03 ago 2018

Governo disponibiliza informações sobre OVNIs em sites oficiais

Arquivado em Cidade, Comportamento
ABERTURA FAB 1986

Revista Ovni Pesquisa

Por: Adriana Santos com informações disponibilizadas nos sites da Justiça Federal e  Ouvidoria do Governo Brasileiro

A ufologia é um assunto cada vez mais relevante, principalmente depois dos avanços digitais.  Não há como negar que as redes sociais na internet ajudaram a popularizar os avistamentos de objetos voadores não identificados (OVNIs). É claro que no mundo virtual tudo é possível. Por isso, a importância de separar o joio do trigo; a fantasia da realidade; o misticismo da ciência. Então, entra em cena os estudos ufológicos com bases na investigação científica. Nesse sentido, é necessário um esforço coletivo para buscar a verdade, envolvendo cidadãos, ufólogos,  órgãos públicos e Força Aérea Brasileira. O assunto é sério!

Quando a Lei de Acesso à Informação (LAI) entrou em vigor, em 2012, um dos assuntos com com maior reincidência de pedidos, segundo a Controladoria-Geral da União (CGU), foi com relação aos objetos voadores não identificados (OVNIs). No primeiro ano de vigência da lei, foram 37 pedidos de acesso à informação, contendo este termo no texto do pedido. Talvez você não saiba, mas, desde 2010, os documentos com registros de ocorrência de OVNIs (relatos, áudios, fotos e vídeos feitos por civis e militares), que estavam sob domínio do Comando da Aeronáutica, estão sendo transferidos para o Arquivo Nacional, onde, hoje, são de domínio público. Este processo acelerou-se com a entrada em vigor da LAI, e principalmente, em razão do alto número de pedidos feitos ao Comando por vários estudiosos do tema. Foi em razão disso que, em 2013, o Governo e as Forças Armadas liberaram um dos mais importantes lotes de documentos relacionados ao tema.

Segundo o editor da Revista OVNI Pesquisa, Paulo Baraky Werner, países como: França, Bélgica, Uruguai e Argentinas pesquisam há décadas os objetos voadores não identificados. “Esses países já colocaram a público relatórios e documentos oficiais sobre pesquisas ufológicas. A FAB – Força Aérea Brasileira também esta fazendo algo similar, atestando de forma categórica que os OVNIs são reais! E a abertura destes arquivos é peça fundamental para a compreensão destes fenômenos”, esclarece o ufólogo.

O interesse sobre o assunto levou o Portal da Força Aérea Brasileira a disponibilizar um link sobre OVNIs. Atualmente, há 137 documentos que possuem o termo OVNI no Arquivo Nacional. Porém, caso seja feita uma busca utilizando o código de referência BR DFANBSB ARX, que trata sobre objetos voadores não identificados, encontramos 758 documentos.

O documento mais antigo sobre objetos voadores não identificados no Arquivo Nacional data de 1952. Trata-se de aparição de OVNIs na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. O arquivo é composto por 9 imagens fotográficas. É possível visualizar fotos de um objeto em formato de prato com uma cúpula no meio.

Em 6 de agosto de 1954, avião da extinta companhia aérea Varig estava executando voo extra, cargueiro, do Pará para o Rio de Janeiro, quando a tripulação avistou objeto voador não identificado. A tripulação ficou tão impressionada que resolveu pousar em São Paulo.

Um caso brasileiro muito famoso é o de Varginha, Minas Gerais. A primeira aparição de objeto voador não identificado em Varginha é de 1971, apesar do caso que deu fama a cidade ser de 1996. É possível encontrar vários documentos no Arquivo Nacional, como por exemplo, relatório do Ministério da Aeronáutica, em que piloto de avião relata a ocorrência de tráfego de objeto voador não identificado. Apesar de no relatório constar que foi tudo filmado por passageiro, o vídeo não consta no Arquivo Nacional.

Em 2015, foi feito um pedido ao Ministério dos Transportes sobre um inquérito, datado de 05/10/1954, acerca do afundamento do navio de guerra, “Encouraçado São Paulo”, que teria sido vendido como sucata em 1951 ao Reino Unido. Para quem não sabe, o Encouraçado foi uma das armas de guerra mais importantes do Brasil durante o início do século XX, participando de diversos episódios importantes da história do Brasil, dentre eles a Revolta da Chibata (1910), o Bombardeio a Salvador (1912) e a Revolta dos 18 do Forte de Copa Cabana (1922).

