29 fev 2016

“Brasil é um dos países que mais produz musicais”, comemora artista mineira

musical1

Suellen Ogano/Arquivo pessoal

O teatro musical no Brasil já tem em torno de 150 anos.  O primeiro espetáculo de revista escrito e encenado no país chamou-se “As surpresas do senhor José da Piedade”, texto de Figueiredo Novaes. A peça ficaria em cartaz por apenas três dias, tendo sido proibida por atentar contra a moralidade das famílias, no Rio imperial de 1859.

No período de 1960 foi marcado pelas atrizes Bibi Ferreira e Marília Pêra. No período do regime militar, foi considerado uma forma de protesto contra a política. Chico Buarque teve grande participação nessa época, criando espetáculos como Roda Viva (1968), Calabar (censurada, dias antes de estrear), Gota d’Água (1975) e Ópera do Malandro (1978).

Em 2001, os espetáculos começaram a ser produzidos ao estilo da Broadway, com figurinos, cenários e textos idênticos, mas com as versões das músicas em português. A primeira grande produção foi “Les Misérables” (Os Miseráveis), seguido de “Chicago”, “A Bela e a Fera” e “O Fantasma da Ópera”, sendo grandes sucessos de bilheterias.

A cada ano, os musicais conquistam o gosto do brasileiro. O estilo se popularizou ainda mais por meio da “Máquina da Fama”, um programa de competição entre covers do SBT, um sucesso de audiência. Sob o comando de Patrícia Abravanel, os candidatos recebem uma super produção para se apresentarem como seus artistas preferidos. Cada performance é avaliada com notas de um a dez. As 3 notas mais altas são premiadas.

Suellen Ogando é mineira, jornalista, atriz, cantora, pós graduada em História da Arte e Cultura pela UFMG. Ela participou  3 vezes do programa Máquina da Fama/SBT  sempre com um número inédito de Teatro Musical na TV Aberta no país. “Devo muito aos produtores e diretores por acreditarem em meu trabalho e sugestões, e somos os pioneiros na exibição de musicais na TV Aberta,  uma vez que estudo muito e estive na Europa com pesquisa de campo”.

Em sua primeira passagem pelo “Máquina da Fama”, em 2014, Suellen interpretou Catherine Zeta Jones. Já na segunda vez em que participou do programa de Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos, a mineira deu vida a Carmem Miranda. A última apresentação Suellen interpretou a clássica personagem Mary Poppins, sucesso dos estúdios Disney no ano de 1964.  A atriz, que tem dedicado boa parte da sua carreira aos musicais, é uma das principais divulgadora dos musicais no Brasil. Em breve, ela estará lançando seu livro: O Que é o Teatro Musical: Uma Perspectiva da História, Influências, Origens , Broadway, West End e Brasil pela Editora Giostri ( de SP)

Conversei, por e-mail, com a nossa diva que comemora o boom dos musicais. “ Brasil está entre os países com grandes produções de musicais e com elencos elogiados”, diz entusiasmada.

All That Jazz

Adriana Santos: Como surgiu a oportunidade de participar da Máquina da Fama do SBT?

Suelen Ogando: Eu tinha acabado de chegar da Europa e havia pesquisado Teatro Musical, inclusive vários programas de TV na Inglaterra, Itália, França, Espanha, etc, sempre tinham números de Teatro Musical. E o Brasil como está na crescente produção do mesmo, fui atrás da produção do programa e propus fazer números inéditos dos musicais famosos na tentativa de popularizar o gênero também na Tv Aberta do país.

Adriana Santos: Na sua opinião, qual o motivo do boom dos musicais no Brasil?

