21 jan 2019

Bons hábitos alimentares podem prevenir o câncer

Arquivado em Comportamento, saúde
Google

Google

*Por Luana Moreira.

Em 4 de fevereiro é celebrado o Dia Mundial do Câncer, que busca mobilizar a população e organizações mundiais sobre a importância da prevenção, diagnóstico precoce e tratamento da doença. A data criada pela União Internacional de Controle do Câncer (UICC) procura ainda alertar sobre a relevância da adoção de hábitos saudáveis para se precaver e curar tumores cancerígenos, que atualmente apresentam 600 mil novos casos por ano no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer – José Alencar Gomes da Silva (INCA).

Outro dado bastante revelador é o de que a alimentação e a nutrição impróprias são classificadas como o segundo fator que influi no surgimento do câncer, mas que pode ser prevenido. As negligências alimentares são responsáveis por 20% dos casos de câncer nos países em desenvolvimento e de cerca de 35% das mortes pela doença.

Com tudo isso, o médico generalista e diretor da Clínica Penchel, Lucas Penchel, aponta que apesar do câncer, na maioria das vezes, estar relacionado a fatores como a genética, maus hábitos de vida e condições externas – como a exposição constante à radiação solar e produtos químicos; alcoolismo; tabagismo e sedentarismo –, a alimentação ainda possui um papel de grande peso tanto na proteção quanto na origem do tumor maligno.

Uma prova clara da relação entre a alimentação e o câncer é uma ação recente do governo brasileiro, que assinou um acordo com a indústria alimentícia para eliminar até o ano de 2022, a quantidade de 144 mil toneladas de açúcar presentes em 23 categorias de produtos como as bebidas adoçadas, bolos, biscoitos, produtos lácteos e achocolatados em pó.

O médico ressalta que é preciso deixar claro, que o açúcar por si só não provoca o aparecimento de tumores malignos, mas o excesso de sua ingestão pode colaborar para a eclosão de quadros de obesidade, que é uma das principais causas de 13 tipos de cânceres. “Sendo assim, não é aconselhável suspender por completo o consumo do açúcar para impedir a origem ou a manifestação de um câncer, mas sim adotar bons costumes alimentares”, recomenda.

Segundo Lucas Penchel, assim como o açúcar, outros alimentos também aumentam o risco de se ter câncer, como são os casos das comidas ultraprocessadas e com altos níveis de conservantes artificiais ou prazo de validade extenso, como os produtos vendidos em caixinha ou saquinho. “Enquanto alguns alimentos podem aumentar as probabilidades de incidência do câncer, outros podem ajudar na proteção do corpo contra a doença. O ideal é que as pessoas adotem uma dieta rica em alimentos in natura ou minimamente processados, frutas, legumes, verduras e cereais integrais. Esse tipo de atitude pode prevenir de 3 a 4 milhões de novos casos de câncer a cada ano no mundo, segundo o Inca”, orienta.

Penchel sugere que é importante dar preferência para os alimentos que venham da terra, pois, aquilo que é plantado e colhido é sempre a melhor alternativa para uma boa nutrição. “No entanto, é indispensável lembrar, que nenhum alimento é milagroso, sendo assim, para se prevenir ou tratar a doença, também é essencial procurar pelo acompanhamento profissional e aderir a uma rotina de hábitos saudáveis”, aconselha.

Por fim, o médico também adverte que o excesso de gordura corporal, principalmente na região abdominal, também é um fator que merece grande atenção. “Geralmente, as pessoas nessa condição têm seus níveis hormonais alterados e isso provoca um estado inflamatório, que pode estimular a propagação celular e inibir a morte programada das células. Com este contexto, o risco de desenvolvimento do câncer se torna acentuado. Entretanto, para afastar este fator complicador, é preciso aliar alimentação saudável e a prática de exercícios físicos regulares”, comenta.

*Jornalista. Assessoria Naves Coelho

07 jan 2019

“D. Pedro: administrador responsável, pai presente, amigo fiel e corajoso” afirma escritor

d. pedro

O personagem da Independência do Brasil D. Pedro I sempre chamou muito a minha atenção, desde criança. Confesso que acho ele bonito e sedutor, talvez motivada pelos artistas que já interpretaram o nosso imperador na telinha da TV e no telão do cinema. Muito se fala do grito às margens do Ipiranga, do apetite sexual e do jeito impaciente, mas a história tem nos revelado muitas boas surpresas em torno do “Demonão“.

Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim é o nome completo de Dom Pedro I, nascido em 1798 no Palácio Real de Queluz, em Portugal, mesmo lugar onde faleceu em 1834 após abdicar o trono no Brasil. Mas quase duzentos anos depois de sua morte, pouco ainda se sabe do homem de personalidade complexa que se dispunha a morrer por um ideal; do pai que queria para os filhos a educação que reconhecia falhar em si próprio; do governante que foi protagonista na transição do absolutismo ao liberalismo e ao regime constitucional no Brasil.

