Categorias
acolhimento adolescente Cidade Comportamento criança humanização opinião saúde

O enfrentamento da violência contra crianças e adolescentes ainda não está na agenda de prioridades do Brasil

O Brasil possui uma população de 210.869 milhões de pessoas, segundo dados do segundo trimestre de 2020, dos quais cerca de 50 milhões têm menos de 18 anos de idade, o que equivale a quase um terço de toda a população de crianças e adolescentes da América Latina e do Caribe. São dezenas de milhões de pessoas que possuem direitos e deveres e necessitam de condições para se desenvolverem com plenitude todo o seu potencial.

As crianças e os adolescentes são especialmente afetados pela violência. O “Disque 100” é um serviço de atendimento telefônico gratuito que recebe denúncias sobre violações dos Direitos Humanos em todo o país e em todas as áreas. Os dados são compilados pelo Governo Federal e divulgados desde 2011.

O último relatório anual sobre violações de direitos humanos, divulgado em maio de 2020, apontou recebimento de 86.837 denúncias relacionadas a crianças e adolescentes no país em todo o ano de 2019, aumento de 14% em relação a 2018. As principais violações foram negligência (62.019), violência psicológica (36.304), violência física (33374) e violência sexual (17.029). As denúncias podem conter mais de um tipo de violação.

A violência contra crianças e adolescentes é uma preocupante realidade em nosso país. Segundo dados da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, no ano de 2018 as principais denúncias de violações de direitos humanos recebidas foram de situações envolvendo crianças e adolescentes, representando média de 209 denúncias por dia e 55,28% do total das denúncias realizadas aos canais. Os dados são do documento Parâmetros de atuação do Sistema Único de Assistência Social no sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência

O número de denúncias de violência contra crianças e adolescentes no Brasil caiu 12% durante os meses da pandemia em 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo dados do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, foram registradas 26.416 denúncias pelo canal “Disque 100” entre março e junho deste ano, contra 29.965 no mesmo período de 2019. 

A redução do número de denúncias, durante a pandemia, pode ser um reflexo do fechamento das escolas por conta da quarentena obrigatória contra a pandemia Covid-19. A subnotificação das denúncias, segundo alguns especialistas, acaba sendo um efeito colateral do isolamento social e da suspensão de aulas para conter as contaminações por Covid-19. A maioria dos casos de violência contra crianças e adolescente é descoberto por meio dos professores e servidores do ambiente escolar. 

O cenário envolvendo a violência contra crianças e adolescentes pode ser ainda mais grave, se levarmos em consideração que muitos crimes contra meninos e meninas com menos de 18 anos nunca chegam a ser denunciados. 

A infância e a adolescência são fases da nossa existência que geram muita ansiedade, mas também muita sede por conhecimento e por reconhecimento social. Pensando na agenda 2021  para o enfrentamento das várias formas de violência: física, psicológica, social, cultural, sexual, moral, financeira contra crianças e adolescentes, acredito que os novos gestores, após as Eleições Municipais 2020, precisam investir em ferramentas digitais, inspiradas na Cultura de Paz e Não Violência, no sentido de frear números tão assustadores contra os nossos jovens. Os meninos e meninas devem buscar nas tecnologias novas formas de engajamento social. 

O conceito de cultura de paz e não violência é um termo que se refere a uma série de conceitos sobre moralidade, poder e conflitos que rejeitam completamente o uso da violência nos esforços para a conquista de objetivos sociais e políticos. 

Geralmente usado como sinônimo de pacifismo, a partir do meio do século XX passou a ser aplicado também a confrontos sociais que não usem violência, bem como movimentos políticos e filosóficos que tenham aderido aos mesmos conceitos. 

Em 10 de novembro de 1998, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou a primeira década do século XXI (de 2001 a 2010) como o Decênio Internacional da Promoção de uma Cultura da Não-Violência e da Paz em Prol das Crianças do Mundo.

A luta pela prevenção da violência deve ser uma tarefa contínua, especialmente porque inúmeras de suas modalidades podem trazer como consequência a morte para suas vítimas. 

A violência sexual que aparece habitualmente como uma modalidade menos relevante na verdade pode ter índices bem superiores uma vez que é um dos fenômenos mais escondidos nas estatísticas não só brasileiras como mundiais pelo complô de silêncio que usualmente a cerca.