Noite Oficial

Os documentos mais famosos sobre o assunto foram coletados na Noite Oficial dos Ovnis, que ocorreu no dia 19 de maio de 1986. Nessa mesma data foram detectados cerca de 21 objetos voadores não identificados pelos radares do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta). Cinco jatos da FAB foram enviados para persegui-los, mas nenhum obteve sucesso.

Tudo começou quando o operador da torre do Aeroporto de São José dos Campos, São Paulo, observou pontos luminosos que mudavam de cor, com a predominância da tonalidade vermelha, e perguntou ao piloto Alcir Pereira se ele estava vendo a mesma coisa.

Após a confirmação de Alcir, a Torre de Controle de São Paulo captou sinais sem identificação e o Cindacta I, em Brasília, detectou Ovnis nos radares de Goiás, de São Paulo e do Rio de Janeiro. Por causa da velocidade dos objetos, o Centro de Operações de Defesa Aérea (CODA) decidiu enviar os caças para persegui-los e interceptá-los. Porém, nenhum dos cinco caças conseguiu chegar perto dos Ovnis.

O Arquivo Nacional possui áudios e o relatório oficial do que aconteceu nesse dia. Os documentos confirmam que se tratavam de objetos sólidos e que demonstravam, de certa forma, inteligência.

Além dos registros de objetos não identificados, outros 114 temas estão disponíveis para pesquisa no Arquivo Nacional. O acervo tem acesso online por meio do Sistema de Informações do Arquivo Nacional (SIAN). O analista técnico do AN, Tobias Vasconcellos, adverte para a facilidade de acesso ao site sem sair de casa. “É muito fácil. Basta fazer um cadastro e entrar no SIAN. É bem mais prático analisar todos esses arquivos do seu próprio computador”, ensina Tobias.

aer2

13 jul 2018

Revista mineira sobre discos voadores é lançada em São Paulo

Arquivado em Cidade, Comportamento, Ufologia

revista2

Minas Gerais tem uma enorme incidência de avistamentos de objetos voadores não identificados. Alguns ufólogos apontam a Zona da mata como um dos principais pontos, mas existem outros como Passa Tempo e Serra do Cipó. Acredita-se que devido à grande riqueza mineral do solo mineiro, os objetos voadores não identificados (OVNIs) usam esse material como fonte de energia.

O Estado também conta com a presença de ufólogos importantes. Em solo mineiro, nasceu o pioneiro dos estudos de campo da ufologia, Húlvio Brant Aleixo, conhecido internacionalmente pela seriedade das pesquisas sobre OVNIs desenvolvidas no Brasil. Aqui também foram criados vários grupos e institutos de pesquisas na área, sempre zelando pela ética das informações.

A partir de agora, para além das montanhas de Minas, os brasileiros ainda podem contar com uma publicação trimestral sobre tudo o que acontece no Brasil e no mundo sobre avistamentos, abduções e estudos ufológicos com bases na ciência.  “É esta seriedade que a revista “OVNI Pesquisa” se propõe a resgatar e enaltecer, através de artigos escritos por especialistas nos temas atinentes à Ufologia (tais como observação em espaço aberto, objetos voadores e outros) de modo a não somente esclarecer esta ciência, mas igualmente a aproximá-la do público cada vez mais, assim permitindo que os fenômenos relacionados a ela deixem de ser considerados inacessíveis e passem a ser objeto de discussão ampla e natural”, explica Sérgio Santana, formado em Ciências Aeronáuticas e pós-graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica da PUC-MG.

Amanhã (14/07), a Revista OVNI Pesquisa será lançada na Biblioteca Municipal Viriato Corrêa, Vila Mariana, em São Paulo, às 14 horas – e contará com a participação dos ufólogos Edson Boaventura e Fábio Gomes. A entrada é gratuita, mas as vagas são limitadas. Portanto, as reservas devem ser feitas pelos e-mail: fabio@ovnipesquisa.com.br; edison@ovnipesquisa.com.br ou contato@ovnipesquisa.com.br

Palestras

Edison Boaventura – Ovnis na Ilha de Páscoa

​​Pesquisador de campo há 37 anos, fundador e atual presidente do GUG – Grupo Ufológico de Guarujá e diretor de pesquisa de campo da BURN. Possui diversos trabalhos publicados em revistas, jornais e periódicos.

