09 set 2019

Hemominas promove campanha para reforçar o estoque de sangue do grupo O

Arte: Popcorn

Por Assessoria de Comunicação Hemominas. A Fundação Hemominas conclama os doadores voluntários de sangue, especialmente os do Grupo O – negativo e positivo –, a participarem da campanha Força Tarefa Grupo O que começa nesta segunda-feira, dia 9, e prossegue até sexta-feira, 14 de setembro.

Em caráter emergencial, a campanha visa reverter a situação preocupante nos estoques desse grupo sanguíneo, principalmente o O negativo, que na última sexta-feira (6) registrou mais de 50% de queda na rede Hemominas. Dessa forma, torna-se fundamental a solidariedade e mobilização desses doadores, no sentido de comparecerem às unidades da Fundação em todas as regiões do estado e fazerem a doação de sangue, ato que salva tantas vidas. A normalização dos estoques é condição essencial para que a Hemominas possa manter o número estratégico de bolsas de sangue necessário ao atendimento da demanda de pacientes.

Durante a campanha, o atendimento preferencial será direcionado aos doadores tipo O negativo e positivo, devido à urgência do quadro. A Fundação solicita a compreensão dos demais doadores (tipos A (+/-), B (+/-) e AB (+/-), igualmente importantes, quanto a qualquer transtorno no atendimento que possa advir dessa iniciativa.

Estoques em baixa

Algumas circunstâncias explicam a baixa no estoque de alguns tipos de sangue na rede Hemominas. Entre elas, o longo período de frio no mês de agosto. Outro fator é a vacinação contra o sarampo que impede a doação por quatro semanas; nesse sentido, é importante que a doação de sangue ocorra antes da vacinação.

Vale observar que a queda maior das doações dos grupos negativos reflete a própria composição da população brasileira, uma vez que os doadores Rh negativo são em menor número do que os positivos.O sangue O negativo, conhecido como doador universal, pode ser transfundido em qualquer pessoa e, por isso, é um dos mais utilizados pelos hospitais em situações de emergência. Entre os beneficiados, estão vítimas de acidentes, transplantados e pacientes com problemas de coagulação.

Para doar sangue:

A Hemominas divulga diariamente o estoque de sangue no site www.hemominas.mg.gov.br, pelo qual a população pode agendar sua doação, podendo fazê-la também pelo aplicativo MGapp ou pela central 155 – opção 1.

Para informações sobre os critérios para doação de sangue, clique aqui.

30 nov 2017

Animais também podem ser doadores de sangue

sangue-1024Doar sangue é um ato de solidariedade. Quando estamos doentes, é gratificante encontrar uma pessoa disposta a oferecer sangue. Mas não são só os humanos que necessitam de atenção e dedicação. Em diversos casos, animais também precisam fazer transfusão de sangue e, para isso, requerem doadores.

No entanto, achar animais que podem doar não é uma tarefa simples. Muitas vezes, quando é encontrado um doador compatível, os proprietários –  por falta de informação – ficam receosos em permitir que seus animais doem sangue, com medo de eles sofrerem ou de aparecer algum efeito colateral.

Mas a coleta, quando feita da forma correta, ocorre de maneira cuidadosa e obedece a uma série de critérios. Ela dura cerca de 10 minutos e são colhidos, em média, 450 ml por animal. A saúde e o bem estar do doador são preservados durante o processo, de forma que o animal não se machuque ou sinta dor, nem tenha a saúde prejudicada.

A transfusão de sangue, também chamada hemoterapia, é indicada para pacientes em diferentes condições de saúde, como anemia, hemorragia, coagulopatia e hipoproteinemia. Para atendimento aos hospitais veterinários, existem bancos de sangue canino que fazem coletas em animais saudáveis para disponibilidade no caso de emergências médico-veterinárias.

Um exemplo é o Laboratório Clínico Veterinário da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu (SP). A equipe oferece o serviço de coleta em casa, com agendamento, participa de feiras e promove mutirões ou campanhas específicas para alavancar o número de doações.

Criado em 2009, o banco de sangue consegue, em média, coletar 25 bolsas ao mês. “É um volume que está abaixo das nossas necessidades, mas que é crescente devido à maior divulgação da existência do banco de sangue”, afirmou em entrevista à Revista CFMV a médica veterinária Regina Takahira, do Departamento de Clínica Veterinária da Unesp.

Perfil dos doadores

Para ser doador, o cão precisa estar com o calendário de vacinação em ordem, ter no mínimo 25 kg e idade entre um e oito anos. Ele passa por exames clínicos e colheita de exames laboratoriais para atestar a sanidade. Também é verificado se o animal tem perfil doador, ou seja, se é calmo e tranquilo, para que a coleta traga o menor trauma possível.

O tempo mínimo recomendado entre doações para um mesmo animal é de dois meses. Contudo, pesquisas já mostram que em casos de emergência um cão pode sofrer doações em intervalos de 15 dias sem danos à sua saúde. Também há a possibilidade de acelerar a recuperação dos animais por meio da suplementação de vitaminas e minerais.