18 maio 2017

Robô humanoide visita Santa Casa de Lagoa Santa

IMG_8450[1]

Foto: Ewaldo Ccih

 Os profissionais de saúde da Santa Casa de Lagoa Santa receberam, na manhã de hoje (18/05) uma visita muito especial, em comemoração ao Dia Nacional de Controle das Infecções Hospitalares (15) e  o Dia Mundial de Higiene das Mãos (5).

Trata-se de um robô bem simpático, tipo humanoide, 1,22 metros de altura, chamado Ozires, desenvolvido por pesquisadores da Faculdade UNI-BH, que percorreu todos os setores do hospital, interagindo com os profissionais de saúde e os pacientes. O objetivo é um alerta contra as infecções hospitalares, por meio de uma medida simples e eficaz:  incentivar a adesão dos trabalhadores de saúde à higienização das mãos. O humanoide finalizou a visita com uma palestra de conscientização que lotou o auditório.

“A ideia foi trazer para o nosso hospital algo interativo que pudesse também agregar conhecimento para os nossos profissionais. Ozires é um tecnologia fundamental que ensina um ato simples com tamanho impacto que é a higienização das mãos”, diz Gleyka Martins, coordenadora assistencial/CCIH.

Ozires está equipado com um distribuidor automático de desinfetante de mão, um projetor de bolso, para mostrar aulas de vídeo, e uma espécie de câmera espiã, para gravar a reação das pessoas ao vê-lo. Todas as lições dadas pelo robô são produzidas no telefone celular e passadas por meio de um aplicativo, que produz vozes robóticas.

As infecções hospitalares representam importante problema de saúde pública mundial, causando aumento na morbidade, na mortalidade e no tempo de internação dos pacientes.

IMG_8459[1]

17 jun 2015

Gasparzinho, o robô amigo das crianças com câncer

Arquivado em Internacional
gabriel

Miguel A. Lopes/Lusa (Jornal de Notícias)

Carinhosamente apelidado de “Gasparzinho”, o robô MOnarCH já circula pelos corredores da ala pediátrica do Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil de Lisboa (IPO de Lisboa) e por onde passa desperta amizade.

O “Gasparzinho” foi criado por um grupo de investigadores portugueses do Instituto Superior Técnico com o intuito de poder interagir com as crianças internadas naquela unidade de saúde. João Sequeira, coordenador do projeto do Instituto Superior Técnico de Lisboa, esclarece que a interatividade entre crianças e “Gasparzinho” tem sido muito positiva, o que “tem permitido tirar lições importantes sobre a introdução de robôs em ambientes sociais”.

Filomena Pereira, médica do IPO, diz que “tudo o que é lúdico é terapêutico” e defende que o robô dá à criança a possibilidade de “ser criança”, promovendo a interação entre elas e contrariando assim o isolamento que, muitas vezes, estes meninos vivenciam durante os tratamentos.

O robô foi concebido com três finalidades: tornar-se um assistente na sala de aula do IPO; brincar com as crianças, promovendo jogos não competitivos e interagir com as crianças, nos corredores, enquanto elas brincam. João Sequeira ressalva que “o grande objetivo desde projeto é que as crianças o vejam como um companheiro de brincadeira”.

O projeto deverá estar finalizado a 31 de janeiro de 2016, data após a qual o robô MOnarCH poderá assumir-se como uma presença assídua e divertida na vida das crianças que passam pela enfermaria pediátrica do IPO de Lisboa.

Assista neste vídeo ao dia a dia do “Gasparzinho”.

Gasparzinho – Um robot social na pediatria do IPO from Câmara Municipal de Lisboa on Vimeo. Fonte: Câmara Municipal de Lisboa