15 abr 2019

Santa Casa de BH inaugura serviço de diagnóstico e tratamento do retinoblastoma

Arquivado em criança, saúde, SUS

SANTA CASANo ano em que completa 120 anos, a Santa Casa BH comemora mais uma vitória no tratamento das crianças com câncer em Minas Gerais. No dia 22 de abril, será oficializada a implantação do Serviço de Diagnóstico e Tratamento do Retinoblastoma (único na capital mineira), que marca também o início das atividades do Instituto de Oncologia. A cerimônia será realizada, às 16 horas, no Ambulatório de Oncologia Pediátrica da instituição, que funciona no 2º andar do Hospital São Lucas (entrada pela Rua dos Otoni). Até então, as crianças diagnosticadas com retinoblastoma – o câncer intraocular mais comum na infância – eram encaminhadas para tratamento em São Paulo. Com o novo serviço, os pacientes mirins receberão atendimento integral pelo SUS em Belo Horizonte. Os agendamentos via convênio ou particular poderão ser realizados no Hospital São Lucas – unidade de saúde do Grupo Santa Casa BH.

Para funcionamento do serviço, foi fundamental a aquisição do RetCam – adquirido com recursos próprios da Santa Casa BH e com verba doada pela ONG Marchadores pela Vida e ARD Foundation. Trata-se de um moderno e avançado sistema de mapeamento e avaliação da retina baseado em imagens fotográficas digitais de alta resolução, que permite diagnósticos precisos das mais diversas patologias oculares. A câmera de alta resolução do RetCam captura as imagens e as amplia em um monitor, onde é possível ajustar o brilho, contraste e equilíbrio de cores, permitindo o diagnóstico oftalmológico e acompanhamento das lesões.

De acordo com a oncologista ocular, Dra. Rafaela Caixeta, o retinoblastoma é a principal causa de remoção do globo ocular em crianças. “É um câncer com altos índices de cura, desde que diagnosticado precocemente e adequadamente tratado. A chegada do RetCam é uma grande vitória. Agradecemos a todos que colaboraram para que isso fosse possível, em especial à família Marchadores pela Vida”, ressalta.

Para o oncologista pediátrico, Dr. Joaquim Caetano Aguirre Neto, cerca de 80% dos casos da doença são diagnosticados antes dos 4 anos. “O sinal mais comum é a leucocoria ou reflexo pupilar branco [olho de gato], seguido do estrabismo. Outras formas de apresentação menos frequentes são inflamação, irritação ocular, glaucoma, massa em órbita e proptose. Em casos avançados, podem ocorrer sintomas de comprometimento do sistema nervoso central [cefaleia e vômitos] e da medula óssea [dor óssea]. A detecção do primeiro sinal é percebida, na maioria dos casos, por um familiar da criança ou pelo pediatra. Diante de qualquer suspeita, é imprescindível encaminhá-las para um serviço de referência”, explica.

A Santa Casa BH já está em contato com a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais para oferecer o serviço especializado e, com isso, ampliar o número de crianças atendidas.

Sobre o Instituto de Oncologia:

O Instituto de Oncologia SCBH é um projeto importante dos 120 anos da instituição. Para alcançar mais esta realização, o hospital busca apoio de parceiros. As novas instalações permitirá o aumento do número de atendimentos aos pacientes oncológicos, com a oferta de novas vagas para a população de todo o Estado. Será disponibilizado, em um único local, equipe multidisciplinar completa, proporcionando a integralidade na assistência e trazendo maior agilidade na realização do diagnóstico e tratamento, além de garantir a agilidade e assertividade nos processos assistenciais administrativos. De acordo com o DATASUS do Ministério de Saúde, a SCBH é a que mais trata pacientes oncológicos e a segunda que mais realiza cirurgias oncológicas em Minas Gerais. No caso de pacientes com menos de 17 anos, a instituição assume a liderança no estado.

