelo, sem exigir que ela fale detalhes sobre o sonho. Evitar álcool e drogas que piorem os sintomas.

22 abr 2019

Colaboração e Sustentabilidade: Pilares do ramo de brechós

Arquivado em Cidade, Comportamento
Divulgação

Divulgação

Um grupo formado por 14 mulheres, dentre elas professoras, advogadas, estilistas, modelos, e empresárias de outros segmentos, se reuniram em Ouro Preto para aprender a montar sua própria loja, no conceito faça você mesma. Elas saíram de diversas cidades mineiras e de estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo e aprenderam a montar uma loja de luxo que demandaria um investimento de R$ 10 mil e ao final custou por apenas R$ 4 mil. Tudo isso em apenas dois dias.

A ação, ocorrida nos dias 13 e 14 de abril, fez parte do Workshop Montagem e execução de um brechó de luxo, realizado na Casa de Negócios da Moda, da empreendedora Maria Silva Gomes, popularmente conhecida como Nusa Maria. As empreendedoras aprenderam, por exemplo, a afixar papel de parede e laminado no chão, como instalar araras e pasmem como usar a furadeira.

Além de luxuosa, a loja construída carrega os conceitos que Nusa trabalha como sustentabilidade, reaproveitamento de materiais, contudo, a ideia principal da empreitada foi mostrar que a colaboração mutua e a sustentabilidade são pilares do ramo de brechós. “Quando estamos todos focados em um único objetivo conseguimos concluir muitos projetos com excelência e agilidade. Essa foi a proposta da nossa loja sustentável. Utilizamos 90% da estrutura de forma sustentável e ecologicamente correta”, explica a empreendedora. Em toda a loja, somente o piso e o tecido da parede não são sustentáveis.

Muito mais do que uma simples aula de faça você mesma, Nusa Maria ensinou como usar equipamentos com segurança e praticidade, detalhou como comprar todos os materiais incluindo preços e fornecedores e repassou regras de como usar o mobiliário numa loja. O Workshop foi completo e foi abordado ainda não só como escolher o melhor ponto, mas também como avaliar a vizinhança, e detalhes como segurança, estacionamento, iluminação, acesso de pessoas com dificuldade de locomoção e com crianças não passaram despercebidos. As alunas aprenderam ainda como fazer um planejamento estratégico, construção da marca, estratégias de marketing, e como se diferenciar neste setor.

“Hoje eu tenho absoluta certeza que com tudo o que foi apreendido eu posso abrir com segurança uma loja física”, explica Sueli Onofre, que mora do Rio de Janeiro. Janaina Tereza de Freitas Campelo, proprietária do Brechó Atitude, localizado em Belo Horizonte, vai mais longe e afirma que não só vai reformar sua loja sozinha, mas o curso mudou sua concepção de negócio, no ramo de brechó. Ela percebeu que o ramo é muito mais colaborativo do que pensava. “Hoje depois dos conhecimentos adquiridos através do curso mudei totalmente minha visão, consigo me estabelecer no mercado Brechonistas com toda uma estrutura segmentada a nosso segmento, e entendi que unidos só os mais fortes”, afirma.

As alunas ficaram hospedadas na Casa de Negócios. O empreendimento foi inaugurado recentemente e está localizada na rua Vereador Paulo Elias, 153, bairro Bauxita, em Ouro Preto. A Casa conta com uma sala de estudos, equipada com equipamentos multimídia, mesa de estudos, sala para consultoria individual, três quartos confortáveis e isso sem contar a decoração, que não só carrega em sua arquitetura, o conceito de sustentabilidade, mas também parte essencial dos fundamentos da história de Ouro Preto, por isso mistura luxo e simplicidade ao mesmo tempo.

4

Página 3 de 1961234567... 196Próximo