12 fev 2020

Hospital Paulo de Tarso é pioneiro com instalação de usina solar

Por Raquel Gontijo, jornalista. Em dezembro do ano passado, o Hospital Paulo de Tarso – Hospital de Transição, tornou-se o primeiro hospital de Belo Horizonte a implementar uma usina fotovoltaica que garante a produção de 100% da sua demanda energética, sendo ainda a de maior capacidade instalada em todo Estado de Minas Gerais. Outras inovações foram a troca do sistema de iluminação que agora possui 100% das lâmpadas com a tecnologia em LED, e a instalação de um sistema de aquecimento solar com apoio a gás.

De acordo com a Gerente de Operações do hospital, Daylane Sales, as novas instalações têm como principal objetivo promover sustentabilidade de negócios com gestão ambiental e social. Através da iniciativa, o hospital passa a ser uma instituição geradora de energia limpa e renovável, tornando-se sustentável e redutora de emissão de CO2 na atmosfera. A gerente destaca ainda que a produção própria da energia reduz significativamente o custo com a compra de energia elétrica.

Segundo o hospital, a implantação da nova infraestrutura é uma iniciativa da alta Direção do HPT. O financiamento do investimento foi viabilizado através de uma linha de crédito especial captada junto ao Sicoob – Credicom. Ainda foram realizados estudos de rentabilidade econômica e fluxo de caixa do projeto. Até o primeiro semestre de 2020, já estão provisionados mais de R$ 3 milhões de reais para outras melhorias.

A usina fotovoltaica implantada no Paulo de Tarso ocupa uma área total de 800m² distribuída em 396 painéis. “O sistema é todo monitorado remotamente, onde o acompanhamento da produção da geração de energia é diariamente monitorado pela equipe de Manutenção do HPT e da equipe de engenheiros da empresa responsável pela instalação da usina. A usina está em produção máxima e atinge todos os patamares projetados”, declara a gerente.

De acordo com a instituição, o tempo de instalação da infraestrutura teve a duração de 08 meses. As etapas incluíam fase de estudo da proposta; elaboração da viabilidade do projeto; aprovação de projeto junto a CEMIG; obras de adequação de infraestrutura; e instalação das placas fotovoltaicas e da usina, concluído em dezembro de 2019.

Dr. Carlos Eduardo Costa, Presidente do Paulo de Tarso e André Novais, Diretor da Broenergy

Mais qualidade para a assistência

A sustentabilidade ambiental e econômica alcançada pelo hospital através da nova infraestrutura impacta de forma positiva também no atendimento aos pacientes. O Gerente de Controladoria do hospital, Carlos Manoel, afirma que, “a economia gerada para o Hospital é diretamente investida na melhoria contínua a pacientes e acompanhantes. O que antes era pago a Cemig volta em benefício e em prol do paciente, com melhorias no atendimento e na estrutura hospitalar”.

Outra mudança anunciada pelo hospital é que está previsto para o HPT tornar-se uma das primeiras instituições 100% digital do Brasil, migrando para característica de “hospital sem papel”, com todos os seus colaboradores obtendo certificados eletrônicos para assinatura. Assegurado pela legislação, a assinatura eletrônica serve para assinar qualquer documento eletrônico e tem validade jurídica inquestionável, o que garante a segurança da autenticidade do documento e resguarda a quanto a violação e ou adulteração de documentos.

O gerente declara que com assinatura digital, “eliminamos o uso de papel; processo manual de coleta de assinaturas; a guarda física e descarte de documentos; diminuição dos custos de emissão; simplificando processos e ganhos de agilidade no negócio e na formalização de documentos”.

Além disso, vantagens como segurança, economia de tempo, eficiência no fluxo de trabalho e facilidade de rastreabilidade de documentos; são benefícios que voltam para a assistência. Os impactos positivos transformam-se em redução de tempo, que voltam para o cuidado ao paciente, e a redução de custos volta em forma de melhorias em estruturas, equipamentos e capacitação técnica dos funcionários.

07 fev 2020

Funcionários do Hospital de Monte Azul promovem uma rifa para deixar a pediatria mais humanizada

O Hospital Nossa Senhora das Graças de Monte Azul, Norte de Minas, inaugurou, no último dia 25/01, a reforma da ala de pediatria da instituição, com o objetivo de humanizar o atendimento das crianças internadas. Ficou muito lindo!!!