Suelen Ogando: Desde de 2001 com Les Misérables tido como um dos primeiros de franquia internacional produzidos no Brasil, os musicais estão crescendo, assim como os Biográficos Brasileiros ( exemplo: Tim Maia, Elis Regina, Cássia Eller, Chacrinha, dentre outros). Acredito que um dos motivos deste “boom” é a facilidade do público de entender a dramaturgia sendo contada através dos diálogos, canto e dança. Os musicais são um mix de artes apresentadas no palco, que encantam o público. Em 2013/2014 quando os musicais foram apresentados gratuitamente em São Paulo, com a iniciativa do Atelier de Cultura junto ao SESI/SP se pôde ver a ampliação da tentativa de popularização do gênero. Pessoas de vários cantos do Brasil foram assistir “A Madrinha Embriagada” versão brasileira de Drowsy Chaperone e Homem de La Mancha em 2014/ 2015, que foram sucesso de público. E com as várias produções recentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte ( Colados- Uma Comédia Musical Diferente – a primeira franquia de musical espanhol no Brasil) , Ceará ( com Avenida Q.) se comprova que o público brasileiro se encantou pelo gênero. Várias escolas surgiram também para a formação de profissionais, o que é bom, pois assim não necessariamente se precisa ir para New York e London estudar. Viva o Teatro Musical e que cada dia possa dar mais empregos para os artistas que há anos estudam ou até mesmo aqueles que caíram de paraquedas…. rs Um fato interessante é que com a popularização do gênero virou “moda”, um fato que o elenco do musical Antes Tarde do Que Nunca, de Miguel Falabella, fizeram uma paródia com a música All About That Bass, que vale a pena ser visto para se ter uma noção do atual mercado.

Adriana Santos: Quais os desafios de produzir musicais no Brasil?

Suelen Ogando: Capitar os valores para se produzir musicais é uma árdua tarefa e conquista das produtoras, pois envolve um elenco enorme, orquestra, cenários, figurinos toda uma infraestrutura gigantesca por trás. Assim como manter o elenco e infraestrutura completos nas turnês pelo Brasil.

Outro desafio é produzir versões com boas traduções do texto e canções. Inclusive é um trabalho novo dentro do cenário brasileiro, que pode crescer cada dia mais.

Um desafio mais recente que é debatido em vários seminários e cursos é sobre como fazer um Teatro Musical Brasileiro sem cair nos biográficos ou nos de Chico Buarque. É preciso se pensar uma estrutura/roteiros novos que possam alcançar o público e cair no gosto dos brasileiros.

Mais um desafio é se fazer Teatro Musical mais acessível financeiramente ao público, pois em geral é caro para a maioria do povo brasileiro, o que acaba elitizando. Mas ressalto que algumas produções realização a “Sessão Popular” em um dia específico da semana , com preços mais baixos, assim como é feito na Broadway e em West End.

Adriana Santos: Como é o preparo técnico de um artista que atua nos musicais?

Suelen Ogando: Para ser um artista de musical é preciso saber Cantar ( Belting- técnica própria para os musicais da Broadway/West End, MPB- para os musicais brasileiros, Pop ou Rock- para os musicais nesta linha, assim como o Legit/Opera para os musicais mais operísticos como exemplo o Fantasma da Ópera, O Rei e Eu, West Side Story, dentre outros). Dançar ( Ballet, Jazz, Sapateado são primordiais mas se souber outros estilos como: Salsa, Tango, Hip Hop, Show Style tudo agrega). Assim como saber Atuar de forma verossímil. Ou seja é preciso compreender várias linguagens do canto, dança, interpretação. Tem que ser um artista multifacetado!

Adriana Santos: Na sua avaliação, quais os melhores musicais dos últimos tempos?

Suelen Ogando: São tantos musicais maravilhosos e com temáticas diferentes…. Mas bem… quem me conhece sabe que eu amo Mary Poppins ( pela estética do sapateado, histórica mágica com canções que amo), Sweeney Todd ( pela estética do terror, com comédia e drama, assim como canções do sensacional Stephen Sondheim mesmo compositor do Musical Gypsy. Maltida The Musical ( pela estética de apresentar crianças no elenco multifacetadas com uma história que toda família pode ir ao teatro- chamado de Family Musical Theater, assim como A Família Addams) , Wicked ( por contar a história até então desconhecida de Elphaba e Glinda , as bruxas de Oz, com canções que são sucesso em 12 países com cerca de 48 milhões de pessoas que viram em todo o mundo), Les Miserables ( por contar a história da revolução francesa com a queda da Bastilha, além das belas canções de Claude Michael Schonberg) . Dos Brasileiros, Tim Maia- Vale Tudo ( pela estética do canto MPB, com um elenco sensacional), O Grande Circo Místico ( pelo resgate da composição de Chico Buarque com Edu Lobo e finalmente ser um musical, já que foi criado para o Balé Teatro Guaíra), Bilac Vê Estrelas ( pelo resgate histórico do grande poeta Olavo Bilac ), Nuvem de Lágrimas ( pelo resgate da música sertaneja de raiz que faz parte da história musical do nosso país), mas tem muitos maravilhosos.

