09 set 2019

Hemominas promove campanha para reforçar o estoque de sangue do grupo O

Arte: Popcorn

Por Assessoria de Comunicação Hemominas. A Fundação Hemominas conclama os doadores voluntários de sangue, especialmente os do Grupo O – negativo e positivo –, a participarem da campanha Força Tarefa Grupo O que começa nesta segunda-feira, dia 9, e prossegue até sexta-feira, 14 de setembro.

Em caráter emergencial, a campanha visa reverter a situação preocupante nos estoques desse grupo sanguíneo, principalmente o O negativo, que na última sexta-feira (6) registrou mais de 50% de queda na rede Hemominas. Dessa forma, torna-se fundamental a solidariedade e mobilização desses doadores, no sentido de comparecerem às unidades da Fundação em todas as regiões do estado e fazerem a doação de sangue, ato que salva tantas vidas. A normalização dos estoques é condição essencial para que a Hemominas possa manter o número estratégico de bolsas de sangue necessário ao atendimento da demanda de pacientes.

Durante a campanha, o atendimento preferencial será direcionado aos doadores tipo O negativo e positivo, devido à urgência do quadro. A Fundação solicita a compreensão dos demais doadores (tipos A (+/-), B (+/-) e AB (+/-), igualmente importantes, quanto a qualquer transtorno no atendimento que possa advir dessa iniciativa.

Estoques em baixa

Algumas circunstâncias explicam a baixa no estoque de alguns tipos de sangue na rede Hemominas. Entre elas, o longo período de frio no mês de agosto. Outro fator é a vacinação contra o sarampo que impede a doação por quatro semanas; nesse sentido, é importante que a doação de sangue ocorra antes da vacinação.

Vale observar que a queda maior das doações dos grupos negativos reflete a própria composição da população brasileira, uma vez que os doadores Rh negativo são em menor número do que os positivos.O sangue O negativo, conhecido como doador universal, pode ser transfundido em qualquer pessoa e, por isso, é um dos mais utilizados pelos hospitais em situações de emergência. Entre os beneficiados, estão vítimas de acidentes, transplantados e pacientes com problemas de coagulação.

Para doar sangue:

A Hemominas divulga diariamente o estoque de sangue no site www.hemominas.mg.gov.br, pelo qual a população pode agendar sua doação, podendo fazê-la também pelo aplicativo MGapp ou pela central 155 – opção 1.

Para informações sobre os critérios para doação de sangue, clique aqui.

04 set 2019

Restrições a doações de sangue são consideradas discriminatórias?

Arquivado em Cidade, Comportamento, saúde

Blog Pequena Mila

Debater as restrições à doação de sangue, consideradas discriminatórias e violadoras de direitos humanos, previstas pela Portaria 158/16, do Ministério da Saúde, e os prejuízos para a população mineira. Esta é a finalidade da audiência pública que a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realiza nesta quarta-feira (4/9/19), às 15h30, no Plenarinho II.

Segundo o presidente da comissão e autor do requerimento de reunião, deputado Cristiano Silveira (PT), as limitações impostas pela portaria implicam em sérias violações de direitos humanos. As medidas obedeceriam aspectos morais, em vez de questões de segurança sanitária. “O artigo 64, por exemplo, prevê a impossibilidade de doação de sangue por homens que tiveram relações sexuais com outros homens”, afirmou.

O parlamentar ressalta que os dados mais recentes mostram que a taxa de infecção em homens que mantêm apenas relações com mulheres é a que mais cresce. “Como há procedimentos de controle para todas as doações, a restrição com base em práticas sexuais não parece ser fundamentada em argumentos científicos, configurando apenas discriminação e preconceito”, avalia.

Além desse aspecto, Cristiano Silveira aponta que a restrição implica na perda de grande volume de sangue que poderia beneficiar centenas de mineiros. “É necessário repensar a forma como as atuais vedações são aplicadas, atuando-se para evitar violações nos direitos fundamentais de grupos socialmente vulneráveis”, diz.

Transmissões ao vivo – Todas as reuniões do Plenário e das comissões são transmitidas ao vivo pelo Portal da Assembleia. Para acompanhá-las, basta procurar pelo evento desejado na agenda do dia.

Crédito: Assessoria de Imprensa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais

07 jun 2018

Voluntários realizam campanha para incentivar doação de medula óssea, em Betim

doação

A campanha Quinta do Bem, de incentivo a doação de medula óssea, está de volta ao Centro Administrativo João Paulo II. No próximo dia 14 de junho, a quarta edição será realizada na sede do governo municipal de Betim. A campanha é idealizada pela jornalista Flávia Freitas, em parceria com a Fundação Hemominas. Em Betim, as secretarias municipais de Saúde e Comunicação também apoiam a ação. O objetivo do evento é incentivar o cadastro para doação de medula óssea e ajudar a salvar vidas de pessoas em tratamento contra a leucemia.

Para participar, os interessados devem levar o documento de identidade. Qualquer cidadão com idade entre 18 e 55 pode se cadastrar como doador de medula óssea. Ao todo, 50 pessoas serão cadastradas no dia 14. Em seguida, os dados pessoais preenchidos no formulário, juntamente com 5 ml de sangue coletado (similar a coleta de exame de sangue normal), são encaminhados para o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Voluntários da campanha serão responsáveis pelo preenchimento do formulário e será a Fundação Hemominas a responsável pela coleta da amostra de sangue. Os participantes serão convidados a usar lenço (homens) em apoio à causa.

Para o dia do cadastro está confirmada a presença da servidora pública da Procuradoria-Geral, Eliana Santos, doadora compatível, cadastrada na coleta para doação de medula óssea durante a campanha realizada na Prefeitura de Betim, em 2011. Ela realizou o transplante que salvou a vida de um paciente de leucemia morador de Natal, capital do Rio Grande do Norte, em 2015. Haverá também a distribuição dos exemplares da revista em quadrinhos “A Liga da Quinta do Bem”, criada pela Flávia Freitas, que é servidora da Secretaria de Saúde.

Doação

De acordo com o Ministério da Saúde, as chances de encontrar um doador compatível fora da família é de 1 em 100 mil voluntários. Havendo a compatibilidade genética, o Instituto Nacional do Câncer (Inca)/Ministério da Saúde, órgão responsável por manter os dados sigilosos, entra em contato com o doador para confirmar o interesse da doação. Confirmado o interesse, o doador é chamado para fazer exames complementares. Após a realização dos procedimentos, o transplante é agendado.

A doação é realizada em ambiente hospitalar, quando é coletada a medula óssea na região da bacia do doador – ele sentirá um pequeno incômodo passageiro. Para o leucêmico, o gesto de solidariedade representa a esperança de cura. O cadastro é feito nos hemocentros de todo o país. Em Minas Gerais, os interessados devem procurar a Hemominas.
Mais informações no site do Inca: www.inca.gov.br

Página 1 de 512345