18 jul 2019

Juscelino Kubitschek: a Águia da Cidade do Sol. Saiba mais sobre os aspectos espirituais de JK

Foto: Flávio Damm

Como amo JK, nossa Águia! Os meus irmãos de alma já sabem da minha profunda admiração espiritual por Juscelino de Oliveira Kubitschek, o presidente sorriso. JK, como era conhecido, foi médico, prefeito de Belo Horizonte, governador de Minas Gerais e primeiro presidente do Brasil. Foi o responsável pela construção de uma nova capital federal, Brasília, executando, assim, um antigo projeto, já previsto em três constituições brasileiras, da mudança da capital federal para promover o desenvolvimento do interior do Brasil e a integração do país.

Desde a primeira constituição republicana, de 1891, havia um dispositivo que previa a mudança da Capital Federal do Rio de Janeiro para o interior do país, determinando como “pertencente à União, no Planalto Central da República, uma zona de 14 400 quilômetros quadrados, que será oportunamente demarcada, para nela estabelecer-se a futura Capital Federal”.

Um fato curioso desse importante período histórico foi o sonho premonitório do padre italiano São João Bosco, no qual disse ter visto uma terra de riquezas e prosperidade situada próxima a um lago e entre os paralelos 15 e 20 do Hemisfério Sul. Acredita-se que o sonho do padre tenha sido uma profecia sobre a futura capital brasileira. Como não poderia ser diferente: João Bosco é o padroeiro de Brasília!

Brasília nasceu à meia-noite do dia 21 de abril de 1960.  É a cidade do Sol em Touro e Ascendente em Aquário. Muito simbólico para aqueles que acreditam que o Brasil nasceu para brilhar!

Para entender mais sobre os aspectos simbólicos e místicos do ex-presidente, entrevistei o jornalista Alexandre Nonato. Ele é o autor do livro JK e os Bastidores da Construção de Brasília, uma vasta  pesquisa sobre a personalidade e a vida pública de Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902 – 1976). Além do foco jornalístico, biográfico, sociométrico e histórico, o livro aborda o aspecto psicológico e intraconsciencial de Juscelino Kubitschek.

Confira:

Adriana Santos: Na sua avaliação, Juscelino Kubitschek é um mito até hoje?

Alexandre Nonato: Sim, por tudo o que representa: otimismo, crescimento econômico, aumento da autoestima brasileira, diálogo com todos, melhoria da infraestrutura etc. É praticamente uma unanimidade entre os políticos brasileiros, que inclusive constantemente buscam associar suas imagens a ele.

 Como foi a sua experiência pessoal durante as pesquisas do seu livro: Jk e os Bastidores da Construção de Brasília? 

Foram necessárias várias viagens para Belo Horizonte, Brasília, Diamantina, São Paulo, Ceilândia, Taguatinga, Cruzeiro, Núcleo Bandeirante etc. Muitas entrevistas, consultas à arquivos públicos, bibliotecas. Foram 6 anos de pesquisa. Além da parte histórica, busquei analisar um pouco da personalidade e do temperamento de Juscelino.

Juscelino foi membro da Maçonaria ou de outra sociedade ocultista (Eubiose)?  JK tinha alguma religião ou crença mística?

Ao que tudo indica, sim. Da Maçonaria. Contudo, não é possível afirmar categoricamente. JK era muito discreto quanto algumas das suas relações com outras crenças. Sua base familiar, cultural foi católica. Estudou em escola de padres e toda a sociedade brasileira, no período em que ele atuou na política, era fortemente católica. JK conhecia Chico Xavier e Waldo Vieira, os 2 principais líderes do espiritismo na década de 50; também conhecia o médium Arigó, que chegou inclusive a operar sua filha, Márcia. Contudo, JK sempre manteve muita discrição nestas relações.

Waldo Vieira, por exemplo, me disse em entrevista, que ele e Chico foram convidados para conhecer Brasília, pouco antes da inauguração. Receberam de presente, cada um, uma gravata do closet pessoal de JK. Waldo e Chico sabiam que seria muito complicado participar da inauguração de Brasília, principalmente para a imagem de JK. Brasília já sofria pressões demais, por isso evitaram isso. Foi um gesto de gentileza de JK convidá-los para conhecer Brasília, pouco antes da inauguração.

Qual a relação pessoal entre JK e Chico Xavier?

A relação entre eles ganhou força através dos coronéis, Jofre Lelis e Nélio Cerqueira, que eram espíritas. Eles teriam intermediado perguntas enviadas por JK para serem respondidas pelos espíritos através de Chico Xavier. Basicamente, essas cartas traziam orientações e palavras e incentivo à construção de Brasília. Muito provavelmente estas cartas foram queimadas pelos mesmos motivos já citados. Quem leva e trazia as perguntas e respostas eram esses 2 coronéis. Mais tarde, Chico foi convidado a conhecer Brasília, antes da inauguração. Segundo entrevista com um dos filhos de Jofre Lelis, JK teria ajudado a agilizar a aposentadoria de Chico, que permitiu ele se dedicar integralmente os trabalhos no espiritismo.

Qual a ligação entre JK, construção de Brasília e Egito?

Em uma de suas autobiografias, o próprio JK comenta que sua visita ao Egito, durante os tempos em que fez especialização médica em urologia na França, impactou ele de um modo que ele jamais se esqueceria. Ele comenta também que as construções no Egito, em especial na era de Akenaton, serviram de inspiração para o projeto de Brasília. Há uma autora, chamada Iara Kern, que possui livros onde defende a possibilidade de JK ser uma reencarnação de Akenaton, em função de semelhança com o projeto e o temperamento de ambos.

A morte de JK foi de alguma forma prevista entre os espíritas ou espiritualistas?