Segundo o gestor do hospital, Célio André Silva Castro, a iniciativa partiu do setor de Serviço Social, por meio da mobilização das colaboradoras Alessandra Antunes Silva Brito e Elisângela Antunes Vieira. A  reforma foi possível com o apoio do Grupo de Trabalho Humanização, que envolveu todos os colaboradores do hospital. Eles promoveram uma rifa e arrecadaram doações, totalizando R$ 15.550,00.

A reforma da pediatria, que possui 05 leitos, incluiu a troca do piso, janelas, berços, leitos, banheiros e pinturas com o tema “A beleza do mar”. De acordo com o gestor da instituição, o tema foi escolhido através de uma pesquisa realizada com as crianças internadas, que escolheram o mar, retratando o acolhimento de suas ondas e seus mistérios. “É um ambiente de paz envolvido com harmonia de cores, que é o que mais temos que ter em um hospital, o acolhimento humanizado aos nossos pequenos”, afirma o administrador. Ainda de acordo com ele a arte foi feita por um profissional que reside na cidade.

O Hospital Nossa Senhora das Graças é uma instituição que oferece 90% dos seus serviços ao SUS. O hospital atende 05 municípios da região e uma população de 82.0000 a 85.000 mil habitantes. Além disso a instituição possui um Pronto Socorro 24 horas; serviços de urgência; realiza cirurgias eletivas; atendimento e exames ambulatoriais e é referência na região.

11 dez 2019

Poder e riscos da tireoide

Arquivado em Comportamento, saúde

Por: Adauto Versiani, Presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – Regional Minas Gerais (SBEM-MG)

Muitos ainda desconhecem, mas a tireoide é uma importante glândula para o organismo e os problemas decorrentes de um mau funcionamento geram muitas dúvidas sobre como tratar e o que pode acontecer. A glândula tem a forma de uma borboleta e está localizada na parte anterior do pescoço, regulando a função de importantes órgãos, como o coração, o cérebro, o fígado e os rins, produzindo os hormônios T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina). A retirada pressupõe reposições hormonais para a vida inteira, sendo fundamental conhecer o essencial para manter uma boa saúde.

​ Geralmente, os problemas da tireoide ocorrem quando a glândula não funciona de maneira adequada com a liberação de hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo, ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo. As duas situações provocam aumento no volume da glândula, conhecido como bócio. O consumo de iodo também altera o funcionamento ideal, quando em falta ou em excesso.

​ Ela é importante para adultos e também no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, alterando o peso, a memória e a regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, na concentração, no humor e no controle emocional. Por desconhecer a seriedade dos cuidados ideais, muitas pessoas possuem alguma doença ligada a tireoide e nem sabem. Só nos últimos 19 anos, o câncer da tireoide cresceu 8,8%, conforme estudo do Observatório de Oncologia.

​ Além do hipotireoidismo e hipertireoidismo, as doenças mais comuns são a de “Graves”, tireoidite e os nódulos que requerem análise e acompanhamento médico. As disfunções podem acontecer em qualquer etapa da vida e têm diagnósticos simples. Os problemas são bem recorrentes e o hipotireoidismo ocorre, normalmente, em 10% da população, sendo mais frequente em mulheres e idosos.

​ Entre as crianças, é comum algumas já nascerem com hipotireoidismo e, nesses casos, o Teste de Pezinho é fundamental para a detecção. Os tratamentos dependem de cada problema e os medicamentos para reposição hormonal já ajudam, sendo que, somente em casos mais extremos, será necessária a cirurgia.

​ A gravidez é outro tópico para atenção, pois as disfunções da tireoide acarretam problemas complexos para mãe e bebê. No começo da gestação, o feto não produz os hormônios da tireoide e, por isso, precisa usar os da mãe e, mesmo quando começa a produzir, é em quantidades insuficientes. As mulheres que já sofrem com alguma doença, devem avisar ao médico sobre a intenção de engravidar.

O reconhecimento de um nódulo na tireoide salva vidas. A palpação da glândula é de fundamental importância. A atenção deve ser redobrada se a família já tiver casos de uma dessas doenças. Quando identificado o nódulo, o endocrinologista deve solicitar exames complementares para confirmar ou descartar a presença de tumor. A recomendação para quem nunca consultou um médico especializado é manter uma alimentação balanceada e, ao menos uma vez por ano, fazer um checkup para verificar a saúde.

Página 1 de 3412345... 34Próximo