05 ago 2019

Inverno pode aumentar risco de infarto e AVC

Arquivado em Comportamento, saúde

No inverno, diversas pessoas se preocupam com a prevenção de gripes e resfriados. Afinal, essas são as doenças mais famosas desse período. Mas o que pouca gente sabe é que durante a estação mais fria do ano algumas doenças relacionadas ao coração também podem ocorrer com mais frequência. De acordo com o Instituto Nacional de Cardiologia (INC), o risco de infarto pode aumentar em 30% nesta época do ano. Já os casos de AVC, podem aumentar 20%.

O cardiologista e pesquisador, Gilmar Reis, esclarece que isso acontece porque o frio contribui para a contração dos vasos sanguíneos. Portanto, pessoas com tendência a doenças cardíacas podem desenvolver esses e outros problemas. “Em pessoas com o organismo normal e saudável, essa contração não causa problemas. Porém, quando há predisposição, seja genética ou por hábitos ruins, os riscos podem ser maiores”, ressalta o médico.

Por isso, preservar a saúde durante todo o ano e intensificar os cuidados no inverno é tão necessário, segundo o especialista. “O ideal é manter uma vida saudável todos os dias. Mas, principalmente no inverno, manter a alimentação adequada e continuar se exercitando é importante”, completou.

Dicas

Assim como em outros períodos, o especialista indica que a melhor forma de evitar doenças relacionadas ao coração é através de disciplina e bons hábitos alimentares. “Nada de consumir alimentos pesados, gordurosos e com muito sal, principalmente durante a noite. Ingerir muito líquido e manter uma rotina de exercícios, mesmo que o frio incomode um pouco, é essencial”, acrescentou.

Por fim, Reis destaca que a vacina contra gripe também é um forte aliado na prevenção de doenças cardíacas. “Esta vacina auxilia na prevenção contra infecções pulmonares, problema que também está relacionado aos ataques cardíacos. Portanto, estar com todas as vacinas em dia reduz, além das gripes e resfriados, as chances de obter alguma complicação no coração durante esta época”, recomendou.

16 maio 2017

Cerca de 10% do peso de um travesseiro se deve à quantidade de ácaros

frio

Imagem Google

Gosta de descontos? Clique na imagem e saiba mais.

descontos3

O Início do Inverno acontece normalmente em 21 de junho no hemisfério sul. A estação mais fria do ano se aproxima e já chegou o momento de tirar do armário agasalhos e roupas de cama mais quentinhas. São casacos, jaquetas, blusas de malha e de lã, cachecóis, luvas, gorros, cobertores e edredons que precisam estar limpos e higienizados, evitando complicações respiratórias. Não podemos esquecer também de deixar limpos os bichos de pelúcia, tapetes, almofadas, travesseiros. São artigos que normalmente são utilizados por muito tempo sem lavar, por isso acumulam um número enorme de ácaros.

O clínico geral do Hospital Bom Jesus de Congonhas, Dr. Wagner Pereira de Souza, alerta que  o quarto de dormir precisa de um cuidado especial. “A poeira doméstica é um dos principais responsáveis  pelos problemas respiratórios dos pacientes. O local deve ser bem limpo. Evite tapetes, cortinas e objetos em cima dos armários”, diz o clínico.

Não imaginamos que algo tão pequeno e, até mesmo invisível ao olhar humano, pode fazer tanto estrago. Presente, principalmente, em nossos colchões e travesseiros, o ácaro é um dos principais responsáveis pelas alergias. De acordo com pesquisa realizada pela UNICAMP, após seis ou oito anos de uso, 10% do peso de um travesseiro se deve à quantidade de ácaros e seus detritos. Assustador, não é mesmo?

Diante deste dado e por estarmos no outono/inverno, período em que há maior incidência de casos de alergias e problemas respiratórios, Ana Paula Prates Borlido, diretora industrial da Orthocrin,  alerta a população para a necessidade da troca periódica do colchão e travesseiro. “Essa atitude, além de contribuir para um sono de saúde, evita problemas de saúde, ou até mesmo dores nas costas. É muito importante prestarmos atenção no colchão e travesseiro que usamos. O ideal é trocar a cada dois anos os travesseiros e, a cada cinco anos em média, o colchão”, orienta a diretora.

Confira algumas dicas

Depois de limpos, edredons, cobertores e agasalhos  precisam ser guardados com proteção adequada, Os sacos de TNT são os mais aconselháveis. Evite os sacos plásticos porque provocam umidade e mofo;

Roupas pesadas devem ser lavadas assim que apresentarem qualquer tipo de sujeira, pois tecidos guardados logo depois do uso adquirem manchas de oxidação, mofo e ácaros e atraem traças;

Travesseiros, almofadas, tapetes e cortinas: essas peças acumulam muitos ácaros, causando alergias. Travesseiros devem ser lavados a cada quatro meses, para que não se respire sujeira durante o sono. Quanto às almofadas, tapetes e cortinas, a sugestão é a limpeza a cada seis meses;

Bichos de pelúcia, dependendo do material que são feitos, podem ser colocados na máquina de lavar a cada três meses.