Eu desconheço qualquer coisa neste sentido. A possibilidade mais provável é que ele tenha sido vítima da Operação Condor, assim como Carlos Lacerda, João Goulart e Orlando Letelier. Um outro fator que é válido lembrar é que JK sempre pedia para seu motorista “correr mais” nas estradas. Informação que foi presenciada por alguns entrevistados do meu livro.

Qual é o lado misterioso de Brasília, no seu ponto de vista?

Muita coisa envolvendo algumas histórias místicas ou curiosas sobre Brasília eram estimuladas pelo próprio JK, mas nem sempre correspondiam aos fatos. Uma delas é sobre o comício de Jataí, em que a pergunta de um estudante teria feito o presidente a se comprometer com um dispositivo constitucional que previa a construção de uma nova capital. Na verdade, a construção de Brasília já estava prevista muito antes deste comício. Não foi uma vontade de JK, mas um movimento que iniciou desde o início do século XX. E também não assumido por JK naquele comício, pois ele já havia assumido esse compromisso em seu programa de metas.

Também houve a profecia de Dom Bosco que teria previsto a construção de Brasília. O livro de Tamanini (Brasília – memória da construção) conta que o governador de Goiás José Ludovico teria impresso material de divulgação trazendo o relato de um sonho de Dom Bosco, contudo com “pequenas” alterações que inseriram as palavras “civilização” e “nova capital”.
Em visita Brasil, o padre italiano Renato Zigiotti (da ordem dos Salesianos) se mostrou surpreso com a interpretação.

Na sua opinião, qual foi a melhor virtude de JK?

Liderança e autodeterminação. JK conseguiu como poucos unir em seus projetos outros grandes líderes: Israel Pinheiro, Bernardo Sayão, Oscar Niemeyer, Lúcio Costa etc.

15 set 2016

Amigos da onça pedem que o felino seja patrimônio natural do Brasil

Arquivado em Animais, Cidade, Comportamento

img_6097

Quem já me conhece um pouco sabe sobre uma paixão antiga pelo jaguar ou onça-pintada, maior felino das Américas, ameaçado de desaparecer do Continente. Sou idealizadora do blog Amiga da Onça-Pintada, um projeto de comunicação voluntário para valorizar a imagem do representante dos nossos biomas.

img_6086Fui convidada pela grande guerreira Cristina Gianni,  presidente do NEX, uma organização não governamental com o objetivo defender e preservar o símbolo da nossa biodiversidade, para passar alguns dias perto das feras.  Foram um dos momentos mais felizes da minha vida. Quando encarei a primeira onça, meu coração quase foi parar na boca. É amor demais.

A preservação de felinos é um tema bastante polêmico porque a forma correta de mantê-los vivos e saudáveis seria reconhecê-los como patrimônio natural criando condições para que permanecessem livres na natureza, preservando seus habitats naturais.

No início do ano 2000 foi iniciado o planejamento do NEX assim como a criação de estrutura apropriada na fazenda de propriedade de Cristina Gianni.

O entorno da “Fazenda Preto Velho” conta famílias de trabalhadores da região e ainda o povoado de Aparecida de Loyola, formado por 87 famílias que ali fixaram residência, totalizando 465 pessoas. O objetivo do Nex é investir no ecoturismo, valorizando os moradores.

“A sensação de gratificação não tardou porque conseguimos iniciar nosso trabalho de proteção aos felinos ao mesmo tempo em que promovemos o desenvolvimento da comunidade residente no entorno da nossa sede”, diz entusiasmada Cristina.

Conversei com a bióloga Liane Garcia, responsável pelos cuidados necessários para manter a qualidade de vida das onças em cativeiro.

Rogério é cuidador e amigo das onças. Ele também é responsável pela alimentação, brincadeiras motivacionais e quase me fazer de isca de onça… brincadeirinha.

img_6068

Xingú é um lindo jaguar negro. Na verdade um príncipe negro que procura sua alma gêmea. Ele precisa de uma fêmea. Veja só o charme do rapaz.


Ajude o Nex a ajudar as onças. Seja também um verdadeiro amigo da onça. Saiba mais AQUI

img_6056

27 maio 2015

Aliso não, mãe!

Arquivado em Comportamento

aliso não

A mineira Carolina Monteiro, de apenas 8 anos de idade, está dando aulas de autoestima contra o preconceito na internet. A pequena garota usa seu canal no YouTube para mostrar sua identidade e beleza e rebater críticas dos coleguinhas da escola sobre seu cabelo black power.

Fique de olho!

A busca por novas técnicas de alisamento de cabelos é rotina nos salões de beleza, até mesmo quando os clientes são crianças. Desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a utilização do formol nestas técnicas em 2009, surgiram diversas novas escovas e com diferentes nomenclaturas. A novidade que vem sendo divulgada é a escova de aminoácidos, que promete não agredir os fios e pode ser usada até por grávidas e crianças. No entanto, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) alerta que o aminoácido, por si só, não promove o alisamento, o que provavelmente ocorrerá com a associação de uma outra substância ou a conversão dessa em formol, quando o cabelo é submetido ao calor.

Saiba mais sobre os riscos do alisamento de cabelos com formol. Anvisa

Racismo na universidade

A estudante de Antropologia da Universidade de Brasília (UnB) Lorena Monique resolveu trazer à tona a discussão sobre o racismo presente no dia a dia acadêmico. Inspirada na campanha organizada por alunos negros e negras da Universidade de Harvard (EUA), a aluna desenvolveu um ensaio fotográfico com pessoas que transitavam pelo campus e pediu que elas posassem com frases preconceituosas que já ouviram.

A ideia é mostrar como a discriminação, mesmo que de forma velada, tem consequências devastadoras para quem passa por isso todos os dias. Veja o ensaio completo aqui.

cabelo