Adriana Santos: Qual o seu musical dos sonhos?

Suelen Ogando: Mary Poppins (como Mrs. Corry , já que para Mary Poppins não tenho o sapateado ultra avançado que se precisa … rs) , Sweeney Todd ( como Mrs. Lovett), Gypsy ( como Mama Rose) , My Fair Lady ( como Eliza Doolitle ), Wicked ( como Elphaba ou Madame Morrible), Chicago ( como Velma). Anything Goes ( como Reno Sweeney). Eu amo vários Musicais!

 

11 dez 2015

Padre Fábio de Melo relata encontro com travesti: “Vou confessar minha hipocrisia”

Arquivado em Comportamento, saúde
luana-muniz-padre-fabio-de-melo2

Reprodução/Facebook

O padre Fábio viveu uma experiência marcante envolvendo um travesti na festa de aniversário da cantora Alcione e resolveu compartilhar durante uma pregação na Canção Nova, em São Paulo, no último domingo.

“Semana passada eu vivi uma situação. A Alcione me convidou para estar no aniversário dela, lá na quadra da Mangueira… Fiquei lá por uma hora mais ou menos… Mas o que me chamou a atenção foi um travesti que estava lá. Posso confessar uma coisa para vocês? Quando eu vi, ele estava olhando para mim (pausa). E olha que eu não sei ficar sem graça… Mas sabe o que me ocorreu? Vou confessar publicamente a minha hipocrisia: ‘Meu Deus do céu, se esse rapaz pedir para tirar uma foto comigo? Como que eu vou reagir?’(pausa). Independente de qualquer julgamento, estou confessando a hipocrisia do meu coração naquela hora (…) Aí ele veio, com um vestido longo e falou pra mim: O senhor costuma tirar fotos com pecadoras?”

A travesti em questão é Luana Muniz, de 58 anos, envolvida com projetos sociais na Lapa, Rio de Janeiro, há duas décadas. ELa ajuda homens e mulheres com HIV. “Eu e ele saímos emocionados do encontro. Admiro sua missão de passar fé e amor através da música. Ele pegou na minha mão e pediu meu contato para poder ajudar no meu projeto do Natal das crianças carentes aqui na Lapa (bairro boêmio na região central do Rio)”, revela Luana, que não é católica. Minha religião é a das boas ações. Acredito no bem”, disse ao blog do Willams Net.

O vídeo que viralizou nas redes sociais do padre relatando esta experiência está disponível no Youtube. Como não há edição, o trecho do relato está 7min58seg

19 out 2015

Em tempos de crise: dicas para economizar no salão sem perder a pose

Arquivado em Comportamento

donaflorindaIMG_4041[1]

Fui almoçar um dia desses em um restaurante bacaninha de Lagoa Santa, Região Metropolitana de Belo Horizonte, e de uma forma glamorosa uma bela moça com bobes no cabelo entrou no recinto. Ela não se importou com os olhares atrevidos de espanto dos clientes. Fiquei encantada com a audácia da jovem. Como assim? Bobes não é coisa de vovozinha? Que nada! O novo feminismo nos possibilita estar no mundo sem rótulos. Que revolução! Então pensei cá com meus botões: moderna mesmo é ser o que realmente somos, sem frescuras.