Serviço: Abertura do Serviço de Diagnóstico e Tratamento de Retinoblastoma | 22 de abril (segunda-feira) |16 horas | no Ambulatório de Oncologia Pediátrica da SCBH, que funciona no 2º andar do Hospital São Lucas. A entrada é pelo Pronto Atendimento Adulto (rua dos Otoni, 660, Santa Efigênia).

04 set 2015

O que está por trás dos arquivos secretos do Vaticano?

Arquivado em Saúde & Literatura

arquivos secretos 3

Tudo o que é oculto, secreto, proibido parece chamar mais nossa atenção. E, de fato, uma aura de mistério envolve os Arquivos Secretos do Vaticano.

O local é um imenso repositório de informações. Em seus 85 quilômetros de prateleiras estão livros, documentos, papéis e imagens, contando cerca de dois milhões de registros, que a Igreja Católica acumulou em oito séculos. 85 quilômetros é a distância aproximada entre Belo Horizonte e Pará de Minas.

Mas o que há de tão secreto em tudo isso? O local, apenas parcialmente aberto para consulta, não é um simples depósito de dados, mas uma espécie de área proibida, que guarda detalhes que mudariam não apenas a história do cristianismo, mas também a da humanidade como a conhecemos. Lá seria possível encontrar informações “perigosas”, como os Evangelhos Apócrifos, o código da Bíblia, o verdadeiro terceiro segredo de Fátima, documentos confidenciais e outros, incluindo os relacionados à renúncia do papa emérito Bento XVI.

Se há algo que fascina as pessoas é a possibilidade ter acesso a dados considerados “proibidos”, que desafiam a realidade como a conhecemos e provocam nosso imaginário a conjecturar qual seria, na verdade, a realidade.

O “Saúde e Literatura” entrevista Sérgio Pereira Couto, 48 anos, autor do livro “Arquivos Secretos do Vaticano, jornalista e escritor especializado em história do esoterismo, da ciência criminal, de teorias de conspiração e das sociedades secretas. Foi redator das revistas História Oculta e Biblioteca Negra, publicadas pela Editora Mythos, além de ter participado das revistas Geek, Discovery Magazine e outras. Hoje continua a trabalhar com outras revistas da mesma editora (Biblioteca Secreta, Sociedades Secretas e Arquivos Negros), enquanto prepara novos livros que serão lançados em livrarias e bancas de jornais. Confira:

sérgio

Aquivo pessoal

Adriana Santos:  O que são os Arquivos Secretos do Vaticano e quais os principais assuntos abordados nos documentos?

Sérgio Pereira Couto: Os arquivos são a coleção de documentos comuns a qualquer administração. Só que, em vez de conter apenas documentos comuns, estes contém, inclusive, papeis históricos e importantes do vasto e amplo espectro de atuação da Igreja com o passar dos anos. E o mais interessante é verificar que há, por exemplo, a carta de Henrique VIII da Inglaterra requisitando o divórcio de seu primeiro casamento com catarina de Aragão ou trabalhos apreendidos pela Inquisição de autoria de Galileu Galilei, que foi investigado por eles por heresia ao afirmar que o Sol era o centro do universo, não a Terra.

Adriana Santos: Por que o tema despertou o seu interesse?

Sérgio Pereira Couto: Tudo que é secreto á passível de ser interpretado de maneiras diferentes. Tive uma oportunidade de viajar para o Vaticano e lá conheci o prefeito dos arquivos, que me disse algumas coisas interessantes, como o fato de que as pessoas interpretam mal os arquivos secretos e que a verdadeira definição deveria ser “arquivos do secretário”, já que o secretário do Vaticano, na época do pontificado de cada papa, é quem alimenta o órgão com os papéis, que ficam pelo menos 75 anos mantidos em segredos e só depois desse período é que são liberados para consulta pública.

Adriana Santos: O que há de tão interessante nos Arquivos Secretos que pessoas do mundo todo, pesquisadores ou não, se interessam tanto pelo assunto?

Sérgio Pereira Couto: Por ter muita coisa apreendida pela Santa Inquisição convencionou-se achar que os arquivos conteriam muitos documentos que provariam as mais variadas coisas. Os conspírólogos, os “especialistas” em conspirações, acham que lá há até correspondência entre os papas e ETs e coisas assim. Os arquivos viraram uma espécie de Área 51 europeia e temática, já que pertencem ao Vaticano.

