06 abr 2016

Posto de coleta de leite humano é revitalizado na Maternidade Hilda Brandão em BH

doação

Por: Assessoria de Comunicação Santa Casa. Crédito da foto: Almir Gomes/ GSCBH – Legenda: Equipe do posto de coleta e puérpera da unidade perinatal

O Posto de Coleta de Leite Humano da Maternidade Hilda Brandão SCBH foi revitalizado e a equipe multidisciplinar da Unidade Perinatal retomou, no mês de fevereiro, a campanha de incentivo à doação de leite materno. Em dois meses de funcionamento, foram repassados aos recém-nascidos cerca de 15 litros de leite ordenhado cru.

No local, as puérperas recebem o pote para coleta e são orientadas sobre as técnicas de ordenha, o pro­cesso de higienização das mãos e o uso de paramen­tação (máscara, gorro e luvas). Até o momento, grande parte do leite disponibilizado para os bebês foi doado por suas próprias mães, com exceção de alguns ca­sos especiais. Apesar de ser autorizada a presença da puérpera 24 horas na Unidade Neonatal, algumas não conseguem ficar o tempo todo. Daí a importância da ordenha e do armazenamento adequado do leite. Ao ser retirado, ele é encaminhado ao lactário – localizado no Posto de Coleta – onde é armazenado, ganhando aumento de durabilidade.

O objetivo principal desta campanha é coletar leite or­denhado cru para oferecer aos recém-nascidos interna­dos na Unidade Neonatal da Santa Casa BH. No entanto, a partir de abril a equipe multidisciplinar da Unidade Perinatal conscientizará também as puérperas sobre a importância de doar o seu leite para outras crianças. O material coletado será encaminhado para o Banco de Leite da Maternidade Odete Valadares, com o qual a Maternidade Hilda Brandão SCBH possui convênio. Lá ele passará por rigorosos exames e será pasteurizado e oferecido aos bebês que tiveram a amamentação interrompida. O aleitamento materno deve ter início na primeira hora de vida do bebê e os benefícios são inúmeros. O leite materno é um componente do fator de crescimento, um alimento completo e rico em imunoglobulina – que atua no sistema imunológico do bebê, pro­tegendo-o contra infecções. É o alimento ideal para ser recebido pelo recém-nascido, pois vem na temperatura certa, não tem custo financeiro e aumenta o vínculo da mãe com o filho.

Para saber mais informações sobre aleitamento materno e para doar leite humano, faça contato com o Posto de Coleta da Maternidade Hilda Brandão SCBH: (31) 3238-8334.

23 fev 2016

Bebê com anencefalia vive 74 minutos e salva uma vida

Arquivado em Cidade

amor

A pequena Hope Lee sofria de anencefalia, seus pais decidiram não abortá-la e depois de uma breve vida de apenas 74 minutos, ela se transformou na doadora de órgãos mais jovem do Reino Unido.

amor3

Os pais de Hope conceberam gêmeos, um menino e uma menina. Na 13ª semana de gestação, souberam que a menina nasceria com uma má formação letal no cérebro e no crânio. Os médicos advertiram que teria pouco tempo de vida e lhes propuseram abortar.

Emma e Andrew Lee não aceitaram a proposta e decidiram que doariam os rins de Hope. Os gêmeos nasceram em dezembro de 2015 e a pequena Hope viveu durante 74 minutos.

“Tivemos tempo para planejar tudo o que queríamos fazer e o hospital pôde preparar o transplante de rim e retirar algumas células do fígado”, explicou Andrew e recordou que “justo antes de morrer, segurou meu dedo com os seus e comecei a chorar”.

Para a mãe, a decisão do transplante “foi muito difícil”, mas “sabemos que fez algo bom em seu pouco tempo de vida. Estamos orgulhosos de que ela tenha conseguido tanto em tão pouco tempo”.

Os pais de Hope expressaram que não abortar foi sua melhor decisão, porque puderam passar um tempo muito valioso com sua pequena e sua filha mais velha Maddie, com apenas 5 anos, pôde conhecer e carregar a sua irmãzinha.

No hospital, prepararam uma caixa de lembranças de Hope com suas impressões digitais e lindas fotos.

“Hope estava linda, como uma bonequinha, apesar da doença que tinha. Agora, sentimos que nossa pequena foi uma heroína”, adicionou seu pai.

amor2

Fonte: ACI Digital via ComShalom.org

10 nov 2015

Universitária com câncer doa os cabelos para outras pessoas que enfrentam a doença

Arquivado em Comportamento
bia2

Reprodução/Facebook

A universitária Beatriz Arantes, 20 anos, descobriu a leucemia mieloide aguda (LMA) após ir ao médico com suspeita de dengue. Desde a descoberta do câncer, a mãe de Beatriz criou uma página no Facebook para contar o dia a dia do tratamento. A página já conta com cerca de 10 mil curtidas. A página recebe mensagens até de pessoas desconhecidas da Bia que  ficaram sensibilizadas pela coragem da jovem.

A guerreira Bia conquistou uma legião de admiradores, principalmente depois da publicação de um vídeo emocionante de pura solidariedade. “Desde que eu descobri que estava com leucemia, a primeira coisa que decidi fazer foi doar o meu cabelo. Esse pequeno vídeo mostra como foi o corte e o resultado final: uma linda peruca que será doada ao ‪#‎GPACI‬ . Estou muito feliz!!!”

Beatriz doando seu cabeloDesde que eu descobri que estava com leucemia, a primeira coisa que decidi fazer foi doar o meu cabelo. Esse pequeno vídeo mostra como foi o corte e o resultado final: uma linda peruca que será doada ao #GPACI . Estou muito feliz!!!Espero que vocês gostem e compartilhem com seus amigos.Bjossss

Posted by O diário de Bia – Vencendo a Leucemia on Sábado, 24 de outubro de 2015

Página 5 de 512345