Escreveu em 2015 o livro “Alienígenas no Passado do Brasil” e em 2016 o livro “OVNI – Arquivos Militares – Caso Ibiúna – SP”. ​​
Realizou e participou de vários congressos nacionais e internacionais. Participou de vários programas nacionais e internacionais de televisão (History Channel, etc.) e rádio. Como pesquisador adota a linha científica de investigação, tendo investigado centenas de casos de abdução, pousos e contatos com OVNIS, principalmente no Litoral Paulista.

Participou intensamente da investigação do “Caso Varginha”, em Minas Gerais.Fazendo parte do “Grupo dos 7”. É apresentador do programa no YOUTUBE: “Enigmas e Mistérios”.

Viajou para vários países para investigar o fenômeno, como por exemplo, Egito, Grécia, Turquia, Israel, Japão, Camboja, Tailândia, Emirados Árabes, Inglaterra, França, México, Peru, Chile, Ilha de Páscoa, Argentina e Uruguai.
Atualmente vem desenvolvendo levantamentos sobre a atuação de militares brasileiros em pesquisas relacionadas com o Fenômeno OVNI.
edison@ovnipesquisa.com.br

Fábio Gomes. Realidade ou faz-de-conta?

É cientista social e profissional da área de pesquisa de mercado e opinião pública há duas décadas. Tem como áreas principais de pesquisa a análise de dados quantitativos e a reflexão sobre a credibilidade da Ufologia perante a sociedade. Foi consultor da revista UFO por sete anos. Suas palestras estão disponíveis no canal Fábio Gomes do Youtube.  fabio@ovnipesquisa.com.br  

revista sp

 

21 jun 2018

Vaticano investiga a possibilidade de vida inteligente em outros planetas

IMG_1763

Desde criança, as histórias de alienígenas me fascinam. Uma das minhas boas lembranças de infância, com certeza, é o filme: E.T. – O Extraterrestre, considerado um dos maiores sucessos de bilheteria de toda a história do cinema, sendo o segundo filme a ultrapassar a marca 700 milhões de dólares depois de Star Wars. Ainda quando criança, ficava até amanhecer na varanda da minha casa com os olhos vidrados no céu, na esperança de encontrar algum disco voador. Sonhava em encontrar um alienígenas amigo, companheiro de viagens rumo aos outros planetas fora do Sistema Solar.

Já na juventude, quando ainda estudante de jornalismo, conheci o saudoso professor Húlvio Brant Aleixo, oficial da reserva da Força Aérea Brasileira, psicólogo e um dos primeiros ufólogos brasileiros. Aprendi tanto com ele, principalmente durante algumas pesquisas de campo realizadas no interior de Minas Gerais. Foi uma boa referência na minha vida. Ele me apresentou os princípios básicos dos estudos ufológicos.

Outro assunto que gosto de pesquisar é sobre os possíveis contatos entre alienígenas e membros do Vaticano. Para entender mais sobre essa possibilidade, entrevistei  Edison Boaventura Júnior,  pesquisador há 37 anos, fundador e atual presidente do GUG – Grupo Ufológico de Guarujá.

Como pesquisador, ele investigou o “Caso Varginha”, em Minas Gerais. Boaventura também é apresentador do Canal do Youtube: “Enigmas e Mistérios” e escreve artigos para o Portal BURN (www.portalburn.com.br).  É consultor da revista OVNI Pesquisa. Viajou para vários países para investigar o fenômeno, como por exemplo, Egito, Grécia, Turquia, Israel, Japão, Camboja, Tailândia, Emirados Árabes, Inglaterra, França, México, Peru, Chile, Argentina e Uruguai.

