30 dez 2019

Como escurecer os cabelos com pó de café

Arquivado em Beleza, cabelo, Comportamento

Já faz um tempo que abandonei as luzes no meu cabelo escuro. Hoje, tento manter a cor mais natural possível.  Como ainda tenho poucos fios brancos, posso optar pela tintura creme henna Surya (Castanho Escuro). O produto semipermanente é bem bacana, porque permite uma coloração mais natural e saudável de colorir os cabelos brancos ou tonalizar os fios. No entanto, o creme feito de henna não é tão barato assim. Custa em média 40 reais. Meus cabelos são lisos e compridos. Então, preciso de dois frascos para tingir o cabelo todo.

Para equilibrar os gastos com tinturas de cabelo, encontrei uma receitinha econômica: misturinha de café solúvel com creme de pentear. Amo tanto café que não me importo com o cheirinho que fica após a aplicação. Prefiro cheiro de café do que amônia.

A receita caseira ajuda ainda na hidratação e, também, no crescimento dos fios. O pó de café serve como um esfoliante capilar.  A hidratação com café ajuda a escurecer um pouco os cabelos e a disfarçar os brancos,  no entanto, o efeito é tipo Cinderela. Depois de três lavagens, o encanto acaba. A boa notícia é que a receita é inofensiva, não prejudica a saúde.

Receita (sugestão de medidas)

Prepare um café amargo e forte. Deixe esfriar. Você vai precisar de três colheres de sopa

Três colheres de sopa de pó de café  (café solúvel é mais forte)

Três colheres de sopa de creme de pentear.

Misture tudo.

Deixe agir nos cabelos por 60 minutos.

No chuveiro, faça uma massagem no couro cabeludo, antes de enxaguar os fios

Use shampoo e condicionador 

19 jul 2019

Café: a bebida que transforma vidas

Movidos pela paixão, os amantes do café dizem que toda hora é hora de tomar um cafezinho. E os brasileiros são os maiores consumidores: tomamos, em média, 839 xícaras por ano, o que resulta, em aproximadamente, 33,5 litros por pessoa, segundo dados da Euromonitor International.

Aroma, sabor, doçura, acidez são algumas características que dão harmonia para o paladar e olfato. Segundo os parâmetros da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), esses fatores sensoriais devem ser qualidades notáveis. Para chegar a esta categoria, há a Metodologia de Avaliação Sensorial, daSpecialty Coffee Association (SCA). Com nota máxima de 100 pontos, as bebidas especiais devem ter de alcançar, no mínimo, os 80 pontos.

Apreciador e produtor de café, Almir Moreira, mais conhecido como Miro, é proprietário do Sítio Adelaide, que fica em São Bento, município de Carangola, na Zona da Mata mineira. Produtor de café há muitos anos, naquela região, Miro que sempre foi um empreendedor, há dois anos decidiu se especializar em café especial: o café Tutty. “Entrar nesse mercado sempre foi o meu sonho. Comecei a fazer cursos de técnicas de manejo na lavoura e principalmente os cuidados na colheita, que é feita de forma manual e seletiva”, explica.

De acordo com Miro, para chegar à categoria especial, as colheitas dos grãos têm que ser 100% maduros, levados para terreiros suspensos e o cuidado com a higiene do local é fundamental. “A pontuação do primeiro lote do café Tutty chegou na marca de 87.7. Meu objetivo é chegar a nota máxima”, diz orgulhoso.

Jovens baristas

O projeto social Jovens Baristas foi criado em março de 2019 e tem como foco capacitar jovens discriminados pela sociedade por conta de fatores sociais, culturais e questões de gênero, na faixa etária de 17 a 27 anos, a profissão de Barista.

Mas o que é um barista? Barista é o profissional especializado em cafés de alta qualidade. Também trabalha criando novas bebidas baseadas em café, utilizando-se de licores, cremes, bebidas alcoólicas, leite, entre outros

Entrevista com Kívian Monique Moreira, idealizadora do projeto.

Qual a duração do curso?

O curso tem 4 meses de duração.

O que eles aprendem no curso?

No conteúdo, nós passamos tudo o que é necessário para ser um profissional completo. Para que isso aconteça, nós contamos com a participação de vários profissionais – que atuam na área do café: plantação, cultivo, preparo da bebida, torra, empreendedorismos, atendimento ao cliente, regras da vigilância sanitária, comportamento em ambiente de trabalho, entre outras coisas que são necessárias para dar o máximo de conhecimento aos nossos alunos.

