09 out 2019

Conheça o perfume vegano com ingredientes da Amazônia e álcool orgânico

Cada vez mais, os consumidores  procuram produtos que repeitem a biodiversidade brasileira e não considerem os animais como meros objetos da nossa vaidade. Por isso algumas empresas apostam em valores como: sustentabilidade, veganismo e diversidade. A indústria da beleza é uma delas e está de olho em um mercado em expansão.

A Casa de Perfumaria do Brasil aposta em um produto que tem tudo a ver com o novo comportamento dos consumidores: Ekos Alma. A fragrância é composta por óleos essenciais que carregam a energia misteriosa do ciclo de vida da floresta.  “A inspiração veio da energia que a gente sente quando está em contato com a natureza e, principalmente, que a Amazônia traz”, explica Raquel Maimoni dos Santos, gerente de marketing de perfumaria.

O perfume tem como ingrediente o  óleo essencial de cumaru, que, na cultura da floresta, representa a conexão com a vida. Há o óleo de copaíba, usado pelos indígenas por causa de sua propriedade curativa. O breu branco é utilizado como incenso em alguns rituais da floresta. Por fim, tem o óleo da flor de Vitória Régia, que simboliza a feminilidade.  O resultado é uma fragrância amadeirada, autoral e de vanguarda.

O perfume tem na sua formulação álcool orgânico, e sua embalagem é produzida com vidro reciclado, trazendo o conceito de “fóssil vivo”, uma metáfora sobre a vida fossilizada em resina, representando o ciclo de vida dos ingredientes e da floresta eternizados em forma de joia. Assim como os demais produtos da marca Ekos, a fragrância é vegana.

Ekos Alma foi criado pela perfumista Verônica Kato em parceria com o francês Yves Cassar, conhecido por ter desenvolvido fragrâncias para as marcas Giorgio Armani, Calvin Klein e Tom Ford. O produto está à venda apenas online 

16 ago 2017

Comemore o Dia do Pão de Queijo com uma receita vegana

Receita-Pao-de-Queijo-Vida-e-Saude

Amanhã (17/8) é dia de um dos quitutes mais tradicionais de Minas Gerais, o pão de queijo. Acompanhado com café, é difícil resistir tanto sabor, mas a moderação é sempre uma boa pedida. No entanto muita gente fica só na vontade, por conta de alguma restrição alimentar ou simplesmente por defender a causa animal. 🐷🐔🐶🐥🐰

Seus problemas acabaram!!! Segue uma deliciosa receita de pão de queijo – sem queijo e bem mais saudável. 😊

Receita: Portal ANDA – Agência Nacional de Direito Animal

Ingredientes

2 xícaras (de chá) bem cheias de mandioquinha (batata baroa) picada (cerca de 300g)
1 e 1/2 xícara (de chá) de polvilho doce
1/2 xícara (de chá) de polvilho azedo
1 colher (de chá) de fermento químico em pó
1/4 de xícara (de chá) de água
5 colheres (de sopa) de óleo
1 colher (de chá) de sal ou mais se preferir

Modo de preparo

Antes de tudo, cozinhe a mandioquinha. Em uma panela com água fervente, coloque a mandioquinha picada e deixe cozinhar até ficar macia (espete um garfo ou faca e ele deve atravessar com facilidade). Escorra bem e em seguida amasse bem com um garfo, até obter um purê uniforme. Reserve.

Pré-aqueça o forno a 210ºC. Em uma vasilha, coloque o polvilho doce, o polvilho azedo, o fermento químico em pó e misture.

 

HISTÓRIA DO PÃO DE QUEIJO 

Apesar de sua origem ser incerta, especula-se que o pão de queijo tenha nascido nas cozinhas de fazendas mineiras do século XVIII. Alguns pesquisadores dizem que a farinha branca demorava a chegar às fazendas e, quando finalmente chegava, estava com a qualidade comprometida. Assim, em substituição à farinha para o preparo da receita, foi incorporado o polvilho, fato que culminou no pão de queijo que conhecemos hoje.