06 ago 2016

Cerimônia de Abertura desperta a luz do brasileiro

Arquivado em Comportamento, opinião
brilho

Divulgação

OPINIÃO Sou uma otimista por natureza. Tenho signo do fogo. Dizem que os sagitarianos são solares. Sempre acreditei que moro no melhor país do mundo, cercado pela natureza mais exuberante do planeta. Por isso,  a certeza que o Brasil tinha muito o que mostrar na Cerimônia de Abertura das Olimpíadas Rio de Janeiro 2016. Só que fui surpreendida pelo tamanho da importância do momento simbólico – que reuniu milhares de pessoas no Maracanã e bilhões de telespectadores pelo mundo. Um evento planetário.

Foi uma explosão de amor e de  símbolos. Um banho de autoestima. Um afago na alma. Um sopro de esperança. Um exemplo de superação e cooperação. Não tenho dúvidas, foi o maior espetáculo da Terra.

A nossa história foi revisitada pelo melhor ângulo. A força da maloca trouxe o índio para dentro da nossa memória afetiva. O avião de Santos Dumont nos fez lembrar que podemos voar com as asas da criatividade. Paulinho da Viola cantou o hino nacional com a serenidade dos que acreditam que a paz é interna. Gisele nos revelou uma beleza para além das aparências.

A diversidade revelada por meio da representação das manifestações culturais foi unificada pelos aplausos. Anita esteve ao lado das feras da música brasileira -Caetano e Gil, mas sua juventude esteve tão presente que nos encantou. É tão bom ver a simplicidade dos jovens, como Anita, que sonham e não têm medo de ser feliz. A veterana Fernanda Montenegro me fez arrepiar com o texto primoroso do mineiro Carlos Drummond Andrade. A apresentação da Delegação dos Refugiados foi uma demonstração de solidariedade sem fronteiras. Tirei o chapéu para a apresentação dos nossos atletas. Somos muitos. Somos mais.

construçãoO Brasil, país belo por natureza, deixou uma mensagem elegante sobre a importância da preservação do meio ambiente. O sonho da Floresta dos Atletas foi a semente plantada na consciência dos novos humanos. Estamos em obras… E os voluntários estão por toda parte. Que possamos ter tranquilidade na travessia dos momentos mais difíceis. Não devemos temer o velho homem, mas construir os alicerces para a chegada do novo.

A Chama Sagrada Olímpica foi acesa. O sol não desaparece quando a noite chega. Fomos agraciados pelo espírito esportivo.