11 set 2018

Livro sobre influência do fator extraterrestre na humanidade é tema de palestra em BH

pedro2

A ufologia ganha cada vez mais espaço na agenda de eventos do Brasil e do mundo. A cada dia estamos mais convictos que não estamos só. Há vida além da Terra, talvez até além do Sistema Solar. Ainda não temos provas concretas da existência de objetos voadores não identificados (OVNIs) e de alienígenas. Também desconhecemos a real intenção dos seres extraterrestres. Ufólogos e pesquisadores de uma linha mais mística têm opiniões, às vezes, antagônicas. Tais seres são benevolentes ou querem nos destruir?

O livro “Ufologia: uma ciência para conhecer e difundir” , apesar de não ter sido escrito por um ufólogo, mas por um amador com formação profissional em ciências exatas, mais precisamente em engenharia civil, pôde reportar toda a curiosidade analítica inata do seu autor sobre grande parte da fenomenologia ufológica.

Apresenta os mais importantes casos da ufologia brasileira e mundial e lista os principais Projetos Secretos dos Estados Unidos e da Europa. Faz um paralelo entre estes casos, as religiões, as lendas e as mitologias mundiais mostrando a possibilidade destes assuntos estarem intimamente inter-relacionados.

É feita a análise dos fenômenos extraordinários mais recorrentes no mundo de variadas origens tais como: feixes de luzes sólidas saídas do céu e da Terra, barulhos ensurdecedores vindos não se sabe de onde, sinais escritos nos céus e crateras abertas repentinamente, aparentando serem fatos isolados, mas que, se olhados com visão arguta e abrangente, podem estar intimamente ligados ao fenômeno ufológico.

Também faz uma abordagem, talvez pela primeira vez em um livro desta natureza, do mundo material na 3ª dimensão e o imaterial, ou espiritual, na 4ª dimensão, mostrando o quanto podemos estar sendo enganados devido a nossa ignorância espiritual.

Mostra, sem sombra de dúvidas, que sem a ajuda dos ETs benevolentes, integrantes da Comunidade Galáctica, não poderíamos ter sobrevivido como espécie durante estes 4,5 bilhões de anos de existência da Terra, viajando pelo Universo a uma velocidade de 252 mil km/h, sem que uma catástrofe de proporções colossais nos colocasse em risco imediato de desaparecimento.

Todos estes assuntos são ricamente ilustrados com imagens de vídeos empolgantes no YouTube, apresentando as melhores filmagens de avistamentos, entrevistas com ufólogos experientes, abduzidos de todas as partes do mundo, trabalhos em Congressos Internacionais e bate papos informais com contatados. Este livro traz, na sua versão digital, 267 links de vídeos cuidadosamente selecionados para todos os temas nele tratados.

De tão vasto que é o assunto ufológico, mostra o quanto não há consenso nem entre os maiores especialistas do mundo e que os contatados por extraterrestres podem estar sendo enganados propositadamente pelos mesmos. Ao final precisamos ter consciência de que o Fator Extraterrestre foi e continua sendo preponderante na nossa formação e continuidade como espécie inteligente.

Este livro ilustra 53 casos brasileiros e 42 casos mundiais de maior relevância dentro ufologia, todos relatados através de vídeos criteriosamente selecionados dos mais competentes canais especializados do YouTube, que podem ser acessados diretamente durante a leitura pelos links disponibilizados na versão digital.

Este trabalho tenta elucidar o maior número de tipos de ocorrências anômalas que perseguem o ser humano há milhões de anos, desde a visão de fantasmas, fadas, gnomos, sereias, santos/santas, seres reptilianos, passando por incríveis “fenômenos” da natureza, sinais luminosos, fachos sólidos vindos do espaço, ruídos terríveis sem origem clara vindos do céu, crateras que se abrem repentinamente.

Enfim, é uma obra que tem condições de remeter o leitor autodidata a níveis cada vez mais profundos de conhecimento do fenômeno ufológico e, em última instância, do conhecimento de si próprio como seres galácticos que somos.

Dada a alta complexidade do assunto, o autor formula ao longo de 8 Capítulos centenas de questionamentos para serem respondidos à luz de uma ciência holística, incipiente e desdenhada pela ciência ortodoxa atual, que considere os seres vivos, racionais ou não, terrestres, intraterrestres ou galácticos muito mais do que simples matérias compostas por reuniões de substâncias químicas da Tabela Periódica, mas o que fundamentalmente são: seres espirituais vivenciando experiências evolutivas em corpos físicos!

“Ufologia: uma ciência para conhecer e difundir” será lançado no  Pampulha Iate Clube.

Dia: 25 de Setembro de 2018.