Atualmente, ele vem desenvolvendo levantamentos sobre a atuação de militares brasileiros em pesquisas relacionadas com o Fenômeno OVNI. É o pesquisador brasileiro que possui a maior quantidade de documentos oficiais sobre o assunto. Também, está compilando um dossiê sobre o caso da explosão de um OVNI em Ubatuba, no Litoral Paulista em 1957, sendo que os fragmentos obtidos foram analisados na USP, em São Paulo.

Image.6DA14CC8-1801-4E2C-9E77-C15ECCF4BE98

Adriana Santos (AOS): Muitas pessoas acreditam que o Vaticano guarda segredos sobre possíveis contatos com seres de outros planetas. Alguns dizem que muitos relatos estão nos livros da Biblioteca, mas os pesquisadores da ufologia não têm acesso. Isso é possível? Qual os motivos para tanto segredo?

Edison Boaventura Júnior (EBJ): Não é de hoje que se fala em segredos ocultos sobre vários aspectos na Santa Sé e, o tema OVNI – Objeto Voador Não Identificado não é diferente! Não só em livros antigos da grande biblioteca do Vaticano, mas em documentos e cartas, constam relatos de objetos voadores desconhecidos e, até de seus tripulantes. Para exemplificar, o caso da aparição de Fátima em 1917, segundo o pesquisador português Joaquim Fernandes e a pesquisadora Fina D’Armada seria, na verdade, um contato de 3º grau. Eles tiveram acesso aos documentos do Vaticano sobre este episódio e atestaram que a igreja omitiu os fatos e distorceu certos aspectos da aparição, supostamente, mariana. Toda a verdade está relatada em livro que estes dois pesquisadores escreveram, intitulado “Intervenção Extraterrestre em Fátima”. O motivo de tanto segredo é que uma revelação destas verdades colocaria em xeque-mate a fé das pessoas, podendo gerar uma convulsão no meio dos fiéis e da própria Instituição, podendo ser perigoso e causar a dissolução de parte dos seus seguidores. Outro aspecto é que o simples fato da Igreja mencionar, vez ou outra, o termo OVNI, causa uma certa repugnância para algumas frentes carismáticas. Assim, o mais correto que eles definiram é manter o sigilo!

AOS: Há quanto tempo o Vaticano pesquisa sobre vidas fora da Terra?

EBJ: Desde sempre o Vaticano coleciona casos e experiências desta natureza. Todavia, desde a criação do setor que cuida de Exorcismo e Parapsicologia, o estudo dos OVNIs foi incorporado neste mesmo setor e, daí para frente, não mais parou a investigação deste inquietante fenômeno. Atualmente, o responsável por estes estudos é o jovem jesuíta cientista, José Gabriel Funes. Funes é o diretor do Observatório do Vaticano e em 2008, disse em entrevista ao jornal Lobservatorie Romano: “Deus pode ter criado vida inteligente em outras partes do Universo e inclusive poderiam ser nossos irmãos”.

AOS: O Vaticano assume que investiga sobre a possibilidade da presença de alienígenas no espaço?

EBJ:  Sim, há religiosos que já deram suas opiniões pessoais ou ainda, em nome da Instituição sobre esta temática. Para o pesquisador italiano Roberto Pinotti que estudou esta abertura que está sendo feita de forma gradual, disse: “O Vaticano já admitiu a existência de seres extraterrestres e até o papa João XXIII teve um contato com um tripulante em 1961”. O falecido Monsenhor Conrado Balducci, considerado exorcista oficial do Vaticano afirmou em um Simpósio de Ufologia, realizado em San Marino, na Itália, em 1999: “A vida fora da Terra é evidente e sua existência não pode ser ignorada”. Em outro evento, em 2005, na Calábria, Balducci disse: “A Igreja reconhece que não estamos sozinhos no Universo”.

AOS: Qual seria o impacto institucional da Igreja Católica com a possível confirmação da presença dos extraterrestres? Como ficaria a fé católica diante de uma revelação de vida para além da Terra?

EBJ: Seria um impacto ainda indefinido, mas segundo os clérigos mais conservadores, teriam, certamente, proporções catastróficas para a Instituição religiosa. A fé seria abalada, pois novos conceitos teriam que ser implantados e, muitos padrões antigos e dogmas seriam revistos e substituídos. Muitos fiéis se sentiriam traídos em suas crenças!

