22 jul 2019

Ajuda Pet: a tecnologia em defesa animal

Os doguinhos tiveram um espaço especial na Virada Cultura de BH, no Viaduto Santa Tereza, afinal os mineiros já entenderam que os animais não são objetos. Pelo contrário, são seres vivos que sentem dor, amizade, amor e sofrem com o abandono.

No evento, os interessados tiveram a oportunidade de conhecer o projeto Ajude Pet, uma ideia inovadora em prol do animal. O objetivo é encontrar e executar soluções efetivas para o fim do abandono e sofrimento de cães e gatos. Com base em três pilares: gestão estratégica, tecnologia e união das pessoas.

Saiba mais:

02 dez 2015

Voluntários ‘adotam’ idosa cuidadora de 70 cães e 25 gatos

Arquivado em Animais, Cidade, Comportamento
CARMEM

Reprodução/Facebook

Um grupo de moradores de Sorocaba, no interior de São Paulo, decidiu adotar uma idosa de 72 anos e seus 70 cães e 25 gatos. Dona Carmem Rosa, que reside em Salto de Pirapora, município vizinho, estava com dificuldade para manter com dignidade os animais abandonados que recolhia nas ruas da cidade.

Os voluntários Vanessa Nunes e Ricciéri de Oliveira se mobilizaram por meio das redes sociais e realizaram um mutirão para limpar a casa. Integrantes do grupo os veterinários Allan Menin, Débora Fernanda Guilherme e Carolina Gutieres examinaram os animais e separaram quatro cães que estão em pior situação de saúde. Uma cachorra foi submetida a retirada de um tumor de mama.

Todos estão com alguma doença decorrente das precárias condições de higiene. “Estamos fazendo o tratamento e depois vamos selecionar aqueles que devem ser submetidos à castração”, afirmou a veterinária. Parte dos cães será oferecida em adoção, mas alguns animais vão continuar na casa de dona Carmem. “Ela é uma pessoa boa e gosta dos animais, então vamos ajudá-la com ração e assistência”, disse Carolina Gutieres.

O grupo trabalhou vários dias para retirar lixo e entulho acumulados na casa. A prefeitura providenciou duas caçambas para que o material fosse descartado. Segundo ela, ainda há muito material a ser retirado. “Precisamos de mais braços para esse trabalho”, disse.

Os voluntários conseguiram ração para os bichos e cinco cestas básicas para a mulher, que sobrevive com a aposentadoria de um salário mínimo. “Ela é tão generosa que dividiu parte das doações com outras famílias necessitadas”, contou a veterinária. A psicóloga, Carolina de Paula Almeida que também integra o grupo tenta convencer dona Carmem a aceitar que parte dos animais seja adota por outras famílias.

“Dona Carmem é muito apegada aos animais, e não sabe negar quando algum deles precisa de abrigo, porém toda essa situação é complicada para a mesma. Ela vive em condições precárias e acabou acostumando-se com a ausência de conforto em prol dos animais que acolheu. Estamos realizando um trabalho que cuide não só dos animais, mas também com a saúde física e emocional de Dona Carmem. É um trabalho de resgate de sua identidade, e de escuta e acolhimento de suas aflições, relata a Psicóloga.

O grupo lançou na rede social Facebook a página “Abrigo da Dona Carmem” para ampliar a mobilização. A página será também um canal para a adoção dos animais. De alguns, dona Carmem já avisou que não abre mão, por isso a turma vai construir um canil em sua casa, que tem terreno grande. “Ela quer fazer o melhor para eles, e a gente vai ajudar”, disse Carolina Gutieres.

“É um trabalho desafiador, estamos com muitas pessoas motivadas em ajudar, porém precisamos muito de apoio financeiro já que existem várias tarefas a serem realizadas que geram um alto custo.” afirma Carolina de Paula Almeida.”

FOFURAS

cão1

cão2

cão3
CÃO4
27 out 2015

Jovem adestra cães abandonados para facilitar adoção

Arquivado em Comportamento
thiago

Arquivo pessoal

O jovem Esdras Andrade, 19 anos, de São José dos Campos, no interior de São Paulo, adestra os peludos que ele encontra abandonados pelas ruas  para que eles possam chamar atenção dos futuros tutores. O adestrador de cães mantém 30 cães em seu abrigo na Vila Tatuetuba.

Esdras conta que seu amor pelos animais começou aos 8 anos de idade quando levou 13 cães para casa. Agora o garoto é responsável pelo abrigo escola “CãoMorada” que busca acolher, vacinar, castrar, adestrar e encaminhar um animal abandonado para a adoção responsável. “Um animal sem raça não chama a atenção de possíveis donos. Porém, se ele souber truques de adestramento pode fazer sucesso e ganhar um lar com mais facilidade. Além disso, grande parte dos cães de rua apresenta problemas comportamentais devido aos traumas do abandono ou maus tratos, que são superados com aulas de adestramento”, explicou nas redes sociais.

Os custos para manter o abrigo vão além de ração, limpeza e vacinas – alguns animais precisão de cuidados veterinários especiais. Por isso, o jovem viu que há urgência de encontrar novos lares para os cães abandonados. Para ajudar, Esdras mobiliza uma campanha nas redes sociais. Você pode ajudar o Esdras? Acesse o Facebook

Página 1 de 212