09 out 2019

Projeto oferece tatuagem gratuita de aréola em mulheres que tiraram a mama

Por Alana Gandra – Repórter da Agência Brasil.  Mulheres que passaram por mastectomia (retirada do seio em função de câncer) podem se inscrever para fazer gratuitamente a reconstrução da aréola, ou mamilo, com tatuagem, dentro do projeto Y Rosa. Idealizado por Yurgan Barrett e equipe, o projeto volta ao Rio de Janeiro este mês, depois de uma experiência em Florianópolis (SC) no meio do ano, contabilizando nas três primeiras edições mais de 50 mulheres atendidas.

São 30 vagas disponíveis e as inscrições podem ser feitas no Instagram do tatuador Yurgan Barret (@yurganbarret) até o dia 25 de outubro, mas a equipe alerta que quanto antes as interessadas entrarem em contato, maiores as chances de serem atendidas na ação.

Barret disse à Agência Brasil que muitas mulheres não procuram o serviço porque acham que será pago, ou por terem vergonha de lidar com a mastectomia. Outras ainda por desconhecerem o serviço de redesenho de aréolas de mulheres mastectomizadas.

A 4ª edição do Y Rosa está programada para os próximos dias 25 e 26, no Yurgan Tattoo Studio, localizado no Shopping Barra World, Avenida Alfredo Balthazar da Silveira, 580, Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da capital fluminense.

Procedimento

Na primeira parte do projeto social, Barret conversa com as candidatas à tatuagem sobre a cirurgia que fizeram. “Quando a gente acaba o procedimento (tatuagem), elas ficam muito felizes, porque, de certa forma, falta uma parte para completar tudo. A autoestima fica bem baixa. E a ideia da gente é aumentar o máximo possível a autoestima dessas mulheres”, manifestou.

Com esse propósito, além de oferecer gratuitamente a reconstrução de aréola para pacientes mastectomizadas, o Y Rosa conta este ano com novos serviços, como maquiagem definitiva, que inclui sobrancelha fio a fio, e palestras conduzidas pelo Instituto Vamos Viver.

Zelia Souza fez a tatuagem com Barret no ano passado, depois de retirar o seio esquerdo devido ao câncer em dezembro de 2015. “Adorei. Foi muito bom. Eu não gostava nem de olhar para a minha mama. É como se não fosse uma mama. Com o trabalho que o Yurgan fez, deu outra vida. A gente se sente mais feminina. Eu já tinha visto esse trabalho na internet e estava louca para fazer, mas não tinha dinheiro”. Zelia viu a noticia do projeto Y Rosa no grupo de ‘whatsapp’ e resolveu ligar. Ao se certificar que o serviço era gratuito, agendou hora com o tatuador. “Fiquei muito feliz. É um projeto muito legal”.

Método

O método utilizado é o mesmo da tatuagem artística e busca fazer um desenho realista do mamilo, sendo indicado para mulheres que já fizeram a reconstrução da mama e têm autorização médica para tatuar a área. “Acho que sair com a maquiagem, a reconstrução da aréola e tudo o mais ajuda muito na autoestima. Deixa elas mais felizes”, afirmou Barret. O tatuador garantiu que as mulheres não sentem dor para fazer a tatuagem de mamilo, porque o procedimento é feito com anestésico próprio para esse serviço.

Yurgan Barret pretende conseguir apoio para levar o projeto para outras cidades e em outros períodos do ano. “A ideia não é estar fazendo isso só no Outubro Rosa, mas onde der”, afirmou. Uma das próximas cidades a receber o serviço deverá ser a capital São Paulo.

02 out 2017

Minas Trend 2017: “Amigas do Peito” alertam sobre a prevenção do câncer de mama

Arquivado em Cidade, Comportamento, saúde

Carmelita

“Se você quer vestir a roupa que ela veste, porque não fazer o exame que ela faz ?”

Instalação do fotógrafo Márcio Rodrigues estará no Minas Trend 2017; objetivo é alertar e fazer uma provocação às mulheres sobre a importância da mamografia para aumentar as chances de cura do câncer de mama.

“Se você quer usar o shampoo que ela usa, porque não fazer o exame que ela faz?”. “Se vc quer vestir a roupa que ela veste, porque não fazer o exame que ela faz ?”