AOS: O Papa Francisco já demonstrou interesse pelos estudos ufológicos?

EBJ: De uns anos para cá o Papa Francisco tem deixado escapar seus pensamentos sobre a vida extraterrestre. Ele afirmou que a vida extraterrestre inteligente evoluiu de forma consistente com “o plano do Criador”, possibilitando assim que estes seres atuem de forma mais adequada a este plano. Aos poucos, estas declarações podem indicar uma abertura gradual para afirmar no futuro próximo, a realidade da existência de estudos no Vaticano e, consequentemente, a realidade do Fenômeno OVNI.

AOS: O Papa já fez algum pronunciamento que pudesse escapar algo sobre a presença de alienígenas?

EBJ:  Sobre a presença de alienígenas, claramente ele não disse nada! Porém, teoriza e expõe suas idéias, vez ou outra, sobre a vida extraterrestre criada por Deus, como já respondi na pergunta anterior. Creio que a forma do Papa Francisco trazer o assunto em conta-gotas seja uma forma indireta de dizer que o fenômeno é real! Talvez, para preparar o povo católico para uma revelação futura.

AOS: Por ser um jesuíta, seria mais fácil para o Papa Francisco admitir a vida em outros planetas?

EBJ: Sim. Creio que o fato dele ser jesuíta e também ser o Papa abre-se um leque ainda maior e, certamente, ele sabe de muita coisa sobre a vida extraterrestre e também sobre os casos que existem lá no Vaticano, pois ele tem acesso livre a tudo que já foi coletado e estudado durante muitas décadas. Infelizmente, estes resultados mais aprofundados são ocultados dos fiéis e público em geral.

AOS: Há indícios que os alienígenas já entraram em contato com membros do Vaticano?

EBJ: Sim. Um dos casos mais divulgados na atualidade seria o contato imediato de um ser, tripulante de um OVNI que contatou com o Papa João XXIII. O evento ocorreu em 1961, em Castell Gandolfo, na Itália e o assistente do Papa contou: “Era de forma oval e tinha luzes intermitentes azuis e âmbar. A nave pareceu sobrevoar nossas cabeças, depois aterrou sobre a grama no lado sul do jardim. Um estranho ser saiu da nave; parecia um humano a exceção de que estava rodeado de uma luz dourada e tinha orelhas alongadas. Sua Santidade e eu nos ajoelhamos. Não sabíamos o que estávamos vendo. Mas soubemos que não era deste mundo, portanto devia ser um acontecimento celestial. O Santo Padre se levantou e caminhou para o ser. Os dois ficaram juntos de 15 a 20 minutos, pareciam falar intensamente. Eles não me chamaram, de modo que permaneci onde estava e não pude ouvir nada do que falavam. O ser deu a volta e caminhou para sua nave, em seguida marchou. O Sumo pontífice se dirigiu para mim e me disse: Os filhos de Deus estão em todas as partes; algumas vezes temos dificuldade em reconhecer a nossos próprios irmãos.”.

AOS: Jesus seria um alienígena, assim como os anjos e Deus?

EBJ: Jesus era homem enquanto esteve entre nós, mas também era 100% Deus. Os anjos são literalmente extraterrestres, pois foram criados por Deus fora da Terra. Todavia, não são os tripulantes dos OVNIs, pois anjos têm missões específicas e cumprem um plano determinado pelo Criador. O que há é uma interpretação errônea entre anjos e tripulantes dos OVNIs, pois às vezes, têm aspectos semelhantes no seu exterior. A Bíblia ensina e clarifica o que são os anjos! Os tripulantes dos OVNIs certamente tem outros objetivos, que não são das criaturas angelicais! Deus é o próprio “EU SOU” e não podemos teorizar nada a respeito do Criador. Ele simplesmente é!

AOS: Você acha que a confirmação da presença de extraterrestre afastaria as pessoas de Deus?

EBJ: Minha opinião pessoal é que uma revelação assim não afastaria as pessoas de Deus, pois a realidade da presença extraterrestre demonstraria ainda mais, a grandiosidade do Criador! Pensar na não existência de outros seres no Universo seria como limitar Deus. E omo criaturas que somos, não podemos limitar o poder criativo de Deus nos confins do Universo!

Página 1 de 812345678