Horário: 19:00 às 21:30 h

Inscrições Abertas: Vagas Limitadas – ENTRADA FRANCA

pedro

03 ago 2018

Governo disponibiliza informações sobre OVNIs em sites oficiais

Arquivado em Cidade, Comportamento
ABERTURA FAB 1986

Revista Ovni Pesquisa

Por: Adriana Santos com informações disponibilizadas nos sites da Justiça Federal e  Ouvidoria do Governo Brasileiro

A ufologia é um assunto cada vez mais relevante, principalmente depois dos avanços digitais.  Não há como negar que as redes sociais na internet ajudaram a popularizar os avistamentos de objetos voadores não identificados (OVNIs). É claro que no mundo virtual tudo é possível. Por isso, a importância de separar o joio do trigo; a fantasia da realidade; o misticismo da ciência. Então, entra em cena os estudos ufológicos com bases na investigação científica. Nesse sentido, é necessário um esforço coletivo para buscar a verdade, envolvendo cidadãos, ufólogos,  órgãos públicos e Força Aérea Brasileira. O assunto é sério!

Quando a Lei de Acesso à Informação (LAI) entrou em vigor, em 2012, um dos assuntos com com maior reincidência de pedidos, segundo a Controladoria-Geral da União (CGU), foi com relação aos objetos voadores não identificados (OVNIs). No primeiro ano de vigência da lei, foram 37 pedidos de acesso à informação, contendo este termo no texto do pedido. Talvez você não saiba, mas, desde 2010, os documentos com registros de ocorrência de OVNIs (relatos, áudios, fotos e vídeos feitos por civis e militares), que estavam sob domínio do Comando da Aeronáutica, estão sendo transferidos para o Arquivo Nacional, onde, hoje, são de domínio público. Este processo acelerou-se com a entrada em vigor da LAI, e principalmente, em razão do alto número de pedidos feitos ao Comando por vários estudiosos do tema. Foi em razão disso que, em 2013, o Governo e as Forças Armadas liberaram um dos mais importantes lotes de documentos relacionados ao tema.

Segundo o editor da Revista OVNI Pesquisa, Paulo Baraky Werner, países como: França, Bélgica, Uruguai e Argentinas pesquisam há décadas os objetos voadores não identificados. “Esses países já colocaram a público relatórios e documentos oficiais sobre pesquisas ufológicas. A FAB – Força Aérea Brasileira também esta fazendo algo similar, atestando de forma categórica que os OVNIs são reais! E a abertura destes arquivos é peça fundamental para a compreensão destes fenômenos”, esclarece o ufólogo.

O interesse sobre o assunto levou o Portal da Força Aérea Brasileira a disponibilizar um link sobre OVNIs. Atualmente, há 137 documentos que possuem o termo OVNI no Arquivo Nacional. Porém, caso seja feita uma busca utilizando o código de referência BR DFANBSB ARX, que trata sobre objetos voadores não identificados, encontramos 758 documentos.

O documento mais antigo sobre objetos voadores não identificados no Arquivo Nacional data de 1952. Trata-se de aparição de OVNIs na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. O arquivo é composto por 9 imagens fotográficas. É possível visualizar fotos de um objeto em formato de prato com uma cúpula no meio.

Em 6 de agosto de 1954, avião da extinta companhia aérea Varig estava executando voo extra, cargueiro, do Pará para o Rio de Janeiro, quando a tripulação avistou objeto voador não identificado. A tripulação ficou tão impressionada que resolveu pousar em São Paulo.

Um caso brasileiro muito famoso é o de Varginha, Minas Gerais. A primeira aparição de objeto voador não identificado em Varginha é de 1971, apesar do caso que deu fama a cidade ser de 1996. É possível encontrar vários documentos no Arquivo Nacional, como por exemplo, relatório do Ministério da Aeronáutica, em que piloto de avião relata a ocorrência de tráfego de objeto voador não identificado. Apesar de no relatório constar que foi tudo filmado por passageiro, o vídeo não consta no Arquivo Nacional.

Em 2015, foi feito um pedido ao Ministério dos Transportes sobre um inquérito, datado de 05/10/1954, acerca do afundamento do navio de guerra, “Encouraçado São Paulo”, que teria sido vendido como sucata em 1951 ao Reino Unido. Para quem não sabe, o Encouraçado foi uma das armas de guerra mais importantes do Brasil durante o início do século XX, participando de diversos episódios importantes da história do Brasil, dentre eles a Revolta da Chibata (1910), o Bombardeio a Salvador (1912) e a Revolta dos 18 do Forte de Copa Cabana (1922).

Noite Oficial

Os documentos mais famosos sobre o assunto foram coletados na Noite Oficial dos Ovnis, que ocorreu no dia 19 de maio de 1986. Nessa mesma data foram detectados cerca de 21 objetos voadores não identificados pelos radares do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta). Cinco jatos da FAB foram enviados para persegui-los, mas nenhum obteve sucesso.

Tudo começou quando o operador da torre do Aeroporto de São José dos Campos, São Paulo, observou pontos luminosos que mudavam de cor, com a predominância da tonalidade vermelha, e perguntou ao piloto Alcir Pereira se ele estava vendo a mesma coisa.

Após a confirmação de Alcir, a Torre de Controle de São Paulo captou sinais sem identificação e o Cindacta I, em Brasília, detectou Ovnis nos radares de Goiás, de São Paulo e do Rio de Janeiro. Por causa da velocidade dos objetos, o Centro de Operações de Defesa Aérea (CODA) decidiu enviar os caças para persegui-los e interceptá-los. Porém, nenhum dos cinco caças conseguiu chegar perto dos Ovnis.