Essa é a provocação da instalação “Minhas amigas do Peito”, criada pelo fotógrafo Márcio Rodrigues em homenagem ao Outubro Rosa e que poderá ser vista no Minas Trend 2017. A instalação é formada por fotografias de modelos famosas, que posavam para o fotógrafo sempre que terminavam o trabalho do dia. Enquanto esperava o táxi que iria levá-la ao aeroporto, Márcio montava uma luz e fazia um retrato para postar no Instagram. Com o tempo, todas que chegavam para o job do dia, passaram a pedir para serem fotografadas para o “After Job”, nome do projeto que originou a instalação.

Inspirado no trabalho do também fotógrafo Bob Wolfenson, que na década de oitenta tinha um projeto chamado “Amigas do Peito”, Márcio começou a fotografar as modelos de seios de fora como contribuição à campanha Outubro Rosa, de Prevenção ao Câncer de Mama. Há dois anos passou a postá-las no Instagram, com uma tarja rosa cobrindo os mamilos e um texto de alerta sobre a importância da mamografia para o sucesso na cura dessa doença, que acomete mulheres de todo o mundo.

Com esse projeto, Márcio pretende chamar a atenção para o fato das mulheres serem “modelos” de tantos produtos. “ Se há tantas pessoas que se espelham nelas para o consumo de bens, por que não se espelhar nelas e passar a fazer a mamografia na faixa etária adequada? questiona ele. O grande mérito das imagens é retratar a confiança das modelos, todas importantes no mercado de moda brasileiro e internacional, que se expuseram confiantes em participar de um projeto social e de promoção da saúde. Muitas delas nunca haviam posado de seios à mostra.

O fotógrafo Márcio Rodrigues recebeu o apoio do ex-secretário estadual de Saúde e atual membro da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Antônio Jorge, que fez um apelo à organização do Minas Trend para que a instalação fizesse parte da programação oficial do evento, no que foi prontamente atendido. Junto a ela, cartilhas explicativas serão distribuídas durante o credenciamento dos participantes para que a informação correta, aliada à ação, consiga fazer com que as mulheres cuidem ainda mais da própria saúde. Prevenção nunca sai de moda!

OUTUBRO ROSA

Em sua décima edição, a campanha nacional Outubro Rosa visa conscientizar a sociedade sobre o enfrentamento do câncer de mama. Durante o mês, várias campanhas de prevenção são realizadas em todo país e vários prédios púbicos são iluminados com a cor rosa.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa é de 60 mil novos casos por ano em mulheres cada vez mais jovens. Quanto mais cedo, porém, o diagnóstico, mais chances de cura. A entidade informa que, quando descoberto no início, há 95% de probabilidade de recuperação total.

28 out 2015

Tatuadora mineira cria projeto para atender transexuais e mulheres vítimas de câncer

Arquivado em Comportamento

renata2

Alguns encontros pelo Facebook são realmente sensacionais e fortalecem a rede do bem. Um deles foi com talentosa tatuadora mineira, Renata Espinelly, 29 anos e 5 anos de profissão.

Ela anunciou em sua página pessoal que vai realizar duas tatuagens por mês, gratuitamente, para mulheres que passaram por mastectomia (retirada dos seios) por conta do câncer de mama. Mas ainda tem notícia boa. Renata também irá tatuar homens transexuais que fizeram mastectomia e que desejam cobrir a cicatriz.

Adriana Santos: Como surgiu a iniciativa de tatuar mulheres que retiraram os seios?

Renata Espinelly: Sempre tive vontade de ajudar de alguma forma alguém com o que mais sei fazer: tatuar. Então quando entramos no Outubro Rosa tive a ideia de usar a tattoo pra ajudar as vitimas do câncer.

Adriana Santos: Como as mulheres interessada podem agendar a tatuagem?

Renata Espinelly: O Agendamento é só pessoalmente, mas elas podem me procurar através da minha pagina:
https://www.facebook.com/Renataespinellytattooink/?ref=hl ou no cel: (31) 98494-5788

Adriana Santos: Quais as tatuagens (modelos) mais pedidas pelas mulheres?

Renata Espinelly: Não existe a mais pedida. A escolha vai de cada gosto. cada cliente tem um gosto diferente.

Adriana Santos: Como surgiu a ideia de tatuar os transexuais?

Tenho amigos trans que passaram pela mastectomia e vi que não fica uma cicatriz legal. Então porque não ajuda-los também!

Adriana Santos: Como os interessados podem agendar uma tatuagem?

Renata Espinelly: O Agendamento é só pessoalmente, mas elas e eles podem me procurar por meio da minha pagina ou pelo cel: (31) 98494-5788

Adriana Santos: Quais os dias para o agendamento?

Renata Espinelly: O dia do agendamento vai depender da disponibilidade do cliente.

jaguar

renata

 

Página 2 de 3123