21 jan 2017

O amor é como tartaruga demora, mas sempre chega

Arquivado em Cidade, Comportamento, opinião

lebre-e-tartaruga

Confesso que minha maior preocupação quando adolescente era encontrar meu verdadeiro amor no meio de tanta gente vazia que amava beber Coca Cola com Vodka nas festinhas da cidade. Na época, não pensava em casamento e príncipe encantado. Queria apenas um amor para dividir sonhos e contar as estrelas do céu.

No meio do caminho, encontrei vários jovens interessantes que me apaixonei enlouquecidamente. Foram momentos agradáveis, mas também fases bipolares do amor – movidas por ciúmes doentios e brigas intermináveis. Tenho saudades de cada um que passou pela minha vida. Digo sempre que estive com pessoas especiais que deixaram rastros importantes que fazem parte da minha história.

Já adulta, beirando os 30 anos, me casei. Foi uma paixão irresistível. Com ele, a vida me presenteou com um filho maravilhoso. A separação foi dolorida, traumática. Foi um período muito complicado na minha vida recheado de muitas perdas familiares e profissionais. Só fui me relacionar novamente com um homem 6 anos depois, mas o namoro também teve um ponto final. Foram 4 anos bons. Não tenho o que reclamar, mas agradecer pela pessoa decente que esteve comigo.

Hoje, já sou uma mulher na idade da loba com um filho adolescente, mas com os mesmos desejos ardentes para encontrar um amor que me acompanhe de mãos dadas os momentos mais difíceis da vida e desfrutar com alegria os momentos bons. Não quero corpos perfeitos, mentes brilhantes, profissionais renomados, gente rica e famosa… Só quero um amor que me faça rir dos próprios defeitos. Não quero gente chata dizendo: “Gata, sorria… você encontrou a metade da sua laranja”. Já não tenho estômago para amores românticos, polidos, líquidos  e politicamente corretos. Prefiro gente verdadeira, solidária, companheira, honesta e capaz de doar e receber amor. Gente que não tem vergonha de ser feliz.

Amar não é difícil. Difícil é aceitar o amor com gentileza e leveza – sem uma máquina de calcular no bolso. É aceitar que a vida tem altos e baixos para todos. Amar é ser solidário. Amar é ser companheiro. Amar é doar sem visar o retorno. Amar é entender o tempo do outro. Amar é respeitar o próprio tempo. Amar é olhar o outro com ternura, com suavidade, com beleza, com paciência. Não há amor sem paciência. A paixão é como um coelho  que entra em uma corrida com a certeza da vitória, mas às vezes nem sabe se vale a pena o esforço. A tartaruga entra na corrida bem devagar, mas sabe muito bem qual destino pretende chegar. Acredito no amor – fruto de um encontro de almas. E você? Acredita no amor?

16 jul 2015

Mercado vegano aposta na compaixão

Arquivado em Comportamento

vegano

“O princípio da compaixão é o cerne de todas as tradições religiosas, éticas e espirituais, nos conclamando sempre a tratar todos os outros da mesma maneira como gostaríamos de ser tratados. A compaixão nos impele a trabalhar incessantemente com o intuito de aliviarmos o sofrimento do nosso próximo, o que inclui todas as criaturas, de nos destronarmos do centro do nosso mundo e, no lugar, colocar os outros, e de honrarmos a santidade inviolável de todo ser humano, tratando todas as pessoas, sem exceção, com absoluta justiça, equidade e respeito”. Carta Pela Compaixão Por uma nova civilização.

Comecei a postagem com um pequeno trecho da Carta Pela Compaixão porque acredito que a mudança de paradigma para a construção de uma civilização cada vez mais justa e amorosa precisa envolver todos os habitantes da Terra. Por mais que a mudança tenha origem no íntimo de cada ser, o outro sempre vai fazer a diferença. Vivemos em rede. A sua ação desencadeia muitas outras mesmo contra a nossa vontade.

As mudanças são geralmente difíceis e arraigadas de preconceitos e de excessos de ideologias. Abandonar o cigarro para mim, por exemplo, foi terrível. Foram várias tentativas frustradas e muitos apelos dos meus amigos mais queridos e do meu filhote. Já faz um tempão que deixei o cigarro. Fico feliz por deixar meu pulmão sudável e o ar que respiro mais limpo.

Agora estou em outra empreitada. Há quase um ano não como carnes (carnes de boi, frango, porco, peixe ou outro animal). Diminui bastante o consumo de leite e derivados. O queijo canastra ainda é meu fraco.

É difícil a mudança no padrão alimentar, principalmente para as pessoas que comem fora de casa. Meu filho adolescente ainda resiste, mas consegui diminuir bastante o consumo de carnes na minha casa. Não forço a barra ou provoco brigas desnecessárias. Simplesmente ofereço deliciosas opções de alimentos. Aos poucos, ele vai entender que a alimentação viva é mais saudável. Hoje, prefiro mil vezes um churrasquinho de vegetais servido em um barzinho da Savassi, em Belo Horizonte. Um espetáculo!

Enfim, aproveito a oportunidade para listar algumas empresas que também escolheram o caminho da compaixão, deixando a matéria-prima de origem animal de lado.

sapa

Os sapatos da Insecta são coloridos, exclusivos e confeccionados a partir de roupas usadas. A palavra-chave da empresa é reaproveitamento: aumentar a vida útil do que já existe pelo mundo, sempre de modo criativo e descontraído.

Os mais diversos tecidos e estampas daqueles modelitos abandonados viram botas e oxfords veganos, sem nenhum uso de matéria-prima de origem animal.

vega

Para a alegria dos viciados em games e contra qualquer abuso físico, emocional ou ideológico contra animais, uma boa notícia! Foi lançado o tão esperado “Butcher goes Vegan”.

App Store: https://itunes.apple.com/us/app/butcher-goes-vegan-animals/id994940131?ls=1&mt=8

Google Play: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.arvingames.butchergoesvegan
queijo vegano
A Superbom inova o mercado de produtos saudáveis com a linha de queijos 100% vegetais. Queijos tipo muçarela, prato e provolone sem nenhum ingrediente de origem animal, fatiáveis e que, segundo a divulgação da empresa, derretem. Os produtos são os grandes lançamentos e a aposta da empresa para este ano.
creme dentel vegano
A marca Contente reconhece a importância do mercado Vegano. O Creme Dental Contente Plus não contém nenhum ingrediente de origem animal e não foi testado em animais.

milão

Os Produtos Milão não têm componentes de origem animal e são de origem extrativista, ou seja, são a principal fonte de renda de muitas comunidades do Maranhão, Pará, Tocantins e Piauí, entre outros estados.

O sabão de coco é um produto recomendado por médicos para uso com roupas e contato com as mãos de pessoas sensíveis aos detergentes, que são os princípios ativos, petroquímicos, da maior parte dos produtos no mercado hoje. Os Lava Louças e Lava Roupas Milão não contém detergente, seu princípio ativo é o sabão de coco puro.

*************************************************************************************************

“Os humanos imploram a misericórdia divina, mas não têm misericórdia dos animais, para os quais são divinos” Buda

“Cultivar estados mentais positivos como a generosidade e a compaixão decididamente conduz a melhor saúde mental e a felicidade” Dalai Lama