Qual a importância do curso?

Com o crescimento do consumo do café especial, o mercado de trabalho tem buscado, a cada dia, mais profissionais especializados neste produto. O projeto “Associação Jovens Barista” busca preparar os jovens desfavorecidos para atender a demanda do mercado:

*Brewing ( Coado )
*Barismo

*Bebidas e drinks a base de Café

*Latte Art
*Torra
*Degustação e Classificação

*Empreendimento

*Mercado de Trabalho

Qual o início da próxima turma?

As inscrições serão abertas e Novembro/2019

Quais os critérios de seleção?

Ter de 17 a 27 anos de idade

Sofrer algum tipo de discriminação social

Ser de Belo Horizonte ou Região metropolitana

Renda máxima de até 2 salários mínimo

A seleção é feita após um estuda de necessidades, temos um numero pequeno de vagas.

Contato: Kívian (31) 9752 62016

01 jul 2019

Verdemar apresenta nova linha de café com os vencedores do Concurso de Qualidade promovido pela Emater

Arquivado em Cidade, Comportamento

A rede de supermercados Verdemar lançou um lote de cafés especiais produzidos em Minas Gerais, com a marca “Cafés Campeões Verdemar”. Os produtos foram os vencedores do 15º Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés, promovido no final do ano passado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG).  O evento de lançamento dos cafés marca própria Verdemar foi realizado no último dia (25/6),  para convidados, no Verdemar Sion, e contou com a presença do diretor comercial do Verdemar, Alexandre Poni, do diretor-presidente da Emater-MG, Gustavo Laterza, do vice governador do Estado de Minas Gerais, Paulo Brant, da presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Alexia Paiva, e dos produtores dos cafés vencedores do concurso.

Após o anúncio do resultado do concurso de 2018, sete produtores responsáveis pelos cafés vencedores fizeram negociação com rede de supermercados, que adquiriu 57 sacas de café de alta qualidade, o equivalente a 3.420 quilos, que vão originar cerca de 13,5 mil embalagens de Cafés Campeões para venda no Verdemar. Os cafés foram cultivados nas regiões do Sul de Minas, Cerrado e Matas de Minas. Alexandre Poni acredita que a venda dos cafés em uma rede de supermercados com foco na gastronomia, presente em 14 pontos da capital e Nova Lima, é uma oportunidade de valorizar o trabalho no campo e a qualidade dos produtos mineiros. “Café é uma paixão para mim e uma marca do nosso estado, assim como o queijo. O cliente quer conhecer mais sobre a gastronomia e sua diversidade e o café tem se tornado cada dia mais um produto gourmet.”

O grande vencedor do concurso da Emater foi o produtor Josias Gomes, da cidade de Espera Feliz. Seu café, de gosto adocicado e aroma intenso, ganhou o título de Campeão Estadual em 2018 na categoria Natural.  O produtor comemora o sucesso do seu produto: “Tenho muita honra de chegar até aqui, depois de muito trabalho duro de toda a minha família e ver o meu café sendo apreciado por todos”.

Os cafés, que já estão nas gôndolas do Verdemar, podem ser encontrados em três versões: café em grão, café moído para espresso e moído para filtro. O diferencial das embalagens está no rótulo, com informações sobre a procedência do café, suas características, além da foto e da história do produtor. Uma forma de prestigiar o agricultor e aproximar o consumidor de quem está produzindo no campo.  As embalagens também vêm com a indicação de que os cafés participaram do concurso da Emater-MG, empresa vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Como em todos os cafés de marca própria Verdemar, as embalagens são desenvolvidas para proteger o café da umidade, luz e oxigênio, a fim de preservar suas características naturais, especialmente de aroma e sabor. Além disso, a rede trabalha com a torra em uma loja, com envase artesanal e em pequena escala para que o produto não permaneça muito tempo nas gôndolas, chegando sempre fresquinho na mesa do consumidor.

“Nos produtos do agronegócio há muita inovação, tecnologia e trabalho. A capacidade produtiva em Minas Gerias é muito grande. Empresas que valorizam este trabalho, como o Verdemar, são as grandes responsáveis por gerar boas notícias no estado”, finaliza Paulo Brant, vice-governador do Estado de Minas Gerais.

Página 1 de 212