No último sábado, aproveitei a folga no trabalho e fiz uma listinha dos produtos que faltavam em casa. Aí me veio na cabeça os bobes da linda garota de Lagoa Santa. Não deixei por menos: providenciei bobes grande (meu cabelo é grande, liso e grosso) e grampos. Pensei mais um bocadinho e decidi apostar em um vídeo divulgado na internet sobre como economizar no salão na hora de fazer as unhas sem borrar. Como sou uma desajeitada, resolvi aceitar o desafio. Então, comprei cola não tóxica, esmalte, removedor de cutículas, acetona com óleo de banana (odeio o cheiro da acetona), algodão, serrinha de unha.

Na verdade minha grana estava curta e queria economizar no salão. Gasto em média R$70,00 por uma escova e por fazer as unhas apenas das mãos. Minhas comprinha ficou mais em conta do que a conta do salão. Ainda tenho a vantagem de usar os produtos por mais tempo. BINGO!!!

Só para efeito de informação: não tá fácil para ninguém! A indústria da beleza teve queda nas vendas pela primeira vez em 23 anos, segundo dados da imprensa. As vendas de cosméticos, perfumaria e produtos de higiene pessoal caíram 5% de janeiro a junho deste ano, em relação ao mesmo período de 2014. Entendeu a mensagem, né? A hora é de economizar, mas sem perder a pose, jamais.

Voltando aos bobes… Uma dica bacana: você pode encontrar os bobes em lojas populares no centro de Belo Horizonte. São produtos mais baratos do que os encontrados no supermercado ou nas grandes lojas de departamento. Lá na rua Paraná no Centro de BH é uma beleza. Comprei um conjunto de doze bobes grandes por R$10,90 e um conjunto de bobes médios por R$7,90 e uma caixa de grampos por R$3,90. Acho que paguei baranto. Se alguém tiver uma dica mais em conta compartilhe nos comentários.

Para as unhas, o importante é garantir que a cola não seja tóxica. Faça um teste em uma pequena região da pele antes de colocar a mistura em todas as unhas. Outra dica, evite usar alicante de unhas. Prefira usar um removedor e empurrar levemente as cutículas para garantir um belo acabamento.

IMG_3965[1]

Comprinhas da Dri

Veja o vídeo produzido pelo blog “Buteco para Garotas” como usar a cola nas unhas.

DICAS PARA ENROLAR OS CABELOS COM BOBES

IMG_3964[1]

Foto: Adriana Santos

Pra quem não não gosta muito dos bobes grandes da vovó, tenho outra dica: quer caixinhos só nas pontas? Faça o seguinte: molhe os cabelos, separe-os em mechinhas finas, enrole uma a uma com o dedo e amarre com uma fita ou um pedaço de tecido. Pode até dormir assim ou, se preferir, seque com o secador ou deixe ao natural. Quando os cabelos estiverem secos, solte as mechinhas. O resultado fica sensacional!

Para usar os bobes em casa, escolha seu tipo preferido e faça uma escova rápida. Em cabelos mais resistentes, como os crespos e cacheados, é essencial usar o secador nos fios para segurar o penteado.

Como os bobes não aquecem como o babyliss ou a chapinha, não existe o perigo do cabelo ficar danificado pelo calor excessivo, podendo permanecer nas madeixas pelo tempo necessário.

Bobes de espuma são bons para vários tipos de cabelo, mas eles são especialmente bons para cabelos frágeis por não quebrá-los ou danificá-los.

Usar mousse modelador para cachos é especialmente importante para quem tem o cabelo muito fino ou muito liso, senão os cachos poderão se desfazer depois de algumas horas.

IMG_4043[1]

NOTAS E DIFICULDADES

Com relação às unhas com cola… Que dificuldades!!! Uffa!!! Sou canhota e sempre tive dificuldades de pintar as unhas da mão esquerda com a mão direita. Sei lá! Custou, mas até que gostei do resultado. Não ficou perfeito, mas vale pela economia. Nota 7 pela dica que circula na internet e nota 10 para minha manicure.

Os bobes são fantásticos. Gostei muito do resultado. Meus cabelos são bem pesados, lisos e grossos, por isso o efeito dura pouco, mas tá valendo. Na próxima vez abuso do gel fixador. Nota 9 para os bobes e nota 10 para minha cabeleireira.

Página 7 de 11«1 ...34567891011... 11Próximo