Adriana Santos: Quais foram suas fontes de pesquisa? Quanto tempo demorou para reunir todas as informações disponibilizadas no livro?

Sérgio Pereira Couto: Minhas fontes de pesquisa foram quatro visitas de 20 minutos ao local, além de entrevistas com os encarregados. Todas as informações no livro demoraram cerca de sete anos no total para serem reunidas.

Adriana Santos: Quem tem acesso irrestrito aos Arquivos Secretos do Vaticano?

Sérgio Pereira Couto: Em geral os documentos mais modernos são apenas para os funcionários da cúria romana, enquanto o acervo é aberto para o público, mas mesmo assim é necessário passar por uma espécie de pré-seleção para obter acesso aos papéis.

Adriana Santos: Você acredita que o Papa Francisco possa facilitar o acesso dos arquivos que abordam o “Terceiro Segredo de Fátima”, um assunto que interessa grande parte dos católicos?

Sérgio Pereira Couto: Até onde sabemos, o terceiro segredo de Fátima foi revelado ao público pelo papa João Paulo II. Não há nenhum indício de que haveria mais para ser revelado sobre esse assunto. E não acredito que o papa Francisco saiba de algo espúrio e que ainda não foi divulgado.

Adriana Santos: O que se trata o Código da Bíblia?

Sérgio Pereira Couto: O código da Bíblia é uma sequência de letras equidistantes que pode ser revelado a partir do momento que se insere no computador i texto original do Velho Testamento em hebraico em forma de matriz de texto sem linhas ou parágrafos. A partir de então o computador pode procurar as passagens onde essas sequências revelam profecias ocultas e que podem citar o nome de qualquer um. O estudo, originado em Israel por um cientista matemático, ganhou o mundo quando foi divulgado pela mídia norte-americana, que encontrou no texto sequências que previam mortes como as de Yitzak Rabin e da princesa Diana Spenser, além de acontecimentos como a invasão do Iraque e o 11 de setembro. Especula-se, sem provas, de que uma cópia bem guardada do software que faz as análises estaria nos Arquivos Secretos, guardada a sete chaves, e que ela teria como realizar o mesmo estudo na Bíblia inteira, ao contrário do programa original, que só analisava o Antigo Testamento.

Adriana Santos: O que está por trás da renúncia do papa emérito Bento XVI?

Sérgio Pereira Couto: Razões administrativas fortes demais para que um papa pudesse enfrentar todos os problemas que uma Cúria Romana envolta em casos de corrupção e até de lavagem de dinheiro pudesse resolver por si mesmo. Quando se é um sacerdote que só tem força no campo espiritual e não no administrativo, essas coisas acontecem. Uma andorinha só não faz verão.

Adriana Santos: Por que os evangelhos apócrifos são tão “perigosos” para o “status quo” da Igreja Católica?

Sérgio Pereira Couto: Porque trazem ideias que são díspares ao que é pregado pelos evangelhos canônicos. Desde a descoberta no fim da década de 1940 a quantidade desses textos aumentou muito e ideias como a do suposto casamento entre Jesus e Madalena começaram a surgir. A intenção é manter uma unidade na administração espiritual, não promover separações e cismas, como aconteceu muito durante a história da Igreja.

Adriana Santos: Os Arquivos Secretos do Vaticano guardam segredos de seres extraterrestre?

Sérgio Pereira Couto: Que eu tenha visto, não. Isso é mais uma bobagem propagada por conspirólogos.

Adriana Santos: Para finalizar, o Vaticano ainda hoje faz alguma pressão política com relação às descobertas científicas que tentam provar a reencarnação?

Sérgio Pereira Couto: Que eu saiba as autoridades católicas tem como premissa não aceitar a noção da reencarnação. Sendo assim, não monitoram nada que corresponde ao assunto, preferindo se preocupar com astronomia, física, matemática e outros assuntos que ocupam as principais correntes de pensamento científico moderno.