09 jan 2019

Santa Casa de BH: Hospital pioneiro na capacitação de funcionários na língua brasileira de sinais

Arquivado em Cidade, Comportamento, cursos, saúde

sinaisO maior hospital filantrópico de Minas Gerais deu mais um passo importante no acolhimento às pessoas com deficiência (PCDs). Para estimular a educação inclusiva, a instituição iniciou a primeira turma do curso de Libras – Língua Brasileira de Sinais – para seus funcionários. A iniciativa pioneira foi possível graças à apro­vação de um projeto no Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/ PCD) em 2017. Com duração de 60 horas, a capa­citação tem o objetivo de preparar os profissionais, ampliar as possibilidades de inclusão de PCDs e criar ambientes acessíveis.

A primeira turma – formada por 30 alunos das áreas assistenciais e de atendimento ao público – se encerra no dia 16/01. As aulas são ministradas pelo professor Marlon Loureiro Ulhoa, da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), nas terças e quartas-feiras, das 14 às 18 horas. Em 2019, serão ofere­cidas mais seis turmas, capacitando 180 alunos. Deste total, 70 são funcionários da Prefeitura de Belo Horizonte.

De acordo com a superintendente de Recursos Humanos da instituição, Clarinda Maria de Macedo, o curso está indo além do cumprimento da legislação: “percebemos o interesse dos participantes em aprender e multiplicar esse conhecimento, permitindo que mais profissionais olhem para as pessoas com deficiência de forma igualitária, inclusiva e sem preconceito. Com isso, a Santa Casa BH também cumpre o seu papel de humanização”.

31 dez 2018

Cenas urbanas: os adoráveis gatos do Parque Municipal de BH conquistaram meu coração

gato2

O ano de 2018 não foi fácil para mim. Foram muitas inquietudes, provações e batalhas, além de presenciar momentos difíceis na política brasileira. No entanto, o “Ano Velho” deixou algo especial na minha vida: o hábito saudável de caminhar, praticamente todos os dias, em um dos locais mais exuberantes da capital mineira, o Parque Municipal de Belo Horizonte. É o patrimônio ambiental mais antigo de BH e foi projetado no final do século XIX pela comissão construtora encarregada de planejar a nova capital de Minas Gerais. Possui uma área de 182 mil metros quadrados de extensa vegetação. Abriga o Teatro Francisco Nunes, Orquidário, um pequeno parque de diversões e a parte dos fundos do Palácio das Artes. Foi lá que encontrei o principal motivo de sempre voltar: a amizade. Fiz vários amigos especiais, entre moradores de rua, gatos e cuidadores de felinos. É muito amor, minha gente!

Nunca imaginei sentir tanto afeto pelos gatinhos… Sempre fui mãe de cachorro. Acreditei até em possuir um temperamento canino. Com relação aos felinos, só tinha olhos voltados para a onça-pintada, o jaguar (onça-pintada), o maior das Américas.  Agora, me vejo rodeada de gatos. Dois, em especial, me adotaram! É incrível! Nem preciso levar petiscos para atraí-los. Para falar a verdade, hoje foi a primeira vez que comprei um pacotinho de biscoitos para gatos. Não vejo a hora de agradar meus amores!

É impossível ficar indiferente diante dos gatos do Parque Municipal de BH. Por isso, sempre há no local voluntários dispostos a contribuir com o bem estar dos adoráveis bichinhos. Os moradores de rua, que frequentam o parque, estão sempre atentos e sabem informar o paradeiro de cada um. A Prefeitura é responsável por castrá-los e vaciná-los. Só não consigo aceitar o corte nas orelhinhas para identificá-los, mas minha indignação é pauta para outra postagem. Preciso investigar melhor os motivos de tal decisão. Nada de julgamentos, sem argumentos, né?

Bastet,Os gatos fazem história. No antigo Egito, eles ajudaram os governantes a controlar os ratos que infestavam a região, destruindo as colheitas de grãos e cereais, além de espalharem doenças. Por isso, os egípcios dedicavam rituais de veneração aos gatos, como por exemplo, costumavam raspar as sobrancelhas em sinal de luto quando um bichinho de estimação morria. As mulheres acreditavam que os bichanos representavam a beleza. Elas pintavam os olhos na tentativa de conseguir imitar o olhar felino. Os gatos tinham direitos aos ritos fúnebres, sendo embalsamados e sepultados. No século XIX, arqueólogos descobriram mais de 300 mil múmias de gatos num cemitério em Tall Bastah, cidade no delta do rio Nilo onde ficava o principal templo da deusa Bastet, representante do amor materno e trazia proteção aos lares.

Maneki-Neko-JapaoOs japoneses também são conhecidos pelo amor aos gatos. Em 22 de fevereiro é comemorado o Neko no Hi, o Dia do Gato no Japão.

Já o Maneki Neko, que significa “gato acenando”, é o gato da sorte japonês. A figura feita de cerâmica também tem um dia comemorativo (29/09). Apesar de ser originalmente branco, ao longo do tempo, o gato japonês passou a ser comercializado nas mais variadas cores, sendo a cada uma delas atribuído um significado diferente.

Significado das Cores do Maneki Neko. Confira:

• Maneki Neko Branco: Traz sorte e felicidade
• Maneki Neko Preto: Afasta os maus espíritos e protege de doenças
• Maneki Neko Dourado: Traz Riqueza e Prosperidade
• Maneki Neko Prateado: Traz saúde e longevidade
• Maneki Neko Rosa: Sucesso no amor e nos negócios
• Maneki Neko Verde: Traz sucesso acadêmico e profissional
• Maneki Neko Amarelo: Traz boas amizades e relacionamentos
• Maneki Neko Vermelho: Protege contra os espíritos malignos e doenças
• Maneki Neko Azul: Ajuda a realizar os sonhos.

gato flor 2

Quando estava brincando com meu amiguinho, recebi das mãos de um morador de rua uma rosa artesanal feita por ele. Que emoção! São pequenos gestos que fazem toda diferença. Gratidão, amigo! Que 2019 seja de muito amor.

gato flor

 

25 dez 2018

Policiais militares soltam a voz em um shopping de BH

Arquivado em Cidade, Comportamento

PM MUSICA

Policiais Militares da Academia Musical Orquestra Show (AMOS) participaram de um flash mob, no último dia 13, no Shopping Diamond  – bairro de Lourdes, em Belo Horizonte. Para quem não sabe, “Flash Mobs” são aglomerações instantâneas de pessoas em um local público para realizar determinada ação inusitada previamente combinada, estas se dispersando tão rapidamente quanto se reuniram. A expressão geralmente se aplica a reuniões organizadas através de e-mails ou meios de comunicação social.

Com um repertório que agrada os mais diversos públicos, os policiais da AMOS realizam diversas apresentações e são sempre muito aplaudidos por onde passam. Não foi diferente no Diamond, em pleno clima de Natal! Eles agradaram os clientes com músicas eternizadas dos Beatles que falam de amor.  Confira! É muitooooo amor! Parabéns, guerreiros. Feliz Natal!

Página 4 de 241 ...12345678... 24Próximo