O Arquivo Nacional possui áudios e o relatório oficial do que aconteceu nesse dia. Os documentos confirmam que se tratavam de objetos sólidos e que demonstravam, de certa forma, inteligência.

Além dos registros de objetos não identificados, outros 114 temas estão disponíveis para pesquisa no Arquivo Nacional. O acervo tem acesso online por meio do Sistema de Informações do Arquivo Nacional (SIAN). O analista técnico do AN, Tobias Vasconcellos, adverte para a facilidade de acesso ao site sem sair de casa. “É muito fácil. Basta fazer um cadastro e entrar no SIAN. É bem mais prático analisar todos esses arquivos do seu próprio computador”, ensina Tobias.

aer2

13 jul 2018

Revista mineira sobre discos voadores é lançada em São Paulo

Arquivado em Cidade, Comportamento, Ufologia

revista2

Minas Gerais tem uma enorme incidência de avistamentos de objetos voadores não identificados. Alguns ufólogos apontam a Zona da mata como um dos principais pontos, mas existem outros como Passa Tempo e Serra do Cipó. Acredita-se que devido à grande riqueza mineral do solo mineiro, os objetos voadores não identificados (OVNIs) usam esse material como fonte de energia.

O Estado também conta com a presença de ufólogos importantes. Em solo mineiro, nasceu o pioneiro dos estudos de campo da ufologia, Húlvio Brant Aleixo, conhecido internacionalmente pela seriedade das pesquisas sobre OVNIs desenvolvidas no Brasil. Aqui também foram criados vários grupos e institutos de pesquisas na área, sempre zelando pela ética das informações.

A partir de agora, para além das montanhas de Minas, os brasileiros ainda podem contar com uma publicação trimestral sobre tudo o que acontece no Brasil e no mundo sobre avistamentos, abduções e estudos ufológicos com bases na ciência.  “É esta seriedade que a revista “OVNI Pesquisa” se propõe a resgatar e enaltecer, através de artigos escritos por especialistas nos temas atinentes à Ufologia (tais como observação em espaço aberto, objetos voadores e outros) de modo a não somente esclarecer esta ciência, mas igualmente a aproximá-la do público cada vez mais, assim permitindo que os fenômenos relacionados a ela deixem de ser considerados inacessíveis e passem a ser objeto de discussão ampla e natural”, explica Sérgio Santana, formado em Ciências Aeronáuticas e pós-graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica da PUC-MG.

Amanhã (14/07), a Revista OVNI Pesquisa será lançada na Biblioteca Municipal Viriato Corrêa, Vila Mariana, em São Paulo, às 14 horas – e contará com a participação dos ufólogos Edson Boaventura e Fábio Gomes. A entrada é gratuita, mas as vagas são limitadas. Portanto, as reservas devem ser feitas pelos e-mail: fabio@ovnipesquisa.com.br; edison@ovnipesquisa.com.br ou contato@ovnipesquisa.com.br

Palestras

Edison Boaventura – Ovnis na Ilha de Páscoa

​​Pesquisador de campo há 37 anos, fundador e atual presidente do GUG – Grupo Ufológico de Guarujá e diretor de pesquisa de campo da BURN. Possui diversos trabalhos publicados em revistas, jornais e periódicos.

Escreveu em 2015 o livro “Alienígenas no Passado do Brasil” e em 2016 o livro “OVNI – Arquivos Militares – Caso Ibiúna – SP”. ​​
Realizou e participou de vários congressos nacionais e internacionais. Participou de vários programas nacionais e internacionais de televisão (History Channel, etc.) e rádio. Como pesquisador adota a linha científica de investigação, tendo investigado centenas de casos de abdução, pousos e contatos com OVNIS, principalmente no Litoral Paulista.

Participou intensamente da investigação do “Caso Varginha”, em Minas Gerais.Fazendo parte do “Grupo dos 7”. É apresentador do programa no YOUTUBE: “Enigmas e Mistérios”.

Viajou para vários países para investigar o fenômeno, como por exemplo, Egito, Grécia, Turquia, Israel, Japão, Camboja, Tailândia, Emirados Árabes, Inglaterra, França, México, Peru, Chile, Ilha de Páscoa, Argentina e Uruguai.
Atualmente vem desenvolvendo levantamentos sobre a atuação de militares brasileiros em pesquisas relacionadas com o Fenômeno OVNI.
edison@ovnipesquisa.com.br

Fábio Gomes. Realidade ou faz-de-conta?

É cientista social e profissional da área de pesquisa de mercado e opinião pública há duas décadas. Tem como áreas principais de pesquisa a análise de dados quantitativos e a reflexão sobre a credibilidade da Ufologia perante a sociedade. Foi consultor da revista UFO por sete anos. Suas palestras estão disponíveis no canal Fábio Gomes do Youtube.  fabio@ovnipesquisa.com.br  

revista sp

 

Página 1 de 812345678