Mais do que um homem de temperamento difícil, “D. Pedro zelava pela administração pública, conferia se os funcionários estavam trabalhando nas repartições, se os exercícios do exército estavam sendo bem executados”. As informações foram dadas pelo arquiteto, historiador e membro titular do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, Paulo Rezzutti – que pesquisou durante anos as cartas e documentos inéditos. O resultado de tanta dedicação foi a publicação do livro “D. Pedro – A história não contada: O homem revelado por cartas e documentos inéditos”, da LeYa Brasil, em 2015.

A biografia escrita por Paulo Rezzutti é mais focada na vida pessoal de D. Pedro do que na sua vida política. O texto é objetivo, claro, cheio de citações de documentos, cartas e depoimentos. Percebemos claramente a admiração do autor por D. Pedro e também os anos de dedicação e estudo sobre o imperador e as pessoas ligadas a ele. Ele, inclusive, trabalhou como consultor técnico na exumação dos corpos dos primeiros imperadores do Brasil.

Conversa com Paulo Rezzutti

Adriana Santos: Como surgiu o seu interesse por pesquisas biográficas, em especial de personalidades do Império Brasileiro?
paulo4Paulo Rezzutti: Tudo começou com a pesquisa sobre a Marquesa de Santos. Conforme eu pesquisava sobre ela eu comecei a ver que determinadas coisas a respeito das demais figuras ao redor dela, como d. Pedro I e d. Leopoldina, não eram faladas. Isso me instigou a procurar saber mais sobre esses personagens.

Na sua avaliação, quais os pontos fortes e fracos de D.Pedro?

Pontos fracos: impaciente, indisciplinado, mulherengo, imaturo

Pontos fortes: administrador responsável, pai presente e responsável, amigo fiel, corajoso

D. Pedro tinha um temperamento gentil e explosivo ao mesmo tempo e sofria os males da epilepsia, além de uma sexualidade exacerbada. Ele tinha algum transtorno do ponto de vista psiquiátrico, como por exemplo, traços de bipolaridade ou depressão?

Ele era extremamente hiperativo, mas bipolar ou depressivo não consegui identificar nele. Ao contrário de d. Leopoldina que era depressiva ele não sofria desse mal.

O que a política atual deveria aprender com D. Pedro?

A ser mais responsável com a administração pública. Ele era um grande “fiscal”, como o filho, d. Pedro II. Ia ver e conferir tudo, se os funcionários estavam trabalhando nas repartições, se os exercícios do exército estavam sendo bem executados. Você notava a sua presença em diversos segmentos da sociedade. Até mesmo na conferência se o sistema métrico usado no comércio estava exato. Ele tinha, como governante, muita preocupação com o estado financeiro do Brasil. Procurava não fazer dívidas até mesmo usando o paço da cidade, atual Paço Imperial, na Praça XV, que pertencia a coroa, para abrigar repartições públicas e ficar livre de alugar imóveis para elas.

d. pedro livroAs pesquisas em torno de D. Pedro foram de alguma forma surpreendente? Se a resposta for positiva, em qual aspecto?

Todo mundo fala do homem mulherengo e a história dele parecia, para mim, acabar depois que ele saia do Brasil. Eu encontrei um homem completamente responsável com as questões pública e um pai maravilhoso, super preocupado com os filhos. Um homem muito ligado à família, mesmo com a distância das irmãs que foram para a Europa, ele nunca descuidou de manter contato ou mesmo de protegê-las quando foi possível.

Qual o mito difícil de derrubar com relação à vida de D. Pedro?

Devido ao fato de ele ter sido muito mulherengo, é absurda a quantidade de gente que diz que ele morreu de sífilis ou de outras doenças venéreas. Ele morreu de tuberculose, existe até o laudo da autópsia para comprovar. Mesmo assim o povo insiste em propagar inverdades. Outra questão foi o tal chute que ele teria dado em d. Leopoldina. Outra questão difícil de entrar na cabeça do povo que é outro mito criado.

Ainda podemos esperar mais revelações sobre D. Pedro?

Ah, sempre, acredito que a história não é estagnada, sempre podem aparecer mais documentos que revelem algum outro lado ainda desconhecido dele.

Conclusões finais

Queria agradecer o seu contato, e se possível fazer propaganda do meu canal no youtube  Toda semana eu solto um vídeo novo falando sobre pessoas e acontecimentos da história brasileira. Dou dicas de livros e filmes e quando faço alguma viagem mostro algo sobre o nosso patrimônio histórico.

25 dez 2018

Santa Casa de BH abre inscrições para o curso de socorrista

Arquivado em Cidade, Comportamento, cursos, SUS

fachada scbhNo mês de janeiro, a Escola Técnica Santa Casa BH realiza seus tradicionais cursos de férias. Uma ótima oportunidade para quem deseja ampliar os conhecimentos e aprimorar o currículo, com uma capacitação oferecida por uma das instituições de saúde mais respeitadas do País.

Uma delas é o curso de Socorrista, que será realizada de 14 a 25 de janeiro, no período da noite. Os participantes ser tornam aptos a salvar vidas em situações de emergências e atender chamados de resgate e socorro, além de prestar atendimento pré-hospitalar com excelência. Todos recebem a carteira de socorrista.

O investimento é de R$ 80 (matrícula) e duas parcelas de R$ 170. Inscrições: www.santacasabh.org.br/ver/iep. Informações: (31) 3238-8601 / 3238-8672.

Página 2 de 71234567