16 jan 2019

Santa Casa de BH oferece curso de Cuidados de Enfermagem com Sondas e Cateteres

Arquivado em Comportamento, cursos, saúde
Google

Google

A Santa Casa BH Ensino e Pesquisa realiza, nos dias 22, 30 e 31 de janeiro, o curso de Cuidados de Enfermagem com Sondas e Cateteres. A capacitação visa instruir sobre os tipos de sondas, drenos e cateteres, suas indicações, formas de manuseio e troca de curativos. Também aborda os cuidados gerais e específicos para prevenção de eventos adversos infecciosos e não infecciosos. O investimento é de R$ 110. Inscrições: www.santacasabh.org.br/ver/iep. Informações: (31) 3238-8601 / 3238-8672.

14 jan 2019

Hospital Felício Rocho e Faculdade de Ciências Médicas realizam procedimento inédito na América Latina

Arquivado em Cidade, saúde
Divulgação

Divulgação

A vida do jovem Iago Lopes dos Santos, 23 anos, mudou após dar entrada no bloco cirúrgico do Hospital Felício Rocho (HFR), no último dia 07 de dezembro de 2018. O paciente foi submetido à um transplante inédito na América Latina, no qual recebeu um rim através de uma cirurgia robótica.

Antes do procedimento, Iago vivia em constantes sessões de hemodiálise por conta de complicações de doença renal em estágio terminal. Ele vive em Governador Valadares (MG), região do Vale do Rio Doce, e se deslocava semanalmente à Belo Horizonte para realizar o procedimento exaustivo que o mantinha vivo. Até que sua irmã, Viviane Lopes dos Santos, de 36 anos, foi diagnosticada como apta para a doação de um rim.

Após avaliações do corpo clínico do Hospital Felício Rocho, onde Iago fazia seu tratamento, a decisão foi realizar o primeiro transplante de receptor renal por via robótica da América Latina. Trata-se de um procedimento inovador, pouco invasivo, no qual o órgão é inserido no corpo do paciente e a cirurgia é feita pelo cirurgião através de uma plataforma robótica. Tanta inovação é resultado de uma parceria entre o Hospital Felício Rocho e a Faculdade Ciências Médicas De Minas Gerais (Feluma).

A cirurgia foi realizada com a equipe de transplantes e de cirurgia robótica do Hospital Felício Rocho, assistida pelo médico Cirurgião Geral, Dr. Enrico Benedete, Chefe de Departamento da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos. Antes disso, em outubro deste ano, e também de forma pioneira, a equipe do HFR já havia feito a cirurgia de retirada do rim do doador para transplante, também por via robótica.

O transplante renal é a melhor terapia de substituição renal em portadores de insuficiência renal crônica. Ele melhora a qualidade de vida e o tempo de vida desses pacientes. Implantar o robô nesse tipo procedimento colabora para essa cirurgia tornar-se ainda mais segura, eficaz e para que a recuperação seja mais rápida e menos dolorosa.

Todo o procedimento durou cerca de três horas.

O rim transplantado funcionou imediatamente. Iago evoluiu muito bem no pós-operatório e já tinha condições de alta antes de uma semana após a realização do procedimento robótico. Os benefícios da cirurgia robótica incluem visão magnificada em três dimensões, maior amplitude dos movimentos, resultando em uma maior precisão cirúrgica, menor agressão ao organismo e uma recuperação pós-operatória mais rápida, menos dolorosa e com retorno mais precoce do paciente às suas atividades habituais. Sem dúvida, esse procedimento realizado pela parceria do Hospital Felício Rocho com a Feluma é um avanço e tanto para a medicina brasileira.

A plataforma robótica é de uma precisão gigantesca. Bastante usada em cirurgias renais, prostáticas, mas também em muitos outros tipos de procedimentos, de várias especialidades médicas e, com resultados muito satisfatórios. Tudo isso porque o robô atua com uma visão tridimensional, magnificada, que capta detalhes anatômicos de uma forma ampliada e com ótima qualidade de imagem, além de uma maior amplitude de movimentos.

09 jan 2019

Santa Casa de BH: Hospital pioneiro na capacitação de funcionários na língua brasileira de sinais

Arquivado em Cidade, Comportamento, cursos, saúde

sinaisO maior hospital filantrópico de Minas Gerais deu mais um passo importante no acolhimento às pessoas com deficiência (PCDs). Para estimular a educação inclusiva, a instituição iniciou a primeira turma do curso de Libras – Língua Brasileira de Sinais – para seus funcionários. A iniciativa pioneira foi possível graças à apro­vação de um projeto no Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/ PCD) em 2017. Com duração de 60 horas, a capa­citação tem o objetivo de preparar os profissionais, ampliar as possibilidades de inclusão de PCDs e criar ambientes acessíveis.

A primeira turma – formada por 30 alunos das áreas assistenciais e de atendimento ao público – se encerra no dia 16/01. As aulas são ministradas pelo professor Marlon Loureiro Ulhoa, da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), nas terças e quartas-feiras, das 14 às 18 horas. Em 2019, serão ofere­cidas mais seis turmas, capacitando 180 alunos. Deste total, 70 são funcionários da Prefeitura de Belo Horizonte.

De acordo com a superintendente de Recursos Humanos da instituição, Clarinda Maria de Macedo, o curso está indo além do cumprimento da legislação: “percebemos o interesse dos participantes em aprender e multiplicar esse conhecimento, permitindo que mais profissionais olhem para as pessoas com deficiência de forma igualitária, inclusiva e sem preconceito. Com isso, a Santa Casa BH também cumpre o seu papel de humanização”.

Página 5 de 261 ...123456789... 26Próximo