A violência psicológica que mais recentemente nos anos 90 tem chamado a atenção de pesquisadores da área aparece nestas estatísticas e convoca os pesquisadores à realização de estudos mais consistentes sobre ela em nosso meio, uma vez que os traumas dela decorrentes são considerados bem significativos.

Portanto, as estatísticas frias com seus números devem ser bem analisadas, pois podemos perceber que através delas é preciso uma ampla revisão do trabalho que vem sendo feito nesta área para que se reduzam os casos de violência.

O tema “Violência” é compreendido em nossa contemporaneidade como um importante problema de saúde pública, uma vez que as causas externas, representadas pelas violências e acidentes, constituem umas das principais causas de morbimortalidade da população brasileira e o perfil epidemiológico de Minas Gerais acompanha essa tendência. O enfrentamento das violências e acidentes, por sua magnitude e complexidade, representa um dos principais desafios do sistema de saúde e, para a sua abordagem, exige- se a implementação articulada de políticas públicas de forma intersetorial.

Que os candidatos eleitos e novos gestores da administração pública possam buscar soluções integradas para reduzir os índices de violência contra crianças e adolescentes e promover a Cultura de Paz e Não Violência!!!

Que assim seja!

Categorias
Cidade

Gentileza e generosidade são atitudes que fluem do amor

flavia2
Foto: André Luppi (Estúdio Setenta e Sete)

Gentileza é uma atitude amorosa que alimenta a paz interna e contribui para o bem estar do outro. É uma virtude aliada ao desapego, por isso faz tão bem para o espírito. E o melhor de tudo é o efeito contagiante, inspirando outras pessoas na mesma corrente. E assim construímos a cultura de paz e não violência.

Generosidade deriva do latim generosĭtas e refere-se à inclinação (tendência) para dar e partilhar acima de qualquer interesse ou utilidade. Portanto, é algo que flui do amor.

Veja alguns exemplos. Mas podemos aumentar a nossa lista infinitamente. Os pequenos gestos fazem toda a diferença. Podemos ser gentis e generosos de várias formas, maneiras, estilos e gostos. É uma questão de atitude, ação e coração.

  • Alimentar animais abandonados
  • Reunir amigos para coletar o lixo de uma praça abandonada
  • Evitar sacolas plásticas nos supermercados
  • Doar livros que já foram lidos
  • Doar sangue nos hemocentros
  • Reconhecer o sucesso de um amigo
  • Ser pontual nos compromissos. Se atrasar, avise
  • Prestigiar os talentos dos amigos e dos artistas
  • Ser educado no trânsito, evitando conflitos desnecessários
  • Escutar com atenção as reivindicações dos filhos, dos amigos e dos familiares
  • Deixar o celular no silencioso ou desligado em ambientes com pessoas doentes ou recém nascidos
  • Evitar julgar ou criticar as pessoas em situações de crise, evitando possíveis desentendimentos
  • Valorizar as pessoas que trabalham na limpeza da cidade, na portaria do prédio, no policiamento das ruas.
  • Seja uma empresa que valorize as sugestões e as críticas do consumidor com agilidade e criatividade
  • Contribua para a limpeza de parques e praças
  • Elogie as atitudes positivas do seu companheiro (a) de vida
  • Respeite as limitações físicas e emocionais das pessoas.
  • Inspire fundo. Prenda a respiração 4 segundos. Expire com calma. Dica importante quando estamos dominados pela raiva. Fique calmo e seja feliz, a melhor forma de cultivar generosidade e gentileza no nosso planetinha.

“É com muito amor e carinho que compartilho o vídeo que gravei em homenagem à uma grande amiga que está em tratamento contra o câncer de mama e à todas as mulheres que estão na luta contra o câncer. Meu muito obrigada à todos os amigos que de forma voluntária doaram seu tempo, dedicação e sensibilidade para a realização do vídeo, aos meus familiares e esposo. Que a empatia e a solidariedade estejam presentes em nossas vidas. O vídeo é uma surpresa para minha amiga, que ficará sabendo da transformação em homenagem a ela a partir desta postagem” Flávia Freitas, jornalista

livro Stefano Ferrara

“Minha contribuição para a campanha “Esqueça um livro, espalhe conhecimento” que está acontecendo hoje 25/07! Esqueça” um livro também!” Stefano Ferrara, empresário e apaixonado por animais (Facebook)

daniela

“A minha ideia era só levar alguns brinquedinhos e olha só no que deu!!!!! Muitas e muitas doações pra brinquedoteca do Hospital Infantil João Paulo II. Sem palavras pra agradecer todo mundo que contribuiu! Um gesto tão simples mas que arranca sorrisos e traz alegria pra essas crianças que passam meses e meses internadas aqui. Isso sim não tem preço!!!! Muito feliz!!!! Obrigada a todos!!!” Daniela Kayser, estudante de Medicina, com a ajuda da escola Vespanito

liga da justiça

Projeto Social Liga da Justiça/BH começou com uma brincadeira entre amigos na  Volta Internacional da Pampulha, vestidos de super-heróis. Não demorou muito para que os heróis assumissem a verdadeira missão: levar alegria, solidariedade e amor para quem precisa, principalmente pessoas internadas por algum problema de saúde. A primeira visita hospitalar foi em 2013, no Hospital Militar e, desde então, o projeto só cresce.

IMG_5633[1]

Muro da Gentileza Dona Pequetita, em Vespasiano, Região Metropolitana de Belo Horizonte, no início, serviu como espaço para doações de roupas, sapatos e acessórios. A iniciativa realizada por voluntários cresceu e conquistou a confiança dos moradores. Novas ideias surgiram. O muro, a praça e os bancos, jardins e a iluminação passam por processo de revitalização. O objetivo é deixar a cidade mais humanizada e solidária.

OVO

“Nós que somos da área de marketing e comunicação têm brilho nos olhos quando vivenciamos ações de atenção e cuidado com o consumidor… falhas nos processos podem acontecer, entretanto a conduta da empresa na tratativa de uma queixa por mais simples e menor que seja, faz toda diferença, e precisa ser compartilhado!! Estou encantada com o atendimento recebido!” Kylia Isabela Lopes Cota (Facebook)

noiva
Arquivo pessoal/Reportagem Portal UAI
Buffet dá o cano em casamento e noivos fazem festa com bolo de padaria e copo descartável. Quando o fornecedor não apareceu, os convidados se mobilizaram para comprar salgados, doces e bebidas e garantiram o resto da comemoração.
O grande dia da administradora Raquel Ramos Santana Melo, 31 anos, e do advogado Daniel Carreiro Miranda, 28, foi marcado pela desonestidade de um buffet contratado para o casamento. A data só não foi totalmente estragada por causa da solidariedade de parentes e amigos, que improvisaram o resto da festa. (Portal Uai)
divulgação
Divulgação

Nos Estados Unidos, uma garota estava prestes a completar 11 anos de idade quando se comoveu com a história de um cachorro bem doente. Então, ela decidiu abrir mão de seus presentes de aniversário e pediu que seus amigos e familiares fizessem doações financeiras para ajudar o animal. A adolescente arrecadou 250 dólares. (Fonte: ANDA)

IAB-MG recebe indicações para o Prêmio Gentileza Urbana 2016

O Prêmio IAB-MG de Gentileza Urbana foi concebido, desenvolvido e lançado pelo Departamento de Minas Gerais do Instituto de Arquitetos do Brasil há 22 anos. O objetivo desde então, tem sido estimular iniciativas diversas, tanto de pessoas físicas quanto jurídicas, que contribuem para a melhoria da qualidade de vida urbana.

Podem concorrer as iniciativas reconhecidas e indicadas pelas comunidades, instituições e entidades civis de natureza privada, e também as iniciativas que, mesmo desconhecidas do grande público, configurem-se como “Gentileza Urbana”.

Prazo para indicação: até o dia 15 de agosto de 2016.  Como: preenchimento de formulário eletrônico disponível AQUI. Cerimônia da premiação: 03 de setembro de 2016, às 14 horas, no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte, participação gratuita.

São seis (6) categorias, entre elas: GENEROSIDADE: Praticas cotidianas individuais de pessoas que doam o seu tempo em prol da vida de outrem. Altruísmo, voluntariado, bondade, compreensão da dimensão humana existente na vida social e CIDADANIA: Gestos coletivos ou individuais, voluntários que contribuem para a melhoria da qualidade de vida e a vida a comunitária ressaltando a importância da participação individual ou coletiva na vida das comunidades; Clique